Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Chile

Geografia

Chile é um país situado a oeste da cordilheira dos Andes, na América do Sul, com capital em Santiago. É considerado uma das maiores economias latino-americanas.
Bandeira do Chile
Bandeira do Chile
PUBLICIDADE

O Chile é um país localizado na América do Sul, e tem como capital o município de Santiago. Dispõe de um extenso litoral banhado pelo oceano Pacífico, a oeste, e conta com a presença da cordilheira dos Andes, a leste, o que lhe confere um relevo montanhoso.

Possui climas muito diversos que vão de seco, ao norte, a úmido, ao sul do país, proporcionando uma paisagem bastante heterogênea. Grande exportador de cobre, o Chile se consolida atualmente como uma das maiores economias latino-americanas.

Leia também: Quais são os países da América?

Dados gerais do Chile

  • Nome oficial: República do Chile

  • Gentílico: chileno

  • Extensão territorial: 756.102 km²

  • Localização: América do Sul

  • Capital: Santiago

  • Clima: Desértico e Temperado

  • Governo: república presidencialista

  • Divisão administrativa: regiões, províncias e comunas

  • Idioma: espanhol

  • Religiões:

    • Católicos: 66,7%

    • Evangélicos ou protestantes: 16,4%

    • Testemunhas de Jeová: 1%

    • Outros: 3,4%

    • Sem religião: 11,5%

    • Não especificado: 1,1%

  • População: 19.116.000 habitantes (ONU, 2020)

  • Densidade demográfica: 25,7 hab./km² (ONU, 2020)

  • Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,851

  • Moeda: Peso chileno

  • Produto Interno Bruto (PIB): US$ 272,46 bilhões (FMI, 2020)

  • PIB per capita: US$ 5170

  • Gini: 0,444 (Banco Mundial, 2017)

  • Fuso horário: GMT -4 horas.

  • Relações exteriores:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

História do Chile

A área que corresponde ao atual Chile era habitada por, aproximadamente, 500 mil pessoas, pertencentes a diversas populações indígenas, muito antes da chegada dos colonizadores europeus. Os povos que viviam naquela região eram também chamados de pré-colombianos, entre os quais estavam os mapuches, os atacamenhos, os aimarás e outros. Os mapuches compõem hoje a maior parcela da população nativa do Chile, cerca de 9% da população geral.

No século XV, a expansão do Império Inca chegou ao território chileno e se estendeu até o centro-sul do país, na altura do rio Maule, que demarcava o início do domínio mapuche. A chegada dos primeiros espanhóis aconteceu no século XVI, e o processo colonizatório teve início no ano de 1540. Os europeus se instalaram na região norte do Chile e fundaram, um ano depois, em 12 de fevereiro 1541, a cidade de Santiago.

Os avanços em direção ao sul se iniciaram alguns anos mais tarde. Houve muitas disputas com as populações indígenas, que resistiram ao domínio estrangeiro e às tentativas de escravização. Durante o período colonial, a economia desenvolvida no território chileno era essencialmente agrícola, com pouca ou nenhuma influência da exploração mineral.

A conquista da independência do Chile aconteceu no século XIX, mais precisamente em 1818. A sua estrutura política interna foi definida nas primeiras décadas após a sua independência sob muitas controvérsias e disputas. Um evento que marcou a história do país durante esse período foi a Guerra do Pacífico (1879-1883), que culminou com a vitória chilena sobre a Bolívia e o Peru.

O século XX foi caracterizado pelo rápido desenvolvimento econômico do país, interrompido brevemente pela crise econômica que se abateu nas décadas de 1920 e 1930. A década de 1970 no Chile foi marcada pela destituição do presidente eleito Salvador Allende, em 1973, e implantação de uma ditadura militar, que tinha sob o seu comando Augusto Pinochet, um processo semelhante ao que ocorreu em outras nações sul-americanas.

Esse foi um período de intensa repressão e violência na história do país, e perdurou até o ano de 1990, quando foi eleito um novo presidente. O Chile é hoje uma república democrática e uma das maiores economias da América Latina.

Leia também: Conquista do Império Inca – resultado da expedição de Francisco Pizarro

Mapa do Chile

Geografia do Chile

O Chile é um país latino-americano localizado na América do Sul. Dispõe de um extenso litoral de mais de 6400 km, com saída para o oceano Pacífico, situado a oeste. Com relação às fronteiras terrestres, a maior delas é estabelecida com a Argentina, que se delonga, por 6691 km, por toda a faixa leste e sudeste. A nordeste, o território chileno faz divisa com a Bolívia, e, ao norte, com o Peru.

O território é composto, ainda, pela ilha de Páscoa, localizada na Polinésia, uma região da Oceania, pela ilha Sala y Goméz, na região de Valparaíso, e outras áreas insulares a sudoeste de suas terras continentais. Uma parcela da Patagônia integra também o Chile.

  • Clima do Chile

O Chile possui, em toda a sua extensão, climas bastante diversos influenciados pela maritimidade e pelas correntes marítimas, como a corrente de Humboldt, pelo relevo e pelo padrão de circulação de ventos predominantes na região, com destaque para o anticiclone do Pacífico Sul.

Ao norte, predomina o clima Desértico, com elevadas temperaturas, alta amplitude térmica diária e baixíssima precipitação. Fica nessa região o deserto do Atacama. As terras centrais e meridionais do Chile são caracterizadas pelos climas Mediterrâneo e Temperado, respectivamente.

As temperaturas médias são mais amenas na medida em que se caminha em direção ao sul, variando de 6 ºC a 18 ºC, o mesmo acontece com os índices pluviométricos. Nas cidades do sul, a média anual de chuvas supera 1800 mm, chegando a 4000 mm em pontos extremos.

  • Relevo do Chile

O relevo chileno é composto predominantemente por montanhas, as quais se estendem de norte a sul pela cordilheira dos Andes, formando toda a sua paisagem oriental. Essa formação se separa da planície costeira por uma estreita região composta por vales que percorrem a faixa central do país.

A altitude média dos terrenos é de 1871 metros, enquanto o ponto mais elevado do país está situado a 6893 metros acima do nível do mar. Trata-se do vulcão Nevado Ojos del Salado, localizado nos Andes e considerado o vulcão mais alto do mundo. Outros vulcões ativos podem ser encontrados no país, concentrando-se nos Andes.

Foto de um vulcão, o mais alto do mundo, no Chile.
Fica no Chile o vulcão mais alto do mundo.[1]

É importante notar que o Chile está localizado no Círculo de Fogo do Pacífico, a região de maior instabilidade tectônica da Terra e onde se registra o maior número de atividades vulcânicas, tsunamis e terremotos. O país já registrou inúmeros tremores de elevada intensidade na escala Richter, como o terremoto de 2010, que chegou a 8.8 graus, o segundo mais intenso da história chilena.

  • Vegetação do Chile

A vegetação no Chile vai de muito rarefeita e de baixo porte, nas terras setentrionais, até densa e de maior porte, nas áreas meridionais, sendo influenciada pelos tipos de solo e padrão de distribuição da umidade.

  • Hidrografia do Chile

A maior parte dos rios que drenam o território chileno tem origem nos Andes, correndo no sentido leste–oeste em direção ao Pacífico. O mais longo deles é o rio Lao, com 440 km. Na sequência estão os rios Bío-Bío, Maipo, Maule e Baker. A paisagem do sul do país é composta por ilhas e também por lagos, como a região turística dos lagos Andinos na Patagônia.

Veja também: Bacia Platina – importante bacia hidrográfica da América do Sul

Demografia do Chile

O Chile conta atualmente com uma população de 19.116.000 habitantes, conforme os dados das Nações Unidas para 2020. A maior parte dessas pessoas está concentrada nas áreas centrais do país, nos arredores de sua capital, Santiago.

Com ampla extensão territorial, a distribuição populacional é consideravelmente baixa, de 25,7 hab./km². Trata-se de uma nação urbanizada, com 87,8% dos habitantes vivendo nas cidades, sendo Santiago a mais populosa, com quase cinco milhões de habitantes. Destacam-se também Puente Alto, Antofagasta, Vina del Mar e Valparaíso.

Foto aérea da cidade de Santiago, capital do Chile, repleta de edifícios e com uma cadeia de montanhas ao fundo.
Santiago, capital chilena, é a cidade mais populosa do país.

O crescimento populacional recente é de 1,2% ao ano, e essa taxa se deve, sobretudo, à imigração, que quase triplicou na última década. Internamente, a população chilena tem passado por um processo de envelhecimento, com o aumento na quantidade de idosos, redução nos índices de natalidade e também de fertilidade, e aumento da expectativa de vida, que é hoje de 79,57 anos.

A população chilena é formada, em sua maioria, por brancos e não indígenas, grupos que somam 89%. As populações indígenas perfazem os outros 11%, com destaque para os mapuches. Além deles, povos como os aimará, rapa nui, likan antai, quechua e outros fazem parte da composição populacional do Chile.

Economia do Chile

O Chile representa uma das principais economias do subcontinente sul americano, com um Produto Interno Bruto (PIB) de US$ 272,46 bilhões, de acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Os investimentos estrangeiros que ganharam maior vulto na segunda metade do século XX, hoje desempenham um importante papel na conjuntura econômica do país, da mesma forma que as exportações, em especial o cobre, respondem hoje por boa parte do PIB chileno.

Os principais países de destino das mercadorias chilenas são:

A cesta de exportações do Chile contém, além de cobre, frutas, vinhos, celulose e peixes. As importações realizadas pelo país vêm, além dos dois primeiros países citados anteriormente, do Brasil, Alemanha e Argentina.

Rico em recursos naturais, a mineração consiste na principal atividade econômica desenvolvida no país, além de liderar o comércio internacional chileno com o envio de minerais metálicos ao exterior. Entre os principais produtos, estão cobre, ferro, molibdênio, enxofre, calcário e lítio. A indústria é composta, ainda, pelos ramos alimentício, processadora de peixes, madeireiro, têxtil, e de equipamentos de transportes.

As áreas que partem do centro em direção ao sul do Chile são mais propensas à agricultura, atividade que produz gêneros como uvas, tomates, maçãs, beterraba-sacarina, trigo e milho. No setor terciário, destacam-se o turismo e as atividades atreladas ao setor financeiro, concentradas em Santiago.

Leia também: Agronegócio – setor que mescla as atividades agropecuárias à indústria

Cultura do Chile

O Chile possui um arcabouço cultural bastante rico e único entre as diversas culturas americanas. Embora haja diversos povos indígenas e europeus (espanhóis), cujas tradições e costumes contribuíram diretamente para a sua formação, pode-se dizer que há grande homogeneidade na cultura chilena, conferindo, assim, uma identidade cultural àquele país.

As tradições chilenas incluem festas características que expressam muitas cores, danças, música andina, trajes típicos e elementos folclóricos, como as Festas Pátrias, a Festa de la Tirana, o Carnaval andino, e o Festival Tapati, que acontece na ilha de Páscoa.

Outras celebrações possuem cunho religioso, como a Festa Cuasimodo e a Festa da Virgem de Andacollo. Os trabalhos manuais expressam muito da identidade dos diversos povos indígenas do país, como o bordado e o artesanato. A cultura chilena se destaca também na literatura, com grandes nomes, como o poeta Pablo Neruda.

O país é conhecido pela qualidade de seus vinhos, e essa bebida é bastante comum como acompanhamento de alguns dos seus pratos típicos, que são as empanadas, o pastel de choclo, o ceviche e uma gama de outros preparos à base de peixes e frutos do mar.

Foto de uma pessoa, em primeiro plano, vestida tipicamente na Festa de La Tirana, no Chile; ao fundo, uma multidão.
A Festa de La Tirana é uma das celebrações que acontecem anualmente no Chile.[2]

Infraestrutura do Chile

O Chile é um país essencialmente urbano, cuja taxa anual de urbanização é de quase 0,8%. Diante desse cenário, a população conta hoje com uma ampla rede de infraestrutura que atende a uma parcela considerável das residências.

Os dados das Nações Unidas mostram que 98,7% dos chilenos possuem acesso a redes seguras de fornecimento de água, enquanto os serviços de saneamento atendem 81,4%. O fornecimento de energia se estende para a quase totalidade das residências, sendo a matriz energética do país composta pelas hidrelétricas e pelos combustíveis fósseis.

No setor de transportes nacionais, tem-se as rodovias como principal modal, com mais de 77 mil km de estradas em todo o país. A principal delas é a Rodovia Pan-Americana, que atravessa diversos países de todo o continente americano, incluindo o Hemisfério Norte, e chega até o sul do Chile. O translado de cargas se dá principalmente pelas ferrovias, e um curto trecho promove o transporte de passageiros. O país é o 14º do mundo em número de aeroportos, além de dispor de importantes portos marinhos, como os de Valparaíso e San Antonio.

Governo do Chile

O Chile é uma democracia representativa. Isso significa que a população chilena elege os seus representantes em pleitos periódicos, com mandatos que duram por quatro anos. O chefe do Poder Executivo nacional é o presidente. O Legislativo chileno é bicameral, composto pela Câmara dos Deputados e pelo Senado. A primeira possui um total de 155 membros, enquanto a segunda é formada por 50 membros. A sede do governo do Chile fica em Santiago.

Curiosidades sobre o Chile

  • O Chile é o segundo país mais longo do mundo, com extensão norte–sul de aproximadamente 4300 km e abrangendo 39º de latitude.

  • A mina de Chuquicamata fica na região nordeste do Chile e é considerada uma das maiores minas a céu aberto de todo o mundo, tendo como foco a extração de cobre.

  • O nome do país é derivado de mapudungun, na língua mapuche, que significa “limite da terra” ou “local onde a terra termina”. No idioma dos quechua, chiri, palavra da qual Chile também pode derivar, significa “frio”.

Créditos das imagens

[1] sergejf / Commons

[2] Mauricio Quevedo / Shutterstock

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Listagem de Artigos