Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Bandeira da Tunísia

A bandeira atual da Tunísia foi adotada na primeira metade do século XIX. A cor vermelha predominante bem como a Lua crescente e a estrela representam a religião islâmica.

Bandeira da Tunísia hasteada e céu azul ao fundo.
O vermelho e a Lua crescente ligada à estrela de cinco pontas, símbolos presentes na bandeira da Tunísia, representam a religião islâmica.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A bandeira da Tunísia é um símbolo nacional do país. Ela é formada por um retângulo de fundo vermelho sobre o qual está posicionado um círculo branco, centralizado, com uma Lua crescente e uma estrela de cinco pontas no interior, ambas na cor vermelha. Tais elementos são símbolos da religião islâmica, assim como o vermelho predominante na bandeira. Adotada ainda no século XIX, a bandeira da Tunísia não sofreu alterações na sua composição ou cor, mesmo após a dominação francesa e a independência, conquistada em 1956.

Leia também: Bandeira da Arábia Saudita — outra bandeira que remete ao islamismo

Tópicos deste artigo

Resumo sobre a bandeira da Tunísia

  • A bandeira da Tunísia é um símbolo nacional do país.

  • É formada por um fundo vermelho, no centro do qual está um círculo branco, que apresenta em seu interior uma Lua crescente e uma estrela de cinco pontas, ambas vermelhas.

  • O vermelho e os símbolos no interior da bandeira representam a religião islâmica.

  • As cores podem representar ainda o sangue dos mártires (vermelho) e a paz (branco).

  • É semelhante à bandeira do Império Otomano, o qual o país integrou entre os séculos XVI e XIX. Além disso, a estrela crescente já era utilizada em Cartago, cidade-estado da Antiguidade construída onde hoje fica a Tunísia, no norte da África.

  • A atual bandeira da Tunísia foi adotada na primeira metade do século XIX, e permaneceu inalterada, mesmo sob o domínio francês e após a independência em 1956.

Significado da bandeira da Tunísia

A bandeira da Tunísia é retangular, composta por um fundo vermelho, no centro do qual está uma esfera branca. Dentro dessa esfera, aparecem uma meia-lua e uma estrela de cinco pontas, ambas vermelhas, na mesma tonalidade da cor de fundo do pavilhão. Trata-se de uma bandeira que representa a história da Tunísia e a fé adotada e seguida pelo Estado e pela sua população.

Os cartagineses já se utilizavam de símbolos como a Lua crescente em seus estandartes. Cabe lembrar que a civilização cartaginesa se desenvolveu no norte da África por volta do século IX a.C., a partir da cidade-estado de Cartago, onde fica hoje a Tunísia. Apesar disso, a incorporação desse símbolo na atual bandeira tunisiana não está diretamente associada a esse fato.

Símbolos que representam a religião islâmica, adotada como religião oficial da Tunísia, são predominantes na bandeira tunisiana, como a cor vermelha, uma das cores do Islã, e a estrela de cinco pontas associada à Lua crescente. No caso da estrela, o número 5 representa os cinco pilares do Islã, que devem ser colocados em prática por todos aqueles que professam essa fé. Além disso, a Tunísia já fez parte do Império Otomano, cuja bandeira é semelhante à tunisiana: vermelha com a crescente e a estrela no centro, como hoje é o pavilhão da Turquia.

Pensando nas cores individualmente, outra interpretação liga o vermelho ao sangue derramado por aqueles que lutaram contra a opressão, e também remete à resistência dos tunisianos à dominação turca, enquanto o branco seria o símbolo universal da paz.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

História da bandeira da Tunísia

A bandeira nacional da Tunísia passou por uma série de transformações ao longo da história do país. Parte de diversos reinos que se formaram na região norte da África, os califados e sultanatos, o tradicional símbolo da Lua crescente e da estrela de cinco pontas foi introduzido na bandeira no século XIII, quando o pavilhão representava o Reino Haféssida, até a segunda metade do século XVI. A cor predominante, no entanto, era o amarelo.

Não obstante tenha havido mudanças significativas na governança do território tunisiano, alguns elementos da bandeira foram mantidos, como a crescente. Durante a dominação do Império Otomano na região, do ano de 1574 até 1705, a bandeira adotada possuía uma ponta oval na cor vermelha em tom fechado, com três crescentes em amarelo.

Bandeira da Tunísia Otomana, com três crescentes em amarelo.
Bandeira da Tunísia Otomana, com três crescentes em amarelo.

A atual versão da bandeira da Tunísia foi adotada na primeira metade do século XIX, mais precisamente no ano de 1835, pouco antes do país se tornar um protetorado francês. Mesmo após a conquista da independência, que aconteceu em 1956, não houve alteração na bandeira tunisiana.

Tunísia

A Tunísia é um país africano localizado na região norte do continente, com capital na cidade de Túnis. Seu território é banhado pelo mar Mediterrâneo, ao norte, além de estabelecer divisa terrestre com a Argélia e a Líbia, respectivamente a oeste e a sudeste.

Parte da Tunísia está inserida no deserto do Saara, o que condiciona ao país a ocorrência do clima desértico a partir do centro-sul e mediterrâneo, na zona costeira. A vegetação acompanha a distribuição climática no país. O relevo tunisiano, por sua vez, é composto por planaltos e planícies.

Com 11.936.000 habitantes, a Tunísia é o 30º país em população da África. A maior parte dos tunisianos vive no litoral, além disso, mais de 70% se concentram nas áreas urbanas do país. Somente na cidade de Túnis, capital nacional, vivem quase 2,5 milhões de pessoas.

 Praça Kabash na cidade de Túnis, capital da Tunísia.
 Praça Kabash na cidade de Túnis, capital da Tunísia.

A economia tunisiana fica entre as maiores do continente africano. O setor de serviços é o principal a compor o PIB tunisiano, com destaque para as atividades turísticas. Na sequência está a indústria, que se destaca pela produção petroquímica, pela mineração e pela produção de alimentos. Com boa cobertura da rede de infraestrutura e alto índice de desenvolvimento, a Tunísia se destaca como o quarto maior IDH da África, no valor de 0,731.

Leia também: Sudão do Sul — o mais jovem país do globo

Protocolos da bandeira da Tunísia

As especificações a respeito da forma, cor e das dimensões da bandeira da Tunísia foram estabelecidas pela Lei Constitucional nº 56, de 30 de junho de 1999. O protocolo de uso desse símbolo nacional dita que ele deve ser hasteado em todos os prédios oficiais do governo nacional tunisiano e também das instâncias militares. Além disso, deve-se identificar as embaixadas e residências oficiais com a bandeira. A ofensa à bandeira tunisiana ou a qualquer outra bandeira nacional é crime no país.

Nos feriados oficiais do calendário tunisiano, a bandeira também deve ser hasteada, como é o caso do Dia da Independência (20 de março) e o Dia da Revolução e da Juventude (14 de janeiro).

Curiosidades sobre a bandeira da Tunísia

  • A bandeira da Tunísia é uma das bandeiras mais antigas do mundo quando se trata de uso contínuo, junto da Dinamarca e da Áustria.

  • O design da bandeira tunisiana foi feito pelo monarca (bei) de Túnis chamado Al-Husayn II ibn Mahmud, no ano de 1831.

  • Houve um projeto de unificação entre a Líbia e a Tunísia nos anos 1970. Nesse caso, a bandeira seria formada por três faixas horizontais de mesma espessura nas cores vermelho, branco e preto, com a crescente e a estrela de cinco pontas em vermelho, no centro absoluto do pavilhão.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Bandeira da Tunísia"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/bandeira-da-tunisia.htm. Acesso em 29 de maio de 2024.

De estudante para estudante