Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Rio Paraná

O rio Paraná é o segundo maior curso d’água da América do Sul. Desempenha papel importante no abastecimento populacional e urbano em uma das áreas mais populosas do Brasil.

Vista superior do rio Paraná, cujas águas são responsáveis pela geração de eletricidade em algumas hidrelétricas.
As águas do rio Paraná são responsáveis pela geração de eletricidade na Usina de Itaipu e em outras unidades hidrelétricas.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Rio Paraná é um curso d’água de 4880 km de extensão que banha parte dos territórios do Brasil, do Paraguai e da Argentina. Ele nasce a partir da confluência do rio Paranaíba e do rio Grande e segue em direção nordeste-sudoeste percorrendo os estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Paraná, desempenhando ainda a função de fronteira natural em parte das divisas brasileiras com o Paraguai e com a Argentina. As águas do rio Paraná se juntam ao rio Uruguai formando o estuário do rio da Prata, já em território argentino.

O rio Paraná forma uma das mais importantes bacias hidrográficas da América do Sul, que é a Bacia do Rio da Prata. Em território brasileiro, sua região de drenagem recebe o nome de Bacia do Paraná. Trata-se da área mais populosa do país, onde há elevada concentração de atividades econômicas, com destaque para a indústria e a agropecuária. O rio Paraná é importante para a economia local e regional, além de suas águas serem responsáveis pela geração de eletricidade em usinas hidrelétricas como a de Itaipu.

Leia também: Rio Amazonas — o rio mais extenso do mundo

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o rio Paraná

  • O rio Paraná percorre 4.880 km entre o Brasil, o Paraguai e a Argentina.

  • Nasce da confluência entre o rio Paranaíba e o rio Grande e deságua no rio da Prata.

  • A ocorrência de climas chuvosos no curso superior do rio Paraná proporciona a existência frequente de água em seu leito. Trata-se, portanto, de um rio perene.

  • Sua bacia hidrográfica compreende as regiões de maior concentração populacional do Brasil, perfazendo uma área de 820 mil km² em território brasileiro.

  • Os rios Paranapanema, Iguaçu e Pardo estão entre os seus afluentes.

  • Por ser um rio planáltico, apresenta elevado potencial hidrelétrico e fornece energia motriz para o funcionamento de importantes usinas como Itaipu, Ilha Solteira e Jupiá.

  • Possui longos trechos navegáveis, e uma das suas principais hidrovias é a Tietê-Paraná.

  • A intensa atividade urbana e econômica da Bacia do Paraná tem levado à degradação dos biomas, prejudicando trechos do rio Paraná.

  • Medidas como a criação de áreas de proteção ambiental são importantes para a preservação do rio Paraná.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dados gerais do rio Paraná

  • Comprimento do rio Paraná: 4.880 km.

  • Nascente do rio Paraná: confluência entre os rios Paranaíba e Grande.

  • Principais afluentes do rio Paraná: rio Tietê, rio Paranapanema, rio Iguaçu, rio Pardo e rio Verde.

  • Foz do rio Paraná: rio da Prata.

  • Onde o rio Paraná deságua: Estuário do Rio da Prata, na Argentina.

  • Caudal médio: 16.000 m³/s.

  • Caudal máximo: 17.290 m³/s.

  • Área da bacia: 1,5 milhão km² (820.000 km² em território brasileiro).

Onde fica o rio Paraná?

O rio Paraná é um rio que fica no sul da América do Sul, percorrendo áreas no Brasil, no Paraguai e na Argentina. Em território brasileiro, o rio Paraná nasce entre a fronteira do estado de São Paulo com o estado do Mato Grosso do Sul, seguindo seu caminho até o estado do Paraná. Por um trecho de 190 km, o rio Paraná desempenha a função de fronteira natural entre o Brasil e o Paraguai, seguindo, então, rumo à Argentina, onde está localizada a sua foz.

Mapa do rio Paraná

Mapa do rio Paraná.

Características do rio Paraná

As águas do rio Paraná percorrem um trajeto de 4880 km entre a sua nascente, no território brasileiro, e a sua foz, na Argentina. Nesse intervalo, o rio Paraná desempenha a função de fronteira natural entre os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, além de banhar a divisa entre Brasil, Argentina e Paraguai.

Trata-se de um rio perene, isto é, cujas águas correm em seu leito durante todo o ano. Isso é possível graças aos aspectos climáticos da nascente e das áreas percorridas pelo rio Paraná, marcadas pelos elevados volumes de chuva. A pluviosidade anual média na região de drenagem desse curso d’água é de 1400 mm.

O rio Paraná apresenta relevo planáltico que caracteriza tanto sua nascente quanto seu leito, o que faz com que ele disponha de um alto potencial hidrelétrico que, hoje, é aproveitado por usinas como a de Itaipu.

Além do seu potencial para a geração de eletricidade, o rio Paraná é também propício para a navegação. Seu trecho navegável apresenta extensão de 1023 km e largura média de 120 metros. A principal hidrovia nele instalada é a Hidrovia Tietê-Paraná, que se divide entre as águas do Paraná e do rio Tietê, um de seus principais afluentes. Essa via se estende do Triângulo Mineiro, na região Sudeste, até a Usina de Itaipu, na fronteira do Paraná com o Paraguai.

A Bacia Hidrográfica do Rio Paraná corresponde à região banhada pelo rio Paraná e por seus afluentes no território brasileiro. Sua área é de 820.000 km², o que representa aproximadamente 10% de toda a extensão do país. Considerando que o rio Paraná se estende para além das fronteiras do Brasil, temos uma área de drenagem de 1,5 milhão de km², que corresponde à Bacia do Rio da Prata, uma das mais importantes da América do Sul.

Nascente do rio Paraná

O rio Paraná nasce a partir da confluência de dois outros cursos d’água, sendo eles:

  • Rio Grande: nasce na Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais, a uma altitude de 1980 metros, percorrendo boa parte da fronteira entre o sul do estado e São Paulo.

  • Rio Paranaíba: nasce na região do Triângulo Mineiro, também no estado de Minas Gerais. Sua nascente fica a uma altitude aproximada de 1150 metros, e ele percorre parte do sudoeste mineiro antes de encontrar o rio Grande na fronteira com São Paulo, formando assim o rio Paraná.

Afluentes do rio Paraná

Veja abaixo quais são os principais afluentes do rio Paraná em suas margens esquerda e direita.

  • Margem esquerda: rio Tietê, rio Paranapanema, rio Iguaçu.

  • Margem direita: rio Pardo, rio Verde, rio Ivinhema, rio Paraguai, rio Salado (Argentina).

Foz do rio Paraná

Depois de percorrer parte do território da Argentina, o rio Paraná deságua na região estuarina do rio da Prata. A foz do rio Paraná consiste em um enorme complexo que ficou conhecido como Ilhas do Paraná em função dos bolsões de sedimentos que se formaram.

Bacia do Alto Rio Paraná

A Bacia do Alto Paraná é uma sub-bacia hidrográfica pertencente à bacia do rio Paraná. Estende-se por áreas no Paraguai e no Brasil, onde compreende sua maior área nos estados do Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná, portanto em três diferentes regiões do país: Centro-Oeste, Sudeste e Sul. Nela estão inseridos importantes centros urbanos onde há elevada concentração populacional e também de atividades econômicas, como a agropecuária e a indústria.

Essa seção da bacia é delimitada pelo reservatório de Itaipu, que alimenta uma das principais usinas hidrelétricas do Brasil e a maior fornecedora de eletricidade para o território paraguaio, que é a Usina de Itaipu.

A bacia do Alto Paraná é caracterizada também pela elevada biodiversidade, contendo muitas espécies endógenas de peixes e outros representantes da fauna e da flora locais que têm como habitat os biomas brasileiros do Cerrado e da Mata Atlântica.

Importância do rio Paraná

 Trecho do rio Paraná na fronteira entre o Brasil e o Paraguai.
 Trecho do rio Paraná na fronteira entre o Brasil e o Paraguai.

O rio Paraná alimenta dois importantes sistemas hidrográficos, que são a própria Bacia do Paraná, no Brasil, e a Bacia do Rio da Prata, que compreende também os territórios boliviano, argentino, uruguaio e paraguaio.

Esse curso d’água e seus afluentes percorrem as áreas de maior concentração populacional do Brasil, onde vivem mais de 60 milhões de habitantes, concentrados em grandes cidades como São Paulo, Campinas, Ribeirão Preto, Campo Grande, Goiânia e Curitiba.

Suas águas são importantes para o abastecimento urbano residencial e para a manutenção do dinamismo econômico da região banhada, que apresenta um elevado número de cultivos agropecuários, com destaque para a soja e a cana-de-açúcar, e também de indústrias.

O abastecimento é tanto direto, com o fornecimento de água, quanto indireto, por meio da utilização da força das águas para a geração de eletricidade. Mais de 50 reservatórios foram construídos na Bacia do Paraná.

Dentre as principais hidrelétricas do rio Paraná podemos citar: Ilha Solteira (SP), Jupiá (MS) e Itaipu (fronteira entre o Paraná e o Paraguai), sendo a última responsável por 10,8% da eletricidade consumida no Brasil e 88,5% no Paraguai, conforme dados da Itaipu Binacional.

O rio Paraná constitui uma das mais importantes hidrovias do Brasil, que é a Tietê-Paraná. Essa via integra duas das maiores regiões produtoras de grãos do país, que são o Centro-Oeste e o Sul, e auxilia no escoamento de mercadorias para outros países do Mercosul, além de realizar o transporte de passageiros.

Veja também: Rio São Francisco — um rio que possui grande importância social, econômica e cultural para o Brasil

Preservação do rio Paraná

A preservação do rio Paraná é fundamental para a manutenção da qualidade de suas águas, dada a importância desse manancial para a população e para a biodiversidade das áreas banhadas por esse curso d’água.

Em função da intensa atividade antrópica que caracteriza a bacia do Paraná, sabe-se que há trechos com elevado teor de poluição nas águas, ao mesmo tempo que parte das áreas recobertas com floresta foram desmatadas, o que afeta diretamente o rio Paraná. É preciso levar em consideração também o impacto ambiental ocasionado pela construção das barragens das hidrelétricas.

A criação e ampliação das áreas de proteção ambiental (APAs) são importantes nesse processo de preservação do rio Paraná. Uma delas é a APA das Ilhas e Várzeas do Rio Paraná, que fica entre Mato Grosso do Sul e Paraná e abrange mais de 1 milhão de hectares do bioma Mata Atlântica.

Criada em 1997, essa APA tem como objetivo proteger as matas e as espécies de animais que vivem na região, especialmente aquelas em extinção, que são atualmente sete. A garantia do equilíbrio ecossistêmico aumenta a proteção dos mananciais presentes no seu interior, o que auxilia na preservação do rio Paraná.

Curiosidades sobre o rio Paraná

  • É o segundo rio mais longo da América do Sul. Figura também entre os mais extensos do mundo, na oitava posição.

  • O nome do rio Paraná é derivado do termo em tupi-guarani paranã e significa “semelhante ao mar” ou ainda “rio caudaloso”.

  • Apresenta um dos maiores potenciais hidrelétricos instalados do Brasil.

  • As Sete Quedas, formadas pelas águas do rio Paraná no oeste do estado homônimo, já foram consideradas uma das mais volumosas quedas d’água do mundo. Elas foram extintas com a construção do reservatório de Itaipu, em 1982.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Rio Paraná"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/brasil/rio-parana.htm. Acesso em 16 de junho de 2024.

De estudante para estudante