Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Radicais Livres

Os radicais livres são espécies orgânicas substituintes que apresentam um elétron desemparelhado e, portanto, são instáveis e extremamente reativas. O nosso organismo produz radicais livres principalmente na respiração. Eles reagem com outras células, provocando a sua degradação e o envelhecimento p

O processo de envelhecimento pode ser acelerado pelo aumento da produção de radicais livres em nosso organismo
O processo de envelhecimento pode ser acelerado pelo aumento da produção de radicais livres em nosso organismo
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Os radicais livres são grupos orgânicos substituintes que possuem um elétron livre, ou seja, não compartilhado ou desemparelhado. Esses radicais são muito instáveis e extremamente reativos, ligando-se facilmente a outras espécies de carga positiva que estejam próximas.

A obtenção dos radicais livres se dá por meio de uma ruptura ou cisão homolítica, também denominada de homólise de ligações covalentes. Essa palavra, “homólise”, indica que há um rompimento igualitário dos dois elétrons da ligação, sendo que cada átomo fica com um dos elétrons que estavam compartilhando antes; pois, no grego, homo significa igual e lysis é quebra, isto é, uma quebra igual da ligação. Veja um exemplo abaixo:

Cisão homolítica do cloro, para a formação de radicais livres.

O nosso organismo produz radicais livres na respiração e na queima das células. Eles são produzidos em nosso organismo porque em certos casos são benéficos. Por exemplo, eles são usados como meio de defesa, atacando corpos estranhos que conseguem entrar em nosso organismo.

Entretanto, esses radicais são espécies químicas altamente tóxicas, que agridem as células de nosso organismo podendo levá-las à morte. Essa agressão provoca, por exemplo, um aceleramento no envelhecimento, uma vez que os radicais se ligam a outras espécies do nosso corpo, danificando, assim, células sadias e produzindo compostos tóxicos e indesejáveis. Algumas espécies que podem ser desestabilizadas são as proteínas, o DNA e os açúcares.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Uma boa alimentação ajuda a diminuir e a controlar a liberação desses radicais. Essa alimentação deve ser rica principalmente em antioxidantes, que são capazes de reagir com os radicais livres e neutralizá-los.

Porém, o contrário também é verdadeiro, a má alimentação, associada a outros fatores de risco, aumenta a produção dos radicais livres e a degradação do nosso corpo. Veja abaixo os principais fatores que aumentam a produção de radicais livres e causam, consequentemente, o envelhecimento precoce:

Fatores que causam o aumento de radicais livres no organismo e o envelhecimento precoce.


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química
Equipe Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FOGAçA, Jennifer Rocha Vargas. "Radicais Livres"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/radicais-livres.htm. Acesso em 04 de julho de 2022.

De estudante para estudante


Como fazer balanceamento de equações?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

O que é camada de valência?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

PUBLICIDADE

Estude agora


10 anos da Guerra Civil Síria

Assista a nossa videoaula para conhecer a história dos 10 anos da Guerra Civil Síria. Confira também no nosso canal...

Cem anos de solidão | Análise Literária

Assista a nossa videoaula para conhecer um pouco mais da obra “Cem anos de solidão”, um dos romances mais...