Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Tunísia

A Tunísia é um país de 12 milhões de habitantes localizado na África Setentrional e banhado pelo mar Mediterrâneo. Sua história recente ficou marcada pela Primavera Árabe.

Bandeira da Tunísia.
Bandeira da Tunísia.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Tunísia, ou República da Tunísia, é um país africano localizado na região da África Setentrional. Sua capital é a cidade de Túnis. Banhado pelo mar Mediterrâneo, o país apresenta climas que variam do mediterrâneo ao árido, com relevo predominantemente plano e cobertura vegetal formada por florestas, estepes e áreas desérticas.

A população tunisiana é hoje de quase 12 milhões de habitantes, a maioria dos quais vive nas cidades. A exploração mineral e a comercialização de petróleo e gás natural constituem a base da economia da Tunísia junto do turismo, atividade essa que tem apresentado importante crescimento nos últimos anos.

Leia também: África — o terceiro maior continente do mundo

Tópicos deste artigo

Resumo sobre a Tunísia

  • A Tunísia é um país da África Setentrional. Sua capital é Túnis.

  • É banhada pelo mar Mediterrâneo e faz fronteira com Argélia e Líbia.

  • Dispõe de clima mediterrâneo ao norte e desértico ao sul, com vegetação que varia de florestas até estepes e áreas desérticas.

  • O relevo tunisiano é formado por montanhas e extensos planaltos e planícies, com destaque para a planície desértica ao sul.

  • A população da Tunísia é de 11.936.000 habitantes. A maior parcela vive nas cidades, com destaque para a capital, Túnis, e na porção norte do país.

  • A exploração e comercialização de recursos minerais e combustíveis fósseis constituem a base da economia da Tunísia.

  • O turismo é também uma importante atividade econômica do país, que apresenta diversos sítios históricos e paisagens naturais que atraem milhões de visitantes anualmente.

  • A história da Tunísia é marcada por inúmeras invasões estrangeiras e períodos de instabilidade política. Destaca-se a histórica cidade de Cartago, fundada pelos fenícios no século VIII a.C.

  • A Tunísia foi o país que desencadeou o movimento chamado de Primavera Árabe entre 2010 e 2011, caracterizado pela destituição de um governo ditatorial mediante protestos populares.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dados gerais da Tunísia

  • Nome oficial: República da Tunísia.

  • Gentílico: tunisiano.

  • Extensão territorial: 163.610 km².

  • Localização: África Setentrional.

  • Capital: Túnis.

  • Climas: mediterrâneo e desértico.

  • Governo: república semipresidencialista.

  • Divisão administrativa: 24 províncias.

  • Idiomas: árabe (oficial), francês e berbere.

  • Religião: islâmica (oficial).

  • População: 11.936.000 habitantes (ONU, 2021).

  • Densidade demográfica: 76,8 hab./km².

  • Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,731.

  • Moeda: dinar tunisiano.

  • Produto Interno Bruto (PIB): US$ 46,28 bilhões (FMI, 2022).

  • PIB per capita: US$ 3820.

  • Gini: 0,328.

  • Fuso horário: GMT +1.

  • Relações exteriores:

Mapa da Tunísia

Mapa da Tunísia

Geografia da Tunísia

A Tunísia é um país africano de 163.610 km² de extensão localizado na região da África Setentrional, com capital na cidade de Túnis. O território tunisiano é banhado ao norte e a leste pelo mar Mediterrâneo, além de estabelecer fronteiras terrestres com a Argélia e a Líbia, respectivamente a leste e a sudeste.

  • Clima da Tunísia

A localização e fatores como a maritimidade condicionam a ocorrência de dois climas principais na Tunísia. O primeiro deles é o mediterrâneo, presente no norte do país e caracterizado por verões quentes e secos e invernos amenos com alta pluviosidade. Ao sul o clima é árido (ou desértico), marcado pelo calor e baixo índice de chuvas. Nessa região há a influência ainda do siroco, sistema de ventos quentes e secos que sopram do deserto do Saara em direção ao norte da África.

  • Relevo da Tunísia

O relevo da Tunísia é formado por montanhas ao norte e parte do sudoeste do país, com um extenso planalto central e planícies desérticas ao sul, que caracterizam a porção setentrional do Saara. A elevação média dos terrenos tunisianos é de 246 metros, enquanto seu ponto mais elevado fica a 1544 metros de altitude, conhecido como Jebel ech Chambi.

 Vista a partir das ruínas da cidade antiga de Cartago, no litoral da Tunísia.
 Vista a partir das ruínas da cidade antiga de Cartago, no litoral da Tunísia.
  • Vegetação da Tunísia

A cobertura vegetal da Tunísia se transforma de norte a sul de acordo com o clima. Identifica-se a presença de florestas de sobreiros, árvore da qual se extrai a cortiça, nas áreas de maior umidade, variando para estepes e áreas desérticas a partir do centro-sul.

  • Hidrografia da Tunísia

O rio Medjerda é o único rio perene da Tunísia. Ele banha o norte do país e deságua no Mediterrâneo próximo da cidade de Cartago. A partir do centro-sul do território tunisiano, os rios são intermitentes, ou seja, temporários, em função do regime de chuvas característico do clima da região.

Leia também: Egito — outro país africano inserido em região desértica

Demografia da Tunísia

A Tunísia tem uma população de 11.936.000 habitantes, o equivalente a pouco mais de 1% da população africana. Em função da distribuição climática no país, a maior parcela dos tunisianos vive entre as regiões central e norte, que apresentam condições mais amenas. Além disso, podemos dizer que a Tunísia é um país urbanizado, com 70,2% de sua população vivendo nas áreas urbanas. Túnis, capital, é a maior cidade do país, com 2.327.800 habitantes.

A população tunisiana vinha passando por um rápido processo de crescimento até a década de 1960, quando políticas de planejamento familiar fizeram esse ritmo diminuir. A Tunísia é hoje um dos países da África Setentrional com menor taxa de crescimento: 0,69% ao ano. Atualmente, a idade mediana de sua população é de 32,7 anos, enquanto a expectativa de vida no país tem apresentado aumento gradual e chega hoje a 76,82 anos.

Economia da Tunísia

A economia da Tunísia figura entre as 20 maiores economias do continente africano, com PIB que chega hoje a 46 bilhões de dólares. A maior parte desse indicador é composta pelo setor terciário, que responde por uma fatia de quase 64%. O carro-chefe da economia tunisiana é a exploração e comercialização de produtos minerais, em especial o fosfato, e combustíveis fósseis (petróleo e gás natural). Esses produtos são destinados principalmente à exportação, tendo como compradores países europeus como a Alemanha, a Itália e a França.

A indústria tunisiana está diretamente relacionada à exploração de recursos minerais, destacando-se ainda em ramos como o têxtil, de bebidas e o agronegócio. A produção agropecuária é responsável por gêneros como pimentas, cebolas, trigo, tâmaras e leite.

Turismo na Tunísia

O turismo é uma das principais atividades econômicas desenvolvidas na Tunísia. De acordo com dados das Nações Unidas, o número de visitantes internacionais que chegam nas fronteiras do país quase dobrou entre 2015 e 2021, chegando hoje a 9,5 milhões. Esse número significou uma forte recuperação do setor, que sofreu recessão com a crise econômica de 2008 e atentados registrados no país após 2011, quando se deu a Primavera Árabe.

  • Pontos turísticos da Tunísia

O passado histórico da Tunísia, sua riqueza cultural e belezas naturais são alguns dos atrativos turísticos do país. Um dos pontos turísticos bastante procurados é a cidade de Cartago, onde estão as ruínas da antiga cidade onde viveram os fenícios.

Ruínas da antiga cidade de Cartago, na Tunísia.
Ruínas da antiga cidade de Cartago, na Tunísia.

Pequenas cidades situadas na costa mediterrânea são também destinos bastantes visitados na Tunísia, como é o caso de Sidi Bou Said.

Paisagem em Sidi Bou Said, cidade tunisiana banhada pelo mar Mediterrâneo.
Paisagem em Sidi Bou Said, cidade tunisiana banhada pelo mar Mediterrâneo.

A paisagem desértica do sul da Tunísia, formada pelas dunas do deserto do Saara, atrai visitantes em diversos pontos. Um deles é conhecido como Grande Erg Oriental, na fronteira com a Líbia e a Argélia.

Tendas no Deserto do Saara, no sul da Tunísia.
Tendas no Deserto do Saara, no sul da Tunísia.

Infraestrutura da Tunísia

A Tunísia apresenta uma rede de infraestrutura ampla que atende tanto sua população quanto o setor econômico do país. Aproximadamente 84% da população das cidades tem acesso à água potável, enquanto as redes de esgoto atendem a 88,6% da área urbana. No campo, a parcela da população com acesso a ambos os serviços é menor, baixando, respectivamente, para 68,7% e 62,9%. A eletricidade chega para todas as residências, e sua geração acontece principalmente nas termelétricas que se utilizam de combustíveis fósseis, como gás natural.

Os transportes na Tunísia são feitos, em sua maioria, pelas estradas, tendo em vista que a malha rodoviária do país soma 20 mil km de estradas pavimentadas. A malha ferroviária tunisiana é dez vezes menor, enquanto o país dispõe de mais de 5 mil km de dutos para a condução de petróleo e gás natural. O país dispõe ainda de 25 aeroportos e diversos grandes portos marítimos, de onde partem tanto passageiros quanto cargas, como os portos de Túnis e Sfax.

Governo da Tunísia

A Tunísia é uma república semipresidencialista. O presidente da república, chefe de Estado, é eleito por meio de voto direto em pleitos de dois turnos, se necessário, para exercer um mandato de cinco anos, com possibilidade de reeleição. O primeiro-ministro, que desempenha o papel de chefe de governo, é selecionado pelo partido ou coalizão majoritária, sendo nomeado pelo presidente. O Legislativo é desempenhado no âmbito da Assembleia dos Representantes do Povo, órgão unicameral composto por 217 assentos, dos quais 199 são ocupados por membros diretamente eleitos.

Etimologia de Tunísia

O nome Tunísia é derivado de Túnis, denominação da cidade que é a capital do país. A origem da palavra Túnis apresenta diversas explicações, e ao menos três delas parecem ser aceitas hoje em dia:

  • A palavra é derivada de Tynes, nome de uma antiga vila berbere descrita em registros antigos.

  • Derivada do berbere, a raiz da palavra “ens” indica um verbo que significa “passar a noite, deitar”, como se, historicamente, a cidade fosse um local de parada ou descanso.

  • O termo está relacionado à deusa fenícia e púnica chamada Tanit, a principal deidade da mitologia de Cartago.

História da Tunísia

A Tunísia abrigou uma das mais importantes cidades da Antiguidade: Cartago, localizada no litoral do país. Essa cidade foi fundada pelos fenícios que chegaram naquela região por volta do século VIII a.C. Muito antes do estabelecimento dos fenícios, no entanto, o Norte do continente africano já era habitado pelos povos berberes, que constituíram a base da civilização daquela região do continente.

Com o passar do tempo, Cartago ganhou importância estratégica e comercial no mar Mediterrâneo, o que transformou as relações amistosas com outros territórios em uma competição direta. Foi nesse contexto que se instalaram as Guerras Púnicas em três diferentes momentos entre os séculos III e II a.C., e que consistiram no conflito direto entre os romanos e os cartagineses, terminando com a vitória de Roma sobre Cartago.

O declínio do Império Romano causou o fim do seu domínio sobre o território tunisiano no século V da era comum. Esse período foi seguido pela invasão de outros povos, como os vândalos. Os árabes começaram a se instalar na Tunísia um pouco mais tarde, por volta do século VII, período em que a religião islâmica foi introduzida na região, e, a partir de então, inúmeras correntes migratórias de países árabes em direção à Tunísia foram identificadas.

A partir de 1574, o território da Tunísia foi integrado ao Império Otomano, do qual fez parte até o final do século XIX. No ano de 1881, a França invadiu a Tunísia, e, depois de confrontos diretos, o país africano foi transformado em um protetorado francês. Movimentos em prol da independência da Tunísia começaram a ganhar forças no início da década de 1950, concretizando-a em 1956. Um ano mais tarde, a Tunísia se tornou uma república.

A história recente da Tunísia ficou marcada pelo fato de o país ter sido o primeiro entre os países árabes que, mediante protestos populares que se iniciaram em 2010, derrubou o governo ditatorial do seu então presidente Zine El Abidine Ben Ali. O movimento ficou conhecido como Primavera Árabe e se estendeu para outros países do Norte da África e do Oriente Médio.

  • Videoaula sobre a Primavera Árabe

Cultura da Tunísia

A cultura da Tunísia apresenta elementos herdados das tradições dos cartagineses e dos demais povos diretamente associados à sua formação social e territorial, como os romanos, árabes e franceses. Além do árabe, outros idiomas são falados no país, como o francês e línguas berberes como o tamazight. A religião desempenha um papel muito importante na cultura e no cotidiano da população da Tunísia, que é, em sua maioria, seguidora da fé islâmica.

O calendário de celebrações do Islã é seguido no país. Além das datas religiosas, o país comemora o Dia da Independência (20 de março) e o Dia da Revolução e Juventude, que marca a data em que foi deposto o presidente Zine El Abidine Ben Ali: 14 de janeiro. Vários festivais são também realizados anualmente na Tunísia, especialmente em Cartago, que se tornou um importante centro cultural do país, dada a sua história. Dentre os pratos tradicionais da Tunísia estão o cuscus e o chakchouka, conhecido no Brasil como “ovos no purgatório”.

Curiosidades sobre a Tunísia

  • Várias cidades do país serviram de cenário para a franquia de filmes Star Wars, como Tataouine.

  • A Tunísia abriga 40.000 km² de áreas desérticas, que correspondem ao deserto do Saara.

  • O petróleo foi descoberto no sul da Tunísia no ano de 1964, na comuna de El-Borma. Esse campo é hoje um dos maiores do país e um dos principais produtores do país.

  • A cidade de Matmata, no sul da Tunísia, é conhecida pelas casas escavadas na rocha e localizadas no subsolo.

  • Depois de Meca, Medina e Jerusalém, a cidade tunisiana de Kairouan é a quarta mais importante para os seguidores da fé islâmica.

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Tunísia"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/tunisia.htm. Acesso em 01 de março de 2024.

PUBLICIDADE