Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Iguana

Iguana é o nome dado a diferentes répteis pertencentes à família Iguanidae. A iguana-verde é uma espécie encontrada no Brasil.

Iguana em galho
Iguanas são lagartos pertencentes à família Iguanidae.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Iguanas são lagartos pertencentes à família Iguanidae. A espécie Iguana iguana é uma das mais populares e conhecida como iguana-verde ou iguana-comum. Ela se alimenta de frutas, folhas e ocasionalmente de alimentos de origem animal, como insetos. É relativamente grande, podendo atingir dois metros de comprimento e ter uma cauda com dois terços do comprimento total de seu corpo. A espécie apresenta hábitos diurnos, é arborícola e ovípara.

Leia mais: Dragão-de-komodo — considerado o maior lagarto do mundo

Tópicos deste artigo

Resumo sobre iguana

  • Iguanas são lagartos da família Iguanidae.

  • Iguana-verde é uma espécie que se alimenta principalmente de vegetais, arborícola e diurna observada no Brasil.

  • Iguanas-verdes são ótimas nadadoras.

  • Iguanas-verdes têm uma barbela desenvolvida e uma fileira de espinhos ao longo de suas costas.

  • Muitas pessoas criam iguanas como animais de estimação.

Iguanas

Iguanas são répteis pertencentes à ordem Squamata e família Iguanidae. Existem diferentes espécies delas, agrupadas em diferentes gêneros. De acordo com a publicação “A checklist of iguanas of the world (Iguanidae; Iguaninae)”, um trabalho realizado pelo Iguana Taxonomy Working Group (ITWG), são reconhecidas 44 espécies existentes em oito gêneros.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Iguana-verde

A iguana-verde (Iguana iguana), também conhecida como iguana-comum, é uma das espécies mais conhecidas e também a mais escolhida como animal de estimação. É encontrada em áreas tropicais da América, ocorrendo, no Brasil, na região Amazônica, em parte da região Centro-Oeste, no Pantanal e na Caatinga.

Trata-se de um animal diurno e de hábito arborícola, sendo encontrado no alto da copa das árvores, onde pode permanecer desde um dia até várias semanas. Esses animais descem esporadicamente para trocarem de árvore, fazer ninhos ou se protegerem de algum perigo. Geralmente, eles preferem árvores localizadas ao longo de rios, lagos, mangue e pântanos, destacando-se como excelentes nadadores e mergulhadores. Vale salientar que, apesar de preferirem ambiente arbóreo, são capazes de se adaptar bem a áreas mais abertas.

Iguana na natureza
A iguana-verde ou iguana-comum é uma espécie de hábito arborícola e diurna.

As iguanas-verdes apresentam hábitos heliotérmicos, ou seja, ganham calor por meio da irradiação solar com banhos de Sol. É a irradiação solar que promove a termorregulação do animal. Ao permanecerem nas árvores, as iguanas conseguem a quantidade de Sol e sombra necessária para a regulação de sua temperatura.

A iguana-verde é relativamente grande, podendo ter dois metros de comprimento. Um detalhe importante é a sua cauda longa, que pode medir até dois terços do comprimento total de seu corpo. Apesar da denominação iguana-verde, a coloração desses animais é variável. Os adultos apresentam cor mais uniforme, enquanto os jovens podem apresentar manchas ou faixas. A cor desses animais pode variar também com a saúde, temperatura e até mesmo o status social.

As iguanas-verdes apresentam como característica marcante uma barbela pendente sob sua garganta e uma crista dorsal formada por espinhos dérmicos. Esses espinhos vão desde o meio do pescoço até a cauda.

As iguanas têm o chamado olho pineal, que, apesar de ser chamado de olho, não é capaz de formar imagens como os nossos olhos. Essa estrutura detecta variações nos ciclos de luz, permitindo que o réptil seja capaz de captar os períodos com melhor intensidade luminosa, auxiliando, portanto, na termorregulação.

A iguana-verde é uma espécie herbívora e alimenta-se de gramíneas, folhas e frutas. Vale destacar, no entanto, que iguanas, de acordo com alguns trabalhos, ocasionalmente, podem ingerir alimentos de origem animal, como ovos, insetos e carcaças de animais. Por fazer essas ingestões ocasionais, podemos classificá-la como um animal onívoro oportuno.

As iguanas, quando se sentem assustadas, permanecem imóveis ou se escondem. Quando pegas, podem, assim como outros lagartos, soltar parte de sua cauda. Isso faz com que o predador fique confuso e o animal consiga escapar. Quando a iguana solta sua cauda, posteriormente, haverá o crescimento de outra, que, no entanto, não será tão grande.

As iguanas-verdes apresentam reprodução associada à estação seca. Durante a fase reprodutiva, os machos se exibem nos galhos das árvores e se tornam bastante agressivos. As fêmeas colocam seus ovos cerca de 65 dias após o acasalamento. Eles são depositados em ninhos, os quais podem ser compartilhados com outras fêmeas devido à disponibilidade limitada de locais para nidificação. A incubação dos ovos dura de 90 a 120 dias.

As iguanas selvagens vivem cerca de oito anos. Em cativeiro, no entanto, a iguana-verde pode viver mais de 20 anos. Entretanto, para isso, é necessário alojamento e nutrição adequados.

Leia mais: Animais do Pantanal — uma diversidade de mamíferos, répteis, aves, entre outros

Iguanas como animais de estimação

Atualmente é comum que as pessoas busquem por animais de estimação cada vez mais exóticos, como serpentes, aranhas e as iguanas. Ao adotar um desses animais, é importante ter em mente que o cuidado é diferente dos ofertados a gatos e cachorros, por exemplo, sendo fundamental estudar e conhecer todas as características e necessidades do bicho.

Iguana em cativeiro
Muitas pessoas criam iguanas como animais de estimação.

De maneira geral, as iguanas são muito escolhidas por terem baixo custo e também por serem animais herbívoros, fazendo com que os proprietários não precisem cuidar de presas como ratos e insetos. Além disso, os répteis não provocam alergia e necessitam de poucos cuidados.

Apesar de muitas pessoas escolherem iguanas como animal de estimação, é comum que, quando adultas, elas sejam abandonadas pelos seus donos. Um dos motivos para o abandono está no fato de que esses animais podem atingir grandes tamanhos e também ser muito agressivos, dificultando, desse modo, sua criação.

Fugas de cativeiros e até mesmo a liberação desses animais no ambiente natural estão fazendo com que eles sejam introduzidos em diferentes ecossistemas. A depender do local em que são liberadas, as iguanas podem causar desequilíbrios ambientais e se tornar uma espécie invasora.

Videoaula sobre répteis

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia  

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Iguana"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/animais/iguana.htm. Acesso em 04 de julho de 2022.

De estudante para estudante


PUBLICIDADE

Estude agora


A condição pós-moderna de Jean-François Lyotard

Jean-François Lyotard é um dos pensadores que se dedicam a entender a complexa condição pós-moderna. Entender a...

Variabilidade genética

Sempre que falamos de variabilidade genética, analisamos genótipos e fenótipos, observamos novas características,...