Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Coreia do Sul

A Coreia do Sul é um país de 51 milhões de habitantes localizado no Leste da Ásia, fazendo divisa com a Coreia do Norte. É uma das maiores economias do continente.

Bandeira da Coreia do Sul.
Bandeira da Coreia do Sul.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Coreia do Sul, ou República da Coreia, é um país do Leste Asiático localizado na península da Coreia. Sua capital é a cidade de Seul. O território sul-coreano faz fronteira com a Coreia do Norte, além de ser banhado pelos mares Amarelo e do Japão. Apresenta relevo acidentado e clima temperado, sendo ainda recoberto por florestas.

Vivem na Coreia do Sul, hoje, 51,3 milhões de pessoas, a maioria delas nas cidades. Após um rápido desenvolvimento industrial e econômico vivenciado na segunda metade do século XX, a Coreia do Sul se destaca como uma das maiores e mais modernas economias da Ásia.

Leia também: Indonésia — o país asiático que é um dos países mais populosos do mundo

Tópicos deste artigo

Resumo sobre a Coreia do Sul

  • A Coreia do Sul é um país asiático localizado na península da Coreia, no leste do continente.

  • Faz divisa com a Coreia do Norte, sendo banhada ainda pelos mares Amarelo e do Japão.

  • Sua capital é a cidade de Seul.

  • Apresenta clima temperado e relevo montanhoso, com vegetação formada por florestas temperadas.

  • Trata-se de um país populoso, com mais de 51 milhões de habitantes, e também densamente povoado, com distribuição de 527,7 hab./km².

  • Mais de 80% da população sul-coreana vive na zona urbana.

  • Com quase 10 milhões de habitantes, Seul é a cidade mais populosa da Coreia do Sul.

  • A economia do país é a quarta maior do continente asiático. É caracterizada pela indústria moderna voltada para a produção de peças e equipamentos eletrônicos e automóveis, além do setor de comércio e serviços.

  • Parte dos Tigres Asiáticos, a Coreia do Sul passou por um rápido processo de desenvolvimento econômico e industrial a partir da década de 1960.

  • A separação das Coreias aconteceu no ano de 1945, com a Coreia do Sul declarando a sua independência cinco anos mais tarde, desencadeando uma guerra que se estendeu de 1950 a 1953.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dados gerais da Coreia do Sul:

  • Nome oficial: República da Coreia.

  • Gentílico: sul-coreano.

  • Extensão territorial: 100.340 km².

  • Localização: Leste da Ásia.

  • Capital: Seul.

  • Clima: temperado continental.

  • Governo: república presidencialista.

  • Divisão administrativa: nove províncias, seis metrópoles, uma cidade especial e uma cidade especial autônoma.

  • Idioma: coreano.

  • Religiões:

    • nenhuma: 56,9%;

    • protestantismo: 19,7%;

    • budismo: 15,5%;

    • catolicismo: 7,9%.

  • População: 51.305.000 habitantes (ONU, 2021).

  • Densidade demográfica: 527,7 hab./km².

  • Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,925.

  • Moeda: won sul-coreano.

  • Produto Interno Bruto (PIB): US$ 1,73 trilhão (FMI, 2022).

  • PIB per capita: US$ 33.590.

  • Gini: 0,354.

  • Fuso horário: GMT +9.

  • Relações exteriores:

    • Organização das Nações Unidas (ONU);

    • Organização Mundial do Comércio (OMC);

    • Fundo Monetário Internacional (FMI);

    • Banco Mundial;

    • Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec);

    • Grupo dos 20 (G20).

Mapa da Coreia do Sul

Mapa da Coreia do Sul

Geografia da Coreia do Sul

A Coreia do Sul é um país asiático localizado na região leste do continente. Corresponde à porção meridional da península da Coreia, onde está situado também o território da Coreia do Norte. O país é banhado pelo mar Amarelo, a oeste, e pelo mar do Japão, a leste, que são ambos parte do oceano Pacífico. A capital sul-coreana é a cidade de Seul.

Nota-se que, além do território continental, a Coreia do Sul apresenta duas províncias insulares formadas sobre rochas vulcânicas. São elas as províncias de Jeju, ao sul, e Ulleungdo, a leste.

Clima da Coreia do Sul

A Coreia do Sul apresenta clima temperado, marcado pela distinção entre as estações do ano. O inverno é a estação mais fria, quando as temperaturas podem variar entre 5 °C e valores inferiores a 0. Há ocorrência de geadas e precipitação na forma de neve. Os verões na Coreia do Sul são amenos e chuvosos, com temperaturas máximas que chegam a 25 °C. A pluviosidade anual do país é de até 1800 mm.

Relevo da Coreia do Sul

O relevo sul-coreano é acidentado, formado por montanhas e morros. As planícies litorâneas a oeste e ao sul são recortadas por riachos e rios que deságuam no Pacífico, enquanto a leste elas compõem uma linha bastante estreita. A elevação média dos terrenos sul-coreanos é de 282 metros.

Paisagem natural na Coreia do Sul.
Paisagem natural na Coreia do Sul.

Vegetação da Coreia do Sul

A cobertura vegetal da Coreia do Sul é formada essencialmente por florestas temperadas, as quais são compostas por espécies coníferas e também de folhas largas. Apenas uma pequena parte do sul do país comporta as florestas sempre-verdes, que são aquelas que não perdem suas folhas em um período do ano.

Hidrografia da Coreia do Sul

O rio Nakgong é o maior curso d’água que banha a Coreia do Sul, percorrendo 523 km de sua nascente até a sua foz no sudeste do país. Outros importantes rios sul-coreanos são o Geum e o Hangang, que correm pela porção ocidental da Coreia do Sul.

Demografia da Coreia do Sul

A Coreia do Sul tem uma população de 51.305.000 habitantes. Em função da sua área, o território coreano é densamente povoado, com uma distribuição populacional da ordem de 527,7 hab./km². No entanto, em função do relevo montanhoso, a maior parte da população vive concentrada nas regiões de terrenos menos acidentados, como no norte e no litoral do país.

Mais de 81% dos sul-coreanos vive nas cidades. A maior delas é a capital, Seul, com uma população de 9.926.400 habitantes. A segunda cidade mais populosa da Coreia do Sul, Busan, fica na costa sudeste do país e possui hoje aproximadamente 3,5 milhões de habitantes.

A taxa de crescimento da população sul-coreana é de apenas 0,24%. O valor positivo é decorrente da imigração, tendo em vista que a taxa de mortalidade (7,12 mortes por mil habitantes) já supera hoje a taxa de natalidade (6,92 por mil) no país. Destaca-se ainda que a expectativa de vida da população da Coreia do Sul é uma das maiores do mundo e chega a quase 83 anos de idade.

Paisagem urbana em Seul, a capital e a cidade mais populosa da Coreia do Sul.
Seul é a capital e a cidade mais populosa da Coreia do Sul. [1]

Economia da Coreia do Sul

A Coreia do Sul integra o grupo de países conhecidos como Tigres Asiáticos. A economia coreana pertence à primeira geração dos Tigres, que corresponde àquelas economias nacionais que apresentaram rápido desenvolvimento econômico e industrial na segunda metade do século XX. Hoje, a Coreia do Sul representa a quarta maior economia do continente asiático, com PIB de 1,73 trilhão de dólares.

A composição do PIB sul-coreano é dividida entre o setor de comércio e serviços e a indústria, com pequena participação da atividade agropecuária, responsável pela produção de itens como arroz, vegetais, carne suína e leite.

A indústria da Coreia do Sul é moderna e bastante diversificada, tendo como carros-chefe os produtos eletrônicos e de telecomunicações, a produção de automóveis e químicos. O país é, ainda, um grande exportador de componentes de circuitos integrados, carros, navios e petróleo refinado. Entre seus principais parceiros comerciais, estão: China, Estados Unidos, Hong Kong, Vietnã e Japão.

Turismo da Coreia do Sul

O turismo é uma importante atividade econômica da Coreia do Sul e já chegou a responder por 5% do PIB do país. Estima-se que o total de chegadas internacionais no país seja, atualmente, de 17,5 milhões. A boa infraestrutura turística ofertada pelo país, a diversidade cultural, monumentos, edifícios (templos, palácios) e paisagens naturais são alguns dos atrativos da Coreia do Sul.

Pontos turísticos da Coreia do Sul

O palácio Changdeoggung foi construído no século XV em Seul e é um dos principais pontos turísticos da Coreia do Sul. Ele integra um conjunto de outros palácios que recebe o nome de Complexo de Palácios de Ch’angdokkgung.

Palácio Changdeoggung, na Coreia do Sul. [2]
Palácio Changdeoggung, na Coreia do Sul. [2]

A segunda maior cidade da Coreia do Sul, Busan, é muito visitada em função da sua proximidade com o mar, formando praias como a de Haeundae.

Praia de Haeundae em Busan, na Coreia do Sul. [3]
Praia de Haeundae em Busan, na Coreia do Sul. [3]

Saiba mais: Novos Tigres Asiáticos — o novo conjunto de países asiáticos altamente industrializados

Infraestrutura da Coreia do Sul

A Coreia do Sul possui uma ampla rede de infraestrutura para atender à sua população e também aos agentes econômicos, como as indústrias. Praticamente a totalidade dos sul-coreanos tem acesso às redes de saneamento e a fontes de água potável no país, bem como à eletricidade. A matriz energética da Coreia do Sul é composta principalmente pelos combustíveis fósseis e pela energia nuclear que, juntos, respondem por 92,5% da energia elétrica gerada no país.

O país dispõe de uma densa rede de transportes, principalmente de rodovias. Ainda assim, conta com milhares de quilômetros de ferrovias e hidrovias para o transporte doméstico, além das dutovias, que realizam a movimentação de produtos como petróleo e gás natural. A Coreia do Sul tem ainda o terceiro aeroporto mais movimentado do mundo, que é o Aeroporto Internacional de Incheon, em Seul.

Governo da Coreia do Sul

A Coreia do Sul é uma república presidencialista. O presidente da república é o chefe do Poder Executivo no país, sendo eleito por meio do voto direto para um mandato de cinco anos. Atua junto dele o primeiro-ministro, que, apesar do cargo, desempenha funções semelhantes à de um vice-presidente. O primeiro-ministro sul-coreano é indicado pelo presidente da república. O Poder Legislativo é desempenhado no âmbito da Assembleia Nacional, órgão unicameral composto por 295 assentos.

Etimologia de Coreia do Sul

O nome Coreia é derivado do substantivo Goryeo, nome da dinastia que foi implantada no ano de 918 e que uniu os três reinos da península da Coreia. Na língua local, o nome da Coreia do Sul, em sua forma abreviada, é Han'guk, derivado de Taehan-min'guk, que é o nome oficial do país. Esse termo faz referência aos três reinos que constituíam a península entre os séculos I e VII.

História da Coreia do Sul

O povoamento da península da Coreia aconteceu há milhares de anos a partir de ondas migratórias derivadas das regiões da Manchúria e da Sibéria. Tratava-se de uma área dividida em povoados e, mais tarde, em diferentes reinos.

Já no primeiro século da era atual, a Coreia era então dividida nos Três Reinos, denominados Silla, Koguryo e Baekje. A divisão territorial da península assim permaneceu até o século VII, mais precisamente até o ano de 668, quando se deu a sua unificação.

A península da Coreia passou por diferentes governos monárquicos ao longo de sua história enquanto território unificado, além de ter resistido a invasões estrangeiras como as realizadas pelos mongóis durante o século XIII, com disputas que duraram pelo menos seis décadas.

Os séculos XVI e XVII foram marcados pela invasão dos japoneses e dos manchus, que não obtiveram sucesso frente à resistência local. No entanto, no século XX, o Japão conseguiu anexar a península da Coreia, e o seu domínio sobre a região durou pouco mais de três décadas.

Foi após o fim da Segunda Guerra Mundial, em um contexto de Guerra Fria, que se deu o fim do domínio japonês e o início da divisão da península da Coreia. A União Soviética, que representava o bloco socialista, ocupou o norte do território, enquanto os Estados Unidos, do bloco capitalista, ocupou a área que hoje corresponde ao território da Coreia do Sul. No ano de 1948, a República da Coreia foi fundada, declarando a sua independência dois anos mais tarde.

A declaração de independência da Coreia do Sul desencadeou a Guerra da Coreia, conflito que teve início com a invasão das tropas da Coreia do Norte sobre o território sul-coreano em uma tentativa de reunificar a península. O conflito teve duração de três anos (1950-1953) e vitimou mais de 2 milhões de pessoas.

A década de 1960 foi marcada por um golpe militar na Coreia do Sul, com a ascensão do general Park Chung-hee ao poder até o seu assassinato, ao final dos anos 1970. A partir de então, houve um recrudescimento no regime militar e confronto direto com a população, especificamente estudantes que lutavam pelo retorno à democracia. A retomada das eleições diretas e a reformulação constitucional aconteceram entre 1987 e 1988, dando início ao período que ficou conhecido como da Sexta República sul-coreana.

A história recente da Coreia do Sul é marcada pelo acirramento das tensões com a Coreia do Norte na década de 2010 e por uma crise política que se seguiu ao impeachment da então presidente Park Geun-hye, em 2017.

No ano de 2018, o líder supremo da Coreia do Norte, Kim Jong-un, tornou-se o primeiro líder norte-coreano a cruzar a fronteira para o território sul-coreano. Ele se encontrou com o então presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e eles discutiram o fim das hostilidades entre os países e a redução do uso de armamentos nucleares.

Veja também: Irã — uma das áreas povoadas mais antigas do mundo

Cultura da Coreia do Sul

Muitas das tradições e costumes observados na Coreia do Sul têm suas raízes no confucionismo. Em termos de religião, mais da metade da população sul-coreana não segue nenhuma fé específica, em contraponto àqueles que seguem o protestantismo, o budismo e o catolicismo, as três religiões predominantes no país. O coreano é a língua oficial falada por toda a população da Coreia do Sul. Além dela, o inglês é também ensinado nas escolas, em todos os níveis de ensino.

A Coreia do Sul apresenta uma ampla tradição nas artes visuais, na dança e na música que remonta ao período dos Três Reinos. Mais recentemente, no entanto — mais especificamente, a partir da década de 2010 —, as produções audiovisuais sul-coreanas começaram a ganhar mais popularidade no continente asiático, espalhando-se rapidamente pelas demais áreas do planeta, notadamente nas Américas, com destaque para filmes, séries e principalmente para a música, com a ascensão do pop sul-coreano (K-pop) internacionalmente.

Curiosidades sobre a Coreia do Sul

  • O território sul-coreano representa 45% da área da península da Coreia.

  • É o 15º maior consumidor de eletricidade per capita do mundo.

  • A Coreia do Sul sediou a Copa do Mundo de 2002.

  • No ano de 2020, o filme sul-coreano Parasita, do diretor Bong Jon-hoo, foi a primeira produção em língua não inglesa a ganhar o Oscar de melhor filme.

  • Chama-se de Idade Coreana o método de contagem de idade das pessoas em que, no nascimento, considera-se que o bebê já possua um ano de vida.

  • Além de nascer já com um ano de idade, outra forma de contagem adiciona mais um ano ao recém-nascido na virada do ano. Nota-se, no entanto, que a chamada contagem internacional, que considera a idade a partir do dia do nascimento, é também utilizada.

Créditos de imagem

[1] ESB Professional / Shutterstock

[2] raker / Shutterstock

[3] JIPEN / Shutterstock

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Coreia do Sul"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/coreia-sul.htm. Acesso em 15 de junho de 2024.

De estudante para estudante