Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Determinação do sexo nos répteis

A temperatura e o dimorfismo sexual
A temperatura e o dimorfismo sexual
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Nos crocodilos e em algumas tartarugas e lagartos, o sexo do filhote é determinado pela temperatura ambiental durante o desenvolvimento do embrião.

Uma variação de 2° a 4º Celsius (C) pode determinar se o embrião será macho ou fêmea. Em algumas tartarugas, por exemplo, os ovos incubados entre 26° e 28º C na areia, determina a diferenciação de um organismo macho, e os ovos com temperatura acima de 30º C, originam fêmeas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


A temperatura age sobre as etapas iniciais do desenvolvimento, diretamente definindo a anatomia e fisiologia do aparelho reprodutor. Como há variação diária ou sazonal de temperatura, ambos os sexos são produzidos.

Além disso, a temperatura também varia de ninho para ninho, dependendo da quantidade de insolação incidente sobre o ninho, exposto diretamente à radiação solar ou na sombra e se os ovos estão dispostos na superfície do ninho ou em sua base.

Por Krukemberghe Fonseca
Graduado em Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

RIBEIRO, Krukemberghe Divino Kirk da Fonseca. "Determinação do sexo nos répteis"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/determinacao-sexo-nos-repteis.htm. Acesso em 23 de fevereiro de 2024.

De estudante para estudante


Videoaulas