Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Quirguistão

Quirguistão é um país de 6,62 milhões de habitantes situado na região da Ásia Central. A exploração de recursos naturais constitui a base da economia do país.

Bandeira do Quirguistão.
Bandeira do Quirguistão.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Quirguistão, ou República Quirguiz, é um país da Ásia Central. A cidade de Bisqueque é a sua capital. O país apresenta clima temperado continental e relevo acidentado, caracterizado pela presença de montanhas e vales encaixados. A população do Quirguistão é hoje de 6,62 milhões de habitantes, a maioria dos quais vive na zona rural. Apoiando-se na exploração de recursos naturais e no comércio, com destaque para a exportação de produtos agrícolas como o algodão, a economia quirguiz é uma das menores dentre os países centro-asiáticos.

Veja também: Quais são os países da Ásia?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre Quirguistão

  • Quirguistão é um país da Ásia Central.

  • Sua capital é a cidade de Bisqueque.

  • Dispõe de clima temperado continental e relevo montanhoso.

  • Abriga o segundo maior lago de água salgada depois do mar Cáspio, que é o lago Issyk-Kul.

  • A atual população do Quirguistão é de 6.628.000 habitantes. Desses, uma parcela de 37,5% vive nas cidades.

  • A exploração de recursos naturais, como petróleo, gás natural, ouro e outros metais, constitui a base da economia do país. O setor de serviços é igualmente importante.

  • O país se formou com a unificação das dezenas de grupos étnicos que viviam no território quirguiz.

  • Fez parte da União Soviética até a sua dissolução, em 1991.

  • A política, a partir dos anos 2000, tem sido marcada por uma série de revoltas populares que resultaram na renúncia de presidentes e reformas internas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dados gerais sobre Quirguistão

  • Nome oficial: República Quirguiz.

  • Gentílico: quirguiz.

  • Extensão territorial: 199.949 km².

  • Localização: Ásia Central.

  • Capital: Bisqueque.

  • Clima: temperado continental.

  • Governo: república parlamentarista.

  • Divisão administrativa: sete províncias e dois municípios.

  • Idiomas: quirguiz e russo (oficiais).

  • Religiões:

    • islâmica (90%);

    • cristã (7%).

  • População: 6.628.000 habitantes (ONU, 2021).

  • Densidade demográfica: 34,6 hab./km².

  • Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,697.

  • Moeda: som.

  • Produto Interno Bruto (PIB): US$ 9,02 bilhões (FMI, 2022).

  • PIB per capita: US$ 1330 (FMI, 2022).

  • Gini: 0,277.

  • Fuso horário: GMT +6.

  • Relações exteriores:

    • Organização das Nações Unidas (ONU);

    • Organização Mundial do Comércio (OMC);

    • Banco Mundial;

    • Fundo Monetário Internacional (FMI);

    • Comunidade dos Estados Independentes (CEI).

Etimologia de Quirguistão

O nome Quirguistão, ou Kyrgyzstan na língua local, significa terra das 40 tribos”. O sufixo -stan, utilizado em muitos dos países que compõem a região da Ásia Central, corresponde à expressão “terra de”. Já Kyrgyz é uma junção dos termos kyrg e -yz, que em persa significam “quarenta” e “tribos”, respectivamente.

A principal teoria a respeito da origem do nome do país está ligada ao Épico de Manas, que reconta o mito do herói quirguiz de nome Manas. Acredita-se que Manas foi responsável pela união das 40 tribos que viviam no território quirguiz, dando origem ao primeiro Estado organizado do Quirguistão.

Mapa do Quirguistão

Mapa do Quirguistão.

Geografia do Quirguistão

O Quirguistão é um país localizado na região da Ásia Central, tendo como capital a cidade de Bisqueque. Com uma área de 199.949 km², é o segundo menor território centro-asiático. Faz fronteira com os seguintes países:

Apesar do fato de que não possui saída para o oceano, no nordeste do Quirguistão se formou um extenso lago de água salgada que corresponde ao segundo maior corpo d’água desse tipo depois do mar Cáspio. Trata-se do lago Issyk-Kul, que recobre uma área de 6,2 mil km².

→ Clima do Quirguistão

O Quirguistão apresenta clima temperado continental, porém com variações significativas entre as áreas elevadas e as mais rebaixadas do relevo.

Nas regiões de menor altitude, as temperaturas são maiores, e algumas áreas recebem baixíssimo volume de chuvas durante o ano, acumulando por vezes menos de 200 mm. Onde a altitude é maior, o tempo é ameno na maior parte do ano, exceto no inverno, quando se registram temperaturas de até -18 °C. A precipitação é volumosa (até 1000 mm), e nas porções mais elevadas há o registro de neve.

→ Relevo do Quirguistão

O relevo do Quirguistão é formado por montanhas e vales encaixados. A principal feição geomorfológica do país é a cordilheira Tien Shan, que se estende por uma ampla região a partir do centro do território quirguiz até a fronteira com a China, a sudeste. A elevação média dos terrenos no país é de 2988 metros.

→ Vegetação do Quirguistão

A cobertura vegetal do Quirguistão varia conforme a ocorrência climática. Nas áreas de clima mais ameno, predominam as florestas tropicais, enquanto estepes são encontradas nas porções mais rebaixadas e onde a disponibilidade hídrica é menor.

→ Hidrografia do Quirguistão

A água de degelo das geleiras alimentam os inúmeros rios do país, as quais se formam nas montanhas do Quirguistão. O rio Naryn é o maior curso d’água que banha o território quirguiz, percorrendo um total de 535 km. Outros importantes rios são o Talas, o Chui Chatkal e o Sary Jaz.

Demografia do Quirguistão

O Quirguistão possui 6.628.000 habitantes, sendo a segunda menor população da região da Ásia Central. A distribuição populacional pelo território é relativamente baixa, da ordem de 34,6 hab./km². Devido aos terrenos montanhosos, a maior parte dos moradores do Quirguistão vive nas áreas mais próximas da capital, ao norte, e também na faixa leste do país, sendo o sul a região mais esparsamente povoada.

A maior parcela dos habitantes do Quirguistão vive no campo, enquanto 37,5% habita os centros urbanos. Podemos dizer, portanto, que o país não é urbanizado. A maior cidade do Quirguistão é a capital, Bisqueque, com mais de um milhão de habitantes. A segunda maior área urbana do país é Osh, com 200 mil pessoas.

Praça central Ala-Too, em Bisqueue, capital e maior cidade do Quirguistão.
Praça central Ala-Too, em Bisqueue, capital e maior cidade do Quirguistão.

O crescimento populacional do Quirguistão acontece a uma taxa de 0,86% ao ano, menor do que a taxa global. Apesar do saldo migratório negativo, o que condiciona o ganho populacional é o fato de que o número de nascimentos é três vezes maior do que o número de mortes. A idade mediana da população tem crescido gradualmente, atingindo hoje 27,3 anos. A expectativa de vida no Quirguistão é de 72,35 anos.

Economia do Quirguistão

O Quirguistão apresenta um Produto Interno Bruto (PIB) de nove bilhões de dólares, sendo uma das menores economias da Ásia Central. Dispõe de uma série de recursos naturais, que constituem o pilar da economia nacional, como é o caso do petróleo, gás natural, carvão mineral, ouro e os chamados metais de terras raras. Além disso, a atividade agropecuária se une à exploração mineral no nível de importância para a economia quirguiz, principalmente nas exportações.

O comércio e os serviços respondem por 54,2% do PIB do Quirguistão, enquanto a indústria é responsável por uma fatia de 31,2%. Dentre os segmentos produtivos que compõem o setor secundário no país estão o têxtil, alimentício, de produção de pequenos maquinários, moveleiro e madeireiro e também do refino de petróleo.

A atividade agropecuária concentra quase metade da mão de obra, embora corresponda a somente 14,6% do PIB, e responde por grande parte da demanda internacional por commodities, como algodão e feijão. Outros cultivos desenvolvidos no Quirguistão são batata, beterraba sacarina, trigo e milho, além da produção leiteira.

Saiba mais: Novos Tigres Asiáticos — os países asiáticos que passaram por um recente processo de industrialização

Infraestrutura do Quirguistão

A rede de infraestrutura atende de maneira desigual às populações do campo e das cidades, ainda que a maior parte dos quirguiz viva na zona rural. Nessas regiões, aproximadamente 60% da população possui acesso a fontes seguras de água potável, enquanto nas cidades o total é de quase 92%. Com as redes de saneamento, a situação é invertida: o atendimento no campo é de 96,5%, enquanto nas cidades a cobertura cai para 85,6%.

Toda a população possui acesso à energia elétrica. O relevo montanhoso do Quirguistão proporciona aos rios do país um alto potencial hidrelétrico, que é hoje bem aproveitado, uma vez que 76% da capacidade energética instalada é proveniente das usinas hidrelétricas.

Os combustíveis fósseis contribuem com 24% da matriz energética. As rodovias e as ferrovias são os dois principais modais de transporte utilizados no Quirguistão, com redes de, respectivamente, 34 mil e 600 km. O principal aeroporto do país fica na capital, Bisqueque.

História do Quirguistão

A formação do Quirguistão ocorreu mediante a migração de uma série de povos de origem europeia e asiática para a região, oriundos em sua maioria das áreas mais frias situadas ao norte do território russo.

Durante seu percurso em direção à Ásia Central, o povo quirguiz adentrou a Mongólia no século IX e derrubou o Império Uyghur. Apesar disso, eles não se estabeleceram em definitivo naquele território e mantiveram o seu estilo de vida.

No século XIII, os quirguiz foram governados pelo filho mais velho de Genghis Khan, Jochi. Com o passar do tempo, as inúmeras tribos (ou grupos) que constituíam a população do Quirguistão se instalaram na cordilheira Tien Shan, onde muitas disputas internas aconteceram.

Os períodos subsequentes foram marcados pela incorporação ao Império Qing, da China, e depois ao Canato de Concade, de origem uzbeque e que abrangeu áreas que correspondem hoje aos países centro-asiáticos. Tais fatos aconteceram, respectivamente, nos séculos XVIII e início do XIX.

Em 1876, o Quirguistão foi anexado ao Império Russo. Quatro décadas mais tarde, emergiu uma revolta dos quirzigues contra a dominação russa e o regime czarista, resultando em uma resposta violenta por parte do império que causou a morte de milhares de quirguizes.

Em 1926, dez anos após o início das revoltas, o Quirguistão passou a fazer parte da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). A independência do Quirguistão aconteceu com a dissolução do bloco soviético e foi decretada em 31 de agosto de 1991.

A história recente do país ficou marcada por disputas políticas e intensos protestos populares. Um deles foi a Revolução das Tulipas, no ano de 2005, suscitada por vários motivos, como denúncias de corrupção, uma crise econômica em curso no país e repressão a opositores políticos.

O movimento culminou na renúncia do então presidente Askar Akayev, dando lugar a Kurmanbek Bakiyev, que governou o país até 2010. Ele deixou a presidência também em função de protestos populares conhecidos como Revolução Quirguiz de 2010. Além da sua derrubada, outra consequência desse movimento foi a mudança de regime governamental no Quirguistão, mediante a adoção do parlamentarismo.

Cultura do Quirguistão

A cultura do Quirguistão recebeu a influência dos países vizinhos, que são a China, Cazaquistão, Uzbequistão e Tajiquistão, e também de outras nações como a Rússia, especialmente durante a sua incorporação à União Soviética.

Uma dessas influências pode ser vista na sua população, uma vez que ela é formada por diversos grupos étnicos além dos quirguizes, como uzbeques, russos, dunganes e outros, totalizando mais de 80 povos. Tanto o idioma quirguiz quanto o russo são considerados línguas oficiais do país.

Um aspecto importante do Quirguistão é a religiosidade, de modo que a maior parcela da população segue a religião islâmica, com maioria adepta à corrente sunita. Das manifestações culturais, destaca-se a produção têxtil realizada de forma artesanal, com a confecção de tapetes, bolsas e sapatos. A tradição literária quirguiz ganhou força a partir do século XIX, caracterizada pela utilização dos vários idiomas falados na região centro-asiática.

Na música do Quirguistão se destaca o emprego do komuz, instrumento de três cordas tocado pelos músicos denominados akyz. A culinária quirguiz apresenta muitos elementos típicos da Ásia Central. Um dos pratos tradicionais do país é o beschbarmak, que consiste em uma carne cozida lentamente e servida com macarrão.

Veja também: Argélia — outro país que possui seus costumes pautados na região islâmica

Governo do Quirguistão

O sistema de governo em voga no Quirguistão é o parlamentarismo. O chefe do Poder Executivo e também de governo é o presidente da república, cuja eleição acontece de maneira direta, isto é, o ocupante do cargo é escolhido pela população. A duração do mandato é de cinco anos, com direito a reeleição. O Poder Legislativo é desempenhado no âmbito do Conselho Supremo (Jogorku Kenesh), órgão unicameral constituído por 90 assentos.

Curiosidades sobre o Quirguistão

  • O ponto culminante do país é o pico Jengish Chokusu, situado a 7439 metros acima do nível do mar.

  • O Quirguistão foi o primeiro país da Comunidade dos Estados Independentes (CEI) a ingressar na Organização Mundial do Comércio (OMC), o que aconteceu em 1998.

  • A figura contida na bandeira do Quirguistão é um sol com precisamente 40 raios luminosos, os quais representam as 40 tribos que, de acordo com as lendas, foram unidas por Manas e formaram o primeiro Estado do Quirguistão.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Quirguistão"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/quirguistao.htm. Acesso em 17 de agosto de 2022.

De estudante para estudante


Qual o menor país do mundo?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

O que é tectonismo?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

PUBLICIDADE

Estude agora


Revolução Federalista (1893-1895)

Assista a nossa videoaula para conhecer a história da Revolução Federalista ou Guerra das Degolas...

Guerra do Afeganistão (1979 à atualidade)

Assista à videoaula e conheça a geopolítica conflituosa do Afeganistão. Entenda as questões que levaram esse país...