Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Cará

Cará é um alimento com diversos nutrientes e vitaminas. Esse tubérculo também é rico em carboidratos complexos por ter fibras.

Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

O cará é um tubérculo cujo nome científico é Dioscorea Alata. É um alimento que pode ser encontrado na maioria das feiras e mercados, geralmente nas barraca em que também se vende batata-inglesa e inhame.

A casca do cará não tem “pelos” e parece-se com a da mandioca, com a diferença que é marrom e mais arredondada. Quando o tubérculo é descascado, percebe-se nele uma textura escorregadia e levemente grudenta.

A parte interna do cará é carnuda e tem coloração branca-amarelada e, em algumas partes, arroxeada. Seu cheiro assemelha-se ao da canela, e seu sabor é levemente doce.

O cará é rico em vitaminas e nutrientes e tem vários benefícios alimentares.[1]
O cará é rico em vitaminas e nutrientes e tem vários benefícios alimentares.[1]

É importante destacar que os pigmentos de cor roxa do cará possuem uma substância chamada antocianina, que contém propriedades antioxidantes que eliminam radicais livres.

Saiba mais: O que são alimentos saudáveis

Tópicos deste artigo

Diferença entre cará e inhame

Muitas pessoas confundem o cará com o inhame, mas eles não são o mesmo alimento. Embora sejam da mesma família e muito ricos em carboidratos, os dois alimentos têm propriedades diferentes.

Veja as principais diferenças:

Cará

  • O pé do cará é uma trepadeira de cipó e tem folhas menores. A planta pode ser usada para ornamentação. Esses tubérculos são gerados no solo, debaixo da terra.

  • O cará tem muitas fibras, por isso melhora o trânsito intestinal, aumenta a saciedade, regula a absorção de açúcar no organismo e equilibra os níveis de colesterol.

Inhame

O inhame tem a casca áspera, enquanto a casca do cará é mais lisa.
O inhame tem a casca áspera, enquanto a casca do cará é mais lisa.
  • O pé do inhame é menor, mas suas folhas são maiores, e sua raiz não cresce muito. A textura externa do vegetal é “rachada” e tem “pelos” na parte de que saem as folhas.

  • O inhame possui mais potássio e concentração de vitaminas B6 e B9, que atuam na prevenção do mal de Alzheimer e no tratamento da leucemia e da dengue. O inhame também ajuda a controlar a pressão arterial. Caso queira saber mais sobre esse importante alimento, leia: Inhame.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Benefícios do cará

O cará é rico em carboidratos complexos, ou seja, possui baixo índice glicêmico, o que significa que a glicose vai sendo liberada aos poucos na corrente sanguínea.

Esse alimento possui bastante fibras, em especial a pectina, conferindo saciedade. Além disso, ele não apresenta gordura na sua composição, por isso é considerado pouco calórico.

Tido como muito nutritivo, o cará tem várias vitaminas e minerais. É rico em potássio, selênio, iodo, ácido fólico, vitamina C e vitaminas B6 e B12.

Ao descascá-lo, quanto mais arroxeado ele estiver, mais benefícios ele terá. Veja, a seguir, os principais deles:

  • Ajuda na circulação sanguínea, evitando a formação de coágulos;

  • Colabora no controle da pressão arterial;

  • Ajuda a tornar a digestão mais lenta, evitando problemas de prisão de ventre ou constipação;

  • É bactericida, ou seja, combate bactérias prejudiciais ao organismo;

  • Controla os níveis de açúcar no sangue;

  • Ajuda no retardamento do envelhecimento da pele, evitando o surgimento de rugas e manchas;

  • Repõe hormônios, diminuindo os efeitos da menopausa, como náuseas e ondas de calor.

Saiba mais: Fibras alimentares – características e classificação

Como cozinhar o cará

O cará possui muitas fibras e, por isso, oferece mais saciedade nas refeições. O alimento serve para substituir o arroz, a batata ou a mandioca, por exemplo.

O tubérculo pode ser usado em diversas receitas. Ele pode ser feito fervido ou cozido, sozinho ou com outros alimentos, como a carne.

Também é possível usar o cará para fazer purês, farinhas, papinha para bebês etc. Algumas pessoas também o usam para fazer sobremesas, por causa do sabor e da textura.

Uma curiosidade é que pessoas com doença celíaca, ou seja, com intolerância ao glúten, podem comer cará à vontade, pois ele não possui essa proteína. Pessoas portadoras dessa doença, inclusive, podem substituir a farinha de trigo pela farinha de cará para prepararem suas receitas.

Crédito da foto

[1] Domínio público


Por Silvia Tancredi
Jornalista

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

TANCREDI, Silvia. "Cará"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/saude/cara.htm. Acesso em 29 de junho de 2022.

De estudante para estudante


PUBLICIDADE

Estude agora


Mistura de soluções de solutos diferentes que reagem entre si

Os casos mais comuns de mistura de soluções de solutos diferentes que reagem entre si ocorrem quando juntamos...

10 anos da Guerra Civil Síria

Assista a nossa videoaula para conhecer a história dos 10 anos da Guerra Civil Síria. Confira também no nosso canal...