Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Gêneros textuais

Redação

Gêneros textuais estão relacionados às diversas formas de comunicação. Eles são usados em nossas práticas sociais diárias e possuem estruturas e objetivos específicos.
Existe uma diversidade de gêneros textuais.
Existe uma diversidade de gêneros textuais.
PUBLICIDADE

Gêneros textuais diversos são utilizados em nossas práticas sociais diárias. Cada gênero textual possui uma estrutura e uma função comunicativa específicas. Assim, textos são classificados de acordo com suas características genéricas, de forma que temos um grande número de gêneros textuais, tais como o anúncio publicitário, a crônica, o artigo de opinião, a propaganda, entre outros.

Além disso, os gêneros textuais são compostos pelos seguintes tipos textuais:

  • argumentação

  • descrição

  • exposição

  • injunção

  • narração

E se diferem dos gêneros literários (dramático, lírico e narrativo), relacionados exclusivamente aos textos artísticos. Dessa forma, qualquer texto pode ser classificado de acordo com seu gênero e tipo textual, mas apenas os textos artísticos podem, também, ser classificados segundo o seu gênero literário.

Leia também: O que é textualidade?

Resumo sobre gêneros textuais

  • Os gêneros textuais são responsáveis pelas diversas formas de comunicação em nossas práticas sociais.

  • Há uma grande quantidade de gêneros textuais, diferentemente dos tipos textuais e dos gêneros literários, que possuem número limitado.

  • Os tipos textuais são: argumentativo, descritivo, expositivo, injuntivo e narrativo.

  • Os gêneros literários são: dramático, lírico e narrativo.

  • O conteúdo, a composição, o estilo e a função comunicativa são elementos dos gêneros textuais.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Videoaula sobre gêneros textuais

O que são gêneros textuais?

Para a comunicação, utilizamos diversos textos verbais e não verbais. Cada um deles apresenta características próprias e, principalmente, uma função comunicativa. Assim, os textos podem ser separados em gêneros, de forma que cada gênero de texto apresenta uma estrutura e um objetivo específico.

Portanto, para nos comunicarmos de forma eficiente, em nossas práticas sociais, precisamos conhecer as características de cada gênero de texto. Dessa forma, podemos interagir com outras pessoas por meio de cartas, bilhetes, notícias etc., pois há uma grande quantidade de gêneros textuais.

Leia também: Linguagem verbal e linguagem não verbal

Classificação dos gêneros textuais

Devido ao fato de que há um número muito grande de gêneros textuais, vamos apontar só aqueles mais comuns em nosso cotidiano:

  • Anúncio publicitário

Divulgação de um produto, serviço, atividade etc.:

Peça publicitária da marca Bombril com garoto-propaganda fantasiado de papa.
Palha de aço Bombril, campanha de 2007.
  • Artigo de opinião

Possui caráter argumentativo e expressa a visão do autor sobre determinado assunto, como é possível verificar neste trecho do texto “Precisamos dar voz ao autismo”, de Bárbara Carvalho, publicado, em 02/04/2020, no Jornal Opção:

“No fim de 2007, a Organização das Nações Unidas (ONU) definiu todo dia 2 de abril como o Dia Mundial da Conscientização do Autismo. Essa data foi criada com o intuito de aumentar os esforços globais e promover, assim, uma maior compreensão sobre a condição neurológica que afeta milhões de pessoas em todo o mundo.

[...]

Indivíduos com TEA precisam de serviços de saúde acessíveis para as necessidades gerais de cuidados de saúde assim como o resto da população, incluindo promoção e prevenção da saúde e tratamento de doenças agudas e crônicas. No entanto, têm taxas mais altas de necessidades de saúde negligenciadas em comparação com a população em geral. Elas também são mais vulneráveis durante emergências humanitárias. Um obstáculo frequente é o conhecimento insuficiente sobre o transtorno do espectro autista e as ideias equivocadas que partem dos profissionais de saúde. Precisamos da conscientização e inclusão. O autismo tem se tornado cada vez mais comum. Precisamos dar voz ao autismo.”

  • Biografia e autobiografia

Narrativa dos principais fatos da vida de uma pessoa real, feita por outro indivíduo. Afinal, se o autor é o próprio biografado, temos outro gênero: a autobiografia. Então, vejamos a diferença:

“Sua vida foi breve e plena. Assassinado aos 53 anos, Pier Paolo Pasolini teve, no entanto, tempo para publicar numerosos romances, coletâneas de poemas, filmes, peças de teatro, quadros, traduções, ensaios críticos e panfletos políticos. O homem que assassinaram não era, portanto, tão jovem assim, estava desgastado por várias lutas políticas, morais e estéticas. Embora estivesse rodeado por vários amigos e colaboradores fiéis, sentia-se sozinho tanto na vida pessoal como na sua vida artística porque, segundo ele, seus êxitos cinematográficos eram marcados por muitos mal-entendidos.”

CECCATTY, René de. Pasolini: biografia. Tradução de Renée Eve Levié. São Paulo: L&PM, 2016.

“Escrevo há muito tempo. Costumo dizer que se ainda não aprendi não foi por falta de prática. Comecei cedo; minhas recordações de infância estão ligadas a isto: a ouvir e contar histórias. Não só histórias de personagens que me emocionaram, me intrigaram, me encantaram, me assustaram — o Saci-Pererê, o Negrinho do Pastoreio, a Cuca, Hércules, Teseu, os Argonautas, Mickey Mouse, Tarzan, os Macabeus, os piratas, Emília, João Felpudo, Huck Finn —, mas também as histórias que eu ouvia de meus pais, de parentes, dos vizinhos, e aquelas que eu próprio inventava.”

SCLIAR, Moacyr. Uma autobiografia literária: o texto, ou: a vida. São Paulo: L&PM, 2017.

Saiba mais sobre esse importante gênero textual acessando: Biografia.

  • Carta pessoal

Comunicação escrita entre duas pessoas, com assuntos de cunho íntimo, como é possível observar nesta carta do pintor Vincent van Gogh (1853-1890) para o seu irmão Théo (1857-1891):

Paris, 31 de março de 1875

Ontem eu vi a exposição Corot. Havia em especial um quadro, o Jardim das oliveiras, fico contente que ele o tenha pintado.

À direita, um grupo de oliveiras perde-se no azul do céu ao crepúsculo; em segundo plano, colinas com arbustos e duas grandes árvores. No alto, a estrela da tarde.

No Salão, há três Corot muito bonitos; o mais belo, pintado pouco antes de sua morte, Os lenhadores, sem dúvida será publicado na Illustration ou no Monde Illustré.

Como você pode imaginar, também fui ao Louvre e ao Luxemburgo.

Os Ruysdael do Louvre são magníficos; especialmente O bosque, A paliçada e O raio de sol.

Espero que um dia você veja os pequenos Rembrandt, Os peregrinos de Emaús e dos pendants, Os filósofos.

VAN GOGH, Vincent. Cartas a Théo. Tradução de Pierre Ruprecht. São Paulo: L&PM, 1997.

  • Crônica

É um texto curto, com acontecimentos reais ou fictícios. Possui caráter narrativo ou argumentativo. Apresenta temática social, política ou cultural relacionada ao tempo da escrita, além de elementos do cotidiano, com base em uma perspectiva subjetiva. Como exemplo, vejamos este trecho da crônica “Nossos dias melhores nunca virão?”, de Arnaldo Jabor:

“Ando em crise, numa boa, nada de grave. Mas, ando em crise com o tempo. Que estranho ‘presente’ é este que vivemos hoje, correndo sempre por nada, como se o tempo tivesse ficado mais rápido do que a vida, como se nossos músculos, ossos e sangue estivessem correndo atrás de um tempo mais rápido.

As utopias liberais do século XX diziam que teríamos mais ócio, mais paz com a tecnologia. Acontece que a tecnologia não está aí para distribuir sossego, mas para incrementar competição e produtividade, não só das empresas, mas a produtividade dos humanos, dos corpos. Tudo sugere velocidade, urgência, nossa vida está sempre aquém de alguma tarefa. A tecnologia nos enfiou uma lógica produtiva de fábricas, fábricas vivas, chips, pílulas para tudo.

[...]”

In: JABOR, Arnaldo. Amor é prosa, sexo é poesia: crônicas afetivas. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004.

  • Diário

Foto de uma exposição em homenagem a Anne Frank.
A jovem Anne Frank (1929-1945) escreveu um dos diários mais famosos do mundo.[1]

Registro do dia a dia de um indivíduo, como verificamos neste trecho do Diário de Anne Frank:

“Domingo, 19 de março de 1944

Ontem foi um dia muito importante para mim. Depois do almoço, tudo estava como sempre. Às cinco peguei as batatas, e mamãe me deu um pouco de chouriço para levar para Peter. No começo, eu não queria, mas acabei indo. Ele não quis aceitar o chouriço, e tive a sensação apavorante de que ainda era por causa da discussão que tivéramos sobre desconfiança. De repente, não consegui suportar mais um minuto, e meus olhos se encheram de lágrimas. [...]”

FRANK, Anne. O diário de Anne Frank. Tradução de Alves Calado. 23ª ed. Rio de Janeiro: BestBolso, 2013.

  • Editorial

Expressa a opinião de um órgão da imprensa, por isso, não leva a assinatura da pessoa física que o escreveu, mas do veículo de comunicação que o está divulgando. Assim, o seguinte trecho do editorial “É lamentável que juízes se prestem ao papel de censores” foi assinado pelo jornal O Globo, em 27/08/2021:

“Pela segunda vez em uma semana, uma decisão judicial obrigou O GLOBO a retirar do ar uma reportagem publicada em seu site. [...].

É evidente o interesse público das informações publicadas pelo GLOBO. É em nome dele que a Constituição garante a jornalistas o direito de preservar o sigilo de suas fontes e que a lei os isenta de responsabilidade por publicar fatos e dados resultantes de vazamentos, mesmo que ilegais. O dever da imprensa é com o público, não com quem é atingido pelas reportagens.

[...]”

  • Notícia

Divulgação de fatos, acompanhados ou não de opinião, com a finalidade de informar, como vemos na notícia do jornal O Dia, de 27/08/2021:

Conta de luz continuará na bandeira vermelha em setembro, anuncia Aneel

Rio - A tarifa de energia continuará na bandeira vermelha patamar 2, anunciou, na noite desta sexta-feira (27) a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Segundo o órgão, a cobrança continuará no patamar mais alto do sistema tarifário devido à crise hídrica que assola o país e o valor em reais só será divulgado na semana que vem.

[...]”

  • Propaganda

Diferentemente do anúncio, que vende um produto ou serviço, a propaganda vende uma ideia ou se presta a divulgar uma mensagem informativa ou educativa:

Propaganda sobre o combate à homofobia, com uma mão pintada com as cores do arco-íris e o punho levantado em protesto.

  • Reportagem

Divulga informações sobre uma temática específica, por meio de uma investigação jornalística, e traz um aprofundamento do tema, como na reportagem de Nuño Domínguez, sobre as sequelas dos primeiros internados com covid-19 em Wuhan, publicada no jornal El País, em 27/08/2021:

“Um estudo sobre alguns dos primeiros pacientes hospitalizados por covid-19 no mundo oferece resultados preocupantes: em uma parte deles, as sequelas físicas ou psicológicas da infecção continuam presentes pelo menos um ano depois da alta, e é provável que alguns sofram com isso inclusive durante mais tempo.

[...]

O trabalho chinês é importante, porque confirma o que já sugeriam muitos outros estudos em todo o mundo, feitos com grupos de pacientes menores e com monitoramentos mais curtos. Os sintomas mais comuns são o cansaço e a dor muscular, embora também haja impactos psicológicos como confusão e outros como a falta de respiração. Como já se viu em estudos no Reino Unido, Espanha e outros países, as mulheres são muito mais propensas a sofrer sequelas duradouras, talvez por terem um sistema imunológico mais reativo. Os resultados desse estudo, em todo caso, não dizem respeito à população geral, uma vez que trata de pacientes hospitalizados, e justamente no começo da doença, quando havia menos informação sobre seu tratamento.

[...]”

  • Outros gêneros textuais

    • Aula
    • Bilhete
    • Blog
    • Bula
    • Carta argumentativa
    • Charge
    • Comentário
    • E-mail
    • Fórum
    • HQ
    • Manual de instruções
    • Panfleto
    • Piada
    • Receita
    • Rede social
    • Relatório
    • Texto didático
    • Texto enciclopédico
    • Tirinha

Diferenças entre gêneros textuais e tipos textuais

Cada gênero textual possui características específicas e apresenta uma função comunicativa. Além disso, há um grande número de gêneros textuais, e cada um deles é composto por um ou mais tipos textuais, que, ao contrário dos gêneros, apresentam um número limitado. Assim, os tipos textuais são os seguintes:

  • Argumentativo: está relacionado à defesa de ideias.

  • Descritivo: apresenta a descrição de uma pessoa, animal, objeto, ambiente ou paisagem.

  • Expositivo: é caracterizado pela exposição de informações.

  • Injuntivo: é marcado pela presença de imperativos.

  • Narrativo: se refere ao relato de fatos, com personagens, tempo e espaço.

Assim, o gênero receita, por exemplo, é composto pelo tipo injuntivo. Já um artigo de opinião é composto pelo tipo argumentativo e, também, pode apresentar características do expositivo. Aliás, uma bula também é composta por este último tipo. O gênero romance, por sua vez, pode apresentar todos esses tipos, com prevalência do narrativo e descritivo.

Dessa forma, os gêneros textuais são utilizados nas práticas sociais do dia a dia. Por meio deles, atingimos variados objetivos de comunicação verbal ou não verbal, escrita ou oral. Em sua estruturação, utilizamos os tipos textuais para narrar, descrever, ordenar ou pedir, informar ou defender nossas ideias.

  • Videoaula sobre tipologias textuais

Quais os elementos dos gêneros textuais?

Os gêneros textuais apresentam os seguintes elementos:

  • Conteúdo: assunto

  • Composição: estrutura

  • Estilo: modo

  • Função comunicativa: objetivo

Então, vamos identificar esses elementos no texto a seguir, um haicai do escritor brasileiro Paulo Leminski (1944-1989):

Acabou a farra

formigas mascam

restos da cigarra

  • Conteúdo: referência à fabula A cigarra e a formiga

  • Composição: versos, metrificação e rima

  • Estilo: linguagem plurissignificativa

  • Função comunicativa: estética

É importante ressaltar que a função estética está relacionada aos textos artísticos e, portanto, significa a ausência de um objetivo utilitário. Por exemplo, com base em uma receita, alguém pode fazer um bolo. Então, a função comunicativa da receita é clara. Mas qual a função do haicai? É essa indefinição em torno da utilidade dos textos artísticos que chamamos de função estética.

Diferenças entre gêneros textuais e gêneros literários

Os gêneros textuais têm um objetivo prático, ou seja, eles existem para cumprir diversas necessidades comunicativas. Por isso, são essencialmente funcionais, apesar de, também, apresentarem textos com função estética e não só utilitária. Já os gêneros literários servem para categorizar exclusivamente os textos artísticos. Portanto, existem três gêneros literários:

  • Dramático: se refere a textos escritos para serem encenados.

  • Lírico: está relacionado a textos de caráter poético.

  • Narrativo: é composto por relatos.

Desse modo, o gênero textual romance, por exemplo, é composto, principalmente, pelo tipo narrativo e, além disso, está inserido na categoria de gênero narrativo. Já o gênero textual poema pode ser composto por um ou mais tipos textuais. No entanto, quase sempre, está dentro da categoria de gênero lírico; se for um poema narrativo, então ele muda de categoria.

O que queremos dizer é que um texto literário pode ser classificado de acordo com seu gênero e tipo textual, mas, também e principalmente, pelo seu gênero literário. Já um manual de instruções, por exemplo, não pode ser classificado em relação ao gênero literário, já que não é um texto artístico. Assim, o gênero manual é composto, especialmente, pelos tipos expositivo e injuntivo.

Por fim, uma peça de teatro ou roteiro de cinema são textos do gênero dramático, mas também podem ser considerados gêneros textuais. Além disso, na composição desses textos dramáticos, pode haver características de mais de um tipo textual, apesar de tudo depender das falas e das ações dos personagens.

Exercícios resolvidos sobre gêneros textuais

Questão 1 - (Enem)

Câncer 21/06 a 21/07

O eclipse em seu signo vai desencadear mudanças na sua autoestima e no seu modo de agir. O corpo indicará onde você falha — se anda engolindo sapos, a área gástrica se ressentirá. O que ficou guardado virá à tona para ser transformado, pois este novo ciclo exige uma “desintoxicação”. Seja comedida em suas ações, já que precisará de energia para se recompor. Há preocupação com a família, e a comunicação entre os irmãos trava. Lembre-se: palavra preciosa é palavra dita na hora certa. Isso ajuda também na vida amorosa, que será testada. Melhor conter as expectativas e ter calma, avaliando as próprias carências de modo maduro. Sentirá vontade de olhar além das questões materiais — sua confiança virá da intimidade com os assuntos da alma.

Revista Cláudia. N. 7, ano 48, jul. 2009.

O reconhecimento dos diferentes gêneros textuais, seu contexto de uso, sua função social específica, seu objetivo comunicativo e seu formato mais comum relacionam-se aos conhecimentos construídos socioculturalmente. A análise dos elementos constitutivos desse texto demonstra que sua função é

A) vender um produto anunciado.

B) informar sobre astronomia.

C) ensinar os cuidados com a saúde.

D) expor a opinião de leitores em um jornal.

E) aconselhar sobre amor, família, saúde, trabalho.

Resolução

Alternativa E. O gênero textual horóscopo tem a função de “aconselhar sobre amor, família, saúde, trabalho”.

Questão 2 - (Enem)

Em muitos jornais, encontramos charges, quadrinhos, ilustrações, inspirados nos fatos noticiados. Veja um exemplo:

Charge com o título “Demarcação das terras indígenas” e com desenho de covas abertas.

O texto que se refere a uma situação semelhante à que inspirou a charge é:

A) Descansem o meu leito solitário

Na floresta dos homens esquecida,

À sombra de uma cruz, e escrevam nela

Foi poeta — sonhou — e amou na vida.

(AZEVEDO, Álvares de. Poesias escolhidas. Rio de Janeiro/ Brasília: José Aguilar/ INL, 1971.)

B) Essa cova em que estás

Com palmos medida,

é a conta menor

que tiraste em vida.

É de bom tamanho,

Nem largo nem fundo,

É a parte que te cabe

deste latifúndio.

(MELO NETO, João Cabral de. Morte e vida severina e outros poemas em voz alta. Rio de Janeiro: Sabiá, 1967.)

C) Medir é a medida

mede

A terra, medo do homem, a lavra;

lavra

duro campo, muito cerco, vária várzea.

(CHAMIE, Mário. Sábado na hora da escuta. São Paulo: Summus, 1978.)

D) Vou contar para vocês

um caso que sucedeu

na Paraíba do Norte

com um homem que se chamava

Pedro João Boa-Morte,

lavrador de Chapadinha:

talvez tenha morte boa

porque vida ele não tinha.

(GULLAR, Ferreira. Toda poesia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983.)

E) Trago-te flores, — restos arrancados

Da terra que nos viu passar

E ora mortos nos deixa e separados.

(ASSIS, Machado de. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1986.)

Resolução

Alternativa B. A charge em questão foi inspirada no gênero textual notícia e apresenta similaridade temática com o texto do gênero poema de João Cabral de Melo Neto. Isso porque a charge sugere que a única terra que o indígena vai possuir é uma cova, assim como o nordestino, nos versos do poeta.

Questão 3 - (Enem)

Machado de Assis

Joaquim Maria Machado de Assis, cronista, contista, dramaturgo, jornalista, poeta, novelista, romancista, crítico e ensaísta, nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 21 de junho de 1839. Filho de um operário mestiço de negro e português, Francisco José de Assis, e de D. Maria Leopoldina Machado de Assis, aquele que viria tornar-se o maior escritor do país e um mestre da língua, perde a mãe muito cedo e é criado pela madrasta, Maria Inês, também mulata, que se dedica ao menino e o matricula na escola pública, única que frequentou o autodidata Machado de Assis.

Disponível em: http://www.passeiweb.com.

Considerando os seus conhecimentos sobre os gêneros textuais, o texto citado constitui-se de

A) fatos ficcionais, relacionados a outros de caráter realista, relativos à vida de um renomado escritor.

B) representações generalizadas acerca da vida de membros da sociedade por seus trabalhos e vida cotidiana.

C) explicações da vida de um renomado escritor, com estrutura argumentativa, destacando como tema seus principais feitos.

D) questões controversas e fatos diversos da vida de personalidade histórica, ressaltando sua intimidade familiar em detrimento de seus feitos públicos.

E) apresentação da vida de uma personalidade, organizada sobretudo pela ordem tipológica da narração, com um estilo marcado por linguagem objetiva.

Resolução

Alternativa E. O texto da questão pertence ao gênero texto didático, portanto, utiliza uma linguagem objetiva, e traz informações sobre a vida de uma personalidade, o escritor Machado de Assis. Para isso, recorre ao tipo narrativo, já que conta um pouco da história do autor realista.

Crédito da imagem

[1] GiuseppeCrimeni / Shutterstock

 

Por Warley Souza
Professor de Português

Listagem de Artigos

Assista às nossas videoaulas
Lista de Exercícios
Questão 1

Questão 110 – Enem 2013

A diva

Vamos ao teatro, Maria José?

Quem me dera,

desmanchei em rosca quinze kilos de farinha,

tou podre. Outro dia a gente vamos.

Falou meio triste, culpada,

e um pouco alegre por recusar com orgulho.

TEATRO! Disse no espelho.

TEATRO! Mais alto, desgrenhada.

TEATRO! E os cacos voaram

sem nenhum aplauso.

Perfeita.

PRADO, A. Oráculos de maio. São Paulo: Siciliano, 1999.

Os diferentes gêneros textuais desempenham funções sociais diversas, reconhecidas pelo leitor com base em suas características específicas, bem como na situação comunicativa em que ele é produzido. Assim, o texto A diva

a) narra um fato real vivido por Maria José.

b) surpreende o leitor pelo seu efeito poético.

c) relata uma experiência teatral profissional.

d) descreve uma ação típica de uma mulher sonhadora.

e) defende um ponto de vista relativo ao exercício teatral.

Questão 2

Questão 106 – Enem 2012

Ao interpretar um anúncio publicitário, sempre considere os elementos verbais e não verbais. Disponível em: www.portaldapropaganda.com.br
Ao interpretar um anúncio publicitário, sempre considere os elementos verbais e não verbais. Disponível em: www.portaldapropaganda.com.br

A publicidade, de uma forma geral, alia elementos verbais e imagéticos na constituição de seus textos. Nessa peça publicitária, cujo tema é a sustentabilidade, o autor procura convencer o leitor a

a) assumir uma atitude reflexiva diante dos fenômenos naturais.

b) evitar o consumo excessivo de produtos reutilizáveis.

c) aderir à onda sustentável, evitando o consumo excessivo.

d) abraçar a campanha, desenvolvendo projetos sustentáveis.

e) consumir produtos de modo responsável e ecológico.

Ver resposta