Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Angola

A Angola é um país da região da África Central. É um território populoso, onde vivem quase 34 milhões de pessoas. Possui o petróleo como base de sua economia.

Bandeira da Angola.
Bandeira da Angola.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Angola ou República de Angola é um país africano localizado na região central do continente. Sua capital é a cidade portuária de Luanda. Banhado pelo oceano Atlântico, o território angolano apresenta clima tropical e relevo planáltico. A população do país é de quase 34 milhões de habitantes, dos quais 68% vivem nas áreas urbanas. A Angola é rica em recursos naturais como o petróleo, que constitui o pilar da economia nacional. Apesar disso, enfrenta uma série de problemas socioeconômicos e estruturais que se agravaram com a guerra civil, que durou de 1975 a 2002.

Confira nosso podcast: A geopolítica do petróleo

Tópicos deste artigo

Resumo sobre Angola

  • Angola é um país africano localizado na região central do continente.

  • Sua capital é a cidade de Luanda.

  • É banhado a leste pelo oceano Atlântico.

  • Dispõe de clima tropical e relevo formado predominantemente por planaltos, com uma estreita planície litorânea.

  • Sua população atual é de 33.934.000 habitantes.

  • Apesar de populoso, apresenta baixa densidade demográfica.

  • Uma parcela de 68% da sua população vive nas áreas urbanizadas. Luanda, a capital, é a maior cidade da Angola, com 8 milhões de habitantes.

  • Membro da Opep, a Angola é muito dependente da exploração e comercialização petrolífera.

  • Um total de 85% da mão de obra angolana está alocada no campo.

  • Após a sua independência de Portugal, conquistada em 1975, imergiu em uma longa guerra civil que foi finalizada somente em 2002.

  • O país enfrenta problemas estruturais que foram agravados com a guerra civil.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dados gerais sobre a Angola

  • Nome oficial: República de Angola.

  • Gentílico: angolano.

  • Extensão territorial: 1.246.700 km².

  • Localização: África Central.

  • Capital: Luanda.

  • Climas:

  • Governo: república presidencialista.

  • Divisão administrativa: 18 províncias.

  • Idioma: português.

  • Religiões:

    • católica romana: 41,1%;

    • protestante: 38,1%;

    • outras: 8,6%;

    • nenhuma: 12,3%.

  • População: 33.934.000 habitantes (ONU, 2021).

  • Densidade demográfica: 27,2 hab./km².

  • Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,581.

  • Moeda: kwanza.

  • Produto Interno Bruto (PIB): US$ 74,95 bilhões (FMI, 2022).

  • PIB per capita: US$ 2280 (FMI, 2022).

  • Gini: 0,513.

  • Fuso horário: GMT +1.

  • Relações exteriores:

    • União Africana;

    • Organização das Nações Unidas (ONU);

    • Banco Mundial;

    • Fundo Monetário Internacional (FMI);

    • Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep);

    • Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Etimologia de Angola

A palavra Angola é derivada do termo “ngola”, originário do quimbundo, que é um dos idiomas falados pelo povo banto. “Ngola” era o título dado ao governante do reino de Ndongo, que se estendia pela região norte do atual território angolano previamente à colonização portuguesa. A área era chamada pelos colonizadores de Terras de Ngola, o que era flexionado para Terras d’Angola, de onde surgiu a atual denominação.

Mapa da Angola

Mapa da Angola.

Geografia da Angola

A Angola é um país localizado na região da África Central, situado no litoral oeste do continente. Sua capital é a cidade de Luanda. O território angolano possui área de 1.246.700 km², sendo assim o 7º maior país em extensão da África.

A oeste, é banhado pelo oceano Atlântico, fazendo divisa com as seguintes nações:

Divide-se em 18 províncias, sendo uma delas Cambinda, que constitui um enclave situado na costa, na fronteira do Congo com a República Democrática do Congo.

→ Clima da Angola

O clima tropical é predominante na Angola. Há, entretanto, uma diferença significativa entre as condições climáticas ao norte e ao sul, região essa próxima ao deserto da Namíbia, e também ao longo da costa, que dispõe de clima semiárido.

Em geral, os verões são quentes e chuvosos, enquanto os invernos são mais frescos e secos. A temperatura anual média varia entre 19 °C e 26 °C, a depender da localidade, enquanto o volume acumulado de chuvas é de 1800 mm nas áreas mais setentrionais e de 300 mm ao sul e no litoral, especialmente na faixa que se estende do sul até a capital.

→ Relevo da Angola

O relevo da Angola é formado por uma estreita planície costeira que se eleva a leste para uma sequência de escarpas, as quais representam a borda ocidental de uma extensa área formada por planaltos que caracteriza os terrenos do interior. A elevação média do relevo angolano é de 1112 metros.

→ Vegetação da Angola

As savanas constituem a maior parcela da cobertura vegetal da Angola. Ao norte, especialmente na província de Cambinda, observa-se a ocorrência de florestas tropicais, enquanto no outro extremo uma pequena parcela do deserto da Namíbia se estende até o sudoeste do território angolano.

 Paisagem natural angolana composta pelas Quedas de Calandula.
 Paisagem natural angolana composta pelas Quedas de Calandula.

→ Hidrografia da Angola

O rio Cuanza é o maior curso d’água exclusivamente angolano e um dos principais em termos de abastecimento. Ele percorre 960 km desde a sua nascente, na região central do país, até a foz, localizada em Luanda.

Outros importantes rios que banham o território da Angola são:

  • Cunene;

  • Okavango;

  • Zambezi.

Demografia da Angola

A população da Angola é de 33.934.000 habitantes, de acordo com as Nações Unidas, a 12ª maior população do continente africano. Embora seja um território populoso, a Angola não é densamente povoada, visto que a distribuição populacional é da ordem de 27,2 hab./km². O oeste do país é a região que concentra o maior número de habitantes, especialmente nas áreas urbanizadas. Ao todo, 68,1% da população angolana vive nas cidades.

Vista da Baía de Luanda, na Angola, na África.
 Luanda, a capital da Angola e a maior cidade do país.

Luanda, capital angolana, é a maior e principal cidade do país. Nela vivem 8.044.700 pessoas, de modo que Luanda é a quarta cidade mais populosa da África e a 40ª do mundo. N’dalatando, situada 215 km a leste de Luanda, é a segunda cidade mais populosa do país, contando com uma população de 383 mil habitantes.

A Angola apresenta a segunda maior taxa de natalidade do mundo, que é atualmente de 41,8 nascimentos por mil habitantes, enquanto a sua taxa de mortalidade é cinco vezes menor, o que proporciona um rápido crescimento populacional de 3,36% ao ano. Com uma elevada fertilidade, essa tendência deve se manter nos próximos anos. A população angolana é ainda uma das populações mais jovens do mundo, apresentando idade mediana de 16 anos. A expectativa de vida no país, em contrapartida, é baixa: 62,1 anos.

Leia também: Nigéria — o país mais populoso da África

Economia da Angola

A economia angolana é a nona maior da África, com um PIB de quase 75 bilhões de dólares, embora esse valor não reflita as condições socioeconômicas do país, que é considerado uma nação emergente e possui 32,3% de sua população vivendo abaixo da linha da pobreza. O PIB per capita nacional é baixo — de 2280 dólares, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI). A longa guerra civil angolana, ao lado de fatores estruturais históricos, contribuíram para a fragilização da economia interna.

Membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), a economia da Angola é altamente dependente da exploração e comercialização do petróleo. Essas atividades contribuem com quase metade do PIB do país e representam 90% das exportações angolanas. Os principais destinos são a China, Índia, Emirados Árabes Unidos, Portugal e Espanha. Além do petróleo, outras riquezas naturais são importantes para o comércio exterior do país, como os diamantes.

A indústria é o setor preponderante da economia angolana, com destaque para a mineração, as indústrias petroquímica, têxtil, de reparo de navios, do tabaco e o processamento de alimentos. A produção agropecuária, em contrapartida, é de extrema importância para o país, pois, além de fornecer alimentos para a população, concentra 85% de toda a mão de obra da Angola. Entre os principais cultivos desenvolvidos no país estão:

  • cana-de-açúcar;

  • mandioca;

  • abacaxi;

  • batata-doce;

  • milho;

  • frutas cítricas.

História da Angola

No que corresponde ao atual território angolano, a ocupação teve início ainda no período pré-histórico, mas os assentamentos humanos de maior dimensão se instalaram somente com a chegada dos povos bochimanes, considerados os aborígenes da Angola e que hoje constituem uma parcela muito pequena da população do país.

Por volta do ano de 1000 a.C., grandes conjuntos populacionais já se espalhavam pelo território angolano e foram se desenvolvendo no decorrer dos séculos. Dentre os principais povos que se deslocaram até a região da Angola nesse período estão os bantos (ou bantus). Além disso, importantes organizações territoriais se consolidaram entre os séculos XIV e XV, como os grandes reinos de Congo e de Ngolo, situados respectivamente ao norte e no centro da Angola.

Esse foi o mesmo período em que os colonizadores portugueses aportaram no continente. Os europeus se deslocaram em direção ao reino do Congo no ano de 1483, firmando então uma relação com esse território.

A transformação de parte da Angola em colônia portuguesa aconteceu de fato no ano de 1575, iniciada com Luanda. O domínio territorial português na região se expandiu com o tempo, o que resultou em uma série de conflitos nos dois principais reinos anteriormente citados.

Nos períodos subsequentes, muitas pessoas foram retiradas à força do país na condição de escravizadas, sendo enviadas para as colônias portuguesas nas Américas. Uma das principais áreas portuárias de onde partiam era Cambinda, hoje província angolana.

A proibição do tráfico negreiro em 1850 no Brasil, um dos principais destinos das pessoas escravizadas, junto do reordenamento interno da estrutura econômica de produção e importação, provocou mudanças significativas na Angola orientadas por Portugal.

Portugal deixou de ser uma monarquia em 1910, e nesse mesmo período teve início a exploração de diamantes no território angolano, que se transformou em uma província portuguesa. Em meados do século XX, movimentos nacionalistas surgiram na Angola em defesa de um território soberano. A Angola se tornou independente de Portugal no ano de 1975, e, tão logo isso ocorreu, uma guerra civil foi deflagrada no país.

A guerra civil angolana perdurou até o ano de 2002 e teve como causa a desintegração do governo provisório e de transição formado pela Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA), pelo Movimento Popular para a Libertação de Angola (MPLA) e pela União Nacional para a Independência Total de Angola (Unita) e chegada ao poder do MPLA com o auxílio direto da União Soviética, em pleno período de Guerra Fria. Isso gerou a reação de outros países, sobretudo dos Estados Unidos, o que ocasionou períodos de intensificação e recuo nos conflitos.

Ao final, 500 mil pessoas foram mortas e mais de um milhão deixaram a Angola na condição de refugiados. Até o presente os efeitos são sentidos na economia do país.

Saiba mais: Escravidão na África — uma prática comum no continente desde o período do Egito Antigo

Cultura da Angola

A Angola apresenta uma grande riqueza cultural derivada das diversas etnias que compõem a sua população. Cada uma delas possui um conjunto de costumes e tradições próprio que contribui para a formação do quadro nacional. O país reúne a segunda maior população falante de português do mundo, atrás apenas do Brasil, mas diversas outras línguas são faladas no território angolano, como kimbundu, umbundu, fiote, nhanheca, kikongu, tchokwe e kwanyama.

Além das celebrações tradicionais de cada uma das etnias do país, existem algumas festas realizadas anualmente que envolvem toda a nação e atraem pessoas de todos os lugares, como o Carnaval, destacando-se o realizado em Luanda, e a Festa da Nossa Senhora da Muxima em Kissama, onde se localiza o seu santuário.

O artesanato é um elemento típico da cultura angolana, assim como os mais diversos estilos musicais e de dança, antigos e recentes, que expressam a pluralidade cultural do país, sendo alguns deles: semba, rebita, cabetula, kuduro, zouk e kizomba.

A culinária angolana utiliza ingredientes tropicais e típicos da região, recebendo ainda um pouco da influência portuguesa. O funge é um dos pratos tradicionais da Angola, comparado muitas vezes a um pirão, e é feito à base de mandioca ou milho, variando regionalmente. Dentre seus acompanhamentos está o calulu, à base de carne vermelha ou peixe, e outros ingredientes.

Infraestrutura da Angola

A Angola é um país com nível de desenvolvimento considerado médio e enfrenta atualmente problemas infraestruturais decorrentes de processos históricos e da guerra civil que ocorreu por quase três décadas. Um exemplo é o da infraestrutura social (ou urbana), que não atende a toda a população angolana.

Nas cidades, 81,3% dos habitantes possuem acesso a redes seguras de água potável, enquanto no campo esse percentual cai para 36,5%. As instalações apropriadas para o saneamento básico são uma realidade para 93,7% dos moradores das cidades. No meio rural, elas atendem somente a 30,3% dos indivíduos. A energia elétrica chega a menos da metade da população total (43%), considerando uma abrangência de 61% nas áreas urbanas e apenas 6% no campo. As hidrelétricas são as principais geradoras de eletricidade no país.

Além disso, as rodovias são as principais vias de deslocamento pelo território angolano, seguidas das ferrovias e hidrovias. O país apresenta um grande número de dutos e oleodutos, responsáveis pelo transporte de petróleo e outras matérias-primas comercializadas com outros países. Fica na capital uma das principais áreas portuárias da Angola, com destaque para o Porto de Luanda.

Governo da Angola

A Angola é uma república presidencialista. Isso significa que o presidente da república desempenha as funções de chefe de Estado e também de chefe de governo. Desde 2010, as eleições no país são partidárias, e o chefe do partido vencedor é quem ocupa a cadeira presidencial. O Poder Legislativo da Angola é desempenhado no âmbito da Assembleia Nacional, um órgão unicameral formado por 220 assentos.

Curiosidades sobre Angola

  • O Morro do Moco é o ponto mais alto da Angola, situado a 2620 metros acima do nível do mar.

  • O país é rico em recursos naturais além do petróleo, como diamante, minério de ferro, cobre e bauxita.

  • O código de endereçamento postal (CEP) foi implementado recentemente na Angola. Até então, as entregas eram feitas com base em referências.

  • Luanda já esteve listada como uma das cidades mais caras de se viver no mundo.

  • As Quedas de Calandula, na província angolana de Malanje, formam a segunda maior queda d’água da África, com 400 metros de largura e 105 de altura.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Angola"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/angola.htm. Acesso em 30 de junho de 2022.

PUBLICIDADE

Estude agora


Mistura de soluções de solutos diferentes que reagem entre si

Os casos mais comuns de mistura de soluções de solutos diferentes que reagem entre si ocorrem quando juntamos...

Tempos verbais

Pretérito, presente ou futuro são tempos verbais que exprimem uma variação que indica o momento em que se dá o...