Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Carta

Carta é um gênero textual de correspondência, que estabelece uma comunicação direta entre os interlocutores e veicula uma mensagem de importância pessoal ou formal.

Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

A carta é um gênero textual de correspondência, o qual visa a estabelecer uma comunicação direta entre os interlocutores, para transmitir diferentes tipos de mensagens. Por seu contexto de circulação, as cartas podem ser divididas em:

  • carta pessoal
  • carta comercial
  • carta oficial

A carta pessoal abarca uma estrutura e linguagem mais flexível. As cartas comercial e oficial apresentam textos concisos e impessoais e com linguagem padrão. De modo geral, as cartas apresentam a estrutura: local, data, vocativo, corpo do texto, despedida e assinatura.

Leia também: Carta aberta – tipo de carta específico com caráter argumentativo

Tópicos deste artigo

Tipos de carta

Existem diversos tipos de cartas que servem para diferentes propósitos sociocomunicativos. Analisando pelo grau de proximidade entre os interlocutores, a carta pode ser pessoal, empresarial ou comercial, e oficial ou pública. Essa divisão determina o tipo de linguagem que se estabelece entre remetente e destinatário.

  • Carta pessoal: estabelece comunicação entre pessoas próximas ou com vínculo individual. Isso favorece o uso de uma linguagem coloquial, aplicação de expressões populares e gírias, além de assuntos subjetivos e/ou íntimos. A estrutura da carta pessoal também é aberta, tendo em vista que o autor pode escolher como deseja organizar as informações compartilhadas.
  • Carta empresarial ou comercial: é aquela que veicula no ambiente profissional e estabelece comunicação entre diferentes profissionais. Esse tipo de carta exige uma linguagem mais formal e impessoal. A mensagem deve ser objetiva e concisa, e toda relação pessoal deve ser evitada.
  • Carta oficial ou pública: é o documento utilizado nas instituições públicas. Esse tipo também exige uma linguagem impessoal, formal e acessível. Muitas vezes a carta oficial não tem um destinatário único, e por isso exige um distanciamento entre os interlocutores.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O gênero carta, ainda, subdivide-se dentro dessas categorias. Diante dos diferentes contextos de circulação e do grau de proximidade entre os interlocutores, as cartas podem ser classificadas com base no conteúdo e na função que desempenham:

  • Carta de reclamação: utilizada para expor alguma insatisfação a um destinatário que tenha posição de poder para realizar alguma interferência na questão.
  • Carta oficial: utilizada para expor e documentar alguma mensagem, formalizando o que foi dito.
  • Carta de candidatura: utilizada para comunicar alguma autoridade sobre o desejo de  candidatar-se a algum cargo e/ou função.
  • Carta de apresentação: utilizada para fazer uma apresentação de uma pessoa, uma carreira ou um projeto, por exemplo, a algum destinatário de interesse.
  • Carta de solicitação: utilizada para formalizar um pedido a algum destinatário de maior valor hierárquico, expressando a necessidade e/ou direito de auxílio. 
  • Carta de amor: utilizada para expressar afetos pessoais do remetente ao destinatário.
  • Carta de desculpas: utilizada para expressar um pedido de perdão em relação a algum fato desconfortável entre os interlocutores.

Características e estrutura da carta

Historicamente, a carta está relacionada à correspondência tradicional, o envelope contém as informações dos interlocutores.
Historicamente, a carta está relacionada à correspondência tradicional, o envelope contém as informações dos interlocutores.

Como exposto, a carta possui diferentes tipos, o que, consequentemente, implica diferentes estruturas e linguagens em sua composição. Antes de analisar ou escrever qualquer carta, é necessário observar as características específicas ao subtipo que está sendo utilizado. Desse modo, o texto será mais adequado às exigências do contexto comunicativo.

Apesar dessa multiplicidade, é possível elencar algumas características comuns à maioria dos tipos de carta:

  • Cabeçalho: a parte inicial da carta pode variar a depender do subtipo utilizado. Entretanto, o mais comum é que se identifique a cidade e a data em que a carta foi escrita no canto superior do texto. Em casos de cartas impessoais, é comum também a presença do nome do destinatário, do cargo ocupado e da instituição. É possível, ainda, que haja algum elemento visual, como logotipo.
  • Corpo do texto: é onde a mensagem é transmitida de fato. No caso das cartas pessoais, o tamanho e a organização dessa parte pode variar a depender de variáveis individuais. Em cartas oficiais ou comerciais, o corpo do texto deve apresentar uma mensagem clara e concisa, o que acarreta muitas cartas de curto tamanho.
  • Desfecho: é a parte final do texto, que pode estar acoplada ao corpo do texto ou destacada abaixo dele. Nessa parte, o autor apresenta uma conclusão da sua mensagem, expressa uma mensagem cordial e se despede.
  • Assinatura: as cartas são comumente assinadas ao final da página. A assinatura é essencial principalmente nas cartas comerciais e oficiais. Sua localização pode ser em um dos cantos ou centralizada.

Veja também: Carta argumentativa – gênero que visa a apresentar um ponto de vista a um destinatário

Passo a passo de como escrever uma carta

Para fazer uma boa carta, é necessário considerar todos os elementos contextuais que envolvem a comunicação. Deve-se analisar o destinatário, o nível de proximidade e o conteúdo que será compartilhado. Nos casos de cartas impessoais, é importante se atentar aos pronomes de tratamento com o interlocutor, aos dados, às informações, às provas ou aos argumentos relevantes ao tema, além do cuidado com a economia verbal e clareza de sentido.

Feitas as considerações iniciais, o autor pode se orientar segundo os seguintes passos:

  • Inicie sua carta com a marcação do local e da data em que ela foi feita.
  • Se necessário, identifique o nome, cargo e instituição do destinatário.
  • Utilize um vocativo (pessoal ou formal) para marcar o início do diálogo.
  • Se for uma carta formal, apresente uma linguagem direta, evite informações irrelevantes e opiniões pessoais. Expresse sua mensagem com clareza e foco.
  • Se for uma carta pessoal, organize as informações do modo que seja mais significativo e interessante aos envolvidos.
  • Acrescente anexos sempre que necessário para comprovação do que foi relatado ou solicitado.
  • Despeça-se gentilmente ao final do texto.
  • Assine seu nome.

Exemplos

Alguns exemplos de tipos de cartas:

  • Carta pessoal

Rio de Janeiro, 01 de dezembro de 2018

Querida mainha,

Como a senhora está? Estou morta de saudades de casa e mal posso esperar pelo Natal, quando iremos finalmente nos reunir novamente e relembrar os velhos tempos. Estar longe de casa tem sido um grande desafio e só mesmo a senhora para me ajudar e me dar as forças de que necessito. Obrigada por tudo!

Ah sim! Os estudos estão indo bem! Estou encerrando as provas, mas até agora me saí bem e acho que não irei para exame. Como andam os padrinhos? Eles conseguirão ir para o Natal? Espero que sim! Diga a meu irmão que é bom que meu quarto esteja limpo e cheiroso quando eu voltar, não quero saber da bagunça dele por lá! Haha! Enfim… te amo muuuuuito, mainha! Saudades, saudades, saudades!

Beijos carinhosos da sua filha,

Liz.

 

Como é possível perceber no exemplo, os interlocutores têm um vínculo pessoal e íntimo: mãe e filha. A comunicação, assim, estabelece-se marcada por elementos inerentes ao contexto familiar específico. A autora cita a saudade da mãe, pergunta sobre padrinhos e chega a comentar sobre o irmão. Além disso, o cuidado com a linguagem não é tão rígido, tendo em vista que a autora usa expressões informais como “muuuuuito”, que marca a intensidade pelo acréscimo exagerado da vogal “u”.

  • Carta formal

São Paulo, 23 de março de 2019

Srª Alice Sá

Rua X, nº 0

Prezada,

Temos a satisfação de comunicar que resolvemos admiti-la em nossa empresa, tendo em vista seu alto desempenho no teste. As condições para atuação são:

ENCARGOS – ficarão a seu cargo os serviços da supervisora tal.

HORÁRIO – das 8 às 17 horas, com 1 hora para refeição.

ORDENADO – Salário inicial: R$ 1.120 (mil cento e vinte).

Aguardamos seu pronunciamento,

Atenciosamente

João Silva

CHEFE DO SETOR X

 

Nesse segundo exemplo, percebe-se que a organização e estrutura da carta diferem da pessoal. A linguagem é concisa e objetiva, não há marcações de elementos subjetivos ou íntimos no conteúdo. O corpo do texto é curto e as informações compartilhadas são apenas as essenciais ao propósito comunicativo. A assinatura está centralizada e é acompanhada do cargo profissional do autor.

 

Por Talliandre Matos
Professora de Redação

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

MATOS, Talliandre. "Carta"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/redacao/carta.htm. Acesso em 06 de julho de 2022.

Videoaulas


PUBLICIDADE

Estude agora


Êxodo rural

Assista à nossa aula e descubra o que é o êxodo rural. Conheça as causas e consequências desse fenômeno mundial....

Área da esfera

Nesta videoaula, vamos realizar a demonstração para o cálculo da área de uma esfera e resolveremos um...