Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Argentina

A Argentina é um país sul-americano situado na porção meridional do continente. Possui 45 milhões de habitantes e tem os Andes como fronteira natural com o Chile.

Bandeira da Argentina.
Bandeira da Argentina.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

A Argentina é um país localizado na América do Sul e tem como capital a cidade de Buenos Aires. Possui mais de 2,7 milhões de km² de extensão, sendo assim o segundo maior do subcontinente. O território argentino apresenta grande variedade paisagística e climática, com destaque para uma parcela da Cordilheira dos Andes, a oeste, e a extensa região da Patagônia, ao sul.

A Argentina tem mais de 45 milhões de habitantes, que desfrutam de boa qualidade de vida, e a segunda maior economia da América do Sul. O país é um grande produtor de soja, trigo e carne bovina, que são alguns de seus principais produtos de exportação.

Veja também: Bandeira da Argentina — um dos símbolos nacionais mais importantes do país

Tópicos deste artigo

Resumo sobre a Argentina

  • A Argentina é um país localizado no sul da América do Sul. Sua capital é a cidade de Buenos Aires.
  • É o segundo maior país em área do subcontinente.
  • Os climas da Argentina variam de tropical a subártico, devido à sua extensão longitudinal.
  • O país tem revelo formado por montanhas, dentre as quais se destaca a Cordilheira do Himalaia, que percorre toda a faixa oeste, planaltos e uma estreita faixa oriental de planícies.
  • Integra a Bacia Plantina, uma das mais importantes da América do Sul.
  • Sua população é de 45.606.000 habitantes. A capital sozinha reúne um terço desse total.
  • Representa a segunda maior economia sul-americana. Seu PIB é de 483 bilhões de dólares.
  • Possui um parque industrial diversificado. Apesar disso, as atividades agropecuárias (produção de carne bovina e soja, principalmente) e a exploração de recursos naturais têm destaque.
  • A qualidade de vida no país é uma das melhores do subcontinente.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dados gerais sobre a Argentina

  • Nome oficial: República Argentina.
  • Gentílico: argentino.
  • Extensão territorial: 2.796.427 km².
  • Localização: América do Sul.
  • Capital: Buenos Aires.
  • Climas:
    • temperado;
    • tropical;
    • subártico;
    • árido.
  • Governo: república presidencialista.
  • Divisão administrativa: 23 províncias e uma cidade autônoma.
  • Idioma: espanhol.
  • Religiões:
    • católica romana — 62,9%;
    • evangélica — 15,3%;
    • testemunhas de Jeová —1,4%;
    • agnosticismo — 3,2%;
    • outras religiões — 1,2%;
    • ateísmo — 6%;
    • nenhuma ou não especificada — 10%.
  • População: 45.606.000 habitantes (ONU, 2021).
  • Densidade demográfica: 16,7 hab./km² (ONU, 2021).
  • Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,845.
  • Moeda: peso argentino.
  • Produto Interno Bruto (PIB): US$ 483,77 bilhões (FMI, 2022).
  • PIB per capita: US$ 10.450 (FMI, 2022).
  • Gini: 0,429.
  • Fuso horário: GMT -3.
  • Relações exteriores:
    • Organização das Nações Unidas (ONU);
    • Organização Mundial do Comércio (OMC);
    • Organização dos Estados Americanos (OEA);
    • Banco Mundial;
    • Fundo Monetário Internacional (FMI);
    • Grupo dos 20 (G-20);
    • Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco);
    • Mercado Comum do Sul (Mercosul).

Etimologia de Argentina

Antes de estabelecer seu nome como hoje o conhecemos oficialmente, o país era chamado, no século XVI, de Terra Argentea, que fazia referência à “terra ao lado Rio Prateado [da Prata]”. A palavra Argentina tem origem no termo em latim argentum, que significa prata.|1|

Mapa da Argentina

Mapa da Argentina.

Geografia da Argentina

A Argentina é um país da América do Sul, situado na porção mais meridional do subcontinente sul-americano. Com área superficial de 2.796.427 km², é o segundo maior país da região. O território argentino é banhado a leste pelo oceano Atlântico e faz fronteira com cinco países:

O país apresenta 3800 km de extensão norte-sul, o que afeta diretamente a distribuição de climas em seu território. No extremo sul da Argentina está localizado o arquipélago da Terra do Fogo, cuja maior parcela pertence ao território chileno, e é onde se situa o encontro dos oceanos Atlântico e Pacífico.

→ Clima da Argentina

Devido à sua ampla extensão latitudinal, a Argentina experimenta diversos tipos de clima. Além disso, seu território fica na zona intertropical do planeta, predominando a ocorrência de climas mais amenos. Os principais tipos climáticos presentes no país são:

O clima tropical ocorre nas terras ao norte da Argentina, predominando temperaturas relativamente elevadas e chuvas abundantes entre o final da primavera e o verão. As áreas de clima temperado compreendem boa parcela do território argentino. Nelas, as temperaturas são amenas (entre 8 °C e 24 °C), e as chuvas são bem distribuídas durante o ano. Sobretudo nos pampas, observa-se a formação de geadas no inverno.

Na região da Patagônia, no centro-sul do país, predomina o clima árido, em função do baixo teor de umidade e chuvas escassas durante o ano. Tal característica é explicada pela presença da Cordilheira dos Andes, a oeste, que atua como uma barreira orogenética, impedindo que a umidade dos ventos que sopram do lado ocidental cheguem até as localidades a leste. Nessa região, as temperaturas são muito baixas e os ventos são bastante secos. Destaca-se a presença de neve nos picos mais elevados, especialmente nos Andes.

→ Relevo da Argentina

Vista do Monte Fitz Roy, que fica na região montanhosa da Patagônia, na fronteira entre a Argentina e o Chile.
Vista do Monte Fitz Roy, que fica na região montanhosa da Patagônia, na fronteira entre a Argentina e o Chile.

O relevo da Argentina é formado:

  • pelos terrenos suavemente ondulados na sua região centro-norte;
  • pelo planalto da Patagônia, ao sul;
  • pelas montanhas que fazem parte da Cordilheira dos Andes e se estendem por toda a faixa oeste do país;
  • pelas planícies que compõem a paisagem da sua porção oriental.

A elevação média na Argentina é de 595 metros. Por outro lado, seu pico mais elevado é também o maior da América do Sul. Trata-se do Aconcágua, nos Andes, situado a 6.969 metros acima do nível do mar.

Saiba mais: Monte Everest — montanha onde se encontra o ponto mais alto do mundo

→ Vegetação da Argentina

A cobertura vegetal da Argentina é muito diversa. Os terrenos mais elevados são recobertos por bosques e vegetação de altitude, e a cobertura vegetal, de modo geral, é formada:

  • pelo bioma Chaco, que se concentra no norte do país e é formado por árvores espaçadas de pequeno e médio porte e gramíneas;
  • pelos pampas (campos gerais);
  • pelas florestas decíduas e estepes ao sul, na região da Patagônia;
  • pelas áreas desérticas, no Noroeste;
  • pela tundra, no extremo sul do país.

 → Hidrografia da Argentina

O maior lago do país é compartilhado com o Chile e, em sua parcela argentina, recebe o nome de lago Buenos Aires. Além disso, grande parte do norte e nordeste da Argentina está inserida na Bacia Plantina, uma das bacias hidrográficas mais importantes da América do Sul. Dentre os principais rios que banham o território argentino, estão:

  • rio Paraguai;
  • rio Paraná;
  • rio Uruguai;
  • rio Iguaçu.

Saiba também: Bacia Amazônica — a maior bacia hidrográfica do mundo

Demografia da Argentina

A Argentina é o terceiro país mais populoso da América do Sul. Seu contingente populacional é, hoje, de 45.606.000 habitantes, conforme os dados das Nações Unidas. O país apresenta, em contrapartida, uma densidade demográfica (distribuição da população em uma determinada área) bastante baixa, de 16,7 hab./km², sendo seu território classificado como pouco povoado.

Isso ocorre porque a população não se encontra bem distribuída pelo país, e a maioria dos argentinos vive na capital ou próximo a ela. Nas áreas ao sul, principalmente na região da Patagônia, a população é escassa.

Mais de 92% dos argentinos vivem nas cidades, o que torna a Argentina um país urbanizado. Um terço da sua população, aproximadamente, está concentrada na capital, Buenos Aires. A cidade tem um contingente de 15.057.300 habitantes. Outras grandes cidades argentinas são Córdoba e Rosário, com 1,5 milhão de pessoas cada, Mendonza e São Miguel, ambas também com mais de 1 milhão de habitantes.

A taxa de crescimento da população argentina é de 0,84% ao ano, menor do que a média mundial, e tem caído rapidamente. Isso porque o número de nascimentos já é menor do que o número de mortes, ao mesmo tempo que a emigração supera a migração. A idade mediana da população da Argentina é de 32,4 anos, e esse valor vai se tornando cada vez maior à medida que decorre o processo de envelhecimento populacional. Hoje, a expectativa de vida no país é de 78 anos.

Leia também: Venezuela — país sul-americano com população bastante miscigenada

Economia da Argentina

A economia da Argentina é a segunda maior da América do Sul. O país registrou recentemente um Produto Interno Bruto (PIB) de 483 bilhões de dólares, de acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), além de seu PIB per capita superar os 10 mil dólares.

A Argentina é um dos membros fundadores do Mercosul, bloco econômico fundado em 1991 que reúne membros e observadores (estes não necessariamente do continente sul-americano) em uma união aduaneira, caracterizada pela criação de uma zona de livre comércio e a ação de uma Tarifa Externa Comum.

O setor terciário responde pela maior parcela do PIB argentino, além de concentrar 66% da mão de obra. O parque industrial do país, que compreende as atividades do setor secundário, é amplo e diversificado. Dentre as principais indústrias argentinas estão a alimentícia e a de bebidas, com destaque para as produções:

  • vinícola;
  • têxtil;
  • química;
  • petroquímica;
  • metalúrgica;
  • de bens de consumo duráveis;
  • automobilística.

No entanto, a agropecuária é o principal ramo produtivo da Argentina. Além disso, os produtos derivados da agricultura compõem a maior parte da cesta de exportações do país, em especial:

  • soja;
  • milho;
  • trigo;
  • carne congelada.

O país é, ainda, grande produtor de cana-de-açúcar, uva, batata, semente de girassol e cevada. Na pecuária, a Argentina se destaca como produtora de carne bovina e leite.

O setor primário é responsável pela exploração de recursos naturais, que no caso argentino são:

→ Videoaula sobre o Mercosul

História da Argentina

Em relação à região correspondente à atual Argentina, seu território era habitado por nativos quando os primeiros europeus lá chegaram, liderados pelo espanhol Juan Díaz de Solís, o que ocorreu ainda na primeira metade do século XVI.

Duas décadas após as primeiras expedições, no ano de 1536, foi fundada a cidade de Buenos Aires, sob o nome de Ciudad del Espíritu Santo e Puerto de Santa María del Buen Ayre. Diz-se, no entanto, que a futura capital argentina foi fundada duas vezes, pois em 1580 ela foi definitivamente estabelecida enquanto assentamento e ponto importante de chegada de imigrantes europeus nas décadas e séculos posteriores.

Até o final do século XVIII, a Argentina era parte do vice-reino do Peru, que consistia em uma colônia da Espanha. Em 1717, ele começou a se desmembrar, e, mais tarde, em 1776, foi criado o vice-reino do Rio da Prata. A independência desse novo território foi conquistada pouco tempo depois, em 1816.

Com isso, o território passou a se chamar Províncias Unidas do Rio da Prata, deixando assim o domínio espanhol depois de um período de seis anos de disputas. A Argentina foi o último país a se desvincular ainda naquele ano e se tornar uma nação independente.

É importante destacar a ocorrência da Guerra da Cisplatina, entre 1825 e 1828, um conflito entre o Império do Brasil e as Províncias Unidas do Rio da Prata pelo controle da Cisplatina, que hoje é o atual Uruguai, o qual se tornou independente.

O século XIX foi marcado ainda pela promulgação de uma constituição no país e pela intensa corrente migratória europeia que adentrou o território argentino a partir da década de 1860. O maior número de migrantes tinha origem espanhola. Muitas instabilidades econômicas e sobretudo políticas caracterizaram a história da Argentina durante todo o século XX.

A década de 1930 foi conhecida como Década Infame, quando ocorreu o primeiro golpe militar do país. Dezesseis anos depois, houve outro marco na historiografia política argentina, com a chegada de Juan Domingo Perón ao poder, inaugurando a era do peronismo, período da história do país em que Perón foi presidente.

Em 1955, Perón foi deposto, mas voltou ao cargo de presidente no ano de 1973. Seguindo o que ocorreu em outros países sul-americanos no período, a Argentina esteve sob uma ditadura militar entre 1976 e 1982, marcada pela escalada de violência e precarização da economia.

O país voltou a ser uma democracia em 1983, após perder para o Reino Unido uma disputa territorial pelas ilhas Malvinas. Os anos subsequentes a 1990 foram marcados por uma intensa crise econômica e posterior recuperação, cenário que se repetiu nos anos 2020.

Acesse também: Ditaduras latino-americanas — a série de regimes ocorridos no subcontinente

Cultura da Argentina

A cultura argentina é formada por elementos das culturas dos povos nativos sul-americanos e europeus, principalmente. Cerca de 97% da população da Argentina têm alguma herança europeia, ao passo que os indígenas e descendentes de africanos representam, respectivamente, 2,4% e 0,4% dos moradores daquele país. A língua oficial é o espanhol, e a religião que apresenta o maior número de adeptos é a católica romana, seguida dos evangélicos.

Uma das principais formas de expressão cultural na Argentina é a música. O país é internacionalmente conhecido pelo tango, ritmo que nasceu em Buenos Aires no século XIX a partir de influências caribenhas, europeias e africanas. A produção cinematográfica argentina tem grande importância para a indústria na América Latina e tem ganhado cada vez mais espaço nos principais festivais internacionais de cinema.

O país tem também uma ampla tradição na literatura e nos quadrinhos. É de lá o cartunista Quino (Joaquim Salvador Lavado, 1932–2020), criador da personagem Mafalda. A gastronomia da Argentina se destaca pelos preparos com carne vermelha e pratos como a empanada. Além do vinho, outra bebida tradicional do país é o mate, que conhecemos como chimarrão.

Infraestrutura da Argentina

A Argentina proporciona aos seus habitantes um dos melhores índices de qualidade de vida dentre os países da América do Sul. Esse padrão se reflete em alguns de seus indicadores sociais e demográficos, como na baixíssima taxa de analfabetismo (em torno de 1%) e na alta expectativa de vida, como vimos anteriormente.

Sendo um país essencialmente urbano, a rede de infraestrutura atende uma grande parcela da população das cidades, chegando também à zona rural. Aproximadamente 98% das pessoas que vivem nas cidades têm acesso a saneamento básico, o que inclui água potável e esgoto.

A energia elétrica chega a 99% dos moradores das cidades e a 85% nas áreas rurais. A geração de energia no país é ainda bastante dependente de fontes não renováveis, mas não exclusivamente, pois:

No que se refere ao transporte:

  • As rodovias representam a principal via de deslocamentos no país.
  • A malha ferroviária argentina é a sexta maior do mundo, com 281 mil km de extensão.
  • As hidrovias, utilizadas sobretudo para movimentação de cargas destinadas à exportação, têm 11 mil km de extensão.

Governo da Argentina

A Argentina consiste em uma democracia representativa com sistema de governo republicano presidencialista. Tanto o presidente da república quanto o seu vice são eleitos em conjunto (na mesma chapa eleitoral) por meio do voto direto, tendo um mandato de quatro anos com possibilidade de reeleição. Nesse sistema, o presidente é, ao mesmo tempo, chefe de governo e chefe de Estado.

O parlamento argentino, conhecido como Congresso Nacional, é bicameral. É formado pelo Senado e pela Câmara de Deputados, sendo os membros de ambos eleitos por meio do voto direto. No caso dos senadores, o mandato é de seis anos, e um terço dos membros é renovado a cada intervalo de dois anos. Já os deputados possuem mandato de quatro anos, e a renovação também ocorre de dois em dois anos.

Curiosidades sobre a Argentina

  • Muitos rios que correm pelo sul da Argentina são formados a partir da água de degelo que desce pelas montanhas nos períodos mais quentes do ano.
  • É possível encontrar geleiras na região da Patagônia argentina.
  • A primeira animação do mundo em formato de longa-metragem foi realizada na Argentina no ano de 1917. Trata-se de um filme em preto e branco, mudo, intitulado El Apóstol.
  • O fóssil do maior dinossauro de que se tem conhecimento, o Dreadnoughtus, foi encontrado na região da Patagônia argentina. Ele viveu na região no período Cretáceo, há mais de 70 milhões de anos, e media 20 m de altura e 26 m de comprimento, pesando quase 65 toneladas.

Notas

|1| Redação. Qual a origem dos nomes dos países da América Latina? BBC News Brasil, 25 jun. 2016. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-36630446. Acesso em 14 jan. 2022.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Argentina"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/argentina.htm. Acesso em 27 de junho de 2022.

PUBLICIDADE

Estude agora


Mistura de soluções de solutos diferentes que reagem entre si

Os casos mais comuns de mistura de soluções de solutos diferentes que reagem entre si ocorrem quando juntamos...

10 anos da Guerra Civil Síria

Assista a nossa videoaula para conhecer a história dos 10 anos da Guerra Civil Síria. Confira também no nosso canal...