Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Polo aquático

O polo aquático é um esporte coletivo praticado na água em que duas equipes têm o objetivo de marcar gols.

Equipes praticando polo aquático.
O polo aquático é um esporte coletivo praticado na água em que duas equipes buscam fazer a maior quantidade de gols. [1]
Crédito da Imagem: Shutterstock
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O polo aquático é um esporte coletivo praticado na água em que duas equipes buscam fazer a maior quantidade de gols. A modalidade surgiu na Inglaterra em meados do século XIX e faz parte dos Jogos Olímpicos desde 1900.

Juntamente com o futebol, o polo aquático foi a primeira modalidade esportiva coletiva a ser incluída nas Olimpíadas. Hungria e Estados Unidos estão entre os países com mais títulos mundiais nesse esporte.

Leia também: Futebol — detalhes sobre a principal prática esportiva voltada para a marcação de gols

Tópicos deste artigo

Resumo sobre polo aquático

  • O polo aquático é um esporte coletivo praticado na água em que duas equipes buscam fazer a maior quantidade de gols.

  • A partida de polo aquático é dividida em quatro períodos de oito minutos cada.

  • Nenhum jogador pode segurar a bola com as duas mãos no polo aquático, exceto o goleiro.

  • No início, as disputas e partidas eram marcadas pela violência por não haver regras específicas que definissem faltas no jogo.

  • O tamanho da bola e a dimensão da piscina podem ser diferentes entre as categorias masculina e feminina.

  • O esporte não é popular no Brasil, que não chegou a subir ao pódio olímpico desde sua primeira participação na competição em 1920, na edição de Antuérpia.

  • Hungria e Estados Unidos são alguns dos maiores campeões do polo aquático no mundo.

  • O polo aquático surgiu em meados do século XIX na Inglaterra.

  • Foi a primeira modalidade esportiva coletiva a integrar os Jogos Olímpicos juntamente com o futebol.

O que é o polo aquático?

O polo aquático é um esporte coletivo praticado na água em que duas equipes possuem o objetivo de marcar gols no campo adversário. Nesse sentido, a prática exige diferentes habilidades físicas dos competidores, tais como: dominar técnicas de nado eficiente para o deslocamento e resistência cardiorrespiratória.

Cada equipe do polo aquático é composta por sete jogadores que ficam na água, incluindo o goleiro. Outros seis atletas ficam na reserva.

Regras do polo aquático

Entre as regras e características que definem e constituem o polo aquático, estão: dimensões do local de disputa, equipamentos, duração da partida, ações, componentes que fazem parte da partida e faltas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dimensão de campo do polo aquático na piscina

A dimensão de campo do polo aquático na piscina em um jogo oficial é de:

  • entre 10 e 20 metros de largura;

  • entre 20 e 30 metros de comprimento (masculino);

  • entre 20 e 25 metros de comprimento (feminino);

  • profundidade mínima, de preferência, de 2 metros.

Piscina de polo aquático em ginásio durante os Jogos Olímpicos (Olimpíadas) do Rio.
Campo de polo aquático em uma piscina olímpica. [2]

A linha média é definida por duas boias brancas. A área de 2 metros próximo ao gol define a zona de impedimento para cada um dos lados da piscina. Já a área de 5 metros determina a região que pode resultar em pênalti, caso ocorra uma falta.

O gol do polo aquático possui a altura de 3 metros e largura de 0,9 metro. A linha do gol é definida a partir de duas boias brancas. As substituições só podem ser feitas na área de reentrada com largura de 2 metros. Nesse local também ficam os jogadores expulsos da partida.

Ações e componentes do polo aquático

Entre as ações e componentes que fazem parte do polo aquático estão: a ação de pontuar (fazer o gol), escanteio, impedimento, goleiro (defensor do gol), arbitragem e cronometrista.

Atletas mulheres em partida de polo aquático.
O polo aquático exige habilidades de nado e resistência cardiorrespiratória para a prática. [3]
  • Pontuar (fazer o gol): um gol pode ser marcado com qualquer parte do corpo dos atletas, exceto o punho fechado. A marcação do gol pode ocorrer de jogadas de qualquer parte do campo da piscina.
  • Escanteio: é marcado quando a bola é desviada atrás da linha do gol. A cobrança deve ser feita a partir da linha dos dois metros, sendo que nenhum jogador atacante pode permanecer nessa área.

  • Impedimento: acontece quando o jogador se localizar dentro da área de dois metros e a bola estiver atrás dele.

  • Goleiro: é o jogador responsável por defender o gol da bola arremessada pelo time adversário. A fase defensiva geralmente se inicia a partir do goleiro que passa a bola para um jogador atacante. Somente o goleiro pode “andar” e socar a bola.

Goleiro com touca vermelha de polo aquático se prepara para defesa do gol.
O goleiro do polo aquático usa touca vermelha para ser diferenciado do restante da equipe. [4]
  • Arbitragem: no polo aquático é composta por dois juízes de gol, que ficam próximo à linha do gol, e dois árbitros, um de cada lado, que se movem à medida que a bola é conduzida.
  • Cronometristas: são os responsáveis por marcar o tempo efetivo de jogo, pedidos de tempo e intervalos entre os períodos da partida. Além disso, eles devem marcar o tempo de posse de bola de cada equipe e anunciar o último minuto de jogo.

Duração da partida de polo aquático

A partida de polo aquático é composta por quatro períodos de oito minutos. Veja a organização do tempo de uma partida de polo aquático:

  • 1º período – 8 minutos

  • 1º intervalo – 2 minutos

  • 2º período – 8 minutos

  • 2º intervalo – 3 minutos

  • 3º período – 8 minutos

  • 3º intervalo – 2 minutos

  • 4º período – 8 minutos

A cada interrupção de jogo, o tempo deve ser parado, sendo reinicializado a partir do momento em que a bola retorna para o jogo. As equipes trocam de lado antes de começar o terceiro período.

Equipamentos utilizados no polo aquático

Entre os equipamentos utilizados no polo aquático estão a vestimenta específica para o ambiente aquático, a touca colorida e a bola, objeto manuseado para fazer gols. As toucas coloridas, com o número de cada atleta, são utilizadas para identificação de cada jogador. Protetores de ouvidos estão presentes nas toucas e devem ter a mesma cor da touca da equipe. Os goleiros utilizam toucas vermelhas para se diferenciar dos demais.

Jogadora de polo aquático durante a partida segura a bola com uma das mãos.
Há diferenças no tamanho da bola e no tamanho da piscina entre as categorias feminina e masculina.

A bola do polo aquático possui as seguintes dimensões:

  • peso de 400 a 450 g;

  • tamanho em circunferência de 68 a 71 cm (categoria masculina);

  • tamanho em circunferência de 65 a 67 cm (categoria feminina).

Faltas no polo aquático

Confira quais ações são consideradas faltas no polo aquático:

  • segurar a bola com as duas mãos (somente o goleiro tem o direito de jogar com as duas mãos);

  • empurrar o adversário;

  • atrapalhar a cobrança de uma falta;

  • agarrar o adversário ou impedir a passagem de um jogador sem a bola;

  • manter a bola embaixo da água;

  • estar em posição de impedimento.

Com três faltas, um jogador pode ser expulso da partida de polo aquático, mas pode ser substituído.

Veja também: Natação — prática corporal realizada na água por meio de quatro estilos de nado: crawl, peito, costas e borboleta

Polo aquático no Brasil

A prática do polo aquático no Brasil começou no final do século XIX e início do século XX. Os primeiros estados que receberam a modalidade foram Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo e Santa Catarina.

O esporte era praticado por remadores e nadadores de alguns clubes, como Flamengo, Boqueirão do Passeio, Natação e Regatas, Guanabara e Vasco da Gama, conforme expõem Vitor Conceição e Davi Frasson em sua pesquisa. |1|

As regras adotadas nesse período eram muito diferentes das atuais. A força era uma habilidade muito exigida para realizar bloqueios e passar pelos adversários para alcançar o gol. Nesse sentido, a agressividade era um aspecto que marcou o início do esporte.

A primeira partida de que se tem registro aqui no Brasil foi disputada na praia Santa Luzia, em 1908, no Rio de Janeiro. Na ocasião, em referência ao futebol, cada equipe contou com 11 jogadores no jogo. O primeiro duelo internacional por aqui aconteceu na Baía de Guanabara, em 1919, marcado pelo confronto entre brasileiros e argentinos.

A Confederação Brasileira de Desportos Aquático (CBDA) foi criada em 1988 e é o órgão responsável por regulamentar, orientar e organizar eventos esportivos de polo aquático a nível nacional. Além do esporte, fazem parte desta confederação a natação, o nado sincronizado, maratona aquática e saltos ornamentais.

O esporte não é popular no Brasil e não alcançou muitos títulos ao longo do tempo. Um destaque foi a conquista dos Jogos Pan-Americanos de São Paulo, em 1963, e o Campeonato Sul-Americano, em 1967.

Atleta brasileiro segura bola de polo aquático durante partida.
Jogo da seleção masculina de polo aquático durante partida contra Sérvia nas Olimpíadas do Rio, em 2016. [5]

Veja quais foram as melhores campanhas do time brasileiro de polo aquático nas Olimpíadas:

  • 1932 – 5º colocado

  • 1920 – 6º colocado

  • 1952 – 9º colocado

Leia também: Participação do Brasil nos Jogos Olímpicos

Polo aquático no mundo

Confira, abaixo, os maiores campões de polo aquático nos Jogos Olímpicos:

  • Hungria

  • Iugoslávia

  • Itália

  • União Soviética

  • Grã-Bretanha

  • Estados Unidos

  • Bélgica

  • Alemanha

  • França

  • Sérvia

Na categoria feminina, os Estados Unidos e a Austrália são alguns dos maiores campeões do polo aquático nos Jogos Olímpicos.

O Campeonato Mundial de Polo Aquático entre os homens começou a ser realizado em 1973 sob responsabilidade da Federação Internacional de Natação (FINA). A categoria feminina foi inaugurada no ano de 1986. O evento ocorre a cada dois anos, no intervalo da Copa do Mundo de Polo Aquático que acontece desde 1979.

Acesse também: Handebol — outra modalidade esportiva que tem como objetivo fazer gols

Origem e história do polo aquático

Foto em tom amarelado mostra partida de polo aquático em Portugal.
Partida de polo aquático entre uma equipe de clube e a seleção de Lisboa na cidade portuguesa de Funchal, 1924.

O polo aquático surgiu em meados do século XIX na Inglaterra. Há duas narrativas diferentes sobre a origem dessa modalidade esportiva: uma diz que teria começado em uma realidade popular e a outra, iniciada pela elite.

  • Primeira narrativa sobre a origem do polo aquático: devido à Revolução Industrial que marcou o cenário social inglês, havia aglomeração de operários em diferentes espaços das cidades. Esses trabalhadores desenvolveram diferentes formas e atividades para passar o tempo quando estavam livres. Nesse contexto, o polo aquático teria surgido a partir da prática lúdica realizada em rios e lagos.

  • Segunda narrativa sobre a origem do polo aquático: por outro lado, há quem afirma que o esporte começou já dentro de espaços formais para este tipo de atividade, como as piscinas cobertas. A prática teria iniciado em meio a intervalos de competições de natação entre os praticantes do esporte mais popular. Com isso, essa narrativa envolve elementos de que a origem polo estaria associada a uma realidade elitizada e não popular, como a primeira.

Nas primeiras competições de polo aquático, o objetivo era transportar a bola de um lado para o outro, como acontece com o rúgbi. A bola era de couro, o que dificultava o seu manuseio no ambiente aquático. Logo, os praticantes perceberam que o material do objeto não era o mais ideal para o esporte.

Dessa forma, uma bola produzida com borracha na Índia, chamada de pulu, foi incluída na prática do polo. O item foi responsável por dar nome ao esporte e garantir um jogo mais veloz e dinâmico. A bola passou por outras mudanças ao longo dos anos que a tornaram cada vez mais leve e dinâmica para sua finalidade no esporte.

Nos primeiros anos desde seu início, o esporte se expandiu rapidamente pela Inglaterra. Em 1870, o London Swimming Club desenvolveu regras e regulamentou a prática. Entretanto, mesmo com o regramento, em algumas disputas de polo aquático eram comuns situações de violência entre os jogadores.

Um episódio que marcou a história do esporte foi a disputa de polo aquático entre Hungria e União Soviética em 1956. A partida, que contou com nações que estavam em conflito devido à Guerra Fria, ficou marcada pelo evidente grau de violência entre os jogadores.

Para apurar as transgressões realizadas pelos atletas na parte submersa da água, foram desenvolvidos sistemas de arbitragem que possibilitassem uma melhor visualização. Inclusive, em campeonatos mundiais, alguns árbitros se localizam em janelas que permitem a visualização do fundo da piscina.

A primeira vez que dois países disputaram uma partida de polo aquático foi em 1880. Na ocasião Inglaterra e Escócia, duas nações pioneiras do esporte, jogaram. A chegada da modalidade nos Estados Unidos ocorreu em 1888. Por lá, o polo se popularizou, rendendo diversas medalhas olímpicas para o país.

Partida de polo aquático durante as Olimpíadas do Rio em 2016. [6]
Partida de polo aquático durante as Olimpíadas do Rio em 2016. [6]

A estreia do polo aquático nos Jogos Olímpicos ocorreu em 1900 (modalidade masculina), na edição realizada em Paris, na França. Junto ao futebol, o esporte foi a primeira modalidade coletiva a fazer parte das Olimpíadas de forma oficial. As mulheres começaram a competir na modalidade dentro do evento olímpico somente em 2000.

Leia também: Qual é a origem dos Jogos Olímpicos (Olimpíadas)?

Curiosidades sobre o polo aquático

  • A prática do polo aquático nos Estados Unidos era baseada em técnicas de luta. Isso tornou esse esporte, por lá, um dos mais violentos do mundo.

  • A violência foi uma marca no processo histórico e da evolução do esporte. Antigamente, os jogadores agiam de forma agressiva para impedir as ações dos rivais.

  • Nos Jogos Olímpicos de 1904, em Saint Louis, apenas equipes norte-americanas disputaram no polo aquático.

  • Apenas em 2000, nas Olimpíadas de Sydney, é que foi inserida a modalidade feminina do polo aquático nos Jogos Olímpicos, 100 anos após do início da categoria masculina.

  • Desde a estreia nos Jogos Olímpicos, a Hungria é o país que mais conquistou títulos no polo aquático. Entre as edições de 1928 (Amsterdam) e 1980 (Moscou), os húngaros subiram ao pódio olímpico todas as vezes.

  • Entre os atletas de maior destaque no esporte, a nível mundial, estão os húngaros Dezso Gyarmati (com cinco medalhas olímpicas entre 1948 e 1964) e Oliver Halassi, que conquistou três medalhas, todas de ouro.

Notas

|1| CONCEIÇÃO, Vitor Constantino; FRASSON, Davi Machado. Polo aquático caracterização da prática: perspectiva sobre a adesão do esporte no Brasil. Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória, 2019.

Créditos de imagem

[1] GTS Productions / Shutterstock

[2] Henriquemarra01 / Wikimedia Commons (reprodução)

[3] MFSport / Shutterstock

[4] Joa1silveira / Wikimedia Commons (reprodução)

[5] Fernando Frazão / Agência Brasil / Wikimedia Commons (reprodução)

[6] Jonas de Carvalho / Wikimedia Commons (reprodução)

Fontes

AFP Português. Regras do jogo: polo aquático. Youtube, 3 ago. 2012. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=ewj-JRhkvh8.

COMITÊ Olímpico Brasileiro. Polo aquático. Disponível em: https://www.cob.org.br/pt/cob/time-brasil/esportes/polo-aquatico/.

CONCEIÇÃO, Vitor Constantino; FRASSON, Davi Machado. Polo aquático caracterização da prática: perspectiva sobre a adesão do esporte no Brasil. Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória, 2019. Disponível em: https://cefd.ufes.br/sites/cefd.ufes.br/files/field/anexo/davi_machado_frasson_e_vitor_constantino_conceicao_-_polo_aquatico_caracterizacao_da_pratica_perspectiva_sobre_a_adesao_do_esporte_no_brasil.pdf.

MINISTÉRIO do Esporte. Polo Aquático. Inteligência Esportiva. Curitiba, 2016. Disponível em: http://www.inteligenciaesportiva.ufpr.br/site_api/arquivos/polo-aquatico.pdf.

FEDERAÇÃO Internacional de Natação. Livro de regras do Polo Aquático. Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos. Disponível em: https://ligapab.com.br/wp-content/uploads/2020/08/Livro-de-Regras-FINA-Po%CC%81lo-Aqua%CC%81tico-2019-2021-CBDA-Revisado-em-junho-de-2020.pdf.  

Escritor do artigo
Escrito por: Lucas Afonso Jornalista pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e bacharel em Educação Física pelo Centro Universitário Internacional (Uninter).

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

AFONSO, Lucas. "Polo aquático"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/educacao-fisica/polo-aquatico.htm. Acesso em 27 de maio de 2024.

De estudante para estudante