Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Relevo

Geografia

O relevo nada mais é do que o conjunto de formas que observamos na superfície terrestre. Ele é fruto da ação conjunta de agentes internos e agentes externos.
O conjunto de diferentes feições topográficas encontradas na superfície terrestre recebe o nome de relevo.
O conjunto de diferentes feições topográficas encontradas na superfície terrestre recebe o nome de relevo.
PUBLICIDADE

O relevo corresponde ao modelado da superfície terrestre. Ele é formado a partir da atuação de fatores ou agentes exógenos (externos), responsáveis pelo intemperismo físico e químico-biológico e também pela erosão, e pelos agentes endógenos (internos), que dizem respeito às forças de soerguimento e rebaixamento de áreas, bem como vulcanismo e pressões magmáticas. As montanhas, planaltos, planícies e depressões são as principais formas de relevo que compõem a litosfera.

Veja também: Quais são os fatores que controlam o intemperismo?

Resumo sobre o relevo

  • Relevo é o conjunto de formas da superfície terrestre.

  • O relevo é formado pela atuação de agentes endógenos ou internos, referentes à tectônica, e agentes exógenos ou externos, que causam o intemperismo físico e/ou químico-biológico, que podem, por sua vez, desencadear a erosão.

  • São formas de relevo: montanhas, planaltos, planícies e depressões.

  • O relevo do Brasil foi categorizado por Aziz Ab’Sáber e Jurandyr Ross.

  • De acordo com Ab’Sáber, o Brasil é formado por um conjunto de planaltos e planícies.

  • Ross identificou um conjunto de 28 unidades de relevo no território brasileiro, que se dividem entre planaltos, planícies e depressões.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é relevo?

O relevo é o conjunto de formas que são observadas na superfície terrestre. Em outras palavras, podemos dizer que o relevo corresponde às variadas feições da litosfera, camada mais externa do planeta, que são ocasionadas pela atuação de uma série de fatores combinados que modelam a superfície. Tais fatores podem ser tanto internos ao planeta, relacionados à tectônica de placas e às forças interiores da Terra, quanto externos, como é o caso dos ventos e da água. A área do conhecimento responsável pelo estudo das formas de relevo é a Geomorfologia.

Veja também: Dorsais oceânicas elevações do relevo submarino ocasionadas pelo tectonismo

Tipos de relevo

A partir da análise do modelado terrestre, é possível fazer a identificação de quatro formas principais. São elas: montanhas, planaltos, planícies e depressões.

  • Montanhas

Constituem as maiores elevações da superfície terrestre, podendo atingir milhares de metros acima do nível do mar, caracterizadas ainda pelas encostas íngremes e pelos vales profundos formados entre uma encosta e outra. As montanhas e cadeias montanhosas (cordilheiras) são formadas pela ação de agentes endógenos, como o soerguimento de partes da crosta terrestre a partir do encontro de placas convergentes que formam o que chamamos de dobramentos.

Os dobramentos modernos constituem as feições mais novas e elevadas da litosfera atualmente, as quais sofreram pouca interferência dos processos erosivos. Como exemplo, podemos citar as cordilheiras dos Himalaias e dos Andes.

Os dobramentos antigos são aqueles em que as forças exógenas atuaram por um maior período de tempo, constituindo assim formas mais rebaixadas modeladas a partir de um substrato mais antigo, dando origem a outras feições de relevo (serras, planaltos).

Foto do Monte Everest, no Himalaia.
O Monte Everest, na Cordilheira do Himalaia, é um exemplo de montanha formada em uma região de dobramentos modernos.
  • Planaltos

Os planaltos são áreas elevadas compostas por feições planas ou onduladas onde predomina a ação dos processos erosivos, isto é, os agentes exógenos. Localizam-se acima dos 300 metros de altitude e são mais baixos do que as cadeias montanhosas. Caracterizam-se ainda por formas como chapadas e mesas, que possuem topo plano e escarpas íngremes nas laterais. É a forma de relevo predominante no território brasileiro. Para saber mais sobre essa forma de relevo, leia o texto: Planaltos.

 Foto de uma chapada, exemplo de planalto.
Planaltos são áreas elevadas com relevo acidentado, apresentando feições aplainadas com escarpas íngremes que os separam das áreas mais rebaixadas.
  • Planícies

Correspondem a áreas rebaixadas e de feições planas, formadas a partir de processos de deposição de sedimentos pela ação das águas de rios, lagos, mares e também de geleiras. Saiba mais sobre essa forma de relevo lendo: Planícies.

 Foto aérea de uma planície
 As planícies são compostas por terrenos baixos e pouco acidentados.
  • Depressões

As depressões são unidades de relevo caracterizadas por serem mais rebaixadas do que as áreas que a circundam, com terrenos planos ou levemente inclinados formados a partir de longos e intensos processos erosivos. São, portanto, superfícies bastante acidentadas. Quando as áreas rebaixadas estão situadas a altitudes menores que a do nível do mar, são chamadas de depressões absolutas. As depressões relativas situam-se em cotas altimétricas superiores à do nível do mar.

Foto da depressão do Mar Morto.
A depressão do Mar Morto é considerada a depressão absoluta mais profunda do mundo, com cotas que chegam a 400 metros abaixo do nível do mar.

Quais são os agentes do relevo?

Os agentes formadores do relevo são fatores que atuam diretamente na definição das formas que observamos na superfície terrestre. Eles podem ser divididos em dois grupos:

  • Agentes endógenos ou internos

Dizem respeito à estrutura interna do planeta e às forças que trabalham no soerguimento ou rebaixamento de áreas. Trata-se:

O tipo de rocha também influencia diretamente na formação do relevo, uma vez que pode ser mais ou menos resistente ao processo de erosão.

  • Agentes exógenos ou externos

Os fatores externos são aqueles que promovem o intemperismo tanto físico quanto químico-biológico das rochas, os quais, por sua vez, podem dar origem aos processos que caracterizam a erosão. São agentes exógenos:

  • águas das chuvas,
  • ventos,

  • mares,

  • rios,

  • geleiras (tanto quando se movimentam quanto no momento do degelo),

  • variações de temperatura e

  • a gravidade.

É importante notar que a ação antrópica acelera os processos de intemperismo e erosão, transformando, assim, a paisagem e as formas de relevo.

Veja também: Qual a diferença entre erosão e intemperismo?

  • Videoaula sobre agentes modeladores do relevo

Relevo brasileiro

O relevo brasileiro foi formado sobre um substrato bastante antigo e composto por rochas cristalinas e sedimentares, com baixa influência do tectonismo moderno. Por essas razões, há a predominância de formas como:

  • planaltos,
  • planícies,

  • depressões e

  • algumas serras e morros.

Existem duas classificações do relevo do território brasileiro que são bastante utilizadas quando vamos fazer o estudo desse tema. Uma delas é a do geógrafo Aziz Ab’Sáber, que foi feita durante a década de 1960. De acordo com essa divisão, duas formas de relevo são predominantes: os planaltos e as planícies. Estas se localizam na Região Norte, na região do Pantanal e por todo o litoral brasileiro. Os planaltos correspondem ao restante do território e são nomeados conforme a sua localização. Ao todo, Ab’Sáber identificou três planícies e sete planaltos, que são:

  • das Guianas;
  • Central;

  • Meridional;

  • Nordestino;

  • Serras e Planaltos do Leste-Sudeste;

  • Maranhão-Piauí;

  • Uruguaio-Rio-Grandense.

A compartimentação do relevo brasileiro foi também realizada pelo geógrafo e professor Jurandyr Ross, que levou em consideração o mapeamento via satélite da superfície do país feita no contexto do Projeto Radam Brasil entre os anos de 1970 e 1985. Publicada em 1995, a classificação de Ross é mais detalhada e indica a existência de:

  • 11 unidades planálticas, as quais estão divididas conforme o tipo de rocha do substrato;
  • 11 depressões;

  • 6 planícies.

Totalizam, assim, 28 unidades de relevo.

Mapa físico do território brasileiro produzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Mapa físico do território brasileiro produzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Exercícios resolvidos sobre relevo

Questão 1 – (Enem)

As rochas são desagregadas e decompostas e os materiais resultantes de sua ação, tais como seixos, cascalhos, areias, siltes e argilas, são carregados e depois depositados, e, também, substâncias dissolvidas na água podem precipitar. Em virtude de sua atuação, quaisquer rochas, independentemente de suas características, podem ficar destacadas no relevo.

BELLOMO, H. R. et al. (Org.). Rio Grande do Sul: aspectos da geografia. Porto Alegre: Martins Livreiro, 1997 (adaptado).

O texto refere-se à modelagem do relevo pelos processos naturais de:

A) magmatismo e fusão.

B) vulcanismo e erupção.

C) intemperismo e erosão.

D) tectonismo e subducção.

E) metamorfismo e recristalização.

Resolução

Alternativa C. O trecho acima descreve o processo de intemperismo seguido de erosão, que realiza inicialmente o desgaste químico da rocha e depois físico, o que pode resultar no seu destacamento, transporte e deposição.

Questão 2 – (Fuvest) Essa foto ilustra uma das formas do relevo brasileiro, que são as chapadas.

Foto em preto e branco de uma chapada.

É correto afirmar que essa forma de relevo está:

A) distribuída pelas regiões Norte e Centro-Oeste, em terrenos cristalinos, geralmente moldados pela ação do vento.

B) localizada no litoral da região Sul e decorre, em geral, da ação destrutiva da água do mar sobre rochas sedimentares.

C) concentrada no interior das regiões Sul e Sudeste e formou-se, na maior parte dos casos, a partir do intemperismo de rochas cristalinas.

D) restrita a trechos do litoral Norte-Nordeste, sendo resultante, sobretudo, da ação modeladora da chuva, em terrenos cristalinos.

E) presente nas regiões Centro-Oeste e Nordeste, tendo sua formação associada, principalmente, a processos erosivos em planaltos sedimentares.

Resolução

Alternativa E. As chapadas são formações encontradas comumente nos planaltos que formam o relevo das paisagens das regiões Centro-Oeste e Nordeste do território brasileiro, os quais possuem substrato constituído por rochas sedimentares modeladas pela ação de agentes como a água e os ventos.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Relevo"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/tipos-relevo.htm. Acesso em 16 de outubro de 2021.

Assista às nossas videoaulas
Lista de Exercícios
Questão 1

Regiões que apresentam níveis muito elevados de altitude costumam apresentar climas mais frios, em função da menor pressão atmosférica existente nesse tipo de ambiente.

O tipo de relevo que registra a ocorrência dos fenômenos acima apresentados é:

a) Depressões relativas

b) Depressões absolutas

c) Planaltos

d) Cadeias de montanhas

e) Planícies

Questão 2

Observe a imagem a seguir:

Visão aérea de um curso d'água em uma floresta equatorial

A fisionomia retratada na foto acima é naturalmente típica de:

a) regiões de planície, por estar em um relevo aplainado que não propicia o escoamento em velocidade dos cursos d'água, resultando na formação de meandros.

b) regiões de planalto, pois se manifesta em superfícies onduladas geralmente delimitadas por escarpas, o que se percebe pelas oscilações existentes no leito do rio.

c) regiões de planície, por se tratar de uma bacia de drenagem composta por uma floresta densa, o que só acontece nesse tipo de relevo.

d) regiões de planalto, uma vez que os processos erosivos são favorecidos pela velocidade de vazão do rio.

e) depressões absolutas, porque nessas regiões a pressão atmosférica é maior e resulta em uma ausência de coesão na organização das paisagens.

Mais Questões
Artigos Relacionados
Confira aqui a ação das geleiras e dos ventos na formação do relevo!
Clique aqui e conheça qual é a relação entre vegetação, clima e solo!
Conheça os acidentes geográficos artificiais e naturais, bem como a relação entre eles.
Confira quais são e como funcionam os agentes endógenos de transformação do relevo e entenda um pouco mais da dinâmica da superfície terrestre!
Saiba quais são os principais agentes exógenos do relevo e como eles atuam no processo de transformação dos solos e das rochas.
O tectonismo, abalos sísmicos, chuvas e ventos são alguns dos agentes formadores do relevo.
Entenda como são formados os cânions. Conheça os principais cânions do mundo e do Brasil. Aprenda as características dos cânions.
Descubra a diferença entre intemperismo e erosão, além de conhecer um pouco mais desses processos de desgaste e transformação do relevo.
Compreenda a formação dos dobramentos modernos e as principais características desse tipo de estrutura geológica.
Entenda o que é a Geomorfologia, conheça as suas utilidades e os seus níveis de abordagem científica.