Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Hidrografia

A hidrografia é uma área de estudo da Geografia física. Esse ramo do conhecimento geográfico se dedica ao mapeamento e à análise dos diferentes corpos hídricos da Terra.

Delta do rio do Irrawady, um dos inúmeros rios estudados pela hidrografia.
A hidrografia é o ramo da Geografia física que se dedica ao estudo e ao mapeamento dos corpos hídricos.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

A hidrografia é uma área da Geografia física que se dedica ao mapeamento e estudo dos corpos hídricos do planeta Terra, compreendendo as águas superficiais (rios, mares e lagos) e de subsuperfície (aquíferos). Trata-se de uma disciplina muito importante para o conhecimento da distribuição e o funcionamento dos sistemas hídricos em diferentes escalas territoriais, tomando como principal unidade de análise as bacias hidrográficas.

Leia também: Hidrosfera — a camada de água do planeta Terra

Tópicos deste artigo

Resumo sobre hidrografia

  • A hidrografia é uma área da Geografia física que se dedica ao estudo da água do planeta Terra, realizando o mapeamento e a caracterização das diferentes reservas de água bem como a forma como se dá a sua distribuição e o seu uso.

  • As etapas do ciclo da água bem como a sua ocorrência fazem parte dos estudos da hidrografia.

  • As bacias hidrográficas são importantes unidades de análise para a hidrografia. Elas são formadas por um rio principal e seus afluentes, com regime de drenagem próprio de cada uma das áreas correspondentes.

  • É desigual a distribuição de água pelo mundo, tanto no que diz respeito aos reservatórios de água doce e salgada quanto à sua ocorrência em cada um dos continentes e países.

  • Apenas 2,5% da água contida na hidrosfera são doces. Dessa água doce, a maior parcela se encontra retida nas geleiras e superfícies congeladas.

  • O mesmo acontece no Brasil, país que abriga 12% da água doce do mundo. A maior parcela desse recurso se encontra na região Norte, enquanto os menores volumes se concentram na região Nordeste.

  • A hidrografia brasileira é estudada com base em 12 regiões hidrográficas.

  • A bacia Amazônica é a maior bacia hidrográfica do Brasil e do mundo. Seu rio principal, o Rio Amazonas, é o mais longo do planeta.

Videoaula sobre hidrografia

O que é hidrografia?

A hidrografia é uma área do conhecimento geográfico que se dedica ao estudo da água presente no planeta Terra. Sendo parte da Geografia física, a hidrografia é responsável pelo mapeamento e caracterização dos diferentes corpos hídricos de superfície e de subsuperfície, que são: rios; lagos; mares; geleiras; oceanos; aquíferos.

Integram as análises desse ramo da ciência geográfica também o comportamento da água nos seus mais diferentes estados físicos e a forma como ela circula pelo meio ambiente e entre os seres vivos, o que corresponde ao processo que chamamos de ciclo hidrológico ou ciclo da água.

Outro objeto de estudo da hidrografia são as bacias hidrográficas, que, como veremos adiante, são importantes unidades de gestão dos recursos hídricos de determinada localidade.

Ciclo da água

Esquema simplificado do ciclo da água, um dos vários processos estudados pela hidrografia.
Esquema simplificado do ciclo da água, processo importante para a disponibilidade desse recurso aos seres vivos.

O ciclo da água é um processo fundamental para a manutenção da vida no planeta Terra. Trata-se de um dos ciclos biogeoquímicos que acontecem na natureza, marcado pelo movimento constante da água entre a atmosfera e a superfície e subsuperfície terrestres, onde circula entre os seres vivos e o meio físico (solos, rochas).

O ciclo hidrológico, como também é chamado, é caracterizado pela mudança de estado físico da água, e tem como principal fonte de energia o calor emanado do Sol. De forma resumida, entenda as diferentes etapas do ciclo da água:

  • Evapotranspiração: consiste no processo de evaporação das águas superficiais como resultado do aquecimento pela energia proveniente do Sol em conjunto com o processo de transpiração das plantas e vegetais. A água no estado gasoso é transferida, então, para a atmosfera.

  • Condensação: quando o vapor d’água atinge camadas mais elevadas e a sua temperatura é reduzida, ele retorna para o estado líquido, o que caracteriza a condensação. É nessa etapa em que acontece a formação de nuvens.

  • Precipitação: consiste no retorno da água em seu estado líquido (chuvas) ou sólido (neve ou granizo) para a superfície terrestre, recarregando assim os cursos d’água e retornando para os oceanos e mares.

  • Infiltração e escoamento superficial: ambos são processos que acontecem com a água na superfície terrestre. No primeiro deles, a infiltração, a água entra no solo ou na rocha, preenchendo os espaços vazios. Mediante a infiltração, acontece a recarga dos aquíferos, que são as reservas subterrâneas de água. No caso de rochas ou solos impermeáveis ou com baixa permeabilidade, o fenômeno que acontece é o do escoamento superficial.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é bacia hidrográfica?

Também chamada de bacia de drenagem, bacia hidrográfica é uma área drenada por um rio principal, que dá nome à bacia, e os seus afluentes e subafluentes. Essa área é delimitada pelo divisor de águas, porções mais elevadas do relevo que as separam de outras unidades de drenagem. Toda a água que entra nesse sistema por meio das chuvas, principalmente, é drenada em direção a um mesmo canal, que consiste no rio principal, cujo leito se encontra na porção mais rebaixada da bacia.

Nem sempre o rio principal de uma bacia hidrográfica deságua no oceano. Quando isso acontece, as bacias são classificadas como exorreicas. As bacias que deságuam em outros corpos hídricos no interior do continente, sem saída para o oceano, são classificadas como endorreicas. Existem ainda as bacias arreicas, cujas águas desaparecem, e as criptorreicas, direcionadas para reservas subterrâneas ou cavernas.

A região delimitada pelo divisor de águas é composta por ecossistemas próprios e também por cidades que são abastecidas, na maioria das vezes, pelos corpos hídricos que compõem a bacia de drenagem. Dessa forma, as bacias hidrográficas constituem importantes unidades de gestão hídrica de uma região.

Principais bacias hidrográficas do mundo

Algumas bacias hidrográficas se destacam pelas suas dimensões e pela importância socioeconômica que seus rios apresentam. Conheça abaixo as cinco maiores bacias hidrográficas do mundo.

  1. Bacia Amazônica: localizada na América do Sul, tem área de aproximadamente 7 milhões de km². Estende-se por seis países e um território ultramarino europeu, a Guiana Francesa, estando a sua maior área inserida no Brasil. O rio principal da bacia Amazônia é o Rio Amazonas, considerado o mais longo e caudaloso do mundo, com 6992 km de extensão.

  2. Bacia do Congo: apresenta área aproximada de 4 milhões de km², estendendo-se pela região da África Central. A bacia do Congo compreende um total de dez países africanos, como Congo, República Democrática do Congo, Gabão e Angola. Seu rio principal é o rio Congo, segundo maior do continente africano, com extensão de 4700 km.

  3. Bacia do Nilo: também localizada no continente africano, possui 3400 km² e se estende pelas regiões da África Setentrional e África Oriental. Abrange países como Egito, Chade, Etiopia, Uganda e Burundi, totalizando 13 territórios. O rio principal dessa bacia é o rio Nilo, segundo mais longo do mundo, com extensão de 6650 km.

Vista superior do rio Nilo, o segundo maior rio do mundo, muito estudado pela hidrografia.
O rio Nilo é o segundo maior do mundo e o mais longo do continente africano.
  1. Bacia do Mississippi: localizada na América do Norte, é a maior bacia hidrográfica dos Estados Unidos. Sua área é de aproximadamente 3000 km² e tem como rio principal o rio Mississippi, o segundo mais longo a banhar o território estadunidense, com 3766 km de extensão e percorrendo o país, de norte a sul, a partir do estado de Minnesota até a Louisiana.

  2. Bacia Platina: localizada na porção sul da América do Sul, tem área aproximada de 3000 km² e abrange os territórios brasileiro, argentino, boliviano, uruguaio e paraguaio. Seu rio principal é o rio Paraná, com 4500 km de extensão. Outros importantes rios sul-americanos compõem essa bacia, como é o caso do rio Paraguai e do rio Uruguai.

Hidrografia do mundo

A Terra é formada por 1,4 bilhão de km³ de água, o que equivale a 70% da superfície do nosso planeta. Esse volume total de água não se alterou desde a sua formação, há bilhões de anos.

Embora seja um volume muito grande de água, nem todo ele se encontra disponível para o consumo humano. Isso acontece porque a distribuição de água pelos diferentes reservatórios se dá de maneira desigual, e somente 2,5% desse montante correspondem à água doce, e os demais 97,5% são formados por reservatórios de água salgada.

Considerando os reservatórios de água doce, as geleiras armazenam 68% de todo o volume disponível no mundo. Aproximadamente 30% ficam em subsuperfície, como nos aquíferos, e somente 0,3% da água doce presente no planeta Terra está armazenado em reservatórios de superfície como rios, lagos e pântanos.

Um aspecto importante da hidrografia mundial que cabe ser destacado é o fato de que a água potável não está distribuída de forma homogênea entre os continentes e países. As Américas concentram a maior parcela da água potável do mundo, que corresponde a 45% do total, ao passo que é na África em que se encontra a menor fatia de toda a água doce do planeta, de apenas 9%.

Destaca-se, ainda, que os países desenvolvidos destinam quase 60% de suas águas para o uso industrial, enquanto nos países subdesenvolvidos e nos países emergentes é o setor agrícola que utiliza a maior parcela desse recurso: aproximadamente 80%.|1|

Veja também: Países que menos possuem água potável

Hidrografia do Brasil

Mapa das bacias hidrográficas brasileiras.
Mapa representando as bacias hidrográficas que compõem a hidrografia do Brasil.

O Brasil abriga 12% de toda a água potável disponível do mundo e pouco mais de metade das reservas da América do Sul, de acordo com dados do MapBiomas. Assim como acontece no mundo, a água se encontra distribuída de maneira desigual pelo território brasileiro, havendo maior concentração nos estados da região Norte do país e volume menor nos estados que compõem a região Nordeste.

Caracterizada pela predominância dos rios em detrimento de lagos e outros reservatórios superficiais, a hidrografia brasileira pode ser analisada e compreendida com base nas 12 diferentes regiões hidrográficas em que o território nacional se divide e que estão listadas abaixo.

  • bacia Amazônica;

  • bacia do Tocantins-Araguaia;

  • bacia do São Francisco;

  • bacia do Parnaíba;

  • bacia do Paraná;

  • bacia do Uruguai;

  • bacia do Paraguai;

  • bacia do Atlântico Nordeste Ocidental;

  • bacia do Atlântico Nordeste Oriental;

  • bacia do Atlântico Leste;

  • bacia do Atlântico Sudeste;

  • bacia do Atlântico Sul.

Videoaula sobre hidrografia do Brasil

Importância da hidrografia

A hidrografia é uma área do conhecimento importante para que se tenha o pleno conhecimento da ocorrência e distribuição das águas em determinado território, bem como da maneira como esses diferentes corpos hídricos se comportam e interagem entre si. Com isso é possível elaborar estudos multi e interdisciplinares que serão importantes para diversas outras ciências e, ainda, para a execução de projetos de engenharia e infraestrutura.

A hidrografia é igualmente importante para a elaboração de políticas e estratégias de gestão de bacias hidrográficas e dos recursos hídricos em um município, região, estado e até mesmo em um país.

Exercícios resolvidos sobre hidrografia

Questão 1

(UEA) Bacias hidrográficas são porções delimitadas por divisores de águas, que abrigam um rio principal e seus afluentes. Sobre as bacias hidrográficas brasileiras, é correto afirmar que

A) a Bacia do São Francisco apresenta regime equatorial perene, terrenos elevados e muitos rios contaminados por mercúrio.

B) a Bacia Amazônica apresenta relevo predominantemente plano, rios meândricos e elevado índice pluviométrico.

C) a Bacia Platina apresenta baixa precipitação, regime fluvial intermitente no alto e médio cursos e equatorial próximo à foz.

D) a Bacia do Tocantins apresenta elevada pluviosidade, baixa densidade de vegetação e clima semiárido em sua margem direita.

E) a Bacia do Parnaíba apresenta planaltos acidentados, bom aproveitamento hidrelétrico e interligação a outras bacias.

Resolução:

Alternativa B

O principal rio da bacia Amazônica, o Rio Amazonas, embora tenha nascente situada na cordilheira dos Andes, percorre terrenos predominantemente planos, que favorecem a formação de meandros. Essa característica se estende aos demais cursos d’água da bacia. Destaca-se ainda a ocorrência frequente de chuvas, tendo em vista a sua localização em uma área de clima equatorial.

Questão 2

(Enem)

Os antigos filósofos, observando o grande volume de água de rios como o Nilo, Reno e outros, imaginavam que as chuvas eram insuficientes para alimentar tão consideráveis massas de água. Foi no século XVIII que Pierre Pernault mediu a quantidade de chuva durante três anos na cabeceira do rio Sena. Também mediu o volume de água do referido rio e chegou à conclusão de que apenas a sexta parte se escoava e o restante era evaporado.

LEINZ, V. Geologia geral. São Paulo: Editora Nacional, 1989 (adaptado).

A investigação feita por Pierre Pernault contribuiu diretamente para a explicação científica sobre

A) intemperismo químico.

B) rede de drenagem.

C) degelo de altitude.

D) erosão pluvial.

E) ciclo hidrológico.

Resolução:

Alternativa E

A investigação de Pierre Pernault contribuiu para a compreensão do funcionamento do ciclo hidrológico, ou ciclo da água, que procura sistematizar o processo de circulação desse recurso no meio ambiente e na atmosfera, incluindo suas diferentes etapas, como a evaporação, a recarga de rios e o escoamento superficial.

Nota

|1| HIRATA, Ricardo; VIVIANI-LIMA, Juliana Baitz; HIRATA, Haroldo. A água como recurso. TEIXEIRA, Wilson.; FAIRCHILD, Thomas Rich.; TOLEDO, Maria Cristina Motta de; TAIOLI, Fabio. (Orgs.) Decifrando a Terra. São Paulo, SP: Companhia Editora Nacional, 2009. 2ª ed. p. 448-485.

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Hidrografia"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/hidrografia.htm. Acesso em 03 de março de 2024.

Lista de exercícios


Exercício 1

A figura abaixo representa um importante processo natural:

Ilustração representando o ciclo da água, um dos aspectos da hidrografia.

Observando as etapas ilustradas na figura, é possível identificar o processo como sendo

A) o ciclo das rochas.

B) o ciclo das chuvas.

C) o ciclo da água.

D) o ciclo dos biomas.

Exercício 2

Considerando as etapas do ciclo hidrológico, o processo de evaporação das águas superficiais, como resultado do aquecimento pela energia proveniente do Sol em conjunto com o processo de transpiração das plantas e vegetais, é chamado de:

A) evapotranspiração

B) condensação

C) precipitação

D) infiltração

E) escoamento superficial

PUBLICIDADE