Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

O que é transplante

Saúde e Bem-estar

Os transplantes de órgãos estão entre os procedimentos mais complexos da medicina.
Coração, pâncreas e pulmão só sobrevivem 4 horas entre a retirada e a doação
Coração, pâncreas e pulmão só sobrevivem 4 horas entre a retirada e a doação
PUBLICIDADE

O transplante, também chamado de transplantação, é a transferência de células, tecidos ou órgãos de uma pessoa (doador) para outra pessoa (receptor). O primeiro transplante de que se tem notícia data do século II a.C. na Índia. Nessa época se transplantavam a pele de uma região do corpo de uma pessoa para outra região do corpo da mesma pessoa, como tratamento para queimaduras e ferimentos graves.

Depois de anos de fracasso, o transplante entre pessoas diferentes só foi possível no ano de 1954 entre dois irmãos gêmeos idênticos. Nessa época, os médicos já sabiam que o sistema imune da pessoa receptora poderia rejeitar os órgãos e a inexistência de medicamentos imunossupressores impedia a doação de órgãos àqueles que não tinham irmãos gêmeos idênticos. Depois de muitas pesquisas, foram descobertos medicamentos que poderiam ser utilizados como imunossupressores e, finalmente, o transplante poderia ser feito entre pessoas que não fossem gêmeos idênticos.

Qualquer pessoa pode se tornar um doador de órgãos, desde que não possua em seu histórico doenças que prejudiquem o funcionamento do órgão a ser doado.Para ser um doador não é necessário deixar nada por escrito, mas é de extrema importância que a pessoa comunique a sua família sobre o desejo. É importante lembrar que alguns órgãos podem ser doados em vida, como um dos rins, parte do fígado e parte da medula óssea. Pacientes com morte encefálica são considerados potenciais doadores, de acordo com a Resolução CFM Nº 1480/97, mas após a morte encefálica a doação dos órgãos só pode ser feita mediante consentimento familiar.  

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Para que haja sucesso no transplante, é necessário que o órgão seja transplantado o mais rápido possível, para que não ocorra sua perda. Antes de todos os transplantes são realizados mapeamentos genéticos do doador e do receptor, pois quanto mais parecido forem geneticamente, menos drogas são necessárias e mais tempo o órgão dura.

Após o transplante, consultas periódicas com o médico são realizadas e se houver qualquer tipo de rejeição, poderá ser oferecido ao doente um novo transplante.


Por Paula Louredo
Graduada em Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

MORAES, Paula Louredo. "O que é transplante"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/saude/transplante.htm. Acesso em 27 de outubro de 2021.

Artigos Relacionados
O uso de células hematopoiéticas do cordão umbilical para tratamento de doenças malignas que afetam células sanguineas.
Procedimento que fornece oito vezes mais plaquetas do que a doação de sangue tradicional.
Você sabe quem pode realizar uma doação de órgãos e quais órgãos podem ser doados? Clique aqui e descubra a resposta para essa e outras perguntas!
O transplante de órgãos e tecidos no Brasil é regulamentado pela Lei 9.434 de 4 de fevereiro de 1997 e pela Lei 10.211 de 23 de março de 2001.
Compreenda o que é a morte encefálica, ou morte cerebral, e entenda por que essa condição é irreversível.
Informações relativas ao transplante de medula óssea.
Você já se perguntou quais órgãos podem ser doados em vida? Clique aqui e conheça quais são esses órgãos e os motivos que permitem sua doação. Além disso, conheça um pouco da lei nº 9.434, que dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para transplante e tratamento.