Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Alergia

A alergia é uma resposta exagerada do sistema imunológico a determinado antígeno, denominado alérgeno.

Homem perto de árvore florida coçando o nariz, demonstrando ser alérgico a pólen.
Diferentes agentes, tais como pólen, poeira e ácaro, podem causar alergia, sendo conhecidos como alérgenos.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Alergia é um problema de saúde que acomete várias pessoas em todo o mundo e ocorre quando o sistema imunológico responde de maneira exagerada a determinada substância. A poeira, os ácaros, os grãos de pólen, alguns alimentos e até mesmo medicamentos podem desencadear reações alérgicas, as quais podem causar sintomas como dificuldade para respirar, espirros e surgimento de manchas avermelhadas no corpo. Algumas reações alérgicas podem ser leves, entretanto, algumas situações podem desencadear uma resposta alérgica fatal.

Leia mais: Alergia à proteína do leite da vaca (APLV)

Tópicos deste artigo

Resumo sobre alergia

  • As alergias ocorrem quando o sistema imunológico de uma pessoa responde de maneira exagerada a uma substância.

  • As alergias podem ser leves ou provocar quadros fatais.

  • Os sintomas são variados e estão relacionados com o tipo de alérgeno em questão. Dificuldade respiratória e manchas na pele são alguns deles.

  • Asma e rinite alérgica são alergias respiratórias.

  • Alimentos também podem provocar reações alérgicas.

  • A urticária e a dermatite de contato são exemplos de alergias dermatológicas.

  • Anafilaxia é uma reação alérgica grave, que necessita de intervenção imediata.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é alergia?

Alergia é uma palavra derivada do grego, allos, que significa “outro”, e ergia, que significa “ação” ou “eficácia”. De fato, a alergia trata-se de uma “ação diferente” do sistema imunológico, o qual identifica um agente estranho como uma grande ameaça ao organismo, provocando uma reação desproporcional. Essa resposta exagerada é denominada hipersensibilidade.

As alergias ocorrem em indivíduos geneticamente predispostos, sendo comum que pais alérgicos tenham também filhos alérgicos. As reações alérgicas podem provocar diferentes sintomas, a depender da alergia com que estamos lidando. Alguns sintomas são coriza, espirros, manchas avermelhadas no corpo, dificuldade respiratória e lacrimejamento dos olhos.

Causas de alergia

A alergia pode ser desencadeada por diferentes agentes, tais como:

  • pelos;

  • calor;

  • picada de inseto;

  • ácaro;

  • pólen;

  • alimentos;

  • medicamentos.

Os antígenos responsáveis por provocar as alergias são chamados de alérgenos.

Patch-test, teste para detectar alergias, sendo aplicado na pele de uma pessoa.
Existem testes que permitem identificar quais agentes são responsáveis por provocar alergias em um indivíduo.

Para descobrir se uma pessoa é alérgica ou não a determinado agente, é importante consultar um alergista. Esse médico será capaz de diagnosticar e indicar as melhores formas de evitar uma crise alérgica. Para realizar o diagnóstico, o profissional poderá solicitar, por exemplo, o chamado patch-test (figura acima), o qual consiste na aplicação de adesivos contendo diferentes substâncias. Esses adesivos ficarão na pele por 48 horas, e, posteriormente, os locais em que foram aplicados serão observados para identificar quais substâncias desencadearam resposta alérgica neles.

Leia mais: Acidentes com insetos e reações alérgicas

Como as alergias acontecem?

As alergias mais comuns envolvem os anticorpos da classe IgE. Para melhor explicar como a alergia acontece, consideraremos os grãos de pólen como alérgenos. Quando a pessoa se expõe pela primeira vez ao pólen, plasmócitos (células produtoras de anticorpos) secretam anticorpos IgE específicos, e alguns desses anticorpos ligam-se a receptores presentes nos mastócitos (células do tecido conjuntivo).

Quando o indivíduo se expõe novamete a esse alérgeno, as moléculas de IgE fixadas aos mastócitos reconhecem o grão de pólen e se ligam a ele. A ligação promove a conexão de moléculas de IgE adjacentes, o que induz a liberação de histamina e outras substâncias químicas. São essas substâncias que provocam os sintomas típicos de uma reação alérgica.

Doenças alérgicas

As doenças alérgicas são um problema grave de saúde pública e acometem uma grande parcela da população. De acordo com a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia, de 10% a 20% da população mundial apresentam alguma doença alérgica.

  • Alergias respiratórias

São aquelas que acometem o sistema respiratório. A rinite alérgica e a asma destacam-se como os problemas mais comuns das vias respiratórias desencadeados pela exposição a alérgenos.

No que diz respeito à rinite alérgica, os sintomas incluem espirros, congestão nasal, coriza e coceira na região do nariz, olhos, ouvidos e garganta. Uma crise de rinite alérgica pode ocorrer após o indivíduo entrar em contato com substâncias alergênicas, tais com poeira, pelos e pólen.

Em relação à asma, as crises dessa doença podem ser também desencadeadas por diferentes fatores, como ácaros, fungos, pelos, baratas e outros. Dentre seus sintomas, destacam-se a falta de ar, chiado no peito, sensação de aperto no peito, e tosse.

  • Alergias alimentares

Caracterizam-se por uma resposta anormal do sistema imunológico diante de alguns alimentos. É importante salientar que, em uma alergia alimentar verdadeira, a resposta do sistema imune ocorrerá independentemente da quantidade de alimento que for ingerida. Alguns dos alimentos bastante conhecidos por provocar alergias alimentares são: camarão, nozes, amendoim e leite.

Os sintomas das alergias alimentares são variados, pois envolvem diferentes órgãos. Dentre eles, podemos citar coceira e vermelhidão na pele; inchaço na boca, língua, olhos e orelha; desconforto na garganta; e dificuldade para respirar. Vale salientar que a alergia alimentar pode provocar anafilaxia, uma reação potencialmente fatal.

  • Alergias dermatológicas

Pele humana com reação alérgica.
A urticária leva à formação de placas avermelhadas, que provocam coceira.

As alergias de pele também são um problema relativamente comum, sendo a dermatite de contato, a urticária e as alergias à picada de insetos algumas delas. No caso da dermatite de contato, lesões surgirão no local em que a pele teve contato com o alérgeno.

Na urticária, por sua vez, ocorre a formação de placas avermelhadas, que provocam muita coceira, podendo esse problema ser desencadeado, por exemplo, por medicamentos, ingestão de determinados alimentos, doenças autoimunes e até mesmo picadas de abelhas e formigas.

Outra alergia dermatológica comum é o chamado estrófulo, que nada mais é que uma resposta exagerada à picada de insetos, como borrachudos, pernilongos e pulgas.

Leia mais: Como neutralizar o veneno da picada de abelha?

Anafilaxia

A anafilaxia destaca-se por ser uma reação alérgica potencialmente fatal. Em uma reação alérgica, as substâncias químicas, liberadas devido à resposta do sistema imunológico, podem provocar alterações em diversos órgãos e sistemas. Algumas dessas alterações são a contração dos bronquíolos e a dilatação repentina dos vasos sanguíneos, o que provoca queda de pressão e dificuldade respiratória.

É importante destacar que, apesar de poder ser fatal, a anafilaxia pode ser revertida. Para isso é fundamental que seja tratada rapidamente, e é por isso que pessoas que apresentam alergias graves costumam portar seringas com adrenalina. A adrenalina é capaz de neutralizar rapidamente uma resposta alérgica, fazendo, por exemplo, com que os vasos sanguíneos periféricos se contraiam e os músculos pulmonares relaxem.

O que fazer em caso de alergia?

Ao descobrir que uma pessoa é alérgica à determinada substância, é fundamental evitar situações em que ela seja exposta ao alérgeno. Assim sendo, a melhor forma de prevenir uma reação alérgica é identificar a causa de alergia e reduzir os riscos de exposição.

Caso uma crise alérgica já esteja ocorrendo, um dos medicamentos utilizados para tratá-la são os anti-histamínicos, os quais atuam inibindo a liberação de histamina pelos mastócitos. Em casos mais graves, a adrenalina deverá ser administrada.

Algumas pessoas que têm alergia realizam a chamada imunoterapia específica, a qual se baseia na administração de uma vacina de alérgenos. Segundo o Ministério da Saúde, a imunoterapia específica, em casos em que existe indicação clínica, tem apresentado melhora nos sintomas e na evolução natural da doença.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Escritor do artigo
Escrito por: Vanessa Sardinha dos Santos Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás (2008) e mestrado em Biodiversidade Vegetal pela Universidade Federal de Goiás (2013). Atua como professora de Ciências e Biologia da Educação Básica desde 2008.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Alergia"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/doencas/alergias.htm. Acesso em 18 de maio de 2024.

PUBLICIDADE