Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Aranhas

Aranha é um animal invertebrado que causa medo em muitas pessoas. No Brasil, as aranhas que podem causar acidentes graves são a armadeira, a aranha-marrom e a viúva-negra.

Vista aproximada de uma aranha mostrando detalhes dos olhos e pernas.
Aranhas são animais invertebrados que apresentam oito pernas.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Aranhas são animais invertebrados que apresentam corpo dividido em cefalotórax e abdômen, oito pernas, dois pedipalpos, e não possuem antenas. As aranhas, ainda, são capazes de produzir seda.

Apesar de todas as aranhas produzirem seda, nem todas são capazes de produzir teias, estruturas que as ajudam, por exemplo, a capturarem suas presas. As aranhas também se destacam por serem capazes de inocular veneno.

Segundo o Instituto Butantan, no Brasil são encontrados três gêneros de aranhas que podem causar acidentes graves em seres humanos: armadeira (Phoneutria spp), aranha-marrom (Loxosceles spp) e viúva-negra (Latrodectus spp).

Leia também: Por que as abelhas são tão importantes para o meio ambiente?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre as aranhas

  • Aranhas são artrópodes, com corpo dividido em cefalotórax e abdômen, oito pernas, dois pedipalpos, e não apresentam antenas.

  • Todas as aranhas produzem seda, porém nem todas produzem teias.

  • As teias podem ser usadas para capturar alimentos.

  • Aranhas são animais carnívoros.

  • Todas as aranhas produzem veneno, porém nem todas provocam acidentes.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Características da aranha

Aranhas são animais invertebrados do filo dos artrópodes, mais precisamente do grupo dos quelicerados. Como fazem parte do grupo dos artrópodes, aranhas compartilham características desse grupo com animais como lagostas, camarões, escorpiões, carrapatos, gafanhotos e moscas. Dentre essas características, podemos destacar:

  • presença de três folhetos embrionários;

  • presença de celoma (cavidade corporal revestida por tecido derivado da mesoderme);

  • protostômios (o blastóporo origina a boca);

  • simetria bilateral;

  • corpo segmentado;

  • presença de apêndices articulados;

  • presença de exoesqueleto de quitina.

Além das características típicas dos artrópodes, aranhas apresentam características típicas do grupo dos quelicerados, tais como:

  • corpo dividido em cefalotórax e abdômen;

  • ausência de antenas;

  • quatro pares de pernas;

  • um par de quelíceras;

  • um par de pedipalpos.

Ilustração mostrando a anatomia básica de uma aranha.
Observe a anatomia básica de uma aranha.

As quelíceras, em geral, possuem formato de gancho e são muito afiladas. Associam-se às glândulas de veneno, sendo usadas pelo animal para capturar suas presas. Em relação aos pedipalpos, as aranhas os utilizam para defesa, reprodução, alimentação e na sensibilidade. Na maioria das aranhas, a respiração ocorre por meio de estruturas conhecidas como pulmões foliáceos.

As aranhas, em sua maioria, são animais noturnos e podem ser encontradas em diferentes ambientes, incluindo as áreas urbanas. De acordo com o Instituto Butantan, a maioria das aranhas que aparece nas casas e em ambientes de trabalho é inofensiva, porém existem espécies que podem realmente causar sérios problemas à saúde de quem for picado.

Veja também: Acidentes com insetos e reações alérgicas

Alimentação das aranhas

Aranhas são animais carnívoros, ou seja, alimentam-se de outros animais. Em geral, para se alimentar, elas colocam sucos digestivos em suas presas e, posteriormente, absorvem o caldo que se forma. Além de sugar esse líquido, algumas aranhas são capazes de comer pequenos pedaços de suas presas.

As aranhas podem se alimentar invertebrados, principalmente insetos, e até mesmo de pequenos vertebrados. Algumas espécies de caranguejeira, por exemplo, são capazes de comer pequenos pássaros e roedores.

Espécies de aranha

Existem diferentes espécies de aranhas, algumas podem causar acidentes graves em seres humanos e outras são praticamente inofensivas. De acordo com o Instituto Butantan, no Brasil são encontrados três gêneros de aranhas que podem causar acidentes graves em seres humanos: armadeira (Phoneutria spp), aranha-marrom (Loxosceles spp) e viúva-negra (Latrodectus spp).

  • Aranha-armadeira

Aranha-armadeira apoiada no solo apenas sobre as pernas traseiras.
Ao se sentir ameaçada, a aranha-armadeira se apoia nas pernas traseiras.

Aranhas-armadeiras podem medir cerca de 17 cm quando estão com suas pernas abertas. Podem ser encontradas escondidas, por exemplo, em entulhos, folhagens, cachos de banana e até mesmo dentro de nossas casas. Essa aranha destaca-se por, ao se sentir ameaçada, se apoiar nas pernas traseiras e erguer as pernas da frente. Essa espécie não constrói teias.

  • Aranha-marrom

Aranha-marrom sobre um tronco de árvore.
A aranha-marrom é uma aranha pequena que pode causar acidentes graves.

A aranha-marrom, como o nome sugere, apresenta coloração marrom em seu corpo. Trata-se de uma aranha relativamente pequena, apresentando 4 cm, incluídas as pernas. Apesar de pequena, apresenta um veneno poderoso que pode provocar a necrose da área afetada e até mesmo levar o indivíduo à morte. É considera uma das aranhas mais perigosas.

  • Viúva-negra

Viúva-negra em uma teia feita entre folhas.
A viúva-negra mata seu parceiro após a cópula.

A viúva-negra é uma aranha de pequeno porte, apresentando entre 1 cm e 3 cm de comprimento. Destaca-se por apresentar uma coloração preta com faixas vermelhas e um desenho, também em vermelho, que lembra uma ampulheta na região do abdômen. Seu nome está relacionado com o fato de que a fêmea mata o macho após a cópula.

  • Caranguejeira

Caranguejeiras são aranhas grandes que não provocam acidentes graves.
Caranguejeiras são aranhas grandes que não provocam acidentes graves.

As caranguejeiras são aranhas que podem atingir cerca de 30 cm de comprimento. Além de seu grande tamanho, apresentam o corpo recoberto por cerdas. Apesar de seu tamanho, essas aranhas não são responsáveis por provocar graves acidentes. Vale salientar que o contato com as cerdas das caranguejeiras pode provocar alergias e irritações na pele.

Aranhas venenosas

Como salientado anteriormente, algumas aranhas são inofensivas, enquanto outras possuem capacidade de injetar veneno e provocar acidentes graves em seres humanos e outros animais. A picada de uma aranha poderá provocar reações diversas a depender da espécie que causou o acidente. Algumas dessas reações são dor no local da picada, vermelhidão, dor de cabeça, necrose na área afetada, taquicardia, náusea, vômito e espasmos musculares. Algumas aranhas são tão venenosas que podem até mesmo matar uma pessoa.

  • Aranha-teia-de-funil

De acordo com o Guinness World Records, duas aranhas são as principais candidatas ao título de aranha mais venenosa do mundo: as aranhas do gênero Phoneutria (aranha-armadeira, comentada anteriormente) e as aranhas-teia-de-funil, dentre as quais se destacam as aranhas-teia-de-funil de Sydney (Atrax robustus).

As aranhas-teia-de-funil são agressivas e possuem um veneno muito perigoso para os seres humanos. De acordo com o Guinness World Records, “com base em estudos do principal tipo de toxina contra os macacos, que, como os humanos, são muito sensíveis ao veneno da aranha teia de funil, apenas 5 microgramas por quilo de peso corporal produziram efeitos significativos e apenas 30 microgramas por quilo de peso corporal foram suficientes para ser fatal.”

  • Aranhas-rato

As aranhas-rato (Missulena sp.) apresentam veneno muito tóxico e são frequentemente confundidas com as aranhas-teia-de-funil. De acordo com o Australian Museum, apesar de picadas de aranha-rato não ocorrerem com frequência, algumas causaram efeitos graves em humanos, desencadeando sintomas semelhantes ao envenenamento por aranha-teia-de-funil.

  • Aranhas-da-areia

As aranhas da areia pertencem ao gênero Sicarius e são conhecidas pelo hábito de se esconder na areia. Possuem um veneno similar ao das aranhas-marrons (gênero Loxosceles), entretanto, oferecem menos perigo por viverem, em geral, em áreas afastadas do contato humano.

  • Viúva-negra-australiana

A viúva-negra-australiana (Latrodectus hasselti) é uma espécie muito perigosa eapresenta uma picada que pode até mesmo causar a morte. De acordo com o Australian Museum, o veneno age diretamente nos nervos e mais de 250 casos recebem antiveneno a cada ano.

  • Aranha-violinista

A aranha-violinista (Loxosceles reclusa), também conhecida como aranha-reclusa-marrom, é uma espécie conhecida pelo seu veneno necrosante. Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC), embora a morte devido a uma picada da espécie seja rara, observa-se deterioração tecidual subsequente no local da ferida.

O que fazer em caso de acidentes com aranha?

De acordo com informações do Ministério da Saúde, em caso de acidente, deve-se:

  • lavar o local da picada;

  • usar compressas mornas para ajudar no alívio da dor; e

  • procurar serviço médico.

Sempre que possível, deve-se levar a aranha ou uma foto nítida do animal que provocou o acidente.

A depender do animal que causou o acidente, o paciente deverá utilizar o soro antiaracnídico. Esse soro é produzido pelo Instituto Butantan, e, segundo o próprio Instituto, é usado no tratamento do envenenamento por escorpião do gênero Tityus (escorpiões amarelo, marrom ou preto), ou aranhas do gênero Phoneutria (aranha-armadeira) ou Loxosceles (aranha-marrom).

Para que serve a seda da aranha?

Todas as aranhas são capazes de produzir seda, um produto formado por grande quantidade de proteínas e que se destaca por ser um material muito versátil e de alta resistência mecânica. A seda é produzida por glândulas abdominais presentes nas aranhas e polimerizada por meio de um órgão chamado de fiandeira. As aranhas são capazes de produzir até seis tipos distintos de seda, cada uma apresentando uma função específica.

Vista de uma teia aberta, com uma aranha no centro.
Aranhas podem produzir teias complexas que ajudam na captura da presa.

Com a seda, as aranhas são capazes de desenvolver uma grande variedade de teias. Existem, por exemplo, teias verticais em treliça, que permitem que elas capturem presas voadoras; há também aquelas teias criadas com o intuito de capturar presas que caem sobre elas; há teias que formam verdadeiras cortinas com pontos grudentos; além de teias triangulares, em funil, entre vários outros formatos. As teias, além de serem usadas para capturar suas presas, ajudam a revestir o local onde as aranhas se escondem e também a proteger os ovos.

Apesar de todas aranhas produzirem seda, nem todas são capazes de construir teias.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Escritor do artigo
Escrito por: Vanessa Sardinha dos Santos Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás (2008) e mestrado em Biodiversidade Vegetal pela Universidade Federal de Goiás (2013). Atua como professora de Ciências e Biologia da Educação Básica desde 2008.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Aranhas"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/animais/aranha.htm. Acesso em 13 de julho de 2024.

De estudante para estudante