Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Crescimento vegetativo

Crescimento vegetativo, que é a diferença entre nascimentos e mortes, é importante no estudo de fenômenos demográficos e para conhecer as condições de vida de uma população.

O crescimento vegetativo consiste na diferença entre nascimentos e mortes em uma população.
O crescimento vegetativo consiste na diferença entre nascimentos e mortes em uma população.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O crescimento vegetativo, chamado também de crescimento natural, é calculado pela diferença entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade de uma população em determinado intervalo de tempo. Quando esse indicador é positivo, significa que houve um aumento na população. O inverso acontece quando o crescimento vegetativo é negativo. No Brasil, o crescimento é positivo, mas ocorre em ritmo cada vez mais lento. Atualmente, os países subdesenvolvidos apresentam maiores taxas de crescimento vegetativo do que as nações desenvolvidas.

Leia mais: O que é subdesenvolvimento?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre crescimento vegetativo

  • Crescimento vegetativo corresponde à variação natural do número de habitantes em uma população num intervalo de tempo determinado.

  • É calculado pela diferença entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade.

  • Quando o crescimento vegetativo é positivo, significa que a população está aumentando. O contrário ocorre quando ele é negativo.

  • O crescimento vegetativo da população brasileira é positivo e segue em ritmo lento e estável até 2047, segundo projeções do IBGE.

  • No mundo, o crescimento natural é maior nos países subdesenvolvidos. Em muitos países desenvolvidos, registra-se crescimento vegetativo negativo.

O que é crescimento vegetativo?

O crescimento vegetativo de uma população descreve a variação natural no total de indivíduos em um conjunto populacional, e por essa razão é chamado também de crescimento natural. Ele é medido por meio da diferença entre o número de nascimentos e o número de mortes registrados para aquela população em um intervalo de tempo determinado.

É importante lembrar que crescimento vegetativo e crescimento absoluto não são a mesma coisa. O segundo contabiliza, além dos nascimentos e mortes, o saldo migratório, que nada mais é do que a diferença entre o número de imigrantes e o de emigrantes. Já o crescimento vegetativo não leva em consideração os movimentos migratórios para o seu cálculo.

  • Videoaula sobre demografia

Como calcular o crescimento vegetativo?

O crescimento vegetativo é calculado com base na diferença entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade de determinada população num intervalo de tempo preestabelecido.

Crescimento vegetativo (CV) = Taxa de natalidade (Tn) – Taxa de mortalidade (Tm)

  • Crescimento vegetativo positivo: quando o número de nascimentos é maior do que o número de mortes. Isso significa que o número de pessoas em uma população está aumentando.

  • Crescimento vegetativo negativo: quando o número de mortes supera o número de nascimentos em determinada população. Isso quer dizer que aquela população está diminuindo.

  • Crescimento vegetativo nulo: quando o número de nascimentos é igual ao número de mortes.

Crescimento vegetativo do Brasil

O crescimento vegetativo é o principal responsável pelo aumento da população brasileira nas últimas décadas. No entanto, a velocidade com que esse fenômeno está ocorrendo tem diminuído gradativamente na medida em que o país avança no processo de transição demográfica.

As principais transformações na população brasileira ocorreram a partir de meados do século XX, quando houve o que chamamos de explosão demográfica. A população brasileira cresceu muito e em ritmo acelerado em decorrência do aumento da natalidade, impulsionado pela elevada fecundidade, e também do decréscimo da mortalidade, caracterizando assim um crescimento vegetativo positivo. Em 1950, o Brasil crescia a uma taxa de 3% ao ano, e, na década seguinte, o crescimento se manteve elevado, na ordem de 2,9% ao ano.

A partir da década de 1970, o país passou a experimentar uma diminuição no crescimento vegetativo da população, embora esse crescimento tenha se mantido positivo e assim permanece até o presente. Fatores como a urbanização, melhorias no sistema de saúde e o ingresso da mulher no mercado de trabalho condicionaram uma redução na fecundidade e, consequentemente, no número de nascimentos. As mortes também diminuíram com o tempo, mas de forma menos acentuada que os nascimentos.

No ano 2000, o Brasil tinha 21,1 nascidos por mil habitantes e 6,9‰, resultando em uma taxa de crescimento de 1,6% ao ano. Dez anos mais tarde, os nascimentos chegaram a 15,8‰ e as mortes a 6,36‰, condicionando uma leve queda no crescimento natural da população. Em 2020, houve um aumento da mortalidade superior ao previsto em decorrência da pandemia da covid-19, ao mesmo tempo em que os nascimentos ficaram aquém do esperado. Isso resultou em um menor crescimento populacional no ano em questão.

O crescimento vegetativo no Brasil atual é positivo, lento e segue em ritmo estável. As projeções do IBGE indicam, entretanto, que, a partir de 2047, as taxas de mortalidade serão superiores às taxas de natalidade, fazendo com que a população brasileira entre em fase de encolhimento, cenário vivido hoje por muitos países desenvolvidos.

Confira no nosso podcast: Mudanças na demografia brasileira

Crescimento vegetativo do mundo

A população mundial cresce hoje em ritmos menores do que crescia há 30 anos. A desaceleração começou a ocorrer em meados dos anos 1970, o que se deu em função da queda acentuada dos nascimentos e da diminuição do número de mortes em escala global. As projeções das Nações Unidas indicam que, a partir de 2025, embora o crescimento vegetativo tenda a se manter positivo, ele deverá decrescer gradualmente devido ao aumento da mortalidade comparativamente ao da natalidade.

Quando se analisa cada continente de maneira isolada, percebe-se a grande discrepância entre o crescimento vegetativo nas regiões que concentram maior número de países subdesenvolvidos, como na África, e nas áreas mais desenvolvidas do planeta, como na América do Norte e Europa. As primeiras registram ainda um elevado crescimento natural em função das altas taxas de natalidade que seus países apresentam. Na Europa, principalmente, o cenário é o oposto. Boa parte dos países europeus experimenta hoje baixíssimas taxas de natalidade e mortalidade crescente, o que reflete na diminuição gradativa do crescimento vegetativo e no envelhecimento populacional.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Importância do crescimento vegetativo

estudos de outros fenômenos demográficos.bem comointerna desse conjunto e, com base nisso, realizar previsões sobre como ocorrerá a evolução observar o comportamento dos índices de crescimento populacional no tempo A análise do crescimento vegetativo em um conjunto populacional é importante para

Não podemos nos esquecer ainda de que o crescimento natural é calculado com base no comportamento de outros dois indicadores essenciais para o estudo das populações, que são a mortalidade e a natalidade, e que, direta e indiretamente, reflete o desenvolvimento econômico e social de um território e principalmente a situação de sua saúde pública, expressando assim as condições de vida daquela população e permitindo que planos de ação, quando necessários, e políticas públicas e governamentais sejam elaborados tomando como base essas informações.

  • Videoaula sobre o que são políticas públicas

Exercícios sobre crescimento vegetativo

1) (UEA)

A diferença destacada no gráfico entre as taxas de natalidade e de mortalidade corresponde

a) ao envelhecimento da população.

b) ao crescimento vegetativo.

c) à população relativa.

d) ao crescimento horizontal.

e) à população absoluta.

Resolução: Alternativa B. A diferença entre as taxas de natalidade e mortalidade é a forma como se calcula o crescimento vegetativo ou natural de uma população.

2) (UFPB) A população mundial tem passado por um acelerado processo de urbanização, o que acarretou mudanças significativas no crescimento vegetativo e na expectativa de vida.

Considerando a expectativa de vida e o crescimento vegetativo da população dos países subdesenvolvidos, especialmente os emergentes, é correto afirmar:

a) O êxodo rural acarretou uma maior urbanização, o que fez crescer junto às grandes cidades bairros periféricos com elevados índices de mortalidade infantil e criminalidade, culminando na diminuição da expectativa de vida e do crescimento vegetativo.

b) A taxa de fecundidade da mulher é mais elevada nas cidades, devido ao aumento da expectativa e da qualidade de vida e à proximidade de centros hospitalares, elevando o crescimento vegetativo.

c) A população rural, possui uma expectativa de vida superior à população urbana, devido a um estilo de vida em harmonia com o meio ambiente, menores índices de violência e alimentação mais saudável, elevando o crescimento vegetativo.

d) A urbanização acarretou uma melhor assistência médica, acesso aos métodos contraceptivos, medicina preventiva e saneamento básico, elevando a expectativa de vida e reduzindo o índice de crescimento vegetativo.

e) A urbanização contribuiu para o aumento da violência principalmente nas periferias das metrópoles, atingiu, em grande parte, os jovens, reduziu a expectativa de vida e anulou o crescimento vegetativo.

Resolução: Alternativa D. O novo modo de vida encontrado nas cidades aliado a melhoras significativas nos serviços de saúde e saneamento contribuíram para o aumento da longevidade e a diminuição da taxa de mortalidade, o que refletiu positivamente no crescimento vegetativo.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Crescimento vegetativo"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/crescimento-vegetativo.htm. Acesso em 19 de maio de 2024.

De estudante para estudante


Lista de exercícios


Exercício 1

O crescimento vegetativo é um importante indicador demográfico. O seu cálculo é realizado por meio da

a) diferença entre a taxa de natalidade e a de mortalidade.

b) divisão entre os indicadores de fertilidade infantil.

c) multiplicação dos dados de longevidade e de mortalidade.

d) adição entre o número de nascimentos e o de mortes.

e) subtração entre a taxa de natalidade e a de longevidade.

Exercício 2

O crescimento vegetativo se difere do crescimento absoluto. A diferença entre esses dois indicadores demográficos dá-se porque o crescimento absoluto considera a

a) densidade demográfica local.

b) taxa de alfabetização adulta.

c) expectativa de vida ao nascer.

d) movimentação de imigrantes.

e) mortalidade infantil da região.