Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Brasil Império

O Império foi o período da história do Brasil que se iniciou com a independência, em 1822, e estendeu-se até 1889, quando a República foi proclamada.

Dom Pedro II, imperador do Brasil de 1840 a 1889, foi um dos grandes nomes – se não o maior – do Brasil Império.
Dom Pedro II, imperador do Brasil de 1840 a 1889, foi um dos grandes nomes – se não o maior – do Brasil Império.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Tópicos deste artigo

O que foi o período imperial?

O período imperial foi uma fase da história brasileira iniciada em 1822, quando o Brasil tornou-se independente, e finalizada em 1889, quando houve a Proclamação da República. Nesse período, o Brasil organizou-se politicamente como uma monarquia, sendo governado por um imperador, cujo poder era transmitido de maneira hereditária.

Acesse também: Conheça cinco curiosidades sobre a independência do Brasil

Independência do Brasil

O período imperial da nossa história iniciou-se logo após a independência do Brasil, declarada em 7 de setembro de 1822, quando Dom Pedro realizou o grito da independência às margens do Rio Ipiranga, em São Paulo. Esse, no entanto, é apenas o final de um processo iniciado em 1808, quando a família real portuguesa mudou-se para o Brasil, dando início ao Período Joanino.

A mudança da família real portuguesa aconteceu na virada de 1807 para 1808, quando Portugal foi invadido pelas tropas napoleônicas. Com isso, a família real estabeleceu-se no Rio de Janeiro e iniciou uma série de transformações que colocaram o Brasil em um novo patamar, responsável por antecipar nossa independência.

Apesar disso, o ponto de partida para a independência do Brasil ocorreu apenas em 1820, quando foi iniciada em Portugal a Revolução Liberal do Porto. Nessa revolução, a burguesia portuguesa reivindicava o retorno do rei D. João VI para Portugal e exigia a revogação das medidas que garantiam maior liberdade econômica ao Brasil.

As exigências de Portugal foram enxergadas no Brasil como uma tentativa de recolonizar o país e de impedir o desenvolvimento econômico que estava em curso. A partir daí, surgiu uma insatisfação dos brasileiros em relação a Portugal, dando início ao processo de independência do Brasil, liderado por Dom Pedro, nomeado por seu pai como regente do país.

Os desgastes nas relações entre Brasil e Portugal fizeram com que Dom Pedro proclamasse a independência do Brasil. O nosso país, então, converteu-se em uma monarquia, e Dom Pedro foi coroado imperador, tornando-se Dom Pedro I.

Periodização

O período imperial do Brasil é dividido em três fases:

Primeiro Reinado

O Primeiro Reinado foi o período em que o país foi governado por Dom Pedro I, filho de Dom João VI e regente do Brasil até sua independência. O Primeiro Reinado ficou marcado pelos atritos entre D. Pedro I e grupos políticos do Brasil, pelo autoritarismo e pela incompetência na administração do país.

Com a independência, determinadas regiões do país, como Pará e Maranhão, permaneceram fiéis a Portugal, desencadeando uma guerra no país. Com o fim da guerra de independência, era necessário garantir que Portugal reconhecesse a independência brasileira. Esse reconhecimento foi formalizado em 1825 por meio de negociações mediadas pela Inglaterra.

A outorga da Constituição de 1824 foi o exemplo mais claro do autoritarismo que marcou o reinado de D. Pedro I. Seu governo também foi marcado por decisões equivocadas, como a Guerra da Cisplatina, que destruiu nossa economia, e por rebeliões, que demonstravam a fraqueza do governo no comando do Brasil. Pressionado por diversos grupos insatisfeitos, D. Pedro I renunciou ao trono em 1831, em favor de seu filho.

O filho de D. Pedro I, porém, não tinha idade para assumir o Brasil. Assim, iniciou-se um período de transição em que o país foi governado por regentes até que o futuro imperador tivesse a idade mínima para assumir o país – 18 anos –, conforme estipulava a Constituição de 1824.

Esse período de transição ficou conhecido como Período Regencial.

Período Regencial

Regentes eleitos governaram o Brasil durante o Período Regencial, fase que ficou marcada pelas disputas entre os parlamentares brasileiros e por rebeliões provinciais. Ao longo desse período, aconteceram rebeliões como a Cabanagem, Balaiada, Sabinada, Revolta dos Malês e a Revolução Farroupilha.

O período das regências teve fim com o Golpe da Maioridade, no qual os políticos brasileiros anteciparam a maioridade de Pedro de Alcântara para que ele pudesse ser coroado imperador do Brasil com 14 anos de idade. Esse golpe parlamentar aconteceu em 1840, dando início ao Segundo Reinado.

Segundo Reinado

O Segundo Reinado, período em que Dom Pedro II foi o imperador do Brasil, estendeu-se de 1840 a 1889. O reinado de D. Pedro II pode ser dividido em diversas fases: um período inicial de consolidação, seguido por uma fase de auge e, por fim, um estágio de decadência.

A campanha abolicionista seguiu um longo percurso e foi um dos grandes acontecimentos que marcaram o Segundo Reinado. Quando D. Pedro II assumiu a presidência, o Brasil era pressionado pela Inglaterra a proibir o tráfico de escravos da África. Com a proibição do tráfico, em 1850, a monarquia iniciou uma transição bem lenta até a abolição do trabalho escravo do país, em 1888, durante os momentos finais da monarquia brasileira.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Guerra do Paraguai
A Guerra do Paraguai (1864-1870) foi um dos acontecimentos mais marcantes do Segundo Reinado.

Outro importante acontecimento do Segundo Reinado foi a Guerra do Paraguai, conflito que começou em 1864 e acabou em 1870 com a vitória do Brasil e de seus aliados. Nesse combate, Brasil, Argentina e Uruguai uniram-se para lutar contra o Paraguai e contra o ditador Solano López. A Guerra do Paraguai foi resultado dos choques de interesses que existiam entre as nações sul-americanas e teve como consequência final a destruição do Paraguai. Para o Brasil, as grandes consequências foram o enfraquecimento da monarquia e a instauração de uma forte crise econômica no país.

Acesse também: Saiba quais foram as causas da Guerra do Paraguai

A decadência da monarquia, resultado de seu enfraquecimento nos meios políticos e nas elites econômicas do Brasil, fez com que o republicanismo ganhasse força como alternativa política. Essa forma de governo foi viabilizada pela conspiração dos militares contra a monarquia.

A Proclamação da República aconteceu em 15 de novembro de 1889, quando foi organizado um golpe militar para destituir o gabinete ministerial ocupado pelo Visconde de Ouro Preto. A destituição do gabinete e as articulações políticas levaram José do Patrocínio a proclamar a república. D. Pedro II e a família real partiram, então, para a Europa em exílio.

Política e trabalho

Nos primeiros anos da monarquia, a vida política do Brasil concentrava-se em torno de três grupos políticos: liberais moderados, liberais exaltados e restauradores, cada um com suas próprias convicções políticas. Durante o Primeiro Reinado e o Período Regencial, esses grupos converteram-se em dois, liberais e conservadores, os quais controlaram nossa política no Segundo Reinado.

Havia muitas tensões políticas no país envolvendo diferentes questões. Existiam os federalistas, que defendiam maior autonomia para as províncias, enquanto outros defendiam a centralização do poder para que as províncias não tivessem autonomia; alguns eram monarquistas, enquanto outros eram republicanos, etc.

A disputa entre liberais e conservadores pelo poder no parlamento, por meio do gabinete ministerial, deixava nossa política bastante instável. D. Pedro II foi o responsável por controlar as disputas políticas e por criar um regime conhecido como parlamentarismo às avessas, sistema parlamentar no qual o imperador tinha plenos poderes de destituir o gabinete ministerial.

Em relação ao trabalho, as duas grandes questões eram referentes ao trabalho escravo e à chegada dos primeiros imigrantes europeus ao Brasil. No que diz respeito à escravidão, destaca-se a pressão dos ingleses para que o Brasil colocasse fim ao tráfico de escravos – o que, inclusive, quase levou nosso país à guerra contra os ingleses.

O processo de transição para o fim do trabalho escravo foi realizado lentamente, demonstrando o desinteresse da monarquia em acabar com a escravidão no Brasil, uma vez que isso poderia prejudicar politicamente o monarca brasileiro. No final da década de 1880, quando a situação já era insustentável, a campanha abolicionista ganhou força no país. Em 1888, a Lei Áurea foi assinada, proibindo o trabalho escravo dos negros em nosso país.

A vinda dos imigrantes ao Brasil surgiu como alternativa para substituir os escravos, que, após 1850, com a proibição do tráfico negreiro, estavam escasseando em nosso país. Os imigrantes foram muito importantes para as fazendas de café, que começaram a crescer no Oeste Paulista. Vieram para o Brasil um grande número de italianos e portugueses, bem como alemães e espanhóis.

Resumo

Brasil Império é o nome dado ao período que se estendeu de 1822 a 1889. A independência do Brasil marcou o início do período imperial, que foi encerrado com a Proclamação da República. O período imperial é dividido em três fases: Primeiro Reinado, Período Regencial e Segundo Reinado.

O Primeiro Reinado destacou-se pelo autoritarismo de D. Pedro I, que levou ao desgaste da sua relação com a elite política e econômica do país, fazendo com que o imperador renunciasse ao cargo.

O Período Regencial foi um momento de transição e teve dois grandes destaques: as brigas políticas e as revoltas provinciais.

Por fim, o Segundo Reinado foi o maior e mais estável período da monarquia no Brasil, quando D. Pedro II governou o país por quase meio século. Essa época foi marcada por importantes eventos no Brasil, como a Guerra do Paraguai. Durante esse período, o país passou por transformações que levaram ao fim do trabalho escravo e à chegada de milhares de imigrantes no país. O golpe militar que conduziu à proclamação da República deu fim à monarquia em 1889.



Por Daniel Neves Silva
Graduado em História

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Brasil Império"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historiab/brasil-monarquia.htm. Acesso em 06 de julho de 2022.

Videoaulas


Lista de exercícios


Exercício 1

(Selecon - adaptado) O texto a seguir é um trecho da carta deixada por D. Pedro I a seu filho, Pedro de Alcântara, quando da sua partida para a Europa em 1831:

“Meu querido filho e imperador… Deixar filhos, pátria e amigos, não pode haver maior sacrifício; mas levar a honra ilibada, não pode haver maior glória. Lembre-se sempre de seu pai, ame a sua e a minha pátria, siga os conselhos que lhe derem aqueles que cuidarem de sua educação, e conte que o mundo o há de admirar… Eu me retiro para a Europa… Adeus, meu amado filho, receba a bênção de seu pai que se retira saudoso e sem mais esperanças de o ver. D. Pedro de Alcântara, 12 de abril de 1831.”

Imperador e Defensor Perpétuo do Brasil, coroado em 1822, D. Pedro I foi levado à abdicação nove anos depois. Diversos fatores contribuíram para essa decisão do imperador, dentre os quais se pode destacar:

a) a grave crise econômica causada pela superprodução do açúcar, que fez baixar drasticamente seu preço no mercado externo, afetando diretamente a balança comercial brasileira.

b) a pressão exercida pelo governo britânico, insatisfeito com as medidas absolutistas do imperador, em nome da manutenção de uma Monarquia Constitucional que se espelhasse no modelo liberal inglês.

c) a perda do apoio político de grande parte da elite política, formada por grandes fazendeiros e comerciantes, insatisfeita com o autoritarismo de D. Pedro I, evidenciado pela criação e utilização do Poder Moderador.

d) a grande pressão popular, através de manifestações violentas na Corte, exigindo do imperador a adoção do voto universal, o fim da escravidão e uma reforma agrária radical.

e) nenhuma das alternativas acima.

Exercício 2

(Unifil - adaptado) Assinale abaixo a resposta que equivale a um dos principais movimentos de resistência ao poder absolutista de D. Pedro I.

a) Revolução Pernambucana de 1817

b) Constituição de 1924

c) Confederação do Equador

d) Regência Permanente

e) Revolução Praieira

 

Artigos Brasil Império


História do Brasil

9 de janeiro – Dia do Fico

Clique no link para acessar este texto e ter detalhes a respeito do Dia do Fico. Entenda quando foi e o que foi esse acontecimento marcante da história brasileira.

Capa da Revista do IHGB: um marco significativo da escrita do nosso passado
História do Brasil

A criação do Instituto Histórico Geográfico Brasileiro

As intenções e valores de um instituto que revisou o passado do nosso país.

Litografia de Jean-Baptiste Debret (1768-1848), Barbeiros Ambulantes
História do Brasil

A música de barbeiros nas cidades imperiais

Conheça o pioneirismo da música de barbeiros na produção musical popular brasileira.

Dom Pedro obteve apoio político para capitanear o processo de independência do Brasil
História do Brasil

A regência de Dom Pedro I

O governo de Dom Pedro I antes da proclamação de independência.

Acima, bilhete em que D. Pedro I escreveu a sua abdicação
História do Brasil

Abdicação de Dom Pedro I

Fique sabendo os motivos que levaram à abdicação de D. Pedro I em 7 de abril de 1831.

História do Brasil

Amélia

D. Amélia – Imperatriz do Brasil. Como teria que ser a nova esposa de D.Pedro, a escolha por D.Amélia, como D.Amélia tornou-se a segunda esposa de D.Pedro, a gravidez de D.Amélia, o nascimento...

No século XVI, os anabatistas foram alvo de perseguição no Norte da Europa
História do Brasil

Anabatistas e as revoltas do século XVI

Entenda a relação entre os anabatistas e as revoltas do século XVI que esteve em evidência na década de 1520, sobretudo na Alemanha.

O casal de reis de Portugal foi um dos mais controversos da história portuguesa
História do Brasil

Carlota Joaquina e Dom João VI

Saiba mais sobre a vida de Carlota Joaquina e Dom João VI e entenda como detalhes da vida privada podem influenciar acontecimentos históricos.

A Independência do Brasil foi efetivada em 7 de setembro de 1822
História do Brasil

Cinco curiosidades sobre a Independência do Brasil

Veja cinco curiosidades sobre a Independência do Brasil e amplie os seus conhecimentos sobre esse tema que é um dos mais importantes de nossa história.

Bandeira da Confederação do Equador (1824).
História do Brasil

Confederação do Equador

Acesse o site e conheça mais sobre a Confederação do Equador. Acompanhe os seus antecedentes e de que forma esse movimento enfrentou o poder imperial.

História do Brasil

Dom Pedro I

Saiba mais sobre a vida de d. Pedro I, imperador do Brasil durante o Primeiro Reinado. Veja detalhes sobre sua vida pessoal, seu papel na independência e sua morte.

As guerras de independência foram cruciais para o fim do domínio português
História do Brasil

Guerras de Independência

Os conflitos que asseguraram a autonomia política do Brasil em relação à Portugal.

A Independência da Bahia: um dos mais intensos episódios de luta contra a dominação portugesa no Brasil
História do Brasil

Independência da Bahia

O conflito que marcou as lutas de independência do Brasil.

História do Brasil

Independência do Brasil

Clique e acesse este texto para saber um pouco mais sobre o processo de independência do Brasil. Entenda as causas, como ocorreu o processo e as consequências.

História do Brasil

José Bonifácio

José Bonifácio de Andrade e Silva. Informações sobre o Patriarca da Independência brasileira, atuação na Independência do Brasil e a biografia de José Bonifácio.

História do Brasil

Maria Leopoldina

Saiba sobre a vida de Maria Leopoldina, imperatriz do Brasil entre 1822 e 1826. Conheça os principais fatos relacionados a ela e seu papel na independência do país.

História do Brasil

Marquesa de Santos

Clique aqui e conheça detalhes da vida da marquesa de Santos, chamada Domitila de Castro Canto e Melo. Veja como foi seu envolvimento com d. Pedro I.

Princesa Isabel, considerada “A Redentora” por ter assinado a Lei Áurea
História do Brasil

Seis fatos curiosos sobre a princesa Isabel

Conheça seis fatos curiosos sobre a princesa Isabel, considerada “a Redentora” por ter assinado a Lei Áurea, a lei que aboliu a escravidão no Brasil.

Luiz Gama, José do Patrocínio e André Rebouças são exemplos de três grandes abolicionistas negros brasileiros.
História do Brasil

Três grandes abolicionistas negros brasileiros

Conheça três grandes abolicionistas negros brasileiros, atuantes na segunda metade do século XIX!

PUBLICIDADE

Estude agora


Como fazer a inscrição no Enem 2021

Vai fazer o Enem 2021 neste ano e quer tirar todas as suas dúvidas sobre a forma de se inscrever no exame mais...

Área da esfera

Nesta videoaula, vamos realizar a demonstração para o cálculo da área de uma esfera e resolveremos um...