Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Nepal

Nepal é um pequeno país localizado no sul da Ásia, entre a China e a Índia. Possui 29,6 milhões de habitantes, e sua economia tem como base o comércio e a agricultura.

Bandeira do Nepal.
Bandeira do Nepal.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Nepal, ou República Democrática Federal do Nepal, é um país da região sul da Ásia. Sua capital é a cidade de Katmandu. Sem saída para o mar, o território nepalês é constituído por grandes montanhas e planaltos, destacando-se a presença dos Himalaias e do Monte Everest, que abriga o ponto de maior altitude do planeta Terra. O Nepal é um país populoso, com mais de 29 milhões de habitantes, e densamente povoado. Sua economia se apoia no comércio internacional e na atividade agrícola.

Veja também: Afeganistão — outro país que não possui saída para o oceano

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o Nepal

  • Nepal é um país asiático localizado na região sul do continente.

  • Sua capital é a cidade de Katmandu.

  • Os climas do país variam do subtropical monçônico, no sul, até o alpino, nas áreas montanhosas do norte.

  • O relevo do Nepal é montanhoso, dispondo de algumas das maiores altitudes do mundo. Sua principal feição de relevo é a cordilheira do Himalaia, onde fica o Monte Everest.

  • Sua rede hidrográfica é alimentada pela água armazenada nas geleiras das montanhas.

  • A população do Nepal é de 29.675.000 habitantes. Desse total, somente 21,5% vive nas cidades. A maior delas é Katmandu, com 1,5 milhão de habitantes.

  • A sociedade nepalesa utiliza o sistema de castas. O último censo identificou 125 castas no país.

  • O hinduísmo é a principal religião praticada no Nepal, seguida do budismo.

  • A agricultura concentra quase 70% da mão de obra do país, sendo fundamental para a sua economia. O comércio exterior é importante para o abastecimento do mercado interno.

  • O Nepal se tornou oficialmente uma república democrática no ano de 2008.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dados gerais sobre o Nepal

  • Nome oficial: República Democrática Federal do Nepal.

  • Gentílico: nepalense/nepalês.

  • Extensão territorial: 147.181 km².

  • Localização: Sul da Ásia.

  • Capital: Katmandu.

  • Climas:

  • Governo: república federal parlamentarista.

  • Divisão administrativa: sete províncias.

  • Idioma: nepali (oficial).

  • Religiões:

    • hinduísmo: 81,3%;

    • budismo: 9%;

    • islamismo: 4,4%;

    • kiratismo: 3,1%;

    • religiões cristãs: 1,4%.

  • População: 29.675.000 habitantes (ONU, 2021).

  • Densidade demográfica: 207 hab./km².

  • Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,602.

  • Moeda: rupia nepalesa.

  • Produto Interno Bruto (PIB): US$ 36,32 bilhões (FMI, 2022).

  • PIB per capita: US$ 1200 (FMI, 2022).

  • Gini: 0,328.

  • Fuso horário: GMT +5:45.

  • Relações exteriores:

    • Organização das Nações Unidas (ONU);

    • Organização Mundial do Comércio (OMC);

    • Fundo Monetário Internacional (FMI);

    • Banco Mundial;

    • Associação Sul-Asiática para a Cooperação Regional (Saarc).

Etimologia de Nepal

Existem diversas teorias que buscam explicar a origem do nome Nepal. Uma delas faz associação da denominação ao povo neuari, que havia atribuído o seu próprio nome ao território, e Nepal seria uma de suas variações. Outra teoria indica que a palavra é composta pelos termos ne, que significa “casa” no idioma tibetano, e pal, que corresponde a “lã”, em uma clara referência à criação de ovelhas no vale de Katmandu.

Adentrando um viés religioso, uma das teorias indica que Nepal significa lugar sagrado” no dialeto lepcha, falado por um dos povos originários da região sul da Ásia. A atribuição desse nome se daria pelo fato de o país representar um importante centro de peregrinação para budistas e hindus.

Mapa do Nepal

Mapa do Nepal.

Geografia do Nepal

O Nepal é um país asiático localizado na região sul do continente, sendo a sua capital a cidade de Katmandu. Seu território se estende por 147.181 km² entre a China, próximo da região do Tibete, e a Índia, sem saída para o oceano.

→ Clima do Nepal

Os tipos climáticos identificados no território nepalês são condicionados pela latitude e principalmente pela altitude. Eles variam desde o clima subtropical monçônico até o clima alpino, tendo como intermediários os climas temperados frio e quente.

No norte, onde estão as maiores elevações do país, predominam temperaturas baixas, com elevados volumes de chuva e precipitação na forma de neve durante o inverno. As condições são mais amenas no sul, que apresenta verões quentes e invernos frios ou amenos, a depender da localidade, e chuvas muito volumosas que podem acumular até 2500 mm ao ano.

→ Relevo do Nepal

Com exceção dos terrenos ao sul, que correspondem a uma extensão da planície Indo-Gangética, o relevo do Nepal é bastante acidentado devido à presença da cordilheira do Himalaia. Assim, as montanhas e serras são as principais feições que caracterizam os terrenos nepalenses. A elevação média do país é 2565 metros.

 Vista panorâmica do Monte Everest.
 A Cordilheira do Himalaia é responsável pela definição do relevo do Nepal. O ponto mais elevado é o Monte Everest, situado na fronteira com a China.

→ Vegetação do Nepal

A vegetação que recobre o Nepal segue o padrão de distribuição climática e do relevo, de modo que florestas decíduas são encontradas ao sul e, à medida que se caminha em direção ao norte, a paisagem se transforma em florestas temperadas e tundra alpina na região montanhosa e fria.

→ Hidrografia do Nepal

Os principais rios que banham o Nepal são rios perenes cujas nascentes estão situadas nas montanhas do Himalaia, cruzando o país de norte a sul. Dentre eles, se destacam:

  • o rio Karnali, o maior curso d’água do país, com 1080 km de extensão;

  • o rio Kosi;

  • o rio Gandaki.

Demografia do Nepal

A população do Nepal é de 29.675.000 habitantes, de acordo com dados das Nações Unidas. Trata-se do 49º país mais populoso do mundo e o sexto da região do Sul da Ásia. O território nepalense, além de populoso, pode ser considerado densamente povoado, com uma densidade demográfica de 207 hab./km². O sul do país, onde se encontram as terras baixas, e a região central são as áreas de maior concentração populacional.

A maioria dos nepalenses vive na zona rural do país. As cidades abrigam uma parcela de 21,5% dos habitantes, o que corresponde a aproximadamente 6,4 milhões de pessoas. Desses, 23,8% ou 1,5 milhão de pessoas vivem na capital, Katmandu, que é a maior área urbana.

O crescimento populacional do país acontece a uma taxa de 0,78% ao ano, sendo um crescimento abaixo da média mundial. Apesar disso, a taxa de natalidade do país é três vezes maior do que a taxa de mortalidade, o que condiciona um rápido crescimento vegetativo. A população nepalense é jovem, com idade mediana de 25,3 anos. A expectativa de vida no país é hoje de 72,4 anos.

Saiba mais: Indonésia — o terceiro país mais populoso da Ásia

Economia do Nepal

O Nepal é um país subdesenvolvido, possuindo a segunda menor renda per capita do Sul da Ásia, com um quarto da população nepalense vivendo abaixo da linha da pobreza. O Produto Interno Bruto (PIB) do país é de 36,32 bilhões de dólares, com a maior parcela (59,5%) oriunda do setor terciário, que compreende as atividades de comércio e serviços.

O comércio exterior é de fundamental importância para o abastecimento do mercado interno e da indústria incipiente do Nepal, tendo em vista a sua escassez de recursos naturais e fontes de matérias-primas. As importações são oriundas da Índia e da China e compõem-se de combustíveis, materiais de construção, metais como o ferro e equipamentos de comunicação. As exportações são provenientes, em sua maioria, do setor primário e consistem em arroz, óleo de soja e óleo de palma.

A agropecuária emprega 69% da mão de obra do Nepal e responde por 27% do PIB do país. Além da criação de búfalos, gado e caprinos, que compreendem a maior parte da pecuária do país, na agricultura os cultivos desenvolvidos são os seguintes:

  • arroz;

  • cana-de-açúcar;

  • milho;

  • frutas como goiaba e manga;

  • batatas e outros.

A indústria que corresponde ao setor secundário responde por apenas 13% do PIB e se concentra no processamento de produtos agrícolas, na produção têxtil e nos ramos produtores de tabaco, juta, tijolos e cimento.

Infraestrutura do Nepal

O Nepal é um país que enfrenta periodicamente intensas tempestades, enchentes e terremotos, de modo que os fenômenos ambientais que sofre têm impacto direto na infraestrutura social. As regiões mais afetadas ficam na zona rural, onde vive a maior parcela da população nepalense e cuja rede de serviços é insuficiente para atender a todos os habitantes.

De acordo com dados da ONU, cerca de 16% da população rural tem acesso a fontes seguras de água potável, enquanto nas cidades o montante supera um quarto ou 25%. As redes de saneamento são mais amplas e atendem a metade dos moradores do campo e a 42,5% daqueles que vivem nas cidades. A energia elétrica chega a 93% da população do Nepal e é produzida principalmente pelas usinas hidrelétricas.

O modal rodoviário é utilizado em detrimento dos demais. As rodovias formam uma malha de quase 28 mil km, enquanto há somente 59 km de estradas de ferro. Dos 11 aeroportos presentes no país, o principal deles é o Aeroporto Internacional de Tribhuvan, localizado em Katmandu.

História do Nepal

A história do Nepal remonta a milhares de anos prévios à era atual, com a ocupação da região hoje conhecida como vale do Katmandu. Lá se desenvolveram os primeiros assentamentos humanos e, muitos anos mais tarde, foi onde teve início o ordenamento político-territorial nepalense.

Alguns dos primeiros governantes do Nepal foram os Gopalas e Mahishapalas, dando lugar, no século VII a.C., ao governo dos povos Kiranis, que se estendeu até pelo menos o século IV, quando a região foi incorporada ao domínio dos Licchavi, originários da Índia.

A troca de poder no Nepal aconteceu no século XIII com os Mallas, oriundos do norte da Índia. Os Mallas governaram o Nepal por cerca de 550 anos. Seu período foi marcado pelo estabelecimento e crescimento das cidades e implantação de uma série de obras grandiosas, como praças e palácios, que permanecem na paisagem urbana até o presente. No campo cultural, houve a introdução de algumas das tradições ainda hoje perpetuadas pelo povo, especialmente em relação a festivais religiosos.

O fim da era dos Mallas deu lugar a três diferentes reinos no Nepal, constituídos nas regiões de Katmandu, Patan e Bhaktapu. Além disso, principados independentes foram estabelecidos, caracterizando assim um território fragmentado constituído por diversas governanças locais. A unificação do território aconteceu com a formação do reino de Gorkha, no ano de 1769.

Transformações políticas começaram a ocorrer no século XIX, quando foi introduzida a figura do primeiro-ministro. Na década de 1950, ocorreu o advento de um sistema democrático de eleições legislativas. Pouco tempo depois, entretanto, os partidos foram extintos e houve a retomada do antigo modelo de regime, que foi novamente derrubado na década de 1990. No final do século XX, instaurou-se um sistema democrático multipartidário para a composição do Poder Legislativo, embora ainda sob uma monarquia constitucional.

No ano de 1996, teve início uma guerra civil que durou dez anos e foi marcada pela oposição dos grupos rebeldes maoístas à monarquia. Uma Constituição interina foi instituída em 2007, e no ano seguinte se formou uma Assembleia Constituinte. O Nepal foi oficialmente declarado uma república democrática em 2008, e as primeiras eleições aconteceram cinco anos mais tarde, em 2013, após a dissolução da Assembleia Constituinte, de modo que uma nova Constituição foi aprovada em 2015 e está em vigor desde então.

Cultura do Nepal

Povo hindu comemorando o primeiro dia do festival Dashain nas ruas de Kathmandu, no Nepal, em 11 de outubro de 2013.
 Primeiro dia do Dashain no Nepal, festival hindu que celebra a vitória do bem contra o mal. [1]

A cultura do Nepal foi constituída ao longo dos séculos por meio da influência de diversas etnias que compõem a sua atual população. O censo demográfico mais recente realizado no Nepal identificou um total de 125 grupos étnicos (ou castas) no país. A casta mais populosa é a Chhetri, que compreende 16,6% da nação e é a segunda mais elevada em termos de hierarquia.

O hinduísmo é a religião com o maior número de adeptos no Nepal e, além da organização social, delineia a maior parte das tradições nepalenses, como no caso dos feriados e festivais. O principal festival hindu do Nepal é chamado Dashain, celebrado entre os meses de outubro e setembro. Destaca-se ainda a presença do budismo, que é a religião seguida por 9% da população do Nepal. A história dessa religião está diretamente ligada ao país, que foi o local de nascimento do primeiro Buda, Siddhartha Gautama, em 563 a.C.

Leia também: Tailândia — outro país cujos elementos culturais são pautados no budismo

Governo do Nepal

O Nepal é uma república federal parlamentarista. O chefe de Estado e máximo representante do Poder Executivo é o presidente da república, enquanto o primeiro-ministro desempenha a função de chefe de governo. Ambos são eleitos de forma indireta, ou seja, sem votação popular.

O órgão do Poder Legislativo é o Parlamento Federal, composto pela Assembleia Nacional e pela Casa dos Representantes. Enquanto os 59 membros da primeira são eleitos indiretamente, eleições populares são realizadas para a escolha dos 275 membros da Casa dos Representantes.

Curiosidades sobre o Nepal

  • O Monte Everest fica localizado na fronteira do Nepal com a China e abriga o ponto mais elevado de todo o mundo, a 8.849 metros acima do nível do mar.

  • Considerando o Everest, o Nepal concentra oito das dez maiores montanhas do mundo. Todas elas possuem mais de oito mil metros de altitude.

  • O país abriga ainda o cânion mais profundo do planeta, chamado de Garganta do Kali Gandaki. A sua extensão vertical é de 4.375 metros.

  • A área onde hoje fica a capital, Katmandu, era um grande lago há milhares de anos.

  • O calendário nepalês é conhecido como Bikram Sambat e segue tanto ciclos solares quanto lunares. Comparando com o calendário gregoriano, que utilizamos para a passagem do tempo, o Nepal está a 57 anos à frente do atual ano ocidental. Por exemplo, o ano de 2020 corresponde a 2077 no calendário nepalense.

  • O ano novo é celebrado no mês de abril do calendário nepalense.

Crédito de imagem

[1] salajean / Shutterstock

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Nepal"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/nepal.htm. Acesso em 19 de junho de 2024.