Topo
pesquisar

Império Otomano

História

O Império Otomano foi a mais poderosa organização política islâmica da história, tendo durado de 1299 a 1923.
Brasão do Império Otomano, que teve origem em 1299 e só terminou em 1923
Brasão do Império Otomano, que teve origem em 1299 e só terminou em 1923
PUBLICIDADE
  • O que foi o Império Otomano?

O Império Otomano foi um dos mais longos da história, tendo durado de 1299 a 1923. Nasceu de um sultanato muçulmano, desenvolvido na região da Anatólia, também conhecida como Ásia Menor, onde se localiza a atual Turquia. Esse império foi também um dos mais extensos, abrangendo regiões como partes do Leste e do Sul da Europa, o Norte da África, o Oriente Médio e parte do Sudeste Asiático.

  • Como se formou o Império Otomano?

O fundador do sultanato turco que deu origem ao referido império foi Osman de Segut (1280-1326), também conhecido como Osman I, ou Othman. Osman pertencia ao grupo dos seljúcidas, nômades turcos que se converteram ao islamismo e formaram um império que dominou a Ásia Central nos séculos XII e XIII. Em 1299, Osman declarou a sua jurisdição na Anatólia, então vinculada ao Império Seljúcida, independente deste. A partir desse ano estava fundado o sultanato turco-otomano (o termo “otomano” foi uma homenagem ao seu fundador).

  • Conquista de Constantinopla (1453)

Como era típico da tradição muçulmana, em sua fase de expansão, cada sultão que emergia à liderança do Império Turco-Otomano precisava demonstrar a sua autoridade, conquistando e subjugando outros povos, de modo a ampliar ainda mais as dimensões territoriais. Nesse sentido, a principal conquista empreendida pelos otomanos foi a da cidade de Constantinopla, centro do Império Bizantino, também conhecido como Império Romano do Oriente, o mais poderoso império da Idade Média. Essa conquista ocorreu em 1453, época em que Constantino XI Paleólogo governava os bizantinos. O conquistador turco responsável pela queda de Constantinopla foi Mehmet II, que transformou a cidade em centro de seu império, dando a ela o nome de Istambul, que permanece até hoje.

  • Batalha de Lepanto (1571)

Com a conquista do Império Bizantino, as pretensões de dominação dos otomanos voltavam-se cada vez mais para a Europa ocidental. Um dos pontos altos dessa fase expansionista foi a chamada Batalha de Lepanto, ocorrida na região costeira homônima, na Grécia, em 7 de outubro de 1571.

A batalha de Lepanto freou a expansão turco-otomana na Europa
A batalha de Lepanto freou a expansão turco-otomana na Europa

Essa batalha reuniu potências ocidentais ligadas ao Sacro Império Romano-Germânico e à Igreja Católica, que formaram a Liga Santa. Entre essas potências, estavam a República de Veneza, Reino da Espanha, Cavaleiros de Malta e Estados Pontifícios. O Império Otomano, à época, era governado pelo sultão Selim II, que ordenou a invasão da ilha de Chipre (que estava sob posse dos venezianos) no ano seguinte (1570). Prevendo a reação das potências católicas, o sultão ordenou ao comandante Mehmet Ali Paxá que preparasse as embarcações de guerra e se posicionasse entre a ilha de Creta e a Península do Peloponeso. O conflito ocorreu com a chegada das embarcações da Liga Santa na região de Lepanto.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A batalha durou 10 horas. Cerca de 20 mil muçulmanos foram mortos contra 9 mil do lado cristão. Essa derrota representou um freio à expansão otomana no continente europeu. Entre os participantes da batalha, estava Miguel de Cervantes, autor de Dom Quixote de La Mancha.

  • Primeira Guerra Mundial, declínio e queda do Império

Ao longo dos séculos XVIII e XIX, o Império Otomano começou a entrar em um período de estagnação. Esse período ficou marcado pela articulação militar e diplomática com alguns países ocidentais, como a França e a Alemanha, e guerras intensas e periódicas contra outros, como o Império Russo. Além disso, passou a haver revoltas internas que foram minando o império, como a revolta dos janízaros (elite militar turca) em meados dos anos 1820, que foi sufocada com o massacre promovido pelo sultão Selim III.

O advento da Primeira Guerra Mundial em 1914 acelerou a desagregação do Império Otomano, já que a guerra provocou um colapso generalizado tanto na Europa quanto no Oriente Médio. Os otomanos foram aliados dos alemães e austríacos durante a guerra contra os russos, ingleses e franceses. Com é sabido, os alemães e seus aliados foram derrotados. Com a derrota, o Império Otomano foi obrigado a assinar o Armistício de Mudros, que cedia aos vencedores, sobretudo aos ingleses e franceses, porções de seu território. Todavia, houve resistência de algumas regiões, que aproveitaram a ocasião para promover a sua independência. Foi o caso da Anatólia, que, liderada por Mustafá Kemal, entrou em guerra contra o sultão Mehmed VI.

Essa guerra estendeu-se pelos anos seguintes até que, entre 1922 e 1923, realizou-se a Conferência de Lausanne, na Suíça, que, entre outros assuntos, determinava a separação entre sultanato e califado, isto é, a separação entre a autoridade política e a autoridade religiosa. Essa decisão culminou na fuga do último sultão e califa, Mehmed VI, como deixa claro o historiador Alan Palmer:

Tão logo a notícia da fuga de Mehmed VI foi confirmada em Ankara, o ministro de Assuntos Religiosos expediu um fetva de deposição. Mehmed foi acusado de abandonar o Califado em conluio com inimigos da Turquia às vésperas da abertura da Conferência de Lausanne, quando seria revisto o acordo de paz. No dia seguinte, a Suprema Assembleia Nacional elegeu o mais velho filho vivo de Abduaziz, Abdulmecid II, para suceder ao primo como Califa. O novo líder dos fiéis era um esteta afável com cinquenta e poucos anos. [1]

O poder político na Anatólia, que se tornou a Turquia, nessa época, passou então aos militares liderados por Kemal. Abdulmecid II permaneceu como califa até 1924 – sendo o último da dinastia otomana. Chegava, assim, ao fim o poderoso e vasto Império Otomano.

NOTAS

[1] PALMER, Alan. Declínio e queda no Império Otomano. São Paulo: Globo, 2013. p. 261.


Por Me. Cláudio Fernandes

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FERNANDES, Cláudio. "Império Otomano"; Brasil Escola. Disponível em <https://brasilescola.uol.com.br/historia/imperio-turco-otomano.htm>. Acesso em 21 de janeiro de 2019.

Lista de Exercícios
Questão 1

O Império Otomano é reconhecido como o maior império muçulmano da história, tendo surgido no final do século XIII e acabado na primeira metade do século XX. Os otomanos ficaram historicamente muito conhecidos por terem realizado, no século XV, a conquista de uma importante cidade fundada pelos romanos. Estamos nos referindo a:

a) Éfeso

b) Alexandria

c) Roma

d) Cápua

e) Constantinopla

Questão 2

O Império Otomano teve participação destacada na Primeira Guerra Mundial (1914-1918) atuando como aliado dos alemães. Durante os anos desse conflito, os otomanos ficaram historicamente marcados por conduzirem um genocídio de uma minoria que habitava seu território. Esse genocídio foi realizado contra:

a) palestinos

b) armênios

c) curdos

d) drusos

e) pachtuns

Mais Questões
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola