Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Água potável

A água potável é a água apropriada ao consumo humano, isto é, que não oferece risco à saúde. A falta de acesso a esse recurso é uma realidade para milhões de pessoas no mundo.

Duas pessoas com as mãos em concha para tentar segurar água.
A água potável corresponde à água que se encontra nas condições ideais para o consumo humano, não oferecendo riscos à saúde.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A água potável é a água apropriada para o consumo humano, que está livre de substâncias tóxicas e patógenos com potencial para causar danos à saúde do nosso organismo. Esse recurso pode ser encontrado em fontes naturais tanto na superfície quanto na subsuperfície e, na maioria das vezes, recebe tratamento antes de ser destinada ao consumidor final.

A distribuição de água potável acontece de maneira desigual pelo mundo, e milhões de pessoas não possuem acesso a esse recurso. No Brasil, 35 milhões de pessoas não dispõem de água tratada e própria para uso. A redução do acesso à água potável leva os indivíduos a buscarem outras fontes alternativas, muitas vezes contaminadas, o que pode causar inúmeras doenças, como cólera, febre tifoide e outros problemas graves de saúde.

Veja também: Países que menos possuem água potável — quais são eles?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre água potável

  • Água potável é toda água que é própria para o consumo humano, livre de patógenos e de substâncias tóxicas que podem causar prejuízos à saúde.

  • Ela pode ser encontrada na natureza em reservatórios superficiais, como rios e lagos, ou subterrâneos, como os aquíferos.

  • É recomendável que a água passe por algum processo de purificação antes do consumo direto.

  • A água potável é de grande importância para a saúde humana e para a garantia de uma melhor qualidade de vida.

  • O tratamento da água para a distribuição pela rede urbana compreende sete etapas de limpeza e purificação no interior das estações de tratamento de água (ETA).

  • Nem toda água potável é mineral, assim como nem toda água mineral é própria para o consumo direto.

  • A distribuição de água acontece de forma desigual no planeta. Geleiras e calotas polares concentram a maior parte da água doce.

  • A escassez é maior nos países do norte da África e no Oriente Médio.

  • Isso acontece também no Brasil, onde cerca de 35 milhões de pessoas não possuem acesso à água potável.

  • A diminuição do acesso à água potável leva ao consumo de água imprópria ou contaminada, o que prejudica a qualidade de vida e pode gerar doenças graves.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é água potável?

A água potável pode ser definida como a água que apresenta as condições físicas, químicas, microbiológicas e radioativas ideais para o consumo humano, não oferecendo nenhum tipo de perigo à saúde do nosso organismo. Essas condições são predeterminadas por meio de parâmetros estabelecidos pela legislação de cada um dos países.

No caso do Brasil, o padrão de potabilidade da água, como é chamado, foi determinado pelo Ministério da Saúde por meio da Portaria nº 288 de 04 de maio de 2021, que corresponde ao documento mais recente sobre a temática. Esse dispositivo define, ainda, o padrão de desinfecção e de monitoramento no caso de águas com índice de radiação e com compostos químicos acima do nível tolerado, bem como no caso de águas com a presença de coliformes ou da bactéria Escherichia coli.

Em resumo, para ser considerada potável a água deve estar livre de impurezas e patógenos, além de ser incolor (sem cor), inodora (sem cheiro) e insípida (sem sabor).

Fontes de água potável

Copo de vidro com água sobre uma pedra em um região com curso d’água.
A água potável é encontrada em fontes naturais. Mesmo assim, métodos simples de purificação, como a fervura, são recomendados antes do consumo direto.

As principais fontes de água potável no mundo são de origem natural, isto é, correspondem a reservatórios encontrados na própria natureza tanto na superfície da Terra quanto em seu subsolo. Entretanto, nem sempre essa água está completamente livre de agentes poluidores, o que faz com que seja necessária a utilização de algum método de tratamento prévio para que, só então, ela possa ser consumida com segurança. Veja abaixo em quais locais podemos encontrar água apropriada para o consumo humano.

→ Rios e canais superficiais

Os cursos d’água são importantes reservatórios de água potável, especialmente aqueles que percorrem regiões de planície, caracterizadas pelo relevo suave e pelas baixas altitudes, menos sujeitos à poluição.

→ Lagos, lagoas e outros reservatórios formados em terrenos elevados

Os corpos d’água naturais são igualmente utilizados como fontes de água potável. Quando localizados em áreas de maior altitude, esses reservatórios estão menos propensos à acumulação de poluidores, o que aumenta a potabilidade da água.

→ Aquíferos

As reservas subterrâneas de água, chamadas de aquíferos, constituem fontes de água potável. Em países de clima seco e árido, como ocorre nos países da região do Oriente Médio, os aquíferos são muito importantes para a obtenção de água para o consumo, muitas vezes sendo a única fonte viável.

Importância da água potável

O consumo de água potável é de extrema importância para a nossa saúde, e a sua utilização do cotidiano garante também uma melhor qualidade de vida.

A maior parte do nosso corpo é formada por água, e, por essa razão, ingerir regularmente esse recurso é fundamental para a manutenção do funcionamento adequado do organismo, visto que ela é importante para diversos processos biológicos, para a manutenção da temperatura corporal e, ainda, para a proteção.

A importância da água potável se torna ainda maior quando consideramos o seu uso nas atividades cotidianas nas residências, como para lavar e cozinhar alimentos e para realizar a higiene pessoal. Esses processos, muitas vezes, evitam o desenvolvimento de várias doenças.

Além disso, o consumo e a utilização de água imprópria ou contaminada podem acarretar vários problemas, como febre e diarreia, além de uma série de doenças, como é o caso da cólera, da febre tifoide, da hepatite A, da leptospirose, entre outras.

Tratamento da água potável

Vista superior de uma estação de tratamento de água (ETA).
O processo de purificação para posterior distribuição da água ao consumidor final acontece nas estações de tratamento de água (ETA).

Para que a água possa ser consumida de maneira segura, ela passa por uma série de etapas de limpeza e purificação antes da sua disponibilização ao público e da distribuição pela rede urbana. Essas etapas caracterizam o processo de tratamento da água potável. Observe abaixo cada um desses procedimentos na ordem em que eles são realizados.

  1. Captação e adução: retirada da água dos rios, dos lagos e dos canais e transporte até as estações de tratamento de água, conhecidas também pela sigla ETA, onde acontecerá todo o processo de purificação.

  2. Coagulação: remoção de partículas muito pequenas da água por meio da utilização de uma substância coagulante, como o sulfato de alumínio e o cloro férrico.

  3. Floculação: a água é lentamente agitada para que as impurezas maiores e mais pesadas formem flocos e possam ser removidas na etapa seguinte.

  4. Decantação: chamada também de sedimentação, essa é a etapa em que ocorre a separação dos flocos de impurezas que foram formados anteriormente. Isso acontece porque esses flocos se depositam no fundo dos tanques como lodo e são descartados.

  5. Filtração: a água que foi separada do lodo é destinada ao filtro, grande recipiente onde se dispõe cascalho, areia de granulometria variada e carvão, que farão a filtragem das impurezas restantes na água.

  6. Desinfecção: após filtrada, a água é encaminhada para a adição de cloro ou de outros elementos químicos e físicos, que serão responsáveis por eliminar micro-organismos causadores de doenças. Em alguns casos, é feita a correção do pH da água entre a filtração e a desinfecção.

  7. Fluoretação: consiste na adição de flúor à água após a desinfecção. Após essa etapa, a água é destinada ao reservatório da estação de tratamento e, então, aos reservatórios locais a fim de ser distribuída aos consumidores.

Diferenças entre água potável, água mineral e água tratada

Existem diferentes formas de se classificar a água, uma delas de acordo com a sua composição. Muitas vezes as águas potável, tratada e mineral são vistas como sinônimos, mas essa correlação nem sempre pode ser feita. Abaixo apresentamos as principais diferenças entre elas.

  • Água potável: como vimos, chamamos de água potável toda água que é apropriada ao consumo humano, isto é, a água que, se for ingerida ou utilizada, não ocasionará problemas à saúde.

  • Água mineral: caracteriza-se como água mineral toda água que, obtida a partir de fontes naturais superficiais ou subterrâneas e de fontes artificiais, apresenta compostos minerais em níveis iguais ou superiores aos da água comum. Tal medida é definida, no Brasil, pelo Código de Águas Minerais (Decreto-lei nº 7841 de 8 de agosto de 1945). De acordo com esse dispositivo legal, as águas minerais têm ação medicamentosa devido à sua composição.

  • Água tratada: considera-se água tratada toda água que passou pelo processo de limpeza e purificação que acontece no interior das estações de tratamento de água. Após esse processo, ela se torna apropriada ao consumo humano.

Importante: Destaca-se que nem toda água mineral é própria para o consumo, isto é, nem sempre ela é potável. Além disso, um exemplar de água potável pode apresentar baixo índice de sais e de outros compostos minerais, o que não a torna uma água do tipo mineral.

Distribuição de água no mundo

Sabemos que a maior parcela da superfície do planeta Terra é constituída por água, com um volume total de 1,38 bilhões de km³. Embora essa informação dê a impressão de que há uma infinidade desse recurso no mundo para a nossa utilização, quando analisamos melhor os dados, vemos que o perfil dessas águas nos mostra outro cenário.

Aproximadamente 96,5% da água do nosso planeta está contida nos oceanos, sendo, portanto, uma água salobra que não é imediatamente potável. Torná-la própria ao consumo pela dessalinização é um processo que tem sido feito em países áridos, mas os custos para tal são ainda muito elevados.

Correspondendo a menos de 4% do total de água, a água doce se concentra principalmente nas geleiras e nas calotas polares. Essa água congelada corresponde a 1,74% do total de águas do planeta e quase 70% da água doce. Na sequência, vêm as águas subterrâneas e as águas presentes na umidade do solo, nos solos congelados, na atmosfera, nos lagos e nos rios. |1|

Assim como a distribuição da água pelos diferentes reservatórios naturais se dá de maneira irregular, a sua ocorrência nas diversas regiões do planeta não é homogênea. A América do Sul, o norte da América do Norte (considerando do Canadá em direção ao polo), o sudoeste da África, a Rússia, a Oceania e o Sudeste Asiático são as regiões do globo que concentram maiores quantidades de água potável por habitante.

As áreas mais deficitárias se encontram na região do Magrebe, no Norte da África, e no Oriente Médio, duas regiões caracterizadas pelo clima árido e pela presença de grandes desertos, respectivamente, o deserto do Saara e o deserto da Arábia. |2|

Acesso à água potável

Como constatamos, a distribuição de água potável não acontece de maneira uniforme pelo nosso planeta. Em função disso, o acesso a esse recurso também acontece de forma desigual e tem afetado um número cada vez maior de pessoas.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 2 bilhões de pessoas vivem em países onde há estresse hídrico, das quais quase meio bilhão retira água de fontes desprotegidas ou de reservatórios naturais impróprios. Além disso, 2 bilhões de pessoas consomem água contaminada com coliformes, mas esse valor é estimado para o total do planeta e não somente para os países de maior aridez.

A Unicef aponta também que 4 bilhões de pessoas no mundo enfrentam pelo menos um mês ao ano de escassez de água. Ela também aponta que o acesso a fontes de água não potável e os períodos de seca tendem a aumentar no futuro. As regiões onde isso tem acontecido com cada vez mais frequência são nos países norte-africanos e centro-asiáticos, mais precisamente no Oriente Médio.

Saiba mais: Água de reúso na agricultura — uma estratégia para preservar os recursos hídricos

Água potável no Brasil

O Brasil contém uma grande parcela da água potável do mundo, concentrando 12% da água doce de superfície do planeta. Assim como acontece em outras regiões, entretanto, a sua distribuição pelo território nacional e o acesso que as pessoas têm a esse recurso é bastante desigual.

A maior parcela da água brasileira está na região Norte do país, mais precisamente na Amazônia, armazenada tanto nos rios quanto na biosfera. Essa é também a região menos densamente povoada do Brasil, onde a demanda é menor do que em outras áreas. A região Sudeste, por exemplo, que concentra a maior população do país, detém somente 6% dos recursos hídricos do Brasil. A menor parcela fica na região Nordeste, com somente 3% desse total.

O país dispõe de grandes reservatórios subterrâneos, que são utilizados para a extração de água potável, sendo o maior deles o Aquífero Guarani, cuja área se estende pelos estados das regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste.

Dados recentes, apresentados pelo Instituto Trata Brasil, mostraram que o número de brasileiros sem acesso à água tratada é de 35 milhões de pessoas. |3| O mesmo instituto indicou em outro levantamento que o índice de desperdício de água no país chega a 40% de todo o volume produzido, o que seria capaz de abastecer cerca de 66 milhões de pessoas. |4| Em relação a isso, algumas questões podem ser um agravante para esse problema no futuro, como a falta de saneamento e a contaminação dos cursos d’água com dejetos, o avanço do desmatamento e das queimadas e a má gestão do recurso.

Consequências da redução de água potável

A redução da água potável disponível para consumo tem sido uma realidade enfrentada pelas populações de muitos países, e esse problema tende a se tornar cada vez mais grave e a atingir novas escalas espaciais caso o ritmo da degradação ambiental, especialmente a contaminação dos mananciais, e das mudanças climáticas continue o mesmo.

O menor acesso à água potável tem como consequência a busca por fontes impróprias para o consumo, que podem estar contaminadas com coliformes e diversos outros tipos de micro-organismos causadores de doenças, fazendo com que sejam gerados, assim, prejuízos à qualidade de vida das pessoas e ao pleno funcionamento do organismo. O acesso contínuo à água suja e à falta de saneamento, que pode decorrer da redução da água potável, podem causar doenças graves e culminar até na morte dos indivíduos.

Notas

|1| HIRATA, Ricardo; HIRATA, Haroldo; VIVIANI-LIMA, Juliana Baitz. A água como recurso. In: TEIXEIRA, Wilson.; FAIRCHILD, Thomas Rich.; TOLEDO, Maria Cristina Motta de; TAIOLI, Fabio. (Orgs.) Decifrando a Terra. São Paulo, SP: Companhia Editora Nacional, 2009, 2ª ed. P. 448-485.

|2| SENE, Eustáquio de. Geografia Geral e do Brasil, 6º ano: ensino fundamental, anos finais. São Paulo: Scipione, 2018. 1 ed.

|3| MARTINS, Leandro. Brasil tem 35 milhões de pessoas sem acesso à água potável. Agência Brasil, 22 mar. 2021. Disponível aqui.

|4| WATANABE, Phillippe. Mais de 40% da água se perde antes de chegar ao brasileiro. Folha de S.Paulo, 01 jun. 2022. Disponível aqui.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Água potável"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/agua-potavel.htm. Acesso em 25 de maio de 2024.

De estudante para estudante