Topo
pesquisar

Geografia Física do Brasil

Geografia do Brasil

Os estudos de Geografia Física do Brasil envolvem temas sobre a litosfera, a hidrosfera, a atmosfera e a biosfera no território nacional.
PUBLICIDADE

O território brasileiro possui uma ampla extensão territorial, com uma área superior a 8,5 milhões de km², o que indica a ampla variedade de aspectos fisiográficos que compõem as paisagens brasileiras. Portanto, para melhor compreender a dinâmica territorial do Brasil, é necessário estudar e analisar os fenômenos naturais do espaço brasileiro, tanto em suas características quanto em suas relações de interdependência.

Portanto, a Geografia Física do Brasil objetiva estudar e enumerar as compreensões descritivas e analíticas dos elementos naturais do território brasileiro, operando a partir de quatro campos de estudos distintos, a saber: a litosfera, a atmosfera, a hidrosfera e a biosfera. É claro que as inter-relações entre esses elementos são de fundamental importância.

A litosfera, ou seja, as dinâmicas estruturais do relevo brasileiro, revela o caráter geologicamente antigo das formações rochosas no Brasil. Com isso, nota-se que o espaço geográfico no país já foi muito modificado ao longo das eras pelos agentes externos ou exógenos de transformação do relevo. Tal fator, somado à localização do país no interior da placa tectônica sul-americana, contribuiu para a ausência de elevadas altitudes no país.

O ponto mais alto do Brasil é o Pico da Neblina, situado na região Norte, quase na fronteira com a Venezuela. Os tipos de relevo mais predominantes são os planaltos e as planícies, além das depressões relativas observadas em algumas áreas, como é o caso do sertão nordestino. Já as estruturas geológicas presentes são os crátons e as bacias sedimentares, onde nessas últimas se verifica a existência de petróleo ao longo do litoral do país.

A hidrosfera brasileira destaca-se pela abundância dos recursos hídricos. O país apresenta o maior rio do mundo em volume, o Amazonas, que é o principal curso d'água da Bacia Amazônica, uma das mais extensas bacias hidrográficas do planeta. Além de rios de planície, favoráveis a navegações, há os rios de planalto, mais acidentados e propícios para a produção de hidroeletricidade, principal matriz energética do Brasil.

A atmosfera relaciona-se com os climas do Brasil. Em função do fato de o país encontrar-se quase que totalmente localizado em uma faixa intertropical, com a maior parte do território posicionada ao norte do Trópico de Câncer e ao sul da Linha do Equador, o clima brasileiro apresenta relativas variações, sendo predominantemente quente. De acordo com a classificação climática de A. Sthahler, os climas brasileiros são: equatorial úmido, tropical alternadamente úmido e seco, tropical tendendo a seco, litoral úmido e subtropical úmido.

A biosfera do Brasil apresenta uma ampla diversidade, com grandes domínios morfoclimáticos e tipos distintos de biomas. Nota-se também o elevado grau de devastação da Mata Atlântica e do Cerrado, bem como várias áreas naturais da região Sul. Os biomas do Brasil são: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pantanal e o Pampa, com uma ampla diversidade de fauna e flora.

A seguir, você poderá conferir textos mais aprofundados sobre as diferentes dinâmicas do espaço natural do nosso país. Esperamos, com esta seção, oportunizar a criação de um espaço para ampliar os conhecimentos de Geografia Física do Brasil entre estudantes do ensino básico e também entre professores da área.

Boa leitura!


Por Rodolfo Alves Pena

Listagem de Artigos

CANAIS
Geografia Física do Brasil
PUBLICIDADE
artigos Geografia Física do Brasil
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA