close
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Saturno

Saturno possui 9 vezes o tamanho do planeta Terra e é formado principalmente por gases. Dispõe de 7 conjuntos de anéis circundantes e 82 luas, como Titã, a maior e mais conhecida.

Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Saturno é o sexto planeta a partir do Sol e é o segundo maior planeta do Sistema Solar, ficando atrás apenas de Júpiter. Suas dimensões são 9 vezes maiores que as da Terra. Devido à sua composição, é conhecido também como gigante gasoso e destaca-se pela beleza do sistema de anéis que o circunda, os quais são formados a partir de fragmentos de rocha e gelo.

Saturno tornou-se o planeta com o maior número de luas do Sistema Solar, em 2018, contando com 82 no total. Por meio das missões de exploração, como a Cassini, descobriu-se que Titã, o maior desses satélites naturais, tem características comparáveis às da Terra primitiva.

Saturno é o segundo maior planeta do Sistema Solar. Destaca-se pela presença de anéis formados por fragmentos de gelo e rocha
Saturno é o segundo maior planeta do Sistema Solar. Destaca-se pela presença de anéis formados por fragmentos de gelo e rocha.

Tópicos deste artigo

Dados gerais de Saturno

  • Diâmetro: 116.464 km.
  • Área de superfície: 42.612.133.285 km2.
  • Massa: 568.319 x 1021 kg.
  • Densidade: 0.687g/cm3.
  • Distância do Sol: 1,4 bilhões de km.
  • Satélite natural: 82 no total, sendo 53 luas conhecidas e 29 a serem confirmadas.
  • Período de rotação: 10,7 horas.
  • Período de translação: 29,4 anos terrestres.
  • Temperatura média: - 138 º C.
  • Composição atmosférica: predominância de hidrogênio (H2) e hélio (He).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Características de Saturno

Saturno é o segundo maior planeta do Sistema Solar, com 9 vezes o tamanho da Terra. Está relativamente distante do Sol, sendo o sexto planeta a partir dessa estrela, demorando 29,4 anos terrestres, ou 10.756 dias, para completar uma volta em torno dela. O seu movimento de rotação é curto, tendo duração de apenas 10,7 horas.

Diferentemente dos planetas rochosos, como a Terra, a superfície de Saturno não é sólida. O planeta é conhecido como gigante gasoso, o que se deve ao estado físico dos elementos que compõem sua estrutura. Saturno é formado predominantemente por hidrogênio, hélio em menores proporções e uma quantidade muito pequena de metano. O seu núcleo, em contrapartida, é denso e solidificado, envolto por hidrogênio líquido metálico e hidrogênio líquido. Mesmo com essa composição, a densidade de Saturno é menor do que a da água.

As imagens registradas do planeta mostram tons amarelados, marrons e brancos em sua superfície, devido à sua atmosfera, que, além dos gases mencionados, possui amônia em sua composição, assim como água congelada. Por vezes, grandes tempestades podem ocorrer, tornando-se aparentes na forma de faixas brancas.

Veja também: 8 curiosidades sobre o Sistema Solar

Anéis de Saturno

A presença de anéis circundantes no seu plano equatorial constitui a principal característica de Saturno. As primeiras observações desse sistema foram feitas no século XVII por Galileu Galilei e corroboradas, mais tarde, naquele mesmo século, pelo astrônomo holandês Christiaan Huygens.

Os anéis de Saturno são formados por partículas e fragmentos maiores de rocha e gelo, originárias de asteroides, cometas e luas que foram destruídos pela força gravitacional do planeta. Distribuem-se horizontalmente por até 282.000 km, com espessura variável que pode ir de alguns metros a 1 km, de acordo com a literatura acadêmica.

Modelo dos anéis de Saturno, se vistos com maior proximidade, sendo compostos por fragmentos rochosos e gelo.
Modelo dos anéis de Saturno, se vistos com maior proximidade, sendo compostos por fragmentos rochosos e gelo.

Os anéis externos são detentores de brilho mais intenso e, por isso, são mais facilmente observáveis por meio de telescópios e a nomenclatura deles foi definida a partir das extremidades, seguindo a ordem alfabética. Com isso, os sistemas principais constituem a seguinte sequência:

  • D, o grupo de anéis interno e próximo do planeta, possuindo brilho mais fraco,
  • C, B e A, sendo esses dois últimos os mais brilhantes,
  • E, F e G, mais recentemente descobertos e o mais externos.

 Essa denominação foi, em termos, descontinuada pelas descobertas mais recentes de novos anéis.

Entre os anéis B e A, há uma fenda de 4.700 km conhecida como Divisão Cassini, classificada como a mais extensa dentre as faixas que separam os grupos de anéis identificadas até o momento. Sua descoberta foi feita pelo astrônomo Jean Dominique Cassini em 1675.

Luas de Saturno

Saturno possui 82 satélites naturais, dos quais 53 são confirmados e outros 29 ainda aguardam a confirmação, de acordo com informações da NASA. Com a descoberta de 20 luas, anunciada em outubro de 2019, o planeta passou a ser o detentor do maior número de satélites naturais do Sistema Solar, posição que era anteriormente ocupada por Júpiter. As luas de Saturno têm tamanho que varia de 2 a até milhares de quilômetros de diâmetro, superando as dimensões de planetas conhecidos.

Titã foi a primeira lua de Saturno a ser descoberta, o que ocorreu no ano de 1655. Ela é a maior lua de Saturno e a segunda maior do Sistema Solar, com diâmetro de 5.149 km, sendo maior que o planeta Mercúrio.

Sua atmosfera é bastante densa, composta por nitrogênio e metano. A superfície de Titã é comparada com a da Terra primitiva, embora seja muito mais fria. Ela é formada por gelo, metano e etano em estado líquido e gasoso. Acredita-se que há oceanos de água sob a estrutura gelada, o que daria ao satélite um grande potencial para abrigar formas de vida.

Representação visual de Titã, maior lua de Saturno.
Representação visual de Titã, maior lua de Saturno.

A segunda maior lua de Saturno é Reia, com diâmetro de 1.529 km. Esse satélite chama a atenção pela presença de oxigênio e dióxido de carbono em sua atmosfera, além de ser formada essencialmente por gelo e rocha.

A terceira maior é Jápetus (1.472 km de diâmetro) e possui coloração característica, dividida em um tom mais claro e outro escuro, também composta por rocha e gelo. Outras grandes luas de Saturno são Dione e Tétis, com respectivamente 1.123 e 1.066 km de diâmetro.

Exploração de Saturno

A partir da segunda metade do século XX foi possível obter maiores detalhes a respeito da atmosfera e superfície de Saturno a partir das missões espaciais enviadas ao planeta. A primeira sonda, Pioneer 11, foi enviada pela NASA em 1972 e chegou ao planeta, em setembro de 1973. Com ela, novas luas foram descobertas, assim como o sistema de anéis F.

Em 1980 e 1981, as sondas gêmeas Voyager 1 e Voyager 2, também norte-americanas, fizeram maior aproximação de Saturno e permitiram a observação detalhada dos seus anéis circundantes.

Em 1997, teve início a missão mais importante realizada no planeta: a Cassini-Huygens. O destino foi alcançado em 1º de julho de 2004, e a missão estendeu-se até 15 de setembro de 2017. Dentre as suas maiores contribuições estão:

  • a descoberta de lagos na lua Titã,
  • a coleta de amostras da atmosfera de Saturno pela primeira vez,
  • a descoberta de novas luas,
  • o registro em imagens de furacões nos polos do planeta e milhares de outros registros fotográficos,
  • alguns dados inéditos coletados.

Destaca-se, ainda, que em 2005 a sonda Huygens, da Agência Espacial Europeia, pousou em Titã, sendo esse o primeiro pouso na superfície lunar de outro planeta.

Acesse também: Como funciona o lançamento de um foguete?

Curiosidades sobre Saturno

  • As observações de Saturno tiveram início na Mesopotâmia com os assírios.
  • O nome Saturno foi definido pelos romanos, representando o deus da agricultura.
  • Pela sua peculiaridade, é um planeta bastante utilizado na cultura pop. Exemplos são a série Star Trek e os filmes 2001: Uma Odisseia no Espaço e Wall-E.
  • O planeta possui um campo magnético 578 vezes mais poderoso do que o da Terra.
  • O formato circular dos anéis de Saturno e a manutenção de sua órbita são definidos pela presença das luas menores entre eles, mais especificamente pela força da gravidade desses satélites.
  • As luas Titã e Encélado têm grande potencial para abrigar vida, uma vez que possuem água e diferentes tipos de hidrocarbonetos em suas composições.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Saturno"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/saturno.htm. Acesso em 18 de maio de 2022.

Tire suas dúvidas


Por que se chama Mar Tenebroso

Por FELIPE ZINGEREVITZ DE MOURA sc159891
Responder
Ver respostas

quais são os fatores de identidade populacionais e oq são cada um deles?

Por (a1653) Mafalda Melo
Responder
Ver respostas

Estude agora


Panteras Negras

Assista a nossa videoaula para entender o que foi o Partido dos Panteras Negras. Confira também no nosso canal...

Dona Flor e seus dois maridos I Análise literária

Assista a nossa videoaula para conhecer um pouco mais da obra Dona Flor e seus dois maridos, romance do importante...