Abelhas

Animais

PUBLICIDADE

As abelhas são animais extremamente importantes para o meio ambiente, uma vez que são responsáveis pela polinização de diversas espécies de angiospermas. Fazem parte do grupo dos artrópodes, mais precisamente da classe dos insetos e da ordem Hymenoptera. Algumas espécies vivem em sociedade e apresentam organização de trabalho. Em uma colmeia, observamos a presença da rainha, do zangão e das operárias.

Vale destacar que no mundo existem várias espécies de abelhas, sendo conhecido atualmente um total de mais de 20 mil espécies. Neste texto vamos abordar um pouco mais a respeito das abelhas Apis mellifera, a espécie mais conhecida, estudada e também criada em todo o mundo.

Leia também: 3 de outubro – Dia da Abelha

Características gerais das abelhas

As abelhas são animais do filo Arthropoda, sendo assim, herdam algumas características típicas desse grupo, como o fato de possuírem um exoesqueleto que envolve seu corpo. Fazem parte da classe Insecta, apresentando, portanto, corpo dividido em três porções (cabeça, tórax e abdome), três pares de pernas, um par de antenas e dois pares de asas.

Na cabeça estão abrigadas as estruturas responsáveis pelos sentidos desse animal, como as antenas, que estão ligadas ao olfato e audição. É na cabeça também que encontramos os olhos, sendo dois olhos compostos situados lateralmente e três ocelos localizados na região frontal, dispostos em um arranjo triangular. Os olhos compostos são responsáveis por formar as imagens, enquanto os ocelos são capazes apenas de detectar a luz.

O aparelho bucal das abelhas, também localizado na cabeça, garante que esse animal seja capaz de absorver líquidos e também de mastigar. As mandíbulas ajudam as abelhas a cortar e manipular a cera e própolis por elas produzidos, bem como auxiliam na ingestão de pólen e na retirada de partículas indesejadas da colmeia. A estrutura que garante a absorção de substâncias líquidas, por sua vez, é chamada de probóscide ou língua.

Observe as principais partes do corpo das abelhas.
Observe as principais partes do corpo das abelhas.

As pernas e as asas, que são os órgãos locomotores das abelhas, estão no tórax. As pernas são encontradas no número de seis (três pares), cada par em um segmento, sendo responsáveis, além da locomoção, pelo transporte do pólen, manipulação da cera e própolis, além da limpeza do corpo da abelha. As asas são encontradas no número de 4 (dois pares) e garantem o voo do animal. As asas dianteiras são maiores que as posteriores. O tórax das abelhas é rico em pelos, que ajudam na fixação do pólen.

No abdome das abelhas, encontra-se a maior parte dos órgãos, como a vesícula melífera, que garante a transformação do néctar em mel; glândulas cerígenas, que produzem a cera; estômago e intestino. Na porção final do abdome, está presente também o ferrão, que, na operária, assume a função de defesa e, na rainha, a função de guia na postura. O zangão não o possui. Vale salientar que o ferrão está conectado à bolsa de veneno, que libera uma complexa mistura de diferentes substâncias chamada apitoxina.

Leia também: Importância e composição química do mel

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Comunicação das abelhas

As abelhas são animais que vivem em sociedade e são capazes de comunicar-se entre si. Existem diferentes formas de uma abelha se comunicar com outra, sendo as danças e a liberação de feromônios (substâncias químicas produzidas pelo animal) algumas dessas formas. As danças são utilizadas, por exemplo, para indicar a direção e distância do alimento. No que diz respeito aos feromônios, podemos citar o feromônio de alarme, produzido pelas operárias, que alerta outras operárias sobre a aproximação de um inimigo, e o feromônio da glândula mandibular, produzido pela rainha, que atrai os zangões para a reprodução.

Sociedade das abelhas

As abelhas vivem em sociedades, nas quais é possível observar a divisão de tarefas entre os indivíduos.
As abelhas vivem em sociedades, nas quais é possível observar a divisão de tarefas entre os indivíduos.

Quando observamos uma colmeia, verificamos que os indivíduos que nela vivem trabalham de forma cooperativa e há uma divisão em castas. As três castas são a rainha, o zangão e a operária.

  • Rainha: a única fêmea que se reproduz nessa sociedade, e cada colmeia só apresenta uma rainha. A fecundação da rainha acontece durante o voo nupcial, um momento em que vários zangões podem fecundá-la. Cerca de cinco dias após a fecundação, a rainha faz a postura dos ovos nos chamados favos, mais precisamente nos alvéolos, que são fabricados pelas operárias. Além de garantir a reprodução, a rainha tem o papel de manter todas as abelhas dentro da colmeia, o que é conseguido graças à liberação de um feromônio de agregação.
  • Operárias: são também abelhas fêmeas, porém não são capazes de se reproduzir. Realizam diferentes atividades dentro da colmeia, como a limpeza do local, alimentação da rainha e dos indivíduos em fase larval, produção de cera, coleta de néctar e pólen, entre outras funções. Vale salientar que, na falta de uma rainha, algumas operárias podem colocar ovos, porém esses não são fecundados, dando origem, portanto, apenas a zangões.
  • Zangão: os machos da colmeia. Sua função na sociedade das abelhas é garantir a fecundação da rainha. Após realizar a fecundação, os zangões morrem, em virtude da perda dos órgãos sexuais durante a cópula.

É importante salientar que cada casta apresenta algumas particularidades no que diz respeito à sua anatomia e morfologia. A rainha, por exemplo, é mais comprida que as outras castas, e o zangão apresenta um aspecto mais corpulento. As operárias, por sua vez, são as menores do grupo.

Ciclo de vida das abelhas

As abelhas são animais que passam por metamorfose, sendo possível distinguir quatro estágios de desenvolvimento nesse animal: ovo, larva, pupa e adulto. As rainhas são responsáveis por colocar os ovos, sendo essa a primeira fase do desenvolvimento da abelha. Os ovos ficam nos alvéolos dos favos. Aqueles que darão origem aos zangões são depositados em alvéolos maiores do que aqueles que recebem os ovos que originarão operárias. Vale salientar que as abelhas são capazes de controlar o processo de fecundação. Os óvulos não fecundados produzem zangões, e os fecundados, fêmeas.

Após a fase de ovo, observa-se o nascimento de uma larva, que se assemelha a uma pequena lagarta, apresentando coloração branca. Essa larva fica posicionada no fundo do alvéolo, alimenta-se e vai crescendo. Após cinco mudas, chega-se ao final da fase larval. Seu alvéolo é tampado com cera e a larva tece um fino casulo. Inicia-se a fase de pupa, na qual a abelha sofre uma metamorfose completa. Após a metamorfose, a abelha rompe a tampa do alvéolo e inicia-se a fase adulta.

Leia também: Muda ou ecdise em artrópodes

Importância das abelhas

As abelhas são fundamentais para a polinização de várias espécies de angiospermas.
As abelhas são fundamentais para a polinização de várias espécies de angiospermas.

As abelhas possuem grande importância ecológica, sendo fundamentais para a reprodução de uma grande variedade de angiospermas. Esses insetos são animais polinizadores, ou seja, garantem o transporte de pólen de uma planta para outra e, desse modo, promovem a reprodução da planta. As abelhas são também animais de grande importância econômica, sendo criadas com a finalidade de produzir vários produtos, tais como o mel, o própolis e a geleia real.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Abelhas"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/animais/abelha.htm. Acesso em 29 de outubro de 2020.

Lista de Exercícios
Questão 1

A que reino e classe pertence a abelha?

Questão 2

Qual a diferença da abelha rainha para as outras abelhas?

 

Mais Questões