Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Ceará

Geografia do Brasil

PUBLICIDADE

O Ceará é um estado brasileiro da região Nordeste, localizado na sub-região do Sertão nordestino. Caracteriza-se pelo clima Tropical Semiárido, marcado pelos baixos índices pluviométricos e longos períodos de estiagem.

Na economia, destaca-se pela produção de couro e produtos derivados, matéria-prima essa empregada também no artesanato. Com mais de 9 milhões de habitantes, o Ceará é um dos estados mais populosos do Nordeste. O estado é atualmente o terceiro em produção de energia eólica do Brasil.

Leia também: Alagoas – estado cuja principal atividade econômica é o turismo

Dados gerais do Ceará

  • Região: Nordeste
  • Capital: Fortaleza
  • Governo: Camilo Sobreira de Santana (2018-2022)
  • Área territorial: 148.894,441 km² (IBGE, 2019)
  • População: 9.187.103 habitantes (IBGE, 2020)
  • Densidade demográfica: 56,76 hab/km² (IBGE, 2010)
  • Fuso: GMT -3 horas (Horário Padrão de Brasília)
  • Clima: predominantemente Tropical Semiárido

Bandeira do Ceará

Geografia do Ceará

O Ceará é um dos nove estados que compõem a região Nordeste do Brasil, na sub-região do Sertão nordestino. Insere-se, ainda, no Polígono das Secas, área reconhecida legalmente e assim denominada por conta dos baixos índices pluviométricos e longos períodos de estiagem.

Possui, ao norte, um litoral de 573 km, o terceiro mais extenso do Nordeste. Limita-se:

A extensão territorial do Ceará é de 148.894,44 km², o que representa cerca de 9,5% da área da região Nordeste.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Clima do Ceará

O clima predominante no Ceará é Tropical Semiárido. Sua abrangência é ainda maior se considerada a sua variação, o semiárido brando, que aparece principalmente no litoral e sul do estado. Em alguns pontos mais isolados, identifica-se a ocorrência dos climas Tropical Úmido e Subúmido.

A principal característica do clima Semiárido é a irregularidade das chuvas, tanto na sua distribuição espacial quanto no tempo, e o baixo índice pluviométrico geral, que varia entre 250 mm e 800 mm. Os períodos de estiagem podem ser prolongados, durando de meses até anos seguidos. Entre 2012 e 2016, por exemplo, o volume médio de chuvas foi de 516 mm, considerada a pior seca prolongada desde 1910|1|.

  • Vegetação do Ceará

A cobertura vegetal do estado do Ceará é composta, em sua maioria, por espécies características da Caatinga. Em decorrência dos diferentes tipos de solo e da variação das condições climáticas, diversas fisionomias são identificadas, entre as quais prevalecem a caatinga arbórea, a caatinga arbustiva e o carrasco.

No litoral cearense, a vegetação encontrada é a característica de áreas úmidas, com a presença de restingas e mangues. Em outras áreas do território, observa-se formações como a da mata dos cocais e a de cerrados, estes em pontos isolados.

Vegetação típica da Caatinga durante a seca.
Vegetação típica da Caatinga durante a seca.
  • Relevo do Ceará

A maior parcela do Ceará pertence ao domínio da depressão sertaneja e do São Francisco. A planície costeira se estende por toda faixa litorânea do estado, onde as altitudes não ultrapassam dos 200 metros. Áreas de planalto são encontradas nas bordas leste, oeste e sul do Ceará.

O pico da serra Branca é o ponto mais elevado do estado, com 1.154 metros de altitude.

  • Hidrografia do Ceará

O Ceará se subdivide em 12 bacias hidrográficas, sendo a maior delas a bacia do Alto Jaguaribe, no sudoeste do estado. Dentre os rios que banham o território cearense, destacam-se:

  • Jaguaribe 
  • Parnaíba
  • Salgado
  • Ceará
  • Cocó
  • Banabuiú
  • Coreaú
  • Curu
  • Acaraú
  • Aracatiaçu

Veja também: Rio São Francisco – um dos mais importantes cursos d’água do Brasil

Demografia do Ceará

As estimativas do IBGE para 2020 apontam que o Ceará possui 9.187.103 habitantes. É o 8º estado mais populoso do Brasil, e o 3º da região Nordeste, ficando atrás apenas da Bahia e de Pernambuco. De acordo com o último Censo Demográfico (2010), a distribuição populacional era de 56,76 hab/km².

A maior parcela da população cearense vive nas áreas urbanas. Em 2010, a taxa de urbanização do estado era de 75,1%. A capital, Fortaleza, é a cidade que agrega o maior número de pessoas: 2.686.612 (IBGE, 2020). Além disso, é a 5ª cidade mais populosa do Brasil. Granjeiro é o município com menor população absoluta, com 4.814 habitantes.

A expectativa de vida ao nascer é de 74,5 anos, conforme dados de 2019. Em função da queda da natalidade e da fecundidade, a população do Ceará vem crescendo de forma desacelerada|2|.

Mapa do Ceará

Fonte: IBGE
Fonte: IBGE

Divisão geográfica do Ceará

A divisão geográfica do Ceará, proposta pelo IBGE até 2018, dividia os 184 municípios do estado em 33 microrregiões. Estas, por sua vez, estavam agregadas em sete mesorregiões:

  • Noroeste Cearense
  • Norte Cearense
  • Metropolitana de Fortaleza
  • Jaguaribe
  • Sertões Cearenses
  • Centro–Sul Cearense
  • Sul Cearense

Atualmente o IBGE divide o Ceará em 18 regiões geográficas imediatas e seis regiões intermediárias, sendo estas: Crateús, Fortaleza, Iguatu, Juazeiro do Norte, Quixadá e Sobral.

Leia também: Regionalização socioeconômica do espaço mundial 

Economia do Ceará

O Produto Interno Bruto (PIB) do Ceará é de R$ 155,9 bilhões, representando o 12º entre as unidades da federação e o 3º maior PIB da região Nordeste. O PIB per capita, por sua vez, é um dos mais baixos do país, somando R$ 17.178 em 2018.

O setor terciário responde pela maior parcela da economia do estado, com grande peso do setor de serviços e do comércio. As atividades ligadas ao turismo têm ganhado cada vez mais destaque não somente na economia cearense como também no contexto regional nordestino. A parcela do PIB correspondente a essa atividade é de 5%.

A indústria do estado se concentra nas atividades de transformação, em que se destacam a produção de couro e calçados, a de vestuário e acessórios, a alimentícia, e as atividades da construção civil. Fortaleza concentra a maior parte das indústrias cearenses.

No setor agropecuário, o estado do Ceará é um grande produtor de banana, milho, feijão, tomate, maracujá, castanha de caju e mandioca, além de ovos, leite e mel.

Governo do Ceará

O atual governador do Ceará é Camilo Santana (PT), e a vice-governadora é Izolda Cela (PDT). Em 2018, dois senadores federais foram eleitos pelo estado. Além deles, representam o Ceará 22 deputados federais e 46 deputados estaduais.

Infraestrutura do Ceará

A matriz energética do Ceará é composta pela térmica, eólica, hidrelétrica e solar, sendo as duas primeiras responsáveis pela maior parcela da energia gerada no estado. Com relação à térmica, a geração de energia se dá por meio de fontes como o óleo diesel e gás natural.

No setor eólico, o Ceará possui uma das maiores capacidades instaladas do país, ficando atrás apenas do Rio Grande do Norte e da Bahia. O estado possuía, até meados de 2020, 86 parques eólicos instalados.

Entre os principais aeroportos estão o de Fortaleza, com voos internacionais, e os de Jericoacoara e Sobral. Com relação aos transportes terrestres, apenas as rodovias estaduais do estado somavam 13.239,1 km em 2019. A BR-116 é uma das rodovias federais que cruzam o Ceará, iniciando-se em Fortaleza e chegando até o extremo sul do país.

Cultura do Ceará

A diversidade cultural cearense é oriunda das diferentes influências populacionais do território, sobretudo indígenas e africanas.

Além das festas folclóricas e religiosas, o artesanato constitui uma das principais expressões culturais do estado. As peças são confeccionadas do couro, da palha, do barro, da madeira, da areia colorida e de outros elementos.

A literatura de cordel e as xilogravuras, feitas para representar as histórias contadas na forma de versos, são símbolos culturais da região Nordeste, incluindo o estado do Ceará. O cordel foi, inclusive, reconhecido pelo Iphan como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro.

A técnica da xilogravura se popularizou no Brasil por meio da literatura de cordel.
A técnica da xilogravura se popularizou no Brasil por meio da literatura de cordel.

História do Ceará

No período colonial brasileiro, o território cearense constituía a capitania hereditária do Siará. Inicialmente ela foi atribuída a Antônio Cardoso de Barros, que não se estabeleceu na área. Em 1603, Pero Coelho de Sousa explorou a região até a seca prolongada que a atingiu e teve duração de quatro anos. Foi construído, nesse período, o Forte São Thiago, posteriormente destruído em uma disputa com as populações indígenas.

Em 1612, o português conhecido como fundador do Ceará, Martim Soares Moreno, chegou ao território, construindo o Forte de São Sebastião. Além da reação das populações indígenas aos colonos portugueses, houve conflitos com os holandeses que invadiram a região.

A cidade de Fortaleza foi formada com base nos arredores do Forte Fortaleza de Nossa Senhora de Assunção (antigo São Sebastião, que estivera sob domínio dos holandeses), e oficialmente estabelecida como capital no século XVIII, em 1726.

Notas

|1| Ceará vivencia a pior seca em mais de um século. Diário do Nordeste, 13 set. 2016. (Clique aqui e acesse.)

|2| Crescimento da população do Ceará é lento, diz IBGE. Diário do Nordeste, 31 agosto 2017. (Clique aqui e acesse)

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Listagem de Artigos