Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Desmatamento no Brasil

O desmatamento no Brasil é um problema ambiental que afeta a todos os biomas e tem como principais causadores o avanço da agropecuária e a expansão das áreas urbanizadas.

Área da Floresta Amazônica desmatada, uma das principais regiões de ocorrência de desmatamento no Brasil.
O desmatamento é um problema ambiental que se perpetua no Brasil desde o século XVI.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O desmatamento no Brasil é um problema ambiental grave que começou durante a colonização do país, ainda no século XVI, e se intensificou a partir da segunda metade do século XX com a expansão as áreas urbanas e o avanço da fronteira agrícola em direção a biomas como a Amazônia e o Cerrado. Estima-se que 96 milhões de hectares de vegetação nativa tenham sido perdidos no país somente entre 1985 e 2022, período analisado pelo MapBiomas.

O país conta com leis e dispositivos legais que determinam sanções àqueles que promovem o desmatamento, bem como medidas voltadas para a proteção da cobertura vegetal do território brasileiro. A aplicação e a fiscalização do cumprimento dessas leis são algumas das soluções para conter o avanço do desmatamento, junto de ações concretas de agentes econômicos.

A continuidade do desmatamento, nas taxas observadas hoje em dia, provoca perda da biodiversidade e dos recursos naturais e desequilíbrios dos ciclos naturais e do clima em escala local, regional e global.

Leia também: Quais são os principais problemas ambientais do Brasil?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o desmatamento no Brasil

  • O desmatamento no Brasil é um grave problema ambiental.

  • A remoção da cobertura nativa no país começou no século XVI, motivada principalmente pela comercialização do pau-brasil.

  • Com o fim do ciclo econômico do pau-brasil, a abertura de áreas para a agropecuária passou a ser uma das principais causas do desmatamento no Brasil.

  • Soma-se à agropecuária o avanço da industrialização e o crescimento das áreas urbanas.

  • Entre 1985 e 2022, uma área de 96 milhões de hectares de vegetação nativa foi suprimida no Brasil, segundo o projeto MapBiomas.

  • A Mata Atlântica, a Amazônia, o Cerrado e os Pampas são os biomas mais afetados.

  • Entre as consequências do desmatamento no Brasil, estão a perda de biodiversidade, o desequilíbrio ambiental e a alteração no clima local e global.

  • O governo brasileiro é o principal agente de combate ao desmatamento, o que faz mediante a legislação vigente no país.

  • Soluções para diminuir a remoção da cobertura vegetal no Brasil incluem a aplicação das leis e a fiscalização recorrente, assim como a participação ativa do governo e dos agentes econômicos na implementação de novos modos de se produzir e na adoção de medidas sustentáveis.

Como iniciou o desmatamento no Brasil?

O desmatamento é o principal problema ambiental no Brasil desde o início da formação do território nacional, sendo, portanto, uma questão histórica. Quando da chegada dos colonizadores portugueses, em 1500, várias áreas foram limpas para a instalação de povoados e para o desenvolvimento de atividades econômicas. Isso significa que a vegetação nativa do Brasil começou a ser removida desde muito cedo por propósitos que não são muito diferentes dos atuais.

Aliás, é importante lembrarmos que uma das primeiras atividades econômicas que os colonizadores implementaram no Brasil Colônia foi o extrativismo vegetal por meio da remoção do pau-brasil. O pau-brasil (Paubrasilia echinata) é uma árvore originária do país que se faz presente no bioma Mata Atlântica.

Conhecida pelos indígenas tupi pelo nome de ibirapitanga, a madeira dessa árvore era utilizada pelos colonizadores para a produção de artefatos e, principalmente, para a remoção da sua resina avermelhada. Essa resina era utilizada para a fabricação de tintas de tecido no continente europeu, tornando, assim, a exploração do pau-brasil uma atividade econômica de alto retorno para os colonizadores no início do século XVI.

Resina avermelhada do pau-brasil, o primeiro foco do desmatamento no Brasil.
Por conta da sua resina avermelhada, o pau-brasil era comercializado como matéria-prima para a fabricação de pigmentos e móveis.

A intensa exploração do pau-brasil pelos portugueses, que se utilizavam de mão de obra escravizada dos indígenas, levou ao fim do ciclo de exploração dessa árvore em 1530, quando ela se tornou escassa. Mesmo com a menor exploração madeireira, resultado da escassez de matéria-prima, o novo ciclo econômico que se iniciou a partir de então, baseado no plantio de cana-de-açúcar, demandou a abertura de áreas e a remoção da cobertura vegetal nativa para a sua substituição.

Diante disso, podemos afirmar que o desmatamento iniciou-se no Brasil, ainda em 1500, por meio da exploração da madeira do pau-brasil no bioma Mata Atlântica, que fica no litoral leste, justamente por onde começou a ocupação do país pelos colonizadores portugueses.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Causas do desmatamento no Brasil

O desmatamento no Brasil é provocado por uma série de fatores que compreendem desde questões puramente econômicas até questões infraestruturais atreladas ao processo de metamorfose e reordenamento do espaço brasileiro. A seguir, saiba quais são as principais causas do desmatamento no Brasil:

  • Abertura de novas áreas para o desenvolvimento de cultivos agrícolas, em especial nas áreas de expansão da fronteira agrícola brasileira, onde se concentra o agronegócio.

  • Criação de áreas de pastagem para o desenvolvimento da pecuária.

  • Remoção da cobertura vegetação para a prática do extrativismo mineral de maneira legal e também ilegal.

  • Prática do extrativismo vegetal e exploração de demais recursos naturais presentes nos ecossistemas dos biomas brasileiros.

  • Queimadas provocadas pelos seres humanos com finalidades diversas ou queimadas naturais iniciadas por meio de quedas de raios, por exemplo. O segundo caso é menos frequente.

  • Expansão das áreas urbanizadas e crescimento das cidades de modo geral.

  • Processo de industrialização do território brasileiro e ampliação das áreas ocupadas pelas redes de infraestrutura.

Dados sobre o desmatamento no Brasil

O desmatamento no Brasil resultou em uma perda de 96 milhões de hectares de vegetação nativa entre os anos de 1985 e 2022, segundo aponta o relatório produzido pelo projeto MapBiomas, que contém uma das principais plataformas contendo dados quantitativos e mapas que mostram o avanço do desmatamento e seus principais vetores.

Estima-se que a cobertura original represente, hoje, uma parcela de 64% do total da área do território. Segundo a plataforma, as florestas são a maior parte desse montante e recobrem hoje aproximadamente 495 milhões de hectares ou 58% da superfície nacional. As formações florestais e não florestais representam 5,75% da área do Brasil.

O país teve uma perda de 12,8 milhões de hectares de floresta somente entre 2018 e 2022, o que corresponde a 11% da perda em todo o período analisado. No ano de 1985, quando se inicia a série histórica do MapBiomas, a área florestada do Brasil era de 581,6 milhões de hectares. De lá para cá, foram suprimidos 87,6 milhões de hectares apenas de formações florestais.

O MapBiomas revela que os últimos 38 anos foram os mais intensos no que diz respeito ao desmatamento no Brasil, considerando desde os primórdios dessa prática, ainda no período colonial. Cerca de um terço de toda a área desmatada do país foi suprimido nesse intervalo de tempo mais recente, tendo como sua principal causa as atividades humanas. A seguir, veremos um panorama do desmatamento no Brasil considerando os biomas mais atingidos e os vetores.

Veja também: Quais são o impactos ambientais causados pelo agronegócio no Brasil?

Panorama do desmatamento no Brasil

Fronteira do Parque Indígena do Xingu com grandes fazendas de soja, um exemplo do desmatamento no Brasil.
O avanço dos cultivos agrícolas e da pecuária extensiva em parte do território nacional é a principal causa do desmatamento em um período recente.

Assim como vimos acima, o desmatamento no Brasil se intensificou muito nos últimos anos. A remoção da cobertura vegetal brasileira é causada pela ação dos seres humanos, em especial pelo crescimento das áreas urbanizadas e pelo avanço da agropecuária pelo interior do país. Os dados do MapBiomas apontam que, das florestas suprimidas, 95% o foram para a abertura de novas áreas de plantio e pastagem.

Considerando a agropecuária como vetor, as regiões do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), do oeste do Amazonas e na fronteira entre esse estado e os estados de Rondônia e Acre, onde predominam os biomas Amazônia e Cerrado, são as mais afetadas. As duas últimas regiões citadas são descritas como uma nova fronteira agrícola do Brasil, onde o agronegócio, a pecuária extensiva e o plantio de soja têm ganhado cada vez mais espaço.

A área plantada com soja cresceu em todos os biomas brasileiros, o que significa que houve remoção de parte significativa cobertura vegetal nativa nessas áreas e substituição pelo cultivo. Entre 1985 e 2022, a área de soja aumentou em quase nove vezes, e saltou de 4,5 milhões de hectares para 39,4 milhões de hectares, conforme aponta o MapBiomas.

Em se tratando do desmatamento por biomas, todos os seis conjuntos vegetacionais brasileiros foram afetados pela remoção da cobertura nativa nas últimas décadas. Há, entretanto, agravamento da situação nos seguintes biomas: Amazônia, Cerrado e Pampas.

A Mata Atlântica é, por si só, um caso à parte, já que foi por ela que começou o desmatamento no Brasil, e restam, hoje, apenas 16,6% da sua cobertura original. O dado do MapBiomas, entretanto, aponta que essa cobertura é um pouco maior, mas ainda representa a maior perda entre todos os biomas brasileiros. Segundo o IBGE, esse bioma é o único cuja maior parte da área não corresponde à cobertura vegetal natural, tendo em vista estar situado em uma área de maior concentração populacional do país.

Levando em consideração os dados do MapBiomas entre 1985 e 2022, veja quanto resta (em porcentagem) da cobertura nativa de cada bioma brasileiro e no total do país, bem como a parcela em uso pela agropecuária, o principal vetor de desmatamento no país.

Bioma

Parcela de vegetação nativa

Parcela ocupada pela agropecuária

Amazônia

81,7%

15,5%

Cerrado

47,9%

50,1%

Caatinga

57,9%

39,8%

Mata Atlântica

26,2%

65,7%

Pantanal

85%

14,9%

Pampa

45,2%

43,5%

Brasil

64%

33,2%

Consequências do desmatamento no Brasil

A remoção da cobertura vegetal no Brasil apresenta consequências para o equilíbrio do meio natural e também para a sua população. Entre essas consequências, estão:

  • Alteração ou supressão de habitat e transformações nos ecossistemas.

  • Perda de biodiversidade, o que compreende a fauna e a flora.

  • Fragilização do solo e aumento da suscetibilidade a processos erosivos e de desertificação.

  • Aumento da escassez de recursos naturais, afetando principalmente as comunidades que dependem deles para a sua subsistência, seja para o consumo, seja para a geração de renda.

  • Impactos no microclima e, no longo prazo, no clima regional e global, contribuindo para a intensificação do efeito estufa e do aquecimento global.

  • Mudança no regime hídrico das áreas desmatadas o que, por conseguinte, prejudica a recarga dos mananciais.

  • Perda de qualidade de vida da população.

Possíveis soluções para o desmatamento no Brasil

Reserva Ecológica do Guapiaçu, na região da Mata Atlântica, bioma mais afetado pelo desmatamento no Brasil.
A criação de reservas ecológicas é uma das soluções para a preservação da vegetação nativa no Brasil.

Solucionar o desmatamento no Brasil é um verdadeiro desafio, tendo em vista ser um problema muito antigo que se propaga há mais de meio milênio. Mesmo assim, é possível que algumas medidas sejam adotadas pelos diferentes sujeitos da sociedade brasileira — os governos em todas as esferas, os agentes econômicos e a população — para que a perda de vegetação nativa seja mitigada. Algumas possíveis soluções para o desmatamento no Brasil são:

  • Aplicação e fiscalização do cumprimento das leis ambientais no país, especialmente em áreas de maior risco de avanço do desmatamento.

  • Desenvolvimento de políticas públicas e ações que incentivem a preservação da vegetação nativa e, também, a promoção do reflorestamento de áreas degradadas.

  • Proteção de ecossistemas frágeis e de áreas degradadas mediante a criação de novas unidades de conservação (UC), de corredores ecológicos e de áreas de proteção permanente (APP).

  • Adoção de modelos sustentáveis de produção agropecuária, promovendo a maior produtividade dos solos e das pastagens em detrimento da ampliação das áreas ocupadas.

  • Oferta de crédito ou de outros tipos de benefícios a produtores rurais que reduzirem os impactos negativos de sua lavoura ou pastagem ao meio ambiente.

  • Ampliação do acesso à educação ambiental para todos os agentes e setores da sociedade brasileira, reforçando a importância da vegetação nativa para a garantia do equilíbrio ambiental e do controle do clima em escala global.

Qual o papel do governo no desmatamento do Brasil?

O governo, e principalmente o Estado brasileiro, tem papel central no desmatamento que acontece no país. Sendo ele o responsável pela gestão do território nacional, entende-se que o Estado é a entidade responsável pela proteção da natureza nele compreendida, o que inclui a cobertura vegetal e os recursos naturais de modo geral. Assim sendo, o governo, estando à frente do Estado, tem o papel de executar a legislação ambiental do país de modo a impedir ou atenuar o desmatamento e salvaguardar da vegetação nativa.

Leis sobre o desmatamento no Brasil

Lei

Data de implementação

O que diz?

Código Florestal Brasileiro

25 de maio de 2012, data da implementação do Novo Código Florestal Brasileiro

Protege a vegetação nativa brasileira, incluindo áreas protegidas e reservas legais, juntamente dos recursos naturais de origem florestal.

Lei nº 9.605

12 de fevereiro de 1998

Considera os danos ao meio ambiente, como o desmatamento para fins econômicos e a degradação florestal, infração que resulta em pena de reclusão e multa.

Lei da Mata Atlântica

22 de dezembro de 2008

Determina a proteção do bioma Mata Atlântica.

Decreto nº 11.687

05 de setembro de 2023

Dispõe sobre ações de prevenção, acompanhamento e redução do desmatamento no bioma Amazônia.

Desmatamento no mundo

O desmatamento é um problema ambiental que afeta praticamente todos os biomas do mundo. Estima-se que a atual área recoberta por florestas, no mundo, seja de 29% da superfície total. Somente em 2022, a perda de árvores foi de 22,8 milhões de hectares. Entre 2000 e 2020, 231 milhões de hectares de árvores foram devastados.

O Brasil lidera as perdas de florestas em todo o mundo, representando 43,1% do total. Na sequência estão República Democrática do Congo, Bolívia, Indonésia e Peru, que, juntos, totalizam aproximadamente um terço do desmatamento em áreas florestadas. Somando os cinco, tem-se quase 75% da perda de florestas em todo o mundo concentrados apenas nesses territórios.

Exercícios resolvidos sobre desmatamento no Brasil

Questão 1

(Fuvest) Observe as charges.

Charges sobre o desmatamento no Brasil em uma questão da Fuvest.

As charges, respectivamente, dos cartunistas Henfil (1982) e Dalcio (2011) estão separadas por quase trinta anos de história, mas unidas na crítica:

A) ao preço, no mercado internacional, da madeira extraída das florestas brasileiras.

B) à presença de capital estrangeiro na exploração de madeiras de florestas no país.

C) à exportação ilegal, via países vizinhos, de madeira extraída das florestas brasileiras.

D) ao desmatamento extensivo e indiscriminado das florestas brasileiras.

E) ao uso recorrente de queimadas na eliminação de florestas no país.

Resolução:

Alternativa D

As charges representam uma crítica ao desmatamento das florestas brasileiras, problema que se perpetua há mais de 500 anos e que se intensificou nas últimas quatro décadas.

Questão 2

(Uece) O cerrado brasileiro é um hotspot para a conservação da biodiversidade mundial. No entanto, nas últimas décadas, vem sofrendo um acelerado processo de degradação associado, principalmente, às atividades de:

A) mineração de ouro e outros metais, como o minério de ferro.

B) exploração da água subterrânea de forma indiscriminada.

C) expansão do ecoturismo nos rios da região.

D) desmatamento para expansão do agronegócio.

Resolução:

Alternativa D

O Cerrado brasileiro é um dos biomas mais ameaçados pelo crescimento das áreas desmatadas em função da expansão do agronegócio, visando sobretudo a abertura de áreas para o plantio de soja.

Fontes

BELANDI, Caio. IBGE retrata cobertura natural dos biomas do país de 2000 a 2018. Agência IBGE Notícias, 24 set. 2020. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/28944-ibge-retrata-cobertura-natural-dos-biomas-do-pais-de-2000-a-2018.

CNN. Desmatamento no Brasil: como começou, causas e cenário atual. CNN Brasil, 28 fev. 2023. Disponível em: https://www.cnnbrasil.com.br/nacional/desmatamento-no-brasil/.

Global Forest Watch. Disponível em: https://www.globalforestwatch.org/.

MapBiomas. Disponível em: https://brasil.mapbiomas.org/.

MAPBIOMAS. Perda de vegetação nativa no Brasil acelerou nas últimas décadas. MapBiomas, 31 ago. 2023. Disponível em: https://brasil.mapbiomas.org/2023/08/31/perda-de-vegetacao-nativa-no-brasil-acelerou-na-ultima-decada/.

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Desmatamento no Brasil"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/brasil/o-desmatamento-no-brasil-uma-questao-historica.htm. Acesso em 22 de julho de 2024.

De estudante para estudante


Videoaulas