Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Natação

A natação é uma prática corporal realizada na água por meio de quatro estilos de nado: crawl, peito, costas e borboleta.

Mulher branca com maiô azul e touca branca em nado na piscina.
A natação pode ser praticada enquanto esporte ou atividade recreativa.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

 A natação é a prática de deslocamento na água por meio de movimentos corporais, principalmente com o uso dos braços e pernas. Os estilos de nados são divididos em: crawl, peito, costas e borboleta.

Ao longo do tempo, a humanidade construiu uma relação muito próxima com a água, devido à grande disponibilidade do recurso. O meio aquático passou então a ser amplamente utilizado para fins de sobrevivência, lazer, deslocamento e, com a esportivização da natação, como espaço de treinamento e de espetáculo.

A movimentação do corpo na água desenvolve capacidades físicas como o condicionamento cardiorrespiratório, coordenação motora e resistência muscular. Nesse sentido, a natação é considerada um dos exercícios físicos mais completos.

Além de praticada enquanto esporte, a modalidade também é realizada como atividade recreativa por pessoas de diferentes idades que buscam melhorar a saúde corporal ou ter momentos de lazer.

Leia também: Ginástica — prática esportiva que possui diferentes modalidades

Tópicos deste artigo

Resumo sobre natação

  • A natação começou a ser praticada há mais de 5 mil anos, de acordo com registros arqueológicos.

  • Na Antiguidade, nadar para os gregos contribuía para a formação cidadã. Já para os romanos, serviu para o fortalecimento da base militar como forma de treinamento.

  • O Japão sediou a primeira competição da natação em 1810.

  • A Inglaterra foi um dos principais países a expandir a modalidade esportiva pelo mundo ao criar a Associação Amadora de Natação em 1869.

  • A prática enquanto esporte começou no final do século XIX.

  • São quatro estilos de nados: crawl, peito, costas e borboleta.

  • A piscina olímpica possui o cumprimento de 50 metros e profundidade de no mínimo 3 metros.

  • Desde a primeira edição dos jogos olímpicos, em 1896, na cidade de Atenas, a natação faz parte da competição.

  • Nos jogos olímpicos de Helsinque, em 1952, a primeira medalha olímpica brasileira foi conquistada por Tetsuo Okamoto — um bronze nos 1.500 metros.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Tipos de nados

Os tipos de nados são divididos de acordo com o posicionamento do tronco do corpo e o movimento de pernas e braços. São quatro estilos de nados: crawl, peito, costas e borboleta. Confira as características de cada um deles abaixo.

  • Nado crawl

O nado crawl, que na língua inglesa significa “rastejar”, foi criado na Austrália, sendo também conhecido como nado australiano.

A invenção da modalidade foi influenciada por Dick Cavill, após este realizar uma prova curiosa com seu irmão Tums Cavill na qual Tums nadou 30 metros com as pernas amarradas e venceu Dick.

A experiência fez com que Dick percebesse que o uso irregular das pernas poderia ser interessante para a velocidade do nado. Após algumas tentativas, ele lembrou da técnica utilizada por um nadador italiano que aprendeu o movimento de povos nativos de Colombo, no Sri Lanka.

A técnica consistia em permanecer com as pernas retas e realizar batidas com os membros inferiores estendidos. Era necessário, então, encontrar uma coordenação harmônica e eficiente entre os movimentos de braços e pernas.

Homem branco de bermuda executa nado crawl com o braço esquerdo estendido à frente e o outro atrás.
O nado crawl é o tipo de nado mais rápido e eficiente na natação.

O nado crawl é considerado o mais rápido entre os quatro estilos de natação. Ele é o mais praticado no estilo livre das competições, que dá abertura aos atletas escolherem um dos quatro tipos para disputar.

Conheça as características do nado crawl:

 Quadro cita as principais características do nado crawl.

As provas do estilo crawl são:

◦ 50 metros, 100 metros, 200 metros, 400 metros, 800 metros e 1.500 metros;

◦ revezamento (4x 100 metros ou 4x 200 metros);

◦ maratona aquática.

  • Nado peito

O nado peito é praticado desde a Idade Média, período que já contava com competições de natação com o uso dessa modalidade de nado.

Um dos primeiros registros foi feito pelo francês M. Thevenal, em 1696, que descreveu uma forma de nadar semelhante ao estilo praticado atualmente e com a movimentação parecida com a de uma rã.

A estreia do estilo nos Jogos Olímpicos aconteceu na edição de 1904, na cidade estadunidense de Saint Louis.

 Homem realiza nado peito com braços estendidos à frente e pernas flexionadas.
 Homem realiza nado peito com braços estendidos à frente e pernas flexionadas.

Inicialmente, a prática do nado era feita totalmente dentro da água, o que ocasionava desmaios nos praticantes. Na década de 1950, porém, foram feitas alterações nas regras que permitiram completar o movimento na superfície. Esse é o tipo de nado mais lento entre os quatro.

Saiba quais são as fases dos movimentos do nado peito:

Quadro cita as principais características do nado peito.

No momento da virada ou toque na borda, o atleta deve bater as duas mãos na parede. As provas do estilo peito são feitas em 100 metros e 200 metros.

  • Nado costas

O nado costas foi criado pelo italiano Bernardi em 1794. Inicialmente, a movimentação dos braços era feita de forma simultânea, mas com o passar do tempo, os nadadores perceberam que a forma alternada dos membros superiores proporciona melhor rendimento.

Mulher branca com maiô colorido realiza nado costas na piscina.
 Praticante de natação realiza nado costas.

A única diferença desse nado com o crawl é que ele é realizado de costas. A movimentação alternada dos braços e as batidas da pernas ocorrem da mesma forma em ambos os estilos.

Confira como é realizado o nado costas:

Quadro cita as principais características do nado costas.

É a única modalidade de nado em que os atletas largam já dentro d’água, segurando o cabo da baliza. O corpo pode estar totalmente submerso somente até 15 metros após a largada e as viradas. As provas do estilo costas são de 100 metros e 200 metros.

  • Nado borboleta

O nado borboleta foi criado a partir do nado peito em meados da década de 1930. A criação se deu com a observação de que quando a recuperação ocorria mais próxima do nível da água, o rendimento do nado era melhor.

Por algum tempo foi adotado o estilo peito-borboleta, no qual era realizada a pernada do nado peito com a movimentação aérea dos braços do estilo borboleta.

Homem branco de toca azul na fase aérea do nado borboleta, braços abertos acima da água próximos à linha do ombro.
O nado borboleta é o mais difícil dos quatro estilos, por exigir mais do condicionamento do atleta.

A partir de 1950, foi inserida a movimentação ondulada das pernas, conhecida como golfinho, e assim o nado borboleta foi consolidado tal como é conhecido atualmente.

Conheça as etapas de movimentação no nado borboleta:

Quadro cita as principais características do nado borboleta.

As provas do estilo borboleta são de 100 metros e 200 metros.

Regras da natação

Conheça algumas regras da natação olímpica:

Quadro cita as principais regras da natação olímpica.

A prova da modalidade medley reúne os quatro estilos de nados da natação. Ela pode ser realizada das seguintes formas:

  • 200 metros, sendo 50 metros para cada estilo;

  • 400 metros, sendo 100 metros para cada estilo;

  • revezamento 4x 100 metros, com cada atleta utilizando um estilo.

Leia também: Basquetebol — um dos esportes mais praticados no mundo

Benefícios da natação

A natação é uma das práticas corporais mais completas quanto ao desenvolvimento de capacidades físicas. Aspectos como o condicionamento cardiorrespiratório, força, resistência e flexibilidade são desenvolvidos e qualificados por meio do nado. O movimento harmônico do corpo na água possibilita que diferentes e vários músculos, bem como as articulações, sejam constantemente trabalhados.

Entre os benefícios da natação, estão:

  • melhora de habilidades físicas, como a força e flexibilidade musculares;

  • aprimoramento da coordenação motora;

  • melhora da circulação sanguínea;

  • estímulo do metabolismo corporal, isto é, processos como emagrecimento e manutenção do corpo.

Os praticantes de natação recreativa vivenciam também momentos de interação social e de lazer, o que é interessante para o bem-estar para a redução do estresse.

História da natação

A história da natação remonta aos primórdios da humanidade. Registros arqueológicos mostram atividades próximas ao ato de nadar por meio de pinturas rupestres datadas de mais de 5 mil anos a.C.

A superfície do planeta é coberta por água em mais de 70% de sua área. A disponibilidade desse recurso proporcionou, ao longo do tempo, a prática de atividades aquáticas com diferentes objetivos.

Essenciais para a sobrevivência, os recursos hídricos sempre foram atrativos para os humanos, devido a atividades como o consumo da água, a pesca, o banho enquanto lazer e a higiene corporal.

A origem da natação está associada à teoria de que a observação dos animais aquáticos por grupos antigos de humanos permitiu verificar como se dava o deslocamento do corpo na água. Dessa forma, a natação começou a ser consolidada enquanto uma prática que permite a movimentação corporal de maneira fluida no ambiente aquático.

A água e a prática do nado contou, ao longo do tempo e em diferentes sociedades, com uma diversidade de funções e significados.

Na civilização grega da Antiguidade, não saber nadar representava uma vergonha tal como não saber ler. A utilidade médica da água estava presente entre os gregos desde o século IV a.C. Nesse período, a técnica de banho de contraste consistia em se lavar de maneira alternada com água quente e fria com a finalidade de tratamento de saúde.

O domínio do rio Nilo até o mar Vermelho pelo Império Persa entre os anos 550 e 494 a.C. foi viabilizado por causa dos soldados nadadores. Foram realizados treinamentos com o objetivo de atacar embarcações pelo mar.

Entre os romanos, os banhos públicos eram uma das atividades de lazer preferidas. Na educação, a natação era considerada essencial à preparação física dos cidadãos.

O período romano de 27 a.C. a 476 d.C. ficou marcado pelas atividades de nado nas piscinas termais. Esses ambientes foram considerados como as primeiras piscinas públicas.

A prática da natação por essas civilizações antigas e também durante a Idade Média esteve restrita principalmente a homens da nobreza e militares. E no Oriente, especificamente no Japão, a natação começou a ser praticada e incluída na grade escolar desde o século XVI pelo imperador Go-Yousei.

Somente no século XVIII a natação começou a ser organizada e desenvolvida enquanto esporte. A primeira competição de que se tem conhecimento aconteceu no Japão no ano de 1810.

A popularização da prática em Londres se deu logo em seguida, com o banho público de Lord Byron, em 1810. Na ocasião, o lorde realizou a travessia a nado do Canal de Dardanelos, que liga o continente europeu com o asiático e possui 1,5 km de distância. Esse fato demonstrou o potencial da natação, contribuindo para a democratização da prática.

A Inglaterra se tornou uma das nações que potencializou a natação. O país sediou diversas competições desde 1830. A Associação de Natação Amadora foi criada em 1869 pelos ingleses e foi responsável por expandir o esporte a nível global.

Com isso, em 1871, o primeiro recorde mundial de natação foi estabelecido pelo nadador inglês Winston Cole, que fez 100 metros livre em 1 minuto e 15 segundos. Apesar de as piscinas serem os espaços mais comuns para as competições de natação, outros ambientes, como rios, lagos e mares, eram e são utilizados para a prática.

O Canal da Mancha, que separa a Inglaterra da França por via marítima, foi atravessado pela primeira vez por Matthew Webb em 1875. O percurso de 33 km (em linha reta) foi feito por Webb em 21 horas e 45 minutos. O desafio se tornou desde então uma das principais provas de águas abertas do mundo.

Em 1908, foi fundada a Federação Internacional de Natação (Fina), órgão responsável por regulamentar o esporte, bem como outras modalidades como: polo aquático, saltos ornamentais e nado sincronizado.

Leia também: Seis fatos importantes da história das Olimpíadas

Natação no Brasil

A natação no Brasil possui origem nas práticas de nado realizadas pelos povos indígenas. A atividade era utilizada como forma de sobrevivência, uma vez que os indígenas se deslocavam na água para fugir de ataques de animais.

O remo influenciou o início da prática esportiva da natação no Brasil com a fundação da União de Regatas Fluminense em 1897. O coletivo foi responsável por promover a primeira competição brasileira de natação no ano de 1898. A prova, na época chamada de concurso aquático, contou com a distância de 1,5 km entre a fortaleza de Villegaignon até a praia de Santa Luzia, na cidade do Rio de Janeiro.

A partir de 1916, a natação passou a ser organizada e regulamentada no país pela Confederação Brasileira de Desportos (CBD). Em 1919, foram construídas as primeiras piscinas de competição pelo Fluminense Futebol Clube.

Maria Lenk é considerada pioneira e um dos destaques da história da natação brasileira. Ela foi a primeira mulher brasileira e sul-americana a participar dos jogos olímpicos em 1932. A atleta esteve à frente do seu tempo ao conquistar vários títulos em um período em que a prática esportiva não era tão comum entre as mulheres.

Maria Lenk é recebida pelo presidente Getúlio Vargas. [1]
Maria Lenk é recebida pelo presidente Getúlio Vargas. [1]

Natação nas Olimpíadas

A participação da natação nas Olimpíadas começou em 1896, em Atenas, o mesmo ano da primeira edição dos Jogos Olímpicos da era moderna. Na ocasião, a prova de natação foi realizada na Baía de Zea pela costa de Pireu. Os participantes, até então apenas homens, saltavam de embarcações e nadavam em água corrente.

O estilo de nado principal utilizado na época era a braçada de peito. Posteriormente, passaram a ser realizados os nados estilo crawl e braçada lateral inglesa.

As provas foram realizadas em mar aberto nas três primeiras edições dos jogos. Apenas na edição de Londres, em 1908, as piscinas passaram a ser utilizadas como espaço de competição.

As mulheres tiveram sua primeira participação olímpica no ano de 1912, na cidade de Estocolmo, na Suécia.

A natação é considerada um dos principais esportes do planeta e nas Olimpíadas se desenvolveu enquanto esporte de destaque devido à sua participação desde a primeira edição.

O maior medalhista olímpico de todas as modalidades esportivas é o nadador norte-americano Michael Phelps. O atleta conquistou, ao longo de quatro edições dos Jogos Olímpicos, um total de 28 medalhas, sendo 23 de ouro.

Os países com mais medalhas olímpicas na natação são Estados Unidos e Austrália.

  • Natação brasileira nas Olimpíadas

O primeiro atleta brasileiro da natação a subir a um pódio olímpico foi Tetsuo Okamoto, natural de Marília, no interior paulista. Okamoto levou o bronze nos 1.500 metros livre nas Olimpíadas de 1952 em Helsinque, na Finlândia.

Já a primeira atleta brasileira a conquistar uma medalha olímpica foi Poliana Okimoto. A competidora, natural de São Paulo, levou o bronze na maratona aquática nas Olimpíadas do Rio, em 2016. Ela foi considerada pela Fina a melhor nadadora de maratonas aquáticas do mundo nos anos de 2009 e 2013. Poliana também foi a primeira mulher brasileira campeã mundial de natação e a entrar no Hall da Fama. 

O Brasil conquistou duas medalhas de ouro na natação. A primeira foi de César Cielo, nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, nos 50 metros livre. Já a segunda foi conquistada por Ana Marcela Cunha, em Tóquio 2020, na maratona aquática.

Ao todo, o time brasileiro da natação já conquistou 17 medalhas olímpicas.

Natação paralímpica

A natação paralímpica pode ser praticada por atletas com deficiências físicas, visual e intelectual.

Atleta paralímpica sem os membros inferiores pula para a piscina para começar a prova de natação.
Atleta paralímpica sem os membros inferiores pula para a piscina para começar a prova de natação.

Todas as classes começam com a letra S, de swimming (“natação”, em inglês). Saiba quais são as classes e modalidades para cada condição:

  • S: nados livre, costas e borboleta

  • SB: nado peito

  • SM: nado medley

  • 1 a 10: atletas com limitações físico-motoras

  • 11 a 13: atletas com deficiência visual

  • 14: atletas com deficiência intelectual

O time Brasil nas Paralimpíadas já conquistou 102 medalhas na natação, atrás apenas do atletismo (142) como modalidade com maior número de medalhas na competição.

Natação infantil

A prática da natação para crianças é fundamental para o processo de desenvolvimento e crescimento. O fato de a modalidade ser realizada na água permite que as crianças possam aprender de forma lúdica e mais leve.

Menino com óculos de natação azuis realiza nado borboleta em piscina.
A natação oferece muitas vantagens em todas as faixas etárias.

Entre os benefícios gerados pela natação infantil estão o aprendizado de habilidades motoras básicas e essenciais na fase da infância, momento de descontração e ludicidade, melhora da saúde cardiovascular e do sistema respiratório.

Outro aspecto importante diz respeito à autoestima da criança e ao desenvolvimento das relações interpessoais, que são possibilitadas pelas aulas de natação.

Créditos da imagem

[1] Domínio Público / Arquivo do Museu Nacional

[2] A.RICARDO / Shutterstock

 

Por Lucas Afonso
Jornalista e profissional de Educação Física

Escritor do artigo
Escrito por: Lucas Afonso Jornalista pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e bacharel em Educação Física pelo Centro Universitário Internacional (Uninter).

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

AFONSO, Lucas. "Natação"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/educacao-fisica/natacao.htm. Acesso em 15 de julho de 2024.

De estudante para estudante