Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Fertilizantes

Os fertilizantes são compostos químicos que podem ser aplicados diretamente nos solos ou nas plantas, auxiliando na reposição de nutrientes e no desenvolvimento dos vegetais.

Fertilizante sendo aplicado em pequena planta
Os fertilizantes são substâncias utilizadas com a finalidade de complementar os nutrientes do solo, beneficiando os cultivos agrícolas.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Fertilizantes são compostos utilizados para a reposição de nutrientes dos solos e das plantas. Eles podem ser de origem orgânica, mineral ou organomineral, sendo muito empregados na atividade agrícola e nos cultivos domésticos para o incremento da fertilidade dos solos, proteção contra doenças, aumento da produtividade das lavouras e desenvolvimento das plantas e vegetais. Grande produtor de alimentos e commodities agrícolas, o Brasil figura hoje entre os principais consumidores de fertilizantes do mundo.

Confira no nosso podcast: Problemas ambientais rurais

Tópicos deste artigo

Resumo sobre fertilizantes

  • Fertilizantes são substâncias utilizadas para o fornecimento de nutrientes para as plantas e para os solos. São chamados também de adubos.

  • Os fertilizantes atuam no desenvolvimento e crescimento das plantas e vegetais, além de reporem os nutrientes do solo, ampliando a sua fertilidade e produtividade.

  • Seu uso se estende também para a recuperação de plantas e vegetais e proteção contra doenças e pragas.

  • Eles podem ser orgânicos, inorgânicos ou organominerais.

  • São importantes para a produção agrícola de todo o mundo, além de auxiliarem no cuidado com os pequenos cultivos domésticos.

  • Os fertilizantes mais utilizados são aqueles produzidos com nitrogênio (N), fósforo (F) e potássio (K), conhecidos como NPK.

  • Apesar de ser um dos maiores consumidores de fertilizantes do mundo, o Brasil produz de forma insuficiente para atender à própria demanda.

  • A produção e o uso de fertilizantes, quando feitos de maneira inadequada, podem gerar impactos negativos ao meio ambiente, como poluição de corpos hídricos.

  • A Rússia é hoje o maior produtor e exportador mundial de fertilizantes.

O que são fertilizantes?

Fertilizantes são compostos químicos responsáveis pelo fornecimento de nutrientes necessários ao desenvolvimento das plantas e vegetais, aumentando assim a sua produtividade. Por essa razão, os fertilizantes são muito utilizados na atividade agrícola para a obtenção de melhores resultados na lavoura, embora sejam também aplicados em outros contextos, como nos jardins e plantas caseiras.

Essas substâncias podem ser de origem orgânica ou inorgânica, derivadas de minerais. Além disso, eles se dividem entre aqueles encontrados na natureza ou produzidos de forma sintética. Os fertilizantes são mais comumente conhecidos como adubos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Qual a função dos fertilizantes?

A função dos fertilizantes é a de incrementar o aporte de nutrientes dos vegetais, o que gera uma série de benefícios para as plantas e auxilia, ao mesmo tempo, no aumento da fertilidade dos solos. Existem, no entanto, diversos tipos de fertilizantes que atuam de maneiras variadas nas plantas. Os resultados a serem obtidos pelo uso dos adubos dependem da sua composição, visto que cada um dos nutrientes age em partes específicas do tecido vegetal e possui determinadas funções.

Os nutrientes essenciais para as plantas e presentes na composição dos fertilizantes se dividem em dois grupos:

  • Macronutrientes: são nutrientes fundamentais para o bom funcionamento das funções biológicas das plantas, atuando diretamente na realização da fotossíntese, por exemplo, no desenvolvimento de suas estruturas básicas, no seu crescimento e na frutificação. Os macronutrientes são utilizados em maiores quantidades pelos vegetais. São macronutrientes:

  • Micronutrientes: são nutrientes que atuam nas enzimas das plantas, auxiliando no desenvolvimento das suas funções metabólicas. Os micronutrientes são utilizados em menores quantidades pelos vegetais. São micronutrientes:

Tipos de fertilizantes

Compostagem
A compostagem é um método bastante utilizado de produção de fertilizante orgânico, um dos três tipos de fertilizantes existentes.

Os fertilizantes são classificados em três tipos: orgânicos, inorgânicos (ou minerais) e organominerais.

  • Fertilizantes orgânicos: são fertilizantes produzidos com a utilização de materiais orgânicos de origem tanto animal quanto vegetal, como esterco, restos de folhas e frutos, cascas de ovos, resíduos de usinas de açúcar e álcool, entre outras matérias-primas. Esses adubos demoram mais para ser absorvidos e processados pelas plantas por se tratarem de materiais naturais, que apresentam ciclos de vida mais longos.

  • Fertilizantes inorgânicos: são fertilizantes produzidos por meio de minerais encontrados na natureza ou sintéticos e que passam por um processo industrial antes de serem destinados ao consumidor final. São chamados também de fertilizantes minerais.

  • Fertilizantes organominerais: são fertilizantes produzidos por meio de matéria-prima orgânica e enriquecidos com minerais, o que catalisa a sua ação nos vegetais e fornece um grande aporte de nutrientes ao solo. São utilizados também como corretivos de acidez do substrato.

Saiba mais: Adubos orgânicos e inorgânicos

Uso dos fertilizantes

Os fertilizantes são utilizados para auxiliar no desenvolvimento e crescimento das plantas, além de agirem no aumento da produtividade dos solos e na correção de sua acidez, tornando-os aptos para o cultivo mediante a reposição de nutrientes ou adição daqueles que estavam em falta. Seu uso é estendido ainda para a recuperação de cultivares e para o aumento da resistência da estrutura das plantas e proteção contra doenças, fungos, insetos e pragas.

O uso dos fertilizantes pode ser feito tanto na forma líquida quanto sólida, sendo a segunda opção dividida entre os adubos em grãos ou em pó. A depender disso, os fertilizantes são aplicados de maneiras diferentes. Eles podem ser tanto plantados (ou semeados) junto dos vegetais, depositados no solo ou ainda nas plantas já desenvolvidas por meio da irrigação ou da pulverização.

Quais são os fertilizantes mais usados?

Embora os fertilizantes possam ter uso tanto doméstico quanto comercial, eles são principalmente empregados nos cultivos agrícolas para um aumento de produtividade e para a obtenção de vegetais de melhor qualidade. Há três tipos de fertilizantes que são utilizados em maior escala tanto em uma atividade quanto na outra, os quais apresentamos brevemente na sequência.

  • Fertilizantes NPK: os adubos químicos que possuem em sua fórmula o composto NPK estão entre os mais utilizados tanto no Brasil quanto no mundo. A sigla NPK representa três macronutrientes fundamentais para o desenvolvimento das plantas e vegetais: nitrogênio, fósforo e potássio, respectivamente. Cada um desses nutrientes exerce uma função diferente sobre a planta:

    • Nitrogênio: atua no crescimento e no desenvolvimento de raízes, folhas e frutos, além de auxiliar na realização de funções básicas como a fotossíntese.

    • Fósforo: atua no fortalecimento e desenvolvimento das plantas e na formação da clorofila, além de auxiliar na absorção dos nutrientes do solo.

    • Potássio: atua no desenvolvimento do caule e do sistema de raízes, auxiliando na absorção de água.

Os fertilizantes NPK são produzidos por meio de diferentes fórmulas, cada uma das quais é mais indicada para um tipo de planta. As fórmulas mais conhecidas e utilizadas são: NPK4-14-8, NPK 10-10-10 e NPK 15-15-20.

  • Fertilizantes potássicos: são muito utilizados principalmente nos cultivos de hortaliças. Como vimos anteriormente, o potássio é um dos macronutrientes das plantas e auxilia em funções biológicas básicas, além de ser importante na proteção dos vegetais contra doenças e outras pragas que acometem as lavouras. Dentre os fertilizantes potássicos mais utilizados está o cloreto de potássio (KCl).

Importância dos fertilizantes

Fertilizante sendo jogado em cultivo agrícola
Os fertilizantes são importantes para a produção de alimentos em todo o mundo.

Os fertilizantes são compostos de grande importância para o desenvolvimento da agricultura mundial. Eles são responsáveis por fornecer os nutrientes adequados para as plantas e para os solos, suprindo suas deficiências, mantendo a sua fertilidade e aumentando a sua capacidade produtiva, viabilizando assim o crescimento das culturas, a redução dos ciclos produtivos e a ampliação da produtividade de cada hectare de solo. Além disso, eles protegem as lavouras contra doenças e pragas, evitando a perda de safras e, por conseguinte, eventuais perdas econômicas.

Por essa razão, não é incomum lermos que os fertilizantes são responsáveis por grande parte dos alimentos produzidos no mundo, uma vez que eles são amplamente utilizados para essa finalidade. Muitas outras matérias-primas vegetais empregadas na indústria são produzidas também mediante a utilização de fertilizantes.

Produção de fertilizantes

Os fertilizantes são produzidos com compostos naturais, e por essa razão a sua fabricação começa mediante a obtenção de matéria-prima (como gás natural, minerais, rochas e até mesmo o ar), por meio da qual serão extraídos os principais elementos presentes nos adubos, como nitrogênio, hidrogênio, potássio, cálcio, fósforo e outros.

A matéria-prima é direcionada para a indústria, responsável pela produção de outros materiais que serão também empregados na sintetização dos fertilizantes inorgânicos, como ácidos e amônia. Somente após esse processo é que acontece a produção dos fertilizantes propriamente ditos, sendo a composição do NPK uma das últimas etapas da cadeia produtiva dos fertilizantes.

Os fertilizantes nitrogenados são hoje os mais produzidos em escala mundial, seguidos daqueles compostos por fosfato e potássio, respectivamente. Os maiores produtores de fertilizante se concentram no continente asiático, responsável por aproximadamente 60% de todo o adubo fabricado no planeta, seguido dos países europeus.

Por que não se produz fertilizantes no Brasil?

O Brasil é hoje o segundo maior consumidor de fertilizantes do mundo, atrás somente da China. Apesar disso, o país ainda é muito dependente do mercado externo para o suprimento de sua demanda por esses compostos, uma vez que a produção interna é ainda insuficiente para tal. A Petrobras já produziu adubos, mas parou com essa atividade no ano de 2018.

A produção de fertilizantes advindos de matérias-primas como o gás natural é ainda muito cara no Brasil, tornando esse processo não somente bastante oneroso como também de baixa competitividade, tendo em vista o baixo custo dos fertilizantes oriundos da Rússia, por exemplo. Isso acontece tanto para os fertilizantes à base de ureia quanto nitrogenados.|1|

Outra questão que impede a produção de fertilizantes no país, desta vez os potássicos, é a localização das reservas. Embora o Brasil apresente enorme disponibilidade natural de potássio, ele se encontra concentrado em regiões demarcadas como terras indígenas, em especial na Amazônia, que são áreas protegidas pela legislação. A exploração nessas áreas acarretaria impactos diretos para as populações indígenas e também para o meio ambiente.

Leia também: Contaminação ambiental por agrotóxicos

Fertilizantes e o meio ambiente

A produção e o uso de fertilizantes, quando feitos de maneira inadequada, podem causar danos ao meio ambiente. Em um primeiro momento, a exploração mineral e a fabricação desses adubos geram gases e outros efluentes que, quando não tratados e descartados diretamente na natureza, causam a poluição de solos, da água e também do ar. Alguns fertilizantes podem ocasionar a poluição atmosférica quando há a evaporação de compostos prejudiciais ao meio ambiente, o que leva a impactos de longo prazo, como o agravamento do efeito estufa e as mudanças climáticas.

No caso dos fertilizantes aplicados no solo, a saturação dessa substância faz com que seus elementos sejam carregados pela ação das águas (lixiviação), as quais são direcionadas para lagos, rios ou o próprio lençol freático, causando a contaminação desses corpos hídricos. O excesso de algumas substâncias é também altamente prejudicial para a fauna presente nos solos.

Fertilizantes no mundo

A utilização de fertilizantes em todo o mundo cresceu de forma acelerada nas últimas décadas, em especial a partir de meados do século XX. No ano de 1961, o consumo de adubos era de 52 milhões de toneladas. Quase seis décadas mais tarde, em 2019, esse valor saltou para 215 milhões de toneladas. Dentre os países que mais fazem uso de fertilizantes nas plantações, em especial na produção de alimentos, estão China, Brasil, Reino Unido, Índia e Equador.

O mercado de fertilizantes ainda é bastante concentrado em alguns países, que fazem a comercialização desses produtos em escala mundial. Ao todo, eles movimentam 62 bilhões de dólares anualmente.

Listamos abaixo quais são os maiores exportadores de fertilizantes do mundo. Os dados mais recentes são para o ano de 2020.

País

Valor exportado (em dólares)

Rússia

7,62 bilhões

China

6,99 bilhões

Canadá

5,49 bilhões

Marrocos

3,71 bilhões

Estados Unidos

3,68 bilhões

Fonte: Observatório da Complexidade Econômica (OEC), 2020.

Notas

|1| REDAÇÃO. Por que o Brasil não produz fertilizantes? Canal Agro Estadão, 03 mai. 2022. Disponível aqui.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Fertilizantes"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/fertilizantes.htm. Acesso em 20 de maio de 2024.

De estudante para estudante