Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Umidade do ar

A umidade do ar é a quantidade de vapor d’água em suspensão na atmosfera em um local. Ela é considerada um elemento climático.

Mulher apontando para a medição da umidade do ar em um higrômetro.
A parcela de vapor d’água em suspensão na atmosfera recebe o nome de umidade do ar.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Umidade do ar é o elemento climático correspondente à quantidade de vapor d’água presente em suspensão na atmosfera. Trata-se de um elemento climático que atua na amplitude térmica e na ocorrência de chuvas, estando diretamente relacionado a fatores como a maritimidade, as massas de ar, as correntes oceânicas e a vegetação. A umidade do ar é muito importante para a dinâmica dos climas no planeta e para o ciclo hidrológico, auxiliando na manutenção da biodiversidade e na saúde do organismo humano.

Leia também: Fatores e elementos climáticos — quais são eles?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre umidade do ar

  • Umidade do ar é a quantidade de vapor d’água em suspensão na atmosfera em um local.

  • A evaporação das águas superficiais e a transpiração são dois fatores que influenciam a umidade do ar. Ambos dependem diretamente da radiação de luz solar, do aumento das temperaturas e dos ventos.

  • A evapotranspiração é maior nas regiões de baixa latitude, onde se observa climas caracterizados pela alta umidade presente no ar.

  • Áreas em que a umidade do ar é alta experimentam menor amplitude térmica do que as áreas em que a umidade do ar é baixa. As chuvas são também mais frequentes onde há maior presença de vapor d’água na atmosfera.

  • A umidade absoluta do ar é a quantidade de vapor d’água por volume de ar em um local. Já a umidade relativa do ar é a relação entre a umidade absoluta do ar e a capacidade total do ar de reter vapor até o ponto de orvalho.

  • A umidade do ar tem impactos diretos na saúde humana. Quando muito alta, pode aumentar o desconforto térmico e desencadear a proliferação de fungos. Quando muito baixa, resseca a mucosa das vias aéreas e aumenta a irritação nos olhos, nariz e garganta, podendo agravar crises alérgicas e respiratórias.

  • A umidade do ar é importante para a manutenção dos climas, da biodiversidade e da saúde humana.

  • O Norte do Brasil concentra os maiores índices de umidade do país, em razão da presença da Floresta Amazônica.

O que é umidade do ar?

A umidade do ar é o elemento climático que corresponde à quantidade de água no estado de vapor contida na atmosfera em uma determinada localidade no momento da sua medição. Chamada também de umidade atmosférica, trata-se de uma grandeza que pode ser mensurada com o auxílio de equipamentos como o higrômetro ou o psicrômetro.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quais são os fatores que influenciam a umidade do ar?

A presença da água em seu estado gasoso na atmosfera é uma das etapas do ciclo hidrológico, que corresponde ao movimento de circulação desse recurso natural por todo o planeta Terra em seus diferentes estados físicos. Levando isso em consideração, compreende-se que os fatores que influenciam a umidade do ar são aqueles responsáveis pelos processos de evaporação e de evapotranspiração.

  • Evaporação: a água no estado líquido presente na superfície dos solos e em corpos d’água como mares, rios, lagos e represas se transforma em vapor d’água, conferindo umidade à atmosfera.

Evaporação da água do rio Yuryuzan, na Rússia.
A evaporação das águas superficiais fornece uma carga de umidade para a atmosfera.
  • Evapotranspiração: inclui a perda de água dos solos e das plantas. No segundo caso, trata-se de um processo biológico que todos os vegetais realizam chamado de transpiração, em que a planta libera água na sua forma de vapor para a atmosfera. É por essa razão que regiões com vegetação bastante densa, como a Amazônia, por exemplo, dispõem de alta umidade do ar.

 Floresta tropical de Bornéu, em Brunei, no Sudeste Asiático.
O processo biológico das plantas conhecido como transpiração influencia a umidade do ar.

Tanto a evaporação quanto a transpiração dependem diretamente da radiação solar, responsável pelo fornecimento da energia que desencadeia a mudança de estado físico da água, dos ventos, que fazem o deslocamento do vapor d’água de onde se formam para outras regiões da atmosfera e da própria umidade já presente no ar, que denota tanto a capacidade do ar de reter umidade quanto a pressão de vapor sobre a área.|1|

Existem algumas regiões do planeta Terra em que a maior disponibilidade de água e a maior incidência de radiação solar proporcionam taxa de evapotranspiração elevada e, consequentemente, fornecem maior aporte de umidade para a atmosfera. Trata-se do Hemisfério Sul, principalmente nas áreas mais próximas da linha do Equador, ou seja, de baixa latitude, onde a irradiação solar se dá de maneira quase perpendicular e com a mesma intensidade durante todo o ano.

Outros importantes fatores condicionam a maior ou menor umidade do ar, dentre os quais destacamos:

Veja também: Nuvens — os aglomerados de gotículas de água e cristais de gelo em suspensão no ar

Diferenças entre umidade absoluta do ar e umidade relativa do ar

  • Umidade absoluta do ar: é o total de vapor d’água presente em suspensão na atmosfera em uma determinada localidade. Sua medida é expressa em gramas por metro cúbico (g/m³).

  • Umidade relativa do ar: é a relação entre a umidade absoluta do ar e a quantidade máxima de água na forma de vapor que aquela parcela da atmosfera consegue reter até ela atingir seu ponto de orvalho e condensar. É expressa em porcentagem (%). A umidade relativa do ar é a grandeza atmosférica responsável por fenômenos como a sensação térmica e o conforto térmico.

Umidade do ar alta x umidade do ar baixa

A umidade está presente em diferentes quantidades na atmosfera do planeta. Devido aos fatores que estudamos anteriormente, a umidade do ar é alta nas regiões de baixa latitude que estão localizadas entre os trópicos, onde se concentram climas mais quentes e úmidos, como o tropical e o equatorial.

Nessas áreas, a umidade absoluta do ar varia de 2% a 4%, que é o maior valor possível de ser registrado. Quando a umidade do ar está alta, chegando ao seu limite máximo, dizemos que aquele ar se encontra saturado.

A umidade do ar é baixa nas regiões áridas do planeta Terra, que se distribuem pelo interior dos continentes e nas proximidades dos grandes desertos, sejam eles gelados ou quentes. Um ar com baixa saturação pode ter quase 0% de umidade absoluta, sendo, portanto, um ar seco.

Em áreas com a umidade do ar alta, a variação das temperaturas (amplitude térmica) é menor. Isso acontece em função do calor específico da água, que é maior do que o de outras substâncias ao redor e faz com que ela retenha o calor por mais tempo. Outro aspecto das áreas de umidade do ar alta é a maior ocorrência de chuvas devido à saturação do ar.

O contrário acontece em áreas de clima seco, em que a umidade do ar é baixa. Pela presença menor de vapor na atmosfera, a perda de calor nessas regiões é maior. Um exemplo que deixa essa dinâmica mais fácil de ser compreendida é a dos desertos quentes, que apresentam calor muito intenso durante o dia, e, devido à perda de calor, as noites são muito frias. Além disso, onde a umidade do ar é baixa, as chuvas são mais escassas e menos volumosas.

Efeitos da umidade do ar

A umidade do ar é um elemento climático, sendo ela um dos aspectos analisados e mensurados para a caracterização dos tipos de clima ao redor do mundo. Como vimos, quanto aos climas, seus principais efeitos são o controle da variação térmica de uma área e a incidência de precipitação.

Os efeitos da maior ou menor umidade do ar são sentidos também pelo corpo humano. A seguir, descrevemos alguns dos principais impactos que os diferentes níveis de umidade do ar pode ter na saúde humana.

  • Alta umidade do ar: quando o ar está muito saturado, tem-se a sensação de abafamento, o que diminui o conforto térmico e aumenta a sensação de calor, ocasionando piora na qualidade de vida. Nesse cenário, pode haver a proliferação de fungos, bactérias e a formação de mofo, o que se torna prejudicial principalmente para pessoas com problemas respiratórios.

  • Baixa umidade do ar: quando a umidade do ar está abaixo do considerado ideal para a saúde humana, há o ressecamento da pele, dos olhos e das mucosas nasais, o que pode causar irritações e sangramentos, a garganta tende a ficar irritada devido ao tempo seco e as crises alérgicas e respiratórias se agravam.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece que a umidade relativa ideal para o corpo humano varia de 40% a 70%, e quaisquer valores fora desse intervalo podem se tornar prejudiciais para o nosso organismo.

No caso de umidade do ar muito baixa, devemos nos atentar para a seguinte escala: 30% a 21%: estado de atenção; 20% a 12%: estado de alerta; < 12%: estado de emergência.

Saiba mais: Chuva ácida — um fenômeno atmosférico que consiste na precipitação com elevada acidez

Qual a importância da umidade do ar?

Umidificador de ar sobre a mesa de uma sala de estar.
 Em dias mais secos, o uso de umidificadores de ambientes é fundamental para a nossa saúde.

A umidade do ar é importante para a configuração dos climas presentes no mundo, para a manutenção da biodiversidade e também para a garantia do bom funcionamento do organismo humano.

Por essa razão, é fundamental seguir as recomendações médicas e dos órgãos de saúde no que diz respeito aos cuidados a serem tomados no caso de umidade do ar muito baixa ou muito elevada.

Observe a seguir recomendações nos casos de baixa umidade do ar:

  • aumentar o consumo de água;

  • evitar atividades ao ar livre em horários em que o calor está mais intenso (entre 10h e 16h);

  • evitar aglomerações e ambientes fechados por muito tempo;

  • utilizar recipientes com água, umidificadores ou vaporizadores de ambiente;

  • aplicar colírio nos olhos e soro no nariz para lubrificar essas áreas.

Observe a seguir recomendações nos casos de alta umidade do ar:

  • utilizar desumidificadores;

  • aumentar a ventilação nos ambientes.

Umidade do ar no Brasil

A umidade do ar no Brasil está distribuída de maneira desigual pelo território em razão da ampla extensão territorial, que posiciona o país em duas zonas climáticas distintas, intertropical e temperada, e da influência de outros fatores, como a maritimidade, a incidência de massas de ar e a vegetação.

O maior aporte de umidade do país fica na região Norte, área caracterizada pelo clima equatorial e pela presença da Floresta Amazônica, a maior floresta equatorial do mundo. Na região, a umidade do ar varia entre 60% e 70% durante o ano, e não há a ocorrência de uma estação seca, o que significa que as chuvas são abundantes e frequentes. Parte da grande umidade amazônica é carregada pela ação dos ventos para outras regiões do Brasil, caracterizando o fenômeno conhecido como rios voadores.

Em contrapartida, fica na região Nordeste o clima com menor umidade do país. Situadas mais precisamente no sertão nordestino, as áreas em que predomina o clima semiárido são marcadas por longos períodos de estiagem, isto é, sem chuvas, que perduram por vários meses. Anualmente, chove aproximadamente 500 mm, precipitação essa concentrada em um curto espaço de tempo. A umidade relativa anual é de, em média, 50%.|2|

Nas demais regiões registra-se a presença de estações alternadamente secas e úmidas. No interior do país, as estações com menores índices de umidade são o outono e o inverno, que registram níveis críticos de umidade relativa do ar em muitos municípios da região Centro-Oeste e da região Sudeste. Em 2022, por exemplo, cidades como Cuiabá (MT) e Goiânia (GO) registraram umidade de apenas 15% no mês de julho, entrando em estado de alerta.|3|

Notas

|1| AYOADE, J. O. Introdução à climatologia para os trópicos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996. 4 ed. 332p. Tradução de Maria Juraci Zani dos Santos.

|2| MOURA, M. S. B. de; ESPÍNOLA SOBRINHO, J.; SILVA, T. G. F. da; SOUZA, W. M. de. Aspectos meteorológicos do Semiárido brasileiro. Embrapa Semiárido, 2019. Disponível aqui.

|3| COSTA, Anna Gabriela. Massa de ar seco mantém baixa umidade em cidades do Brasil até fim da semana, diz Inmet. CNN Brasil, 26 jul. 2022. Disponível aqui.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Umidade do ar"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/umidade-ar.htm. Acesso em 20 de julho de 2024.

De estudante para estudante