Topo
pesquisar

Doação de Sangue

Saúde e Bem-estar

PUBLICIDADE

A doação de sangue consiste na retirada voluntária deste tecido conjuntivo especial para sua utilização por outro indivíduo, por meio de uma transfusão. Sua demanda é destinada, principalmente, a pessoas que sofreram acidentes, enfrentaram processos quimioterápicos, ou determinados procedimentos, como cirurgias cardíacas e transplantes.

Como o sangue, pelo menos até o presente momento, não pode ser sintetizado em laboratórios; e tampouco vendido, este gesto é muito importante para a vida de um número significativo de pessoas. É um procedimento rápido, e basicamente indolor; e não oferece riscos ao doador, já que a quantidade retirada é mínima (aproximadamente 500 mL), e se repõe em poucos dias.

Para tal é necessário, primeiramente, um cadastro. Depois dessa etapa, o paciente deve fazer um teste de anemia e, para isso, são utilizadas uma ou duas gotas de sangue, retiradas do dedo indicador com o auxílio de uma lanceta. São, também, aferidas a pressão arterial e a temperatura.

Caso não se apresente anêmico, com febre ou pressão fora dos padrões normais; o voluntário é encaminhado para uma triagem, na qual serão feitas determinadas perguntas a fim de verificar a viabilidade da doação.

É imprescindível que o entrevistado seja honesto em suas respostas, já que uma doação indevida pode comprometer a vida do receptor. A infecção pelo vírus da AIDS, por exemplo, possui a chamada “janela imunológica” – termo que designa um intervalo entre a infecção e a detecção do vírus em amostras sanguíneas, em procedimentos laboratoriais. Assim, o sangue retirado de um indivíduo nessa fase pode ser erroneamente transfundido.

Algumas pessoas são motivadas a tal gesto pela disponibilização de exames gratuitos, como testes para hepatites B e C, doença de Chagas, HTLV, sífilis e HIV; além da identificação de grupo sanguíneo e fator RH. Dessa forma, podem não ser totalmente sinceras na triagem. Considerando este fato, em nosso país existe um número de telefone no qual esses indivíduos podem ligar solicitando a exclusão do sangue doado, com o intuito de não oferecer riscos ao paciente.

A coleta é feita em torno de quinze minutos e, logo após este momento, é oferecido um lanche ao doador. Para sua segurança, recomenda-se que evite esforços físicos, e também a ingestão de bebida alcoólica nas doze horas seguintes; não fumar em até duas horas depois da doação; e manter o curativo por pelo menos quatro horas.

O sangue retirado é submetido aos exames específicos e, em seguida, suas frações são divididas para que possa ser feita uma melhor utilização deste. Assim, plaquetas, hemácias, plasma e crioprecipitados (para retirada de fatores específicos para hemofílicos, por exemplo), podem ser utilizados em pacientes distintos, para situações também distintas.

Vale lembrar que o intervalo mínimo entre uma doação e outra deve ser de dois meses, para homens; e três meses, para mulheres.


IMPORTANTE:

Não podem doar sangue:

Pessoas que tiveram hepatite após os dez anos de idade;
Soropositivos ou portadores de doenças infecciosas transmitidas pelo sangue;
Gestantes ou lactentes;
Indivíduos acima de 65 anos de idade, ou que possuem peso abaixo de 50 kg;
Homens ou mulheres que se submeteram a cirurgias, receberam transfusão, fizeram tatuagem ou colocaram piercing; em menos de um ano.

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia
Equipe Brasil Escola

 

Veja mais!
Doação de plaquetas
Doação de cordão umbilical

Dicas Saudáveis - Saúde e Bem Estar - Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

ARAGUAIA, Mariana. "Doação de Sangue"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/saude/doacao-sangue.htm>. Acesso em 27 de setembro de 2016.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA