Agronegócio

Geografia

PUBLICIDADE

O agronegócio trata-se de um setor econômico bastante importante para a sociedade mundial, pois envolve uma cadeia de produção alimentar que interliga vários setores, como a agricultura, a pecuária e a indústria, além do comércio que consome seus produtos.

Nesse setor, o emprego de tecnologia é intenso, não sendo restrito ao campo rural, estando também presente no campo industrial, com indústrias de sementes, adubos, agrotóxicos e outros insumos agrícolas.

Leia também: Evolução da agricultura e suas técnicas 

A tecnologia é algo marcante no agronegócio. Colheitadeiras na plantação de soja, em Mato Grosso.
A tecnologia é algo marcante no agronegócio. Colheitadeiras na plantação de soja, em Mato Grosso.

O que é agronegócio?

O agronegócio, também conhecido por agrobusiness, compreende as atividades econômicas ligadas à agropecuária, ao manejo de florestas para comércio e serviços (silvicultura) e ao extrativismo vegetal. Esse termo foi cunhado na década de 1950, mas popularizou-se na década de 1970, no auge da Revolução Verde.

Todas as empresas que fornecem insumos agrícolas aos agricultores, remédio ao gado e máquinas para a agricultura e os bancos que fornecem empréstimos financeiros aos grandes empresários do campo também estão relacionados com o agronegócio.

Além desses segmentos, podemos citar como integrante no agronegócio o comércio, seja varejista, seja atacadista, que lida com os produtos voltados para o meio rural. Armazenamento, logística, distribuição e até o marketing dessas atividades comerciais também estão agrupados no agronegócio. Com isso, podemos perceber que vários setores da economia estão relacionados ao agronegócio, o que mostra sua força e importância socioeconômica.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Características do agronegócio

Como características do agronegócio, podemos citar as médias e grandes propriedades rurais que conseguem alta produtividade em seus respectivos ramos de produção, tanto na agricultura quanto na pecuária. Na agricultura, é frequente a prática da monocultura, ou seja, a produção de um tipo de plantio apenas. Em muitos casos, há propriedades que praticam as duas modalidades, criando gado e plantando algum tipo de vegetal.

As médias e grandes propriedades rurais desempenham um papel importante para outra característica do agronegócio: a modernização do campo. Esta é resultado de intensas transformações científicas e tecnológicas a partir da década de 1950, com maior intensidade na década de 1970, com o surgimento dos Organismos Geneticamente Modificados (OGM), por exemplo.

Essa modernização engloba máquinas, sementes modificadas, técnicas de cultivo e criação de animais avançadas e desenvolvimento de produtos que aceleram o ciclo natural de plantio e crescimento de plantas e gados. Existem laboratórios especializados em aprimorar espécies de animais ou para cultivos, a fim de melhorar e aumentar a produção.

Esses fatores (extensão das propriedades e modernização) contribuem para elevada produtividade do solo, o que faz com que haja uma agropecuária modernizada. Tudo isso é fruto de grandes investimentos de capital, sendo esta mais uma característica marcante do agronegócio: a concentração de renda e riquezas.

Veja mais: Rotação de culturas – alternância planejada de culturas para conservar o solo

Setores do agronegócio

Devido a sua complexidade e diversas cadeias produtivas envolvidas, podemos dizer que o agronegócio abrange os três setores da economia: primário, secundário e terciário.

Agroindústrias, grandes propriedades rurais com capacidade de produção em larga escala e industrial.
Agroindústrias, grandes propriedades rurais com capacidade de produção em larga escala e industrial.

O primário está relacionado à produção rural, tanto agrícola quanto na pecuária. O segundo setor está ligado às agroindústrias, grandes fazendas que plantam e processam a matéria-prima em escala industrial, como as grandes fazendas produtoras de laranja que já produzem o suco engarrafado, pronto para ser vendido/consumido.

Daí chegamos ao terceiro setor, o de comércio. A distribuição e venda dos produtos rurais movimentam bilhões pelo mundo, tornando a atividade altamente lucrativa e sofisticada devido ao grau de complexidade dos três setores.

Ciclo do agronegócio

O ciclo do agronegócio pode ser divido em três etapas:

  • Produção rural
  • Agroindústria
  • Envolvimento do setor de comércio e logística

A complexidade do agronegócio faz com que seja uma atividade econômica que envolve, praticamente, todas as etapas da economia. Primeiro temos os médios e grandes proprietários rurais com suas variadas atividades: criação de gado, plantação de lavouras, frutos, extração vegetal, entre outros.

Em seguida, há o envolvimento das indústrias que atuam nessa área com as máquinas rurais (tratores, equipamentos de irrigação, aração, colheitadeiras) e com fertilizantes, adubos, agrotóxicos, sementes geneticamente modificadas (transgênicas) e insumos.

No fim da linha produtiva, mas não menos importante, temos as atividades comerciais, com o armazenamento, distribuição e venda dos produtos rurais para os consumidores finais, estando esses consumidores nas escalas local, regional, nacional e/ou mundial.

Vale ressaltar que, apesar de estar no ciclo do agronegócio, o setor de comércio não é agronegócio, mas sim integra uma grande cadeia produtiva.

Agronegócio no Brasil

O Brasil, com sua enorme extensão territorial (quinto maior país do mundo) e toda a grande quantidade de recursos naturais (biomas, hidrografia, solos férteis em algumas localidades), é um dos grandes protagonistas do agronegócio mundial.

Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2018, nosso país possuía o maior rebanho bovino para abate do mundo, com 213.523.056 cabeças de gado, além de mais de 245 milhões de galináceos (galinhas) e 41 milhões de suínos. Somos uma grande potência nesse assunto, alimentando um sexto de toda a população mundial, de acordo com o Ministério da Agricultura.

Gado bovino em Mato Grosso do Sul, o estado com o terceiro maior rebanho bovino do país, atrás de Minas Gerais (segundo) e Mato Grosso (primeiro). [1]
Gado bovino em Mato Grosso do Sul, o estado com o terceiro maior rebanho bovino do país, atrás de Minas Gerais (segundo) e Mato Grosso (primeiro). [1]

No entanto, não é só de pecuária que vive o agronegócio no Brasil. Estimativas do IBGE apontam para grandes recordes de safras de soja, cana e laranja nos próximos anos, cujos produtos fazem do território brasileiro liderança no ranking internacional. A projeção na produção de grãos, em 2027, é de mais de 355 milhões de toneladas, um aumento de pouco mais de 25% se comparado com a safra de 2018, que foi de 232 milhões de toneladas.

O Brasil lidera a produção mundial de soja.
O Brasil lidera a produção mundial de soja.

Os grãos que mais se destacam na produção nacional são a soja e o milho, ambos com 38 milhões e 16 milhões de toneladas produzidas em 2019, respectivamente. Grande parte dessas produções ocorre no Centro-Oeste do país, com destaque para Mato Grosso, o estado com o maior rebanho bovino do país, com mais de 30 milhões de cabeças de gado, e liderança no cultivo da soja.

Vantagens e desvantagens do agronegócio

Uma das grandes vantagens do agronegócio, associada à modernização do campo, é o aumento da produção de alimentos e produtos oriundos do campo, como óleos, vinhos, tecidos e até cigarros, com a plantação do tabaco.

Nas últimas décadas, a produção alimentícia mundial vem aumentando consideravelmente, sendo capaz, de forma eficiente, de alimentar toda a população mundial, entretanto essa produção não atinge todos os lugares.

De acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a fome mata uma pessoa a cada quatro segundos no mundo. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), 870 milhões de pessoas estão subnutridas no planeta, número assustador tendo-se em vista a grande quantidade de alimentos produzidos ultimamente.

A modernização agrícola eleva a produtividade, mas isso tem um custo ambiental muito caro. Os impactos ambientais causados pelas práticas agropecuaristas em muitas regiões são praticamente irreversíveis:

  • desmatamento e queimadas de áreas de preservação para o surgimento de lavoura e pasto;
  • contaminação do solo devido ao uso excessivo de agrotóxicos e fertilizantes, e outros.

Dentre os impactos ambientais mais perigosos no agronegócio, podemos citar a acentuação de processos erosivos e a degradação dos solos. Como o solo é um recurso renovável, ele deve ser usado de acordo com sua capacidade, o que em muitas propriedades rurais não acontece. Além disso, a retirada da cobertura vegetal para a implantação de pastagens e lavouras pode acentuar as erosões, com perdas significativas de terras agricultáveis.

Há também os impactos sociais, como:

  • desemprego e êxodo rural, pois, com o uso exagerado de máquinas, a presença de mão de obra humana diminui;
  • prováveis doenças advindas de alimentos contaminados com os agrotóxicos;
  • aumento de conflitos agrários por posse de terras;
  • aumento da concentração de renda e da desigualdade no meio rural.

Acesse também: Quais são as principais potências agrícolas?

Exercícios resolvidos

Questão 1 - (IFMT/2016)

Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), MT ofertará 51,203 milhões de toneladas de grãos, especialmente soja e milho, na temporada 2014/2015.

(Jornal A Gazeta. 01/09/2015 p3C)

O agronegócio é o setor de peso na economia brasileira, com destaque para o estado do Mato Grosso. Sobre esse setor no Brasil, é INCORRETO afirmar que 

A) envolve vários setores, como agricultura de precisão, biotecnologia com investimentos e presença de transnacionais nos ramos de produção de alimentos, maquinários e insumos para a agricultura. 

B) o processo de modernização produtiva voltada para inserção no mercado mundial de commodities agrícolas vem marcando a economia da região Centro-Oeste. 

C) entre os principais produtos do agronegócio de exportação, estão: soja, carnes, produtos florestais, café, fumo e seus derivados, couro, cereais, suco de frutas, fibras e produtos têxteis. 

D) com o avanço da biotecnologia no setor agropecuário, o planejamento, a produção, a comercialização e a exploração comercial transformam todo o setor em agronegócio. 

E) os principais destinos da produção brasileira do setor são China, União Europeia, Venezuela, Arábia Saudita, Argentina, Estados Unidos, Rússia e Japão.

Resolução

Alternativa D. Nem todas as atividades são o agronegócio, mas elas estão interligadas. A alternativa D trata como se toda a cadeia produtiva fosse agrobusiness, o que não é verdade.

Questão 2 - (UEPA/2015)

As técnicas são um conjunto de meios instrumentais e sociais, com os quais o homem realiza sua vida, produz e, ao mesmo tempo, cria espaço [...]. Acerca da dinâmica de produção e formas de apropriação do espaço agrário na lógica capitalista, é correto afirmar que:

A) no agronegócio, a policultura, o trabalho assalariado e a produção em pequena escala são algumas das principais referências, enquanto o campesinato é caracterizado pela biodiversidade, monocultura, trabalho familiar e produção em larga escala.

B) os camponeses citricultores são produtores familiares que usam predominantemente o trabalho assalariado; já os citricultores capitalistas utilizam predominantemente o trabalho dos membros da família, cujo número tem que ser maior que o de trabalhadores assalariados, exceto no período da colheita.

C) o campesinato não promove a concentração de terra, trabalho, poder; ao contrário do produtor capitalista, que, ao realizar sua produção, ultrapassa os limites de tempo e espaço, devido à necessidade dessa concentração para sua expansão.

D) a predominância do trabalho familiar no agronegócio valoriza a relação social não capitalista que determina o uso do território, já a predominância do trabalho familiar no campesinato determina a área de produção, o tempo de trabalho, a renda e a quantidade produzida.

E) o campesinato é parte do agronegócio e é o camponês que controla a tecnologia, o conhecimento, o mercado e as políticas agrícolas, haja vista que ele é autônomo em relação ao capital, mesmo quando produz por meio do sistema do agronegócio.

Resolução

Alternativa C. O pequeno produtor, conhecido também como campesinato, atua de forma antagônica ao grande produtor, pois este último, como vimos, promove grandes investimentos em médias e grandes áreas, aumentando a concentração de terras e, consequentemente, de renda.

Crédito da imagem

[1] serginhopirez / Shutterstock

 

Por Átila Matias
Professor de Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

MATIAS, Átila. "Agronegócio"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/agronegocio.htm. Acesso em 21 de outubro de 2020.