Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Causas da diarreia

Causas da diarreia podem ser variadas, tais como doenças causadas por vírus, bactérias, protozoários e vermes, doença de Crohn, doença celíaca e câncer.

Mulher, em frente ao banheiro, com a mão na região do estômago, indicando sentir dor.
A diarreia pode vir acompanhada de dor abdominal.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

As causas da diarreia podem ser variadas, indo desde problemas mais simples, como intoxicações alimentares provocadas por bactérias ou vírus, até casos mais graves, como alguns tipos de cânceres. Assim sendo, é fundamental procurar um médico para que o diagnóstico correto seja feito.

A diarreia se caracteriza como um quadro marcado por evacuações líquidas e com alta frequência, ocorrendo mais de três vezes ao dia. Apesar de ser um problema muitas vezes ignorado, trata-se de uma condição grave que pode até mesmo levar uma pessoa à morte.

Leia mais: Náusea e vômito — dois fenômenos que podem estar associados com intoxicação alimentar

Tópicos deste artigo

Resumo sobre causas da diarreia

  • As causas da diarreia são variadas.

  • Bactérias, vírus, protozoários, nematódeos e platelmintos são agentes que podem provocar diarreia.

  • Alergias e intolerâncias alimentares, determinados medicamentos e consumo de álcool são também causas da diarreia.

  • A diarreia pode ser sintoma de problemas como síndrome do intestino irritável, doença de Crohn, doença celíaca e câncer de intestino.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Principais causas da diarreia

A diarreia pode ter diferentes causas, sendo algumas delas:

  • Bacterioses: a ingestão de alimentos ou água contaminada por algumas espécies de bactérias pode provocar diarreia. Dentre as bactérias que merecem destaque, podemos citar as do gênero Salmonella e a bactéria Escherichia coli.

  • Viroses: alguns vírus podem provocar diarreia, sendo esse o caso do rotavírus e do norovírus. Vale destacar que o vírus SARS-CoV-2, causador da covid-19, também pode desencadear o problema.

  • Protozooses: dentre as espécies mais conhecidas de protozoários que causam diarreia, podemos citar a Giardia lamblia, que provoca a giardíase, e a Entamoeba histolytica, causadora da amebíase.

  • Verminoses: alguns vermes podem provocar diarreia, sendo esse o caso do Ancylostoma duodenale, agente causador da ancilostomíase, e do Schistosoma mansoni, que provoca a esquistossomose.

  • Uso de medicamento: alguns medicamentos, como alguns antibióticos, orlistate (usado em tratamento de sobrepeso ou obesidade) e antiácidos com magnésio, apresentam a diarreia como um de seus possíveis efeitos colaterais.

  • Consumo excessivo de álcool: pode comprometer a flora intestinal e provocar diarreia.

  • Efeitos colaterais da quimioterapia: a quimioterapia, em algumas pessoas, pode provocar efeitos colaterais indesejáveis, como a diarreia. Nessas situações, o médico indicará medicamentos para controlar o problema e recomendará uma dieta específica.

  • Alergias alimentares: são uma reação do organismo a determinado alimento. Diferentemente da intolerância alimentar, na alergia há o envolvimento de mecanismos imunológicos. Alergias alimentares, além de provocar diarreia, podem causar sintomas como vômito, dores abdominais, manchas na pele, coceira e inchaço. Alguns alimentos que frequentemente provocam alergia são frutos do mar, leite e derivados, nozes e ovos.

  • Intolerância alimentar: ocorre quando ingerimos algum alimento que nosso organismo apresenta dificuldade para digerir. O tipo mais comum é a intolerância à lactose, que é a incapacidade do indivíduo de digerir a lactose, um açúcar presente no leite e em seus derivados.

Mulher com uma mão encostada na região do estômago e a outra mão segurando um copo de leite
A intolerância à lactose pode provocar diarreia, náusea, gases, desconforto e dores abdominais.
  • Síndrome do intestino irritável: apresenta, até o momento, causa desconhecida. Provoca dor e distensão abdominal e mudanças no hábito intestinal (diarreia ou constipação). De acordo com a Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva e Neurogastroenterologia, “acredita-se que haja uma hipersensibilidade visceral, responsável pelos sintomas, que pode ser agravada pela ingestão de certos alimentos”. A Sociedade salienta ainda que o estresse, além da ingestão de alguns alimentos, pode estar relacionado com o problema.

  • Doença de Crohn: doença crônica inflamatória que acomete, principalmente, o final do intestino delgado e o intestino grosso. Assim como a síndrome do intestino irritável, sua causa não está bem esclarecida. A doença pode provocar, além de diarreia, cólicas abdominais, perda de apetite e sangramento retal.

  • Doença celíaca: apresenta uma atrofia da mucosa intestinal, a qual acontece devido a um processo inflamatório decorrente de uma resposta imunológica inadequada (doença autoimune). Essa resposta ocorre em indivíduos geneticamente predispostos quando eles apresentam contato com o glúten. O principal tratamento é retirar o glúten da dieta.

  • Câncer de intestino: pode provocar sintomas como dores abdominais, sangue nas fezes, perda de peso sem causa aparente, alterações no formato das fezes e alteração do hábito intestinal, com a ocorrência de diarreia e prisão de ventre alternadamente.

Leia mais: Dicas para evitar intoxicação alimentar

O que é diarreia?

De acordo com o Ministério da Saúde, podemos definir a diarreia como um desarranjo do intestino, com aumento do número de evacuações e fezes amolecidas ou líquidas. Desse modo, podemos identificá-la analisando a frequência e consistência das nossas fezes.

  • Frequência: na diarreia, aumenta-se a frequência de evacuações, que normalmente passam a ser mais de três vezes ao dia.

  • Consistência: as fezes na diarreia apresentam-se malformadas, com maior quantidade de água e eletrólitos, portanto, mais líquidas.

Vale destacar que a diarreia pode vir acompanhada de outros sintomas a depender da causa do problema. Suor frio, cólicas, náuseas, vômito, sensação de esvaziamento incompleto do intestino e presença de sangue nas fezes são problemas que podem surgir acompanhando um quadro de diarreia.

A diarreia pode ser classificada em:

  • Aguda: nela, o sintoma estende-se por, no máximo, 14 dias e pode ter diferentes causas, tais como infecções bacterianas e virais. Em geral, a diarreia aguda inicia-se subitamente e pode ser acompanhada de outros sintomas, como febre, vômitos e desidratação. Outros sintomas ainda podem surgir de acordo com o agente que está desencadeando o quadro. A Salmonella, por exemplo, pode provocar sangue nas fezes.

  • Crônica: caracteriza-se por episódios que duram mais de 30 dias ou, ainda, por surtos recorrentes. As principais causas desse problema são doenças inflamatórias do intestino, algumas alergias alimentares e até mesmo câncer intestinal.

Caso queira saber mais sobre o tema deste tópico, leia nosso texto: Diarreia.

O que fazer em caso de diarreia?

A principal complicação da diarreia é a desidratação, sendo assim, o primeiro passo é hidratar-se, tomando sempre muita água, soro caseiro ou bebidas isotônicas. As bebidas isotônicas garantem que os sais minerais perdidos sejam repostos.

A alimentação deve seguir como de costume, entretanto, é interessante evitar alimentos gordurosos, frituras, leites e derivados, por exemplo. Além disso, prefira alimentos que controlem ou evitem a diarreia, como banana-prata ou banana-maçã, maçã sem casca, maracujá, suco de goiaba, caju ou limonada, cereais, legumes cozidos e carnes magras.

Muitas vezes, a diarreia cura-se sozinha, entretanto, em alguns casos, é necessária atenção redobrada. Ao perceber que a diarreia dura mais de três dias, por exemplo, é fundamental procurar um médico.

Também é importante verificar se há sangue ou muco nas fezes e se outros sintomas estão ocorrendo com o problema, como febre, cólicas e vômitos. Outro fator que requer atenção é se pessoa apresenta sintomas de desidratação, como diminuição da micção, sonolência e boca seca.

É possível se prevenir da diarreia?

Alguns tipos de diarreia podem ser prevenidos utilizando-se medidas bastante simples, tais como:

  • Beber água filtrada ou fervida.

  • Lavar sempre as mãos.

  • Lavar bem os alimentos, principalmente aqueles consumidos in natura.

  • Guardar bem os alimentos para evitar contaminações.

  • Em caso de intolerância, evitar esse tipo de alimento.

  • Evitar rios e lagos em que pode haver contaminação.

Escritor do artigo
Escrito por: Vanessa Sardinha dos Santos Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás (2008) e mestrado em Biodiversidade Vegetal pela Universidade Federal de Goiás (2013). Atua como professora de Ciências e Biologia da Educação Básica desde 2008.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Causas da diarreia"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/saude-na-escola/diarreia.htm. Acesso em 28 de maio de 2024.

De estudante para estudante