Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Tempestade

Tempestade é um fenômeno marcado pela elevada instabilidade no tempo atmosférico. É acompanhada por fortes rajadas de vento, chuva, granizo, descargas elétricas e trovoadas.

Tempestade acompanhada de raios no sul da Flórida.
As tempestades são formadas do ar quente ascendente, que forma as grandes nuvens de tempestade chamadas de cumulonimbus.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Tempestades são fenômenos meteorológicos que têm como principal característica a instabilidade nas condições de tempo atmosférico. São causadas pela instalação de um sistema de ar ascendente, como células de baixa pressão ou barreiras orográficas, em conjunto com a elevada umidade do ar e o gradiente térmico entre o ar próximo da superfície e a atmosfera. Durante as tempestades, que podem permanecer ativas por horas ou dias, há a ocorrência de ventos intensos, chuvas, descargas elétricas e trovoadas.

As consequências de uma tempestade variam de acordo com a intensidade desse fenômeno e com a sua duração. Alagamentos, enchentes e deslizamentos de terra são alguns dos impactos das tempestades, bem como danos à infraestrutura, perdas materiais e perdas humanas nos casos de maior gravidade.

Leia também: Tornado — fenômeno atmosférico associado a uma nuvem de tempestade e a condições muito instáveis de tempo

Tópicos deste artigo

Resumo sobre tempestade

  • Tempestade é um fenômeno meteorológico caracterizado pela elevada instabilidade atmosférica.

  • Sistemas de baixa pressão, ou barreiras orográficas que impulsionam o ar para cima, alta umidade relativa do ar e gradiente térmico acentuado são as principais causas de tempestades.

  • São formadas em grandes nuvens de tempestade, conhecidas também como cumulonimbus.

  • Podem ser acompanhadas de ventos de alta velocidade, chuvas intensas e volumosas, queda de granizo, descargas elétricas, e trovoadas.

  • Sua duração é variável, estendendo-se de algumas horas a uma dezena de dias.

  • São classificadas de diversas maneiras, principalmente em tropical, subtropical, isolada e organizada.

  • Desde alagamentos, enchentes, deslizamentos de terra até perdas materiais e humanas, as consequências das tempestades dependem de sua intensidade e duração.

  • É importante não confundirmos chuva com tempestade.

  • A chuva é precipitação na forma d’água. Ela pode acontecer em uma tempestade.

  • A tempestade é instabilidade no tempo e mudança nos padrões de vento, de distribuição de umidade e de pressão. A precipitação pode ser na forma de chuva, granizo ou neve.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é tempestade?

Tempestade é a denominação de um distúrbio na atmosfera resultante da instalação de uma célula de baixa pressão capaz de causar elevada instabilidade no tempo atmosférico e suscitar eventos de grande intensidade. Assim sendo, as tempestades são marcadas por nuvens grandes e altas, rajadas e ventos muito fortes, e precipitações volumosas de duração variável. A depender das condições em que a tempestade se forma, registra-se a ocorrência de descargas elétricas, como raios e relâmpagos, além de trovoadas.

Características da tempestade

As tempestades são fenômenos atmosféricos que têm como principal característica a instabilidade das condições temporais. Elas acontecem no começo da tarde e no início da noite, quando há mudança na temperatura do ar atmosférico e formação de um contraste térmico entre a superfície aquecida e a camada de ar subjacente. Considerando a época do ano, as tempestades são mais comuns durante os meses de primavera e de verão, em especial quando há a aproximação das chamadas frentes frias.

Outro aspecto importante das tempestades são ventos muito fortes, com velocidades que podem superar os 300 km/h. Junto dessa movimentação de ar, está a precipitação, que pode ser tanto na forma de chuva quanto de neve ou de granizo. Não é incomum a ocorrência de chuva e granizo em concomitância. Cabe aqui lembrarmos que nem sempre há precipitação de água durante uma tempestade, a exemplo das tempestades de areia.

Aquelas tempestades intensas, em que se registra chuvas fortes e queda de granizo, estão associadas às nuvens altas, que se iniciam de 1,5 a 2 mil metros acima do solo, e de grande magnitude, com topo que pode chegar a 16 mil metros acima da superfície, chamadas de cumulonimbus (Cb). Essas nuvens são também denominadas nuvens de tempestade, e, além da sua grande dimensão vertical, podem recobrir áreas extensas, sendo caracterizadas por uma ampla dimensão horizontal.

Tempestade acompanhada de raios, descargas elétricas entre a nuvem e a superfície terrestre.
As tempestades podem ser acompanhadas de descargas elétricas, como os raios.

A presença de diferenças de cargas elétricas nas nuvens de tempestade provoca a ocorrência de descargas elétricas, que podem acontecer entre duas nuvens (relâmpagos), entre a nuvem e o ar circundante ou entre a nuvem e a superfície terrestre (raios). Ambos os fenômenos são acompanhados por um forte estrondo que é escutado pouco tempo após a descarga elétrica: o trovão.

As tempestades possuem duração variável, e podem se encerrar em alguns minutos ou horas ou manter-se ativas durante dias, como é o caso das tempestades tropicais e extratropicais que conhecemos como ciclones.

O que causa uma tempestade?

Uma tempestade é causada quando há o aumento da instabilidade em determinada área, o que é provocado pela instalação de um sistema de baixa pressão atmosférica. Esse sistema surge quando o ar próximo da superfície se encontra aquecido e, portanto, possui menor densidade. Assim, esse ar ascende para as camadas superiores da atmosfera. Ainda, outros dois elementos são fundamentais para o surgimento de uma tempestade:

  • elevada umidade do ar, o que significa que deve haver um teor elevado de vapor d’água em suspensão na atmosfera;

  • diferença de temperatura entre o ar próximo da superfície e a temperatura da atmosfera.

A junção desses três elementos, portanto, é o que causa as tempestades.

Formação da tempestade

Vista de nuvens de tempestade, as cumulonimbus, um dos tipos de nuvem, em um céu azulado.
As cumulonimbus, um tipo de nuvem, são conhecidas como nuvens de tempestade.

As tempestades são formadas nas nuvens de tempestade. Essas nuvens têm origem do ar quente que, em função da sua menor densidade, ascende, em um sistema de baixa pressão, para as camadas mais altas da atmosfera. Nesse percurso acontece a liberação de calor, e a umidade contida nessa camada de ar ascendente começa seu processo de condensação, dando origem às gotículas de água formadoras de nuvens.

No interior dessas nuvens, há correntes de ar que impulsionam as gotículas de água para as camadas mais altas da atmosfera, onde as temperaturas são inferiores a 0 ºC, atingindo o ponto de congelamento da água. Em determinadas áreas, as temperaturas chegam a -40 ºC. É dessa maneira que se constitui o granizo, de formas e tamanhos diversos, que pode precipitar junto da chuva em áreas de tempo altamente instável.

A presença de granizo no interior das nuvens de tempestade cria uma carga elétrica nessas pedras de gelo que é oposta àquela das partículas menores de água congelada que estão dispersas no interior dessas estruturas. As descargas elétricas são o resultado dessa diferença de cargas entre as nuvens ou regiões distintas das nuvens. Além disso, a diferença de cargas elétricas entre o ar circundante e o solo dá origem aos raios.

A formação das tempestades se dá em condição de instabilidade atmosférica. Esse estado é encontrado nas seguintes situações:

  • dias muito quentes, em que a superfície do solo se encontra aquecida além da média. O período mais propício para a formação das tempestades é no final da tarde, mas isso não significa que elas não ocorram em outras horas do dia;

  • aproximação de uma frente fria que provoca as chuvas frontais;

  • ascensão do ar quente e úmido por sobre uma barreira orográfica, como a vertente de montanhas.

Tipos de tempestade

Ciclone extratropical, um tipo de tempestade, em Phuket, na Tailândia.
Os ciclones extratropicais são um tipo de tempestade.

As tempestades são classificadas, de acordo com a sua formação e duração, em:

  • Tempestade tropical: são os ciclones que acontecem na zona tropical do planeta Terra. Essas tempestades se formam sobre as águas aquecidas dos oceanos, e apresentam vários quilômetros de extensão. As tempestades tropicais são caracterizadas por ventos fortes, que superam 120 km/h em algumas localidades, chuvas intensas e ocorrência de trovoadas e descargas elétricas. Os ciclones tropicais se deslocam do oceano para o continente, onde provocam danos severos. Seu tempo de vida é de alguns dias.

  • Tempestade extratropical: são os ciclones que acontecem nas regiões imediatamente acima ou abaixo dos trópicos do planeta Terra, na zona extratropical, onde ficam as médias e altas latitudes. As tempestades extratropicais são resultantes do encontro de uma massa de ar quente com uma massa de ar frio, e caracterizadas por ventos com velocidade superior a 100 km/h. Sua duração é inferior à das tempestades tropicais, e permanecem ativas entre 12 e 72 horas.

  • Tempestade isolada: são tempestades menores quando comparadas às anteriores, tanto em duração quanto em intensidade. As tempestades isoladas abrangem um diâmetro de até 20 km de extensão, e produzem ventos de aproximadamente 50 km/h. Sua duração depende do fato de a tempestade ser formada de uma única célula de baixa pressão ou de mais de uma, permanecendo ativa por até seis dias.|1|

  • Tempestade organizada: são várias células de tempestades que se formam muito próximas umas das outras, estendendo-se por centenas de quilômetros e com duração de até 12 horas.

Consequências da tempestade

As consequências das tempestades dependem da intensidade desse fenômeno, da sua duração e do tipo de precipitação a ele associado, como chuva, granizo ou neve. No geral, as tempestades resultam em:

  • aumento do tráfego de veículos e engarrafamentos;

  • interrupção no fornecimento de energia elétrica;

  • grandes enchentes e alagamentos;

  • deslizamentos de morros e encostas;

  • queda de árvores e de postes, o que pode causar perdas materiais para a população;

  • queda de raios que provocam incêndios e prejuízos às redes de infraestrutura, notadamente nas comunicações;

  • perda de lavouras e prejuízos à produção agropecuária e industrial;

  • perdas materiais para a população atingida;

  • morte de pessoas e animais.

Diferenças entre chuva e tempestade

  • Chuva: fenômeno meteorológico que consiste em uma das etapas do ciclo da água. Acontece quando a água presente nas nuvens retorna para o seu estado líquido após o encontro de núcleos de condensação. As gotículas de água se aglutinam até adquirirem peso maior do que a capacidade de suspensão do ar, o que resulta na precipitação em forma de chuva.

  • Tempestade: fenômeno meteorológico que consiste em grande instabilidade nas condições de tempo atmosférico causada pela instalação de uma célula de baixa pressão em determinada localidade. Pode ou não apresentar chuva ou outras formas de precipitação, como a neve e o granizo. É caracterizada, também, pelas rajadas de vento e eventuais descargas elétricas.

Acesse também: Tsunami — uma onda gigante que se forma no oceano devido a grandes perturbações nas águas

Maiores tempestades do mundo

A tempestade (ou ciclone) tropical Freddy é considerada uma das maiores do mundo em função da sua duração sem precedentes. Isso porque ela durou um mês e nove dias, tendo iniciado em 5 de fevereiro de 2023 e se dissipado apenas em 14 de março do mesmo ano. Ela se originou no oceano Índico, e passou por países das costas sul e sudeste do continente africano, como Moçambique, Malawi, Madagascar, Zimbábue e África do Sul. Grandes enchentes e deslizamentos de terra foram causados por essa severa tempestade tropical, e mais de 270 pessoas morreram.

Considerando a velocidade dos ventos, a tempestade tropical conhecida como Tufão Tip é listada como a maior e mais intensa já registrada em todo o mundo. Esse tufão se formou no oceano Pacífico, próximo da Micronésia, entre 3 e 4 de outubro de 1979, e se dissipou apenas duas semanas mais tarde. Com mais de 2 mil quilômetros de diâmetro, o Tip teve rajadas de vento entre 233-310 km/h, e provocou a morte de 99 pessoas no Japão.

Maiores tempestades do Brasil

O ciclone extratropical Catarina pode ser considerado a maior tempestade já registrada no território brasileiro. Os temporais a ele associados deixaram mais de 30 mil pessoas desabrigadas nos estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina em 2004, além de centenas de feridos e 11 mortos.

No ano de 2023, a mesma área do Brasil sofreu com tempestades e chuvas constantes e de grande intensidade que provocaram alagamentos e enchentes de grandes proporções, além do deslizamento de encostas. Estima-se que esse segundo evento deixou mais de 2 mil desabrigados e provocou a morte de outras 47 pessoas.

Também em 2023, no início do ano, o litoral do estado de São Paulo vivenciou tempestades severas que transformaram a paisagem natural de algumas cidades e resultaram em grandes perdas materiais para a população, além das perdas humanas, que chegaram a 40. Um ponto importante a ser notado, aqui, é a ocorrência, cada vez mais frequente, de fenômenos climáticos extremos, como é o caso das referidas tempestades de 2023.

Nota

|1|INPE/ELAT. Tempestades: tipos. Grupo de Eletricidade Atmosférica – ELAT/INPE, [s.d.]. Disponível em: http://www.inpe.br/webelat/homepage/menu/infor/tempestades/tipos.php.

Fontes

EVANS, Meghan. Earth's Strongest, Most Massive Storm Ever. Scientific American, 12 out. 2022. Disponível em: https://www.scientificamerican.com/article/earths-strongest-most-massive-storm-ever/.

G1. Ciclone Freddy: o que se sabe sobre tempestade que já deixou mais de 270 mortos no sudeste da África. G1, 15 mar. 2023. Disponível em: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2023/03/15/ciclone-freddy-o-que-se-sabe-sobre-tempestade-que-ja-deixou-mais-de-mortos-no-sudeste-da-africa.ghtml.

JORNAL NACIONAL. Tempestades no Brasil ficaram muito mais fortes e frequentes nos últimos dois anos. Jornal Nacional, 21 fev. 2023. Disponível em: https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2023/02/21/tempestades-no-brasil-ficaram-muito-mais-fortes-e-frequentes-nos-ultimos-dois-anos.ghtml.

INPE/ELAT. Tempestades: tipos. Grupo de Eletricidade Atmosférica – ELAT/INPE, [s.d.]. Disponível em: http://www.inpe.br/webelat/homepage/menu/infor/tempestades/tipos.php.

NOAA. Severe Weather 101 – Thunderstorms. NSSL – NOAA, [s.d.]. Disponível em: https://www.nssl.noaa.gov/education/svrwx101/thunderstorms/.

SABA, Marcelo M. F. A Física das Tempestades e dos Raios. Física na Escola, v. 2, n. 1, 2001. Disponível em: http://www1.fisica.org.br/fne/edicoes/category/36-volume-02-n-1-maio.

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Tempestade"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/fisica/tempestades.htm. Acesso em 17 de abril de 2024.

De estudante para estudante