close
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Islândia

Islândia, país no norte do continente europeu, é uma pequena nação insular com economia altamente desenvolvida.

Bandeira da Islândia
Bandeira da Islândia
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Islândia é um país insular europeu onde vivem 343 mil habitantes. Está localizado na região norte do continente, a noroeste da ilha da Grã-Bretanha e a sudeste da Groenlândia. Tem como capital a cidade de Reykjavik e é cercado pelas águas do Atlântico Norte. A sua porção mais setentrional se encontra muito próxima do Círculo Polar Ártico.

Em função disso, o país experimenta climas temperados oceânicos e também subártico. De terreno vulcânico, a Islândia tem relevo montanhoso e planáltico, com a presença de fiordes na sua zona costeira e vulcões ativos em algumas áreas do seu território. A pesca e o turismo constituem duas das principais atividades econômicas do país.

Saiba mais: Continente Ártico — região localizada no extremo norte do planeta

Tópicos deste artigo

Resumo sobre a Islândia

  • A Islândia é um país europeu localizado na região norte do continente. Sua capital é a cidade de Reykjavik.

  • Trata-se de um território insular, banhado pelo Atlântico Norte e com a sua região do extremo norte muito próxima do Círculo Polar Ártico. Ambos os fatores são determinantes do clima no país.

  • Os terrenos têm um substrato de rocha vulcânica e relevo planáltico e montanhoso. No litoral, são encontrados fiordes. Em algumas áreas, há a presença de vulcões ativos.

  • A tundra e a taiga são os biomas característicos da Islândia.

  • A população da Islândia é de 343 mil de habitantes, sendo que a maioria deles vive na região sul.

  • A cidade mais populosa do país é a sua capital.

  • As principais atividades econômicas da Islândia são a pesca e o turismo, não obstante apresente uma economia muito desenvolvida e diversificada.

  • O país dispõe de elevado índice de desenvolvimento, o que reflete na qualidade de vida da sua população.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dados gerais sobre a Islândia

  • Nome oficial: República da Islândia.

  • Gentílico: islandês.

  • Extensão territorial: 103.000 km².

  • Localização: Norte da Europa.

  • Capital: Reykjavik.

  • Climas: temperado oceânico e subártico.

  • Governo: república parlamentarista.

  • Divisão administrativa: 69 municipalidades.

  • Idioma: islandês.

  • Religiões:

    • Igreja Evangélica Luterana da Islândia — 62,3%;

    • católica romana — 4%;

    • Igreja de Reykjavik — 2,4%;

    • Igreja de Hafnarfjordur — 2%;

    • paganismo — 1,4%;

    • nenhuma — 7,6%;

    • outras ou ateus — 20,3%.

  • População: 343.000 habitantes (ONU, 2021).

  • Densidade demográfica: 3,4 hab./km² (ONU, 2021).

  • Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,949.

  • Moeda: coroa islandesa.

  • Produto Interno Bruto (PIB): US$ 25,48 bilhões (FMI, 2021).

  • PIB per capita: US$ 68.840 (FMI, 2021).

  • Gini: 0,268.

  • Fuso horário: GMT +0.

  • Relações exteriores:

    • Organização das Nações Unidas (ONU);

    • Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan);

    • Organização Mundial do Comércio (OMC);

    • Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE);

    • Banco Mundial;

    • Fundo Monetário Internacional (FMI);

    • Conselho do Ártico.

Etimologia da Islândia

O nome “Islândia”, do islandês Ísland e do inglês Iceland, é traduzido como Terra de Gelo. Ele foi inicialmente atribuído pelo explorador viking Hrafna-Flóki Vilgerðarson (ou simplesmente Floki Vilgerdarson), que chegou à ilha por volta do século IX da era comum. Ao observar o território a partir de um pico elevado, deparou-se com um uma grande quantidade de icebergs no interior de um fiorde, levando-o a batizar o local de Terra de Gelo.

História da Islândia

Existem muitas histórias a respeito dos primeiros indivíduos a aportarem na Islândia, essa ilha vulcânica fria situada no Atlântico Norte. Há registros de viajantes gregos que passaram pela região no século IV a.C., mas os primeiros assentamentos humanos se formaram de maneira definitiva somente no período subsequente, com o avanço das explorações dos povos nórdicos, os vikings.

Alguns dos povos chegaram à área por acidente, por terem se perdido da sua rota original, mas o norueguês Floki Vilgerdarson fez a sua expedição rumo à Terra do Gelo por volta do século IX. Ele chegou durante um rigoroso inverno, mas, ainda assim, permaneceu. Pouco tempo depois, foi a vez de um chefe local norueguês se assentar com sua família onde hoje fica a capital da Islândia, e desde então a ilha vem ganhando cada vez mais moradores.

Um sistema de governo unificado islandês foi estabelecido no ano de 930, que marca então a independência do país e a constituição do parlamento mais antigo do mundo, nomeado Althingi. Algum tempo mais tarde, o território islandês ficou sob o domínio de povos estrangeiros, mais especificamente noruegueses e dinamarqueses, o que ocorreu entre os séculos XIII e início do XX. A sua independência da Dinamarca foi totalmente conquistada em 17 de junho de 1944.

Nos anos que seguiram, a Islândia entrou em um ritmo acelerado de crescimento interno, notadamente econômico, tornando-se um país altamente desenvolvido e com uma qualidade de vida muito elevada.

Confira nosso podcast: Geopolítica das passagens marítimas estratégicas

Mapa da Islândia

Mapa da Islândia.

Geografia da Islândia

A Islândia é um país insular localizado na região norte do continente europeu e tem como capital a cidade de Reykjavik. O país fica a noroeste da ilha da Grã-Bretanha, e o extremo norte do seu território encontra o Círculo Polar Ártico (66º33’ N). A Islândia é banhada pelo Atlântico Norte, compreendida entre os mares da Groenlândia e da Noruega, além do Estreito da Dinamarca, situado a oeste.

  • Clima da Islândia

Em função da sua latitude e pela grande influência das correntes marítimas, dois tipos climáticos são predominantes na Islândia: o temperado oceânico, mais ao sul, e o subártico ou subpolar nas terras ao norte. Em linhas gerais, todo o país experimenta temperaturas baixas, variando entre médias de 0,5 °C e 11 °C, a depender da localidade, e pequena amplitude térmica anual. A neve é mais intensa e duradoura no norte do que no sul, região em que se registra amplos volumes de chuva, de até 4000 mm.

  • Relevo da Islândia

Fiorde no leste da Islândia.
Fiorde no leste da Islândia.

O relevo islandês é composto em sua maioria por planaltos e montanhas. A altitude média encontrada no país é de 557 metros. Já o ponto mais elevado, conhecido como Hvannadalshnúkur, fica 2110 metros acima do nível do mar.

Uma importante característica a ser notada sobre os terrenos que formam a Islândia é o importante papel das geleiras na esculturação do relevo. Além de elas estarem presentes em muitas áreas, sobretudo no sul, são responsáveis também por feições como os fiordes, que são encontrados na zona costeira.

Um fiorde nada mais é do que um vale encaixado, inundado pela água do mar e que surgiu a partir do derretimento de geleiras. Destaca-se ainda que a Islândia está situada próxima a uma área de encontro de placas tectônicas, dispondo, por isso, de centenas de vulcões e estando suscetível à ocorrência de terremotos.

  • Vegetação da Islândia

A vegetação da Islândia se caracteriza pelas formações encontradas nos biomas tundra e taiga. A tundra é encontrada ao norte, nas terras mais frias do país, e a taiga é predominante nas porções meridionais da ilha. A cobertura vegetal contínua abrange aproximadamente 25% do território islandês, sendo o restante irregular.

  • Hidrografia da Islândia

A rede hidrográfica da Islândia é composta por muitos riachos e lagos, que são alimentados pelas águas das chuvas e das geleiras. O rio mais longo do país se chama Thjorsa e possui 230 km de extensão. Além disso, como vimos anteriormente, os fiordes são comuns na paisagem litorânea, bem como baías naturais e enseadas (pequenas baías).

Demografia da Islândia

Vista parcial de Reykjavik, capital e cidade mais populosa da Islândia.
Vista parcial de Reykjavik, capital e cidade mais populosa da Islândia, na qual vivem dois terços dos moradores do país.

A Islândia conta atualmente com 343 mil habitantes. Em decorrência das condições climáticas encontradas no país, a população não se encontra distribuída de forma homogênea pelo território, fato refletido na densidade demográfica, que é de 3,4 hab./km². A maior parte dos islandeses vive nas áreas próximas da capital do país e também nas cidades costeiras, com alguns vilarejos esparsos pelo norte da ilha.

A taxa de urbanização na Islândia é de 93,9%, e o ritmo anual de crescimento das cidades é pouco menor do que 1%. Fica em Reykjavik, capital islandesa, a maior concentração populacional do país, com 216.400 habitantes, o que representa dois terços de todos os moradores da Islândia. A segunda maior cidade fica próxima da capital e se chama Kópavogur.

Além disso, o país apresenta:

Junto das baixas taxas de mortalidade, renda média elevada e alta escolaridade, esses indicadores são utilizados no cálculo do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da Islândia, que, com valor de 0,949, é um dos mais altos de todo o mundo.

Economia da Islândia

A Islândia apresenta uma economia de mercado altamente desenvolvida e diversificada. Conforme dados do Fundo Monetário Internacional (FMI), o Produto Interno Bruto (PIB) do país é de 25,48 bilhões de dólares, com um valor per capita muito elevado, de pouco mais de 68 mil dólares. Nota-se também que a Islândia não integra a União Europeia, embora seja membro do Espaço Econômico Europeu.

Ademais, o setor terciário é responsável por aproximadamente 75% do PIB do país, além de concentrar uma parcela semelhante da mão de obra islandesa. Nesse segmento, destacam-se o turismo e todas as atividades a ele associadas, incluindo o comércio. Não obstante a pequena participação na composição do PIB, concentra-se no setor primário a principal atividade econômica da Islândia: a aquicultura.

Os pescados e seus derivados (carne, óleos, pele, base para rações) são o carro-chefe da economia islandesa e têm grande importância nas exportações do país. Na indústria, os peixes e frutos do mar são utilizados como matéria-prima do ramo alimentício, principalmente. No seu setor primário estão presentes, ainda, a indústria de tecnologia, a produção de energia, de alumínio e também de produtos médicos e farmacêuticos.

Leia também: Blocos econômicos — a busca por desenvolvimento social, político e econômico

Cultura da Islândia

A Islândia é um território relativamente isolado e com uma população pequena, sendo 81,3% de origem autóctone (natural da região). Dentre as outras nacionalidades presentes, se encontram poloneses (5,6%) e dinamarqueses (1%). Tal fato implica na predominância da língua islandesa que é falada na ilha, idioma oficial, e na difusão dos costumes e tradições, que se propagam desde a chegada dos primeiros povos escandinavos.

Não obstante a diversidade religiosa identificada no país e um elevado número de indivíduos que não seguem nenhuma religião, há grande presença dos mitos e tradições classificadas como nórdicas, que reúnem elementos escandinavos e celtas.

A capital islandesa concentra alguns dos principais museus e festivais artísticos que celebram a cultura do país. Além da tradição na literatura com destaque para as sagas e para a Edda poética —, nas artes visuais e performáticas, a Islândia se destaca no quesito musical, com estilos que passam pelo clássico, folk e metal.

Na gastronomia, preparos com peixes são muito comuns. No entanto, os pratos tradicionais da Islândia são bem variados, como o skyr (um tipo de iogurte), carne de cordeiro, pão de centeio, queijos e sorvetes.

Veja também: Escandinávia — região composta por três nações: Dinamarca, Noruega e Suécia

Infraestrutura da Islândia

A Islândia é um país muito desenvolvido e reconhecido pela elevada qualidade de vida. A parcela da população que possui acesso à água potável e estrutura de saneamento é máxima, o que abarca tanto os moradores das cidades quanto do campo. A energia elétrica também chega a todos os islandeses, da mesma forma como a internet de alta qualidade, que chega a quase 99% dos moradores do país.

A matriz energética da Islândia é composta majoritariamente pelas hidrelétricas, que representam 71% da capacidade instalada. As outras fontes renováveis respondem por 28%, ao passo que os combustíveis fósseis constituem a menor parte da capacidade instalada no país.

A Islândia não possui ferrovias e nem hidrovias. É por meio das rodovias que os transportes são realizados internamente, sendo a sua malha rodoviária de 13 mil km. Os aeroportos somam 96 no total, além dos portos marítimos, que são três.

Governo da Islândia

A forma de governo vigente na Islândia é a de república unitária parlamentarista. O presidente, eleito por meio do voto direto, é o chefe de Estado, enquanto o posto de chefe de governo é ocupado pelo primeiro-ministro. Este consiste no líder do partido ou da coalizão majoritária. O poder Legislativo islandês é exercido pelo Parlamento, que é unicameral. A sede do governo da Islândia fica na cidade de Reykjavik.

Curiosidades sobre Islândia

  • A Islândia tem aproximadamente 200 vulcões ativos em um total de 30 cinturões vulcânicos.

  • Reykjavik é a capital localizada mais ao norte em todo o mundo.

  • A aurora boreal é visível no país durante o outono e início do inverno.

  • 11% do território islandês está recoberto por geleiras.

  • Em alguns locais da Islândia, é possível se deparar com gêiseres, fontes termais que entram em erupção de tempos em tempos e lançam água quente do interior da terra para o exterior de forma abrupta.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Islândia"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/islandia.htm. Acesso em 19 de maio de 2022.