Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Aurora boreal

A aurora boreal é um fenômeno luminoso de grande beleza visual que tem origem na camada da termosfera e é visível nas áreas de alta latitude do Hemisfério Norte do planeta.

Registro da aurora boreal sobre as ilhas Lofoten, na Noruega.
A aurora boreal é um fenômeno luminoso visível durante a noite nas áreas localizadas acima do Círculo Polar Ártico.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Aurora boreal é o nome dado a um fenômeno luminoso visível nos céus das regiões de alta latitude do Hemisfério Norte do planeta Terra, caracterizado por junção de luzes e cores. Ele tem origem na camada da atmosfera denominada termosfera e é resultante da interação dos gases presentes nessa área com as partículas oriundas dos ventos solares. Sua visibilidade é maior durante a noite e em áreas mais afastadas das cidades, constituindo um atrativo turístico para os países onde o fenômeno é observável. A aurora acontece também no Hemisfério Sul, onde recebe o nome de aurora austral.

Saiba mais: Aurora polar — o nome que a aurora recebe quando ocorre na região dos polos do planeta

Tópicos deste artigo

Resumo sobre aurora boreal

  • A aurora boreal é um fenômeno luminoso que acontece na camada da atmosfera denominada termosfera (ou ionosfera).

  • Ela é resultado da interação das partículas oriundas dos ventos solares com os gases presentes na atmosfera do planeta Terra.

  • A aurora boreal é típica do Hemisfério Norte do planeta, por isso recebe esse nome. No Hemisfério Sul, o fenômeno é chamado de aurora austral.

  • As cores da aurora boreal variam conforme a preponderância dos gases na atmosfera.

  • O fenômeno é visível nos territórios de alta latitude do Hemisfério Norte, como Islândia, península Escandinava, Alasca, Canadá e Sibéria.

  • Não é possível observar o fenômeno das auroras no Brasil.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como ocorre a aurora boreal?

A aurora boreal é um fenômeno luminoso que se desenvolve na termosfera (ou ionosfera), uma das camadas superiores da atmosfera do planeta Terra, que se estende de uma altura mínima de 60 km a partir da superfície até 1000 km. Essa camada está situada entre a exosfera e a mesosfera. A ocorrência da aurora boreal está associada aos ventos solares, que têm origem na camada mais externa do Sol, chamada de coroa.

Os ventos solares correspondem a um conjunto de partículas oriundas do plasma do Sol, como elétrons e prótons, que, em altíssimas temperaturas e velocidades, são emitidas em todas as direções no espaço, o que inclui o nosso planeta. Quando isso ocorre de forma violenta e em alta intensidade, temos a ocorrência de uma tempestade solar. Devido à presença de um escudo magnético, nem todas essas partículas chegam até a atmosfera terrestre. Aquelas que interagem com a camada mais externa do planeta acabam sendo direcionadas para os polos por meio da ação do campo magnético da Terra.

A interação dos gases presentes na atmosfera (precisamente na ionosfera) com os prótons e elétrons emitidos pelo Sol é responsável pela produção da fluorescência característica das auroras polares.

Características da aurora boreal

A aurora boreal consiste em um fenômeno luminoso caracterizado pela aparição de uma fluorescência colorida nos céus em determinadas regiões do planeta Terra, formando uma verdadeira dança de luzes e cores.

Uma vez que os ventos solares são constantes, a aurora boreal acontece durante todo o tempo, mas se torna visível somente no período noturo, preferencialmente em áreas mais afastadas das cidades, ou na época do ano em que a luz solar não se faz presente nas regiões de mais alta latitude. Além disso, as auroras se tornam mais brilhantes na ocorrência de tempestades solares, já que o fluxo de partículas em direção à Terra se torna muito mais intenso.

A coloração de suas luzes varia de acordo com a preponderância dos gases que estão presentes na atmosfera e que interagem com os elétrons e prótons. A interação com o oxigênio proporciona o aparecimento de luzes nos espectros do verde e do vermelho, enquanto as cores azul e roxa indicam a presença de nitrogênio.

Veja também: Neve — o que é e como se forma?

Onde ocorre a aurora boreal?

O nome “boreal” faz referência ao Hemisfério Norte, que é chamado também de setentrional ou boreal. Assim, o fenômeno da aurora boreal acontece nessa região do planeta Terra, sendo mais visível em áreas de elevada altitude que ficam situadas acima do Círculo Polar Ártico (66º33’ N), especialmente na zona (ou faixa) auroral. A zona auroral consiste em uma área que se estende por um raio de até 2500 km a partir do Polo Norte em que as luzes da aurora boreal aparecem de maneira mais intensa.

A aurora boreal possui maior visibilidade em algumas localidades. Veja a seguir:

Na ocasião de tempestades solares, a aurora boreal se torna visível também em outras áreas, como em outros estados dos Estados Unidos, por exemplo. É importante lembrarmos que as auroras não são exclusivas do planeta Terra. Fenômenos como esse são registrados também na atmosfera de Vênus, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno.

É possível ver a aurora boreal no Brasil?

O território brasileiro se encontra inserido quase integralmente na região tropical do planeta Terra, uma área formada por baixas e médias latitudes e situada a milhares de quilômetros de onde o fenômeno da aurora boreal é mais intenso e visível. Dessa forma, não é possível observar a aurora boreal no Brasil, devido à região onde ele se encontra.

Aurora boreal x aurora austral

Luzes da aurora austral capturadas na Ilha Sul, na Nova Zelândia.
Luzes da aurora austral capturadas na Ilha Sul, na Nova Zelândia.

A aurora é um fenômeno que acontece nas regiões de alta latitude em ambos os hemisférios do planeta Terra, Norte e Sul. Assim, utiliza-se o termo aurora austral para designar a ocorrência da aurora no Hemisfério Sul, que recebe o nome também de hemisfério meridional ou austral. A aurora austral é visível dos seguintes territórios:

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Aurora boreal"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/aurora-boreal.htm. Acesso em 14 de abril de 2024.

De estudante para estudante