Whatsapp

Menopausa

Saúde e Bem-estar

PUBLICIDADE

A menopausa é o nome dado à interrupção fisiológica dos ciclos menstruais. Esse processo ocorre por volta dos 50 anos, quando o ovário deixa de produzir seus hormônios, fazendo com que as taxas hormonais das mulheres caiam abruptamente. Com isso uma série de alterações são observadas, as quais podem ser de caráter físico e também psicológico.

Denomina-se de climatério o período de transição entre a fase reprodutiva e a não reprodutiva da mulher, sendo possível observar durante esse período alguns sintomas, como ondas de calor, irritabilidade, distúrbios do sono e ressecamento vaginal.

Esses sintomas podem ser tratados com uso de medicamentos e mudanças nos hábitos de vida, como melhoria na alimentação e realização de exercícios. A terapia de reposição hormonal pode ser indicada em alguns casos, podendo apresentar pontos positivos e também negativos.

Leia também: Puberdade – período de transição entre a infância e a fase adulta

O que é a menopausa?

Menopausa é o nome dado à interrupção fisiológica dos ciclos menstruais e ocorre como consequência do fim da produção hormonal pelos ovários (gônadas femininas). A menopausa só é confirmada após 12 meses sucessivos sem que ocorra menstruação. A menopausa marca o fim da fase reprodutiva da mulher, que a partir desse momento não é mais capaz de ter filhos, e, geralmente, ocorre entre 45 e 55 anos. Denomina-se de menopausa precoce aquela que ocorre antes dos 40 anos de idade e de tardia aquela que ocorre apenas após os 55 anos.

Durante a vida da mulher, observamos alterações nos níveis de estrógeno.
Durante a vida da mulher, observamos alterações nos níveis de estrógeno.

Climatério e perimenopausa

O climatério é uma fase da vida da mulher que corresponde ao período de transição entre a fase reprodutiva e a fase não reprodutiva, sendo observada a progressiva queda nos níveis de estrógeno produzido pelo ovário e uma redução da fertilidade. Nesse contexto, temos a ocorrência da menopausa, que é um grande marco dessa fase.

O climatério apresenta duração variável e inicia-se no final da fase reprodutiva e estende-se até a senilidade. Não há consenso entre os autores a respeito de quando o climatério inicia-se, sendo possível encontrar bibliografias, por exemplo, que indicam o início a partir dos 35 anos e autores que afirmam que o climatério compreende o período entre 45 e 60 anos.

A perimenopausa é o período que antecede a menopausa, sendo um momento em que o corpo feminino sofre uma série de mudanças. Nesse período, que pode durar cerca de dois a cinco anos, as menstruações vão se tornando irregulares, com fluxo reduzido e cada vez mais espaçada uma da outra. É na perimenopausa que as alterações hormonais ocorrem de maneira mais intensa.

Leia também: Hormônios e o ciclo menstrual

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quais os sintomas da menopausa?

Antes de a mulher chegar à menopausa, ela pode sentir uma série de sintomas que ocorrem como consequência da redução dos níveis hormonais. Algumas mulheres, no entanto, não se queixam de nenhuma alteração, sendo os sintomas, portanto, variáveis de uma mulher para outra. Dentre as alterações apresentadas pelas mulheres devido à redução dos hormônios, podemos citar:

  • Irregularidade nos ciclos menstruais, tanto no que diz respeito à frequência quanto no fluxo.

  • Fogachos, também chamados de ondas de calor, são um dos sintomas mais descritos, podendo ocorrer em qualquer fase do climatério. Essas sensações de calor ocorrem de maneira súbita e podem ser acompanhadas de sudorese, palpitação e sensação de desfalecimento.

  • Suores noturnos.

  • Ressecamento vaginal.

  • Diminuição da libido.

  • Irritabilidade.

  • Ansiedade.

  • Depressão.

  • Nervosismo.

  • Distúrbios do sono.

  • Ressecamento na pele.

  • Aumento de peso.

Outra condição que merece destaque e ocorre subsequente à menopausa é a osteoporose, um problema de saúde em que os ossos tornam-se mais fracos, favorecendo o desenvolvimento de fraturas. A osteoporose é comum em mulheres após a menopausa, pois a queda nos níveis de estrogênio provocam uma redução na atividade dos osteoblastos e um aumento na atividade dos osteoclastos.

Essas duas células são células do tecido ósseo relacionadas, respectivamente, com a produção da parte orgânica da matriz óssea e com a reabsorção do tecido ósseo. Assim sendo, a matriz óssea não se forma, ocorre uma maior reabsorção e a consequente desmineralização do osso.

Os fogachos ou ondas de calor são um dos principais sintomas do climatério.
Os fogachos ou ondas de calor são um dos principais sintomas do climatério.

Quais os tratamentos para menopausa?

Vimos ao longo texto que o climatério pode desencadear uma série de sintomas desagradáveis, os quais podem ser aliviados com mudança de comportamento e, em alguns casos, uso de medicamentos.

Uma melhora na alimentação, a realização de exercícios físicos e não consumir álcool e cigarro são mudanças comportamentais que podem ajudar a enfrentar as mudanças no climatério. Além disso, iniciar atividades que lhe tragam prazer, como um novo hobby também pode ser importante, uma vez que a mulher pode apresentar alterações psicológicas, sendo fundamental cuidar do corpo e da mente.

No que diz respeito ao uso medicamentos, esses serão recomendados de acordo com os sintomas apresentados pela paciente. Antidepressivos e cremes vaginais, por exemplo, podem ser recomendados. Existe ainda a terapia de reposição hormonal, em que serão administrados os hormônios que tiveram sua produção interrompida pelos ovários.

A terapia de reposição hormonal apresenta seus prós e contras. No que diz respeito às melhorias que a terapia pode desencadear estão:

  • a redução das ondas de calor,

  • a redução das infecções urinárias,

  • a redução das fraturas em decorrência da osteoporose,

  • uma melhoria na lubrificação vaginal.

No que diz respeito aos pontos negativos dessa terapia, podemos citar um aumento no risco de desenvolver:

Diante dos riscos e benefícios da administração da terapia hormonal, cada caso deve ser analisado de maneira individualizada, não sendo a reposição recomendada, por exemplo, para pacientes que apresentam histórico de câncer, AVC e sangramento genital sem causa definida.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Menopausa"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/saude/menopausa.htm. Acesso em 19 de abril de 2021.

Artigos Relacionados
Saiba mais sobre a ação dos hormônios e eventos que desencadeiam na menstruação.
O que você sabe sobre o estrogênio? Clique aqui para conhecer as características do estrogênio e suas funções. Compreenda também por que ele é chamado de hormônio sexual feminino, as consequências de sua redução para o corpo da mulher, o que é a reposição hormonal e o papel desse hormônio nas pílulas anticoncepcionais.
Veja aqui o que é e como ocorre o ciclo menstrual.
Clique aqui e conheça mais sobre a osteoporose: causas, fatores de risco, sintomas e tratamento. Saiba mais sobre essa doença que afeta os ossos!
Saiba mais a respeito da estrutura dos ovários e suas funções para o organismo feminino.
Relação entre o ciclo menstrual e variações na mucosa das cordas vocais.
Entenda o que é o “viagra feminino” e como esse produto pode mudar a vida sexual da mulher.