Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Mamíferos do Cerrado

Geografia do Brasil

Alguns dos principais mamíferos que compõem a fauna do bioma Cerrado.
PUBLICIDADE

O Cerrado é uma vegetação predominante em grande parte do território brasileiro. Já chegou a ocupar um quarto da área do país, cobrindo dez estados, mas hoje resta menos de 20% dessa totalidade.

A presença das três bacias hidrográficas, que são as maiores da América do Sul, Tocantins-Araguaia, São Francisco e Prata, favorecem a biodiversidade da fauna e flora.

A partir desses dados, vamos restringir o foco de observação e análise na zoogeografia do Cerrado, ou seja, o potencial faunístico desse domínio fantástico.

A seguir veremos uma série de animais mamíferos que transitam nos variados subsistemas do Cerrado:


Anta (Tapirus terrestris)

Peso adulto entre 140 a 250 kg, está presente em todos os subsistemas do Cerrado, embora se encontre com maior frequência em subsistemas de veredas e ambientes alagadiços e matas ciliares. Segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), essa espécie encontra-se vulnerável (VU, Vulnerable).

 

Ariranha (Pteronura brasiliensis)

Peso adulto de 20 kg, transita em mata ciliar. Segundo a IUCN, encontra-se em perigo (EM, Endangered).

 

Bugio-preto ou guariba (Alouatta caraya)

Peso adulto: 8 a 10 kg. Apresenta-se no subsistema de mata ciliar. Segundo a IUCN, está em risco mínimo de extinção (LC, Least Concern).

 

Cachorro-do-mato (Cerdocyon thous)

Peso adulto: 8 kg. Transita no subsistema de campo e cerrado. Segundo a IUCN, também está em risco mínimo de extinção.

 

Cangambám ou Jaratataca (Conepatus semistriatus)

Peso adulto: 1 kg. Trransita nos subsistemas de campo e cerrado. Risco mínimo de extinção.

 

Capivara (Hydrochoerus hydrochaeris)

Peso adulto: 60 a 70 kg. Apresenta-se nos subsistemas de veredas e ambientes alagadiços, bem como em matas ciliares. Risco mínimo de extinção.

 

Cervo (Blastocerus dichotomus)

Peso adulto: 100 kg. Apresenta-se com maior frequência nos subsistemas de campo, veredas e ambientes alagadiços, mata e mata ciliar. Segundo a IUCN, vulnerável (VU, Vulnerable).

 

Cuíca (Philander opossum)

Peso adulto: 4 kg. Transita em todos os subsistemas. Risco mínimo de extinção.

 

Gambá (Didelphis albiventris)

Peso adulto: 1 kg. Transita nos subsistemas cerradão e mata. Risco mínimo de extinção.

 


Gato-maracajá (Leopardus wiedii)

Peso adulto: 6 kg. Transita na mata. Segundo a IUCN, é uma espécie quase ameaçada (NT, Near Threatened).

 

Gato-mourisco (Puma yagouaroundi)

Peso adulto: 10 kg. Transita nas veredas e em ambientes alagadiços. Risco mínimo de extinção.

 

Gato-palheiro (Leopardus colocolo)

Peso adulto: 3 kg. Transita no subsistema de cerrado. Espécie quase ameaçada (NT, Near Threatened).

 

Irara (Eira barbara)

Peso adulto: 8 kg. Transita nos subsistemas de mata e mata ciliar. Risco mínimo de extinção.

 

Jaguatirica (Leopardus pardalis)

Peso adulto: 15 kg. Apresenta-se no cerrado, cerradão, mata e mata ciliar. Risco mínimo de extinção.

 

Lobo-guará (Chrysocyon brachyurus)

Peso adulto: 20 kg. Transita nos subsistemas de campo, cerrado e mata ciliar. Espécie quase ameaçada (NT, Near Threatened).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

 

Lontra (Lontra longicaudis)

Peso adulto: 10 kg. Transita na mata ciliar. Dados insuficientes relativos ao seu status de conservação (DD, Data Deficient).

 

Mão-pelada (Procyon cancrivorus)

Peso adulto: 15 kg. Transita no subsistema de mata ciliar. Risco mínimo de extinção.

 

Onça-pintada (Panthera onca)

Peso adulto: 80 a 100 kg. Transita nos subsistemas de cerradão, mata e mata ciliar. Espécie quase ameaçada.

 

Ouriço-cacheiro (Coendou prehensilis)

Peso adulto: 6 a 8 kg. Transita no cerradão, mata, mata ciliar, veredas e ambientes alagadiços. Risco mínimo de extinção.

 

Paca (Cuniculus paca)

Peso adulto: 6 a 8 kg. Transita no subsistema de mata ciliar. Risco mínimo de extinção.

 

Porco-do-mato, ou queixada (Tayassu pecari)

Peso adulto: 35 a 40 kg. Transita pelos subsistemas do cerrado, cerradão, mata e mata ciliar. Espécie quase ameaçada.

 

Quati (Nasua nasua)

Peso adulto: 5 kg. Transita nos subsistemas de cerradão e mata. Risco mínimo de extinção.

 

Raposa-do-campo (Pseudalopex vetulus)

Peso adulto: 8 kg. Transita no subsistema de campo. Risco mínimo de extinção.

 

Suçuarana (Puma concolor)

Peso adulto: 60 kg. Apresenta-se nos subsistemas de campo, cerrado, cerradão, mata e mata ciliar. Risco mínimo de extinção.

 

Tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla)

Peso adulto: 25 a 30 kg. Transita em subsistema de campo e cerrado. Situação da espécie: vulnerável.

 

Tamanduá-mirim (Tamandua tetradactyla)

Peso adulto: 5 a 8 kg. Transita em todos os subsistemas, mas apresenta-se com maior frequência no campo. Risco mínimo de extinção.

 

Tatu-canastra (Priodontes maximus)

Peso adulto: 30 kg. É encontrado nos subsistemas de campo, cerrado, cerradão e mata ciliar. Situação da espécie: vulnerável.

 

Tatupeba (Euphractus sexcinctus)

Peso adulto: 3 a 4 kg. Transita em campo e cerrado. Risco mínimo de extinção.

 

Tatu-bola (Tolypeutes tricinctus)

Peso adulto: 2 a 3 kg. Transita nos subsistemas de campo e cerrado. Situação da espécie: vulnerável.

 

Tatu-galinha (Dasypus novemcinctus)

Peso adulto: 6 a 8 kg. Transita no subsistema de campo, cerrado, cerradão e mata ciliar. Risco mínimo de extinção.

 

Tatu-rabo-mole (Cabassous unicinctus)

Peso adulto: 3 kg. Apresenta-se em subsistemas de campo e cerrado. Risco mínimo de extinção.

 

Veado-catingueiro (Mazama gouazoubira)

Peso adulto: 20 kg. Transita no subsistema do cerradão, mata e mata ciliar. Risco mínimo de extinção.

 

Veado-campeiro (Ozotoceros bezoarticus)

Peso adulto: 40 a 60 kg. Transita com maior frequência no subsistema de campo e cerrado. Espécie quase ameaçada de extinção.

 

Veado-mateiro (Mazama americana)

Peso adulto: 25 a 30 kg. Transita no subsistema de cerradão, mata e mata ciliar. A IUCN não possui dados suficientes para avaliar seu status de conservação - (DD, Data Deficient).


Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

ARAGUAIA, Mariana. "Mamíferos do Cerrado"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/brasil/os-animais-cerrado.htm. Acesso em 25 de outubro de 2021.

Assista às nossas videoaulas
Artigos Relacionados
Veja aqui as características mais importantes do Cerrado, como localização, fauna, flora, clima, vegetação, potencial aquífero, características do solo e devastação.
Veja por que a segunda maior cobertura vegetal do Brasil, o cerrado, está ameaçada.
Leia este texto e descubra mais sobre a fauna e a flora do Cerrado. Nele, falaremos um pouco a respeito dos principais animais e plantas encontrados no Cerrado. Destacaremos ainda algumas espécies de animais e de vegetais encontradas nesse bioma, bem como suas principais características.
Que tal conhecer mais a respeito do lobo-guará? Neste texto apresentaremos algumas das principais características desse animal símbolo do Cerrado.
Que tal aprender mais sobre o macaco? Clique aqui, entenda a que animais esse termo se refere, e conheça algumas espécies de macacos.
Conheça as principais características dos mamíferos. Leia a respeito da sua reprodução. Descubra como esses animais podem ser classificados.
Clique aqui e conheça mais sobre os porcos-espinhos. Neste texto conheceremos mais sobre esses animais, sua alimentação e as ameças às suas espécies.