Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Faixa de Gaza

Geografia

Faixa de Gaza é um território palestino na fronteira com o Egito e Israel, com saída para o Mediterrâneo. Possui dois milhões de habitantes e é alvo de conflitos constantes.
Bandeira da Palestina
Bandeira da Palestina
PUBLICIDADE

A Faixa de Gaza é um pequeno território situado no Oriente Médio. Possui uma faixa litorânea, a oeste, de 40 km, com saída para o mar Mediterrâneo, e faz fronteira com Israel e com o Egito. A Faixa de Gaza integra o território da Palestina e abriga uma de suas maiores cidades, Gaza. A população nessa região é de, aproximadamente, dois milhões de habitantes, o que a torna densamente povoada. O território é muito pobre e enfrenta severos problemas estruturais, além dos constantes conflitos, que agravam ainda mais a sua situação.

Leia também: O que é a questão Palestina?

Resumo sobre a Faixa de Gaza

  • A Faixa de Gaza é um estreito território de 365 km² localizado no Oriente Médio. É banhada pelo mar Mediterrâneo a oeste, e faz fronteira com Israel e com o Egito.

  • Possui climas Árido e Semiárido, além de feições de relevo planas e onduladas.

  • Sua população é atualmente de 2.106.745 habitantes, e se trata de um território densamente povoado, com mais de cinco mil hab./km².

  • A população da Faixa de Gaza é muito jovem e, além disso, a maioria se considera refugiada. Os palestinos são a grande maioria da população, e a religião islâmica é praticada por quase todos os moradores da área.

  • O Hamas governa a Faixa de Gaza desde o ano de 2007.

  • Em termos econômicos e infraestruturais, a Faixa de Gaza é um território muito pobre e que enfrenta sérios problemas de abastecimento. A situação se agravou a partir do bloqueio imposto por Israel, em 2007.

  • Uma série de conflitos armados marca a história da Faixa de Gaza. Os mais recentes deles envolvem Israel e o Hamas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Videoaula sobre o que é a Faixa de Gaza

Dados gerais da Faixa de Gaza

  • Nome oficial: Faixa de Gaza

  • Gentílico: palestino

  • Extensão territorial: 365 km²

  • Localização: Oriente Médio

  • Clima: Árido

  • Governo: desde 2007, Gaza é governada pelo Hamas.

  • Divisão administrativa: cinco territórios administrativos

  • Idioma: árabe

  • Religiões:

    • islamismo (98%), sendo a maioria muçulmana sunita;

    • outras, incluindo religiões de matriz cristã: 2%.

  • População: 2.106.745 habitantes

  • Densidade demográfica: 5.771,9 hab./km²

  • Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,708 (Palestina)

  • Moeda: Novo Shekel israelense

  • Produto Interno Bruto (PIB): US$ 2,93 bilhões

  • PIB per capita: US$ 6220 (valor anual)

  • Gini: 0,337 (Banco Mundial, 2016) - dado de todo o território palestino

  • Fuso horário: GMT +3

  • Relações exteriores: como parte do território Palestino, integra a ONU na condição de Estado observador permanente.

Veja também: Causas e consequências dos conflitos entre Israel e Palestina

Mapa da Faixa de Gaza

Mapa da Faixa de Gaza em detalhe e sua localização em visão mais ampla.
Mapa e localização da Faixa de Gaza.[1]

Geografia da Faixa de Gaza

A Faixa de Gaza é um estreito território localizado no Oriente Médio. Com aproximadamente 41 km de extensão e largura que chega a até 12 km, a Faixa de Gaza possui área de 365 km². A leste e a nordeste, faz fronteira com Israel, enquanto, ao sul e sudoeste, faz divisa com o Egito, mais especificamente com a península do Sinai. A oeste, o território de Gaza é banhado pelo mar Mediterrâneo.

Em conjunto com áreas inseridas na Cisjordânia, a nordeste de Israel, forma o que conhecemos como a Palestina ou o território palestino. Assim, a Faixa de Gaza isoladamente não é um país. A Organização das Nações Unidas (ONU), no entanto, reconhece a Palestina desde 2012, quando foi inserida na organização como um Estado observador, com a aprovação de 138 nações, nove votos contrários e 41 abstenções.

O território de Gaza é dividido em cinco distritos administrativos ou governadorias, sendo eles, a partir do nordeste em direção a sudoeste:

  • Gaza do Norte

  • Gaza

  • Dayr al-Balah

  • Khan Yunis

  • Rafah (o único situado na divisa com o Egito)

Imagem aérea de parte da Cidade de Gaza.
Cidade de Gaza, situada no território palestino da Faixa de Gaza. [2]

Bordejada pelo Mediterrâneo e cercada por extensas áreas desérticas, a Faixa de Gaza possui clima que varia do Árido ao Semiárido. Os invernos variam de amenos a frios, com média de 13 ºC, enquanto o verão é caracterizado por baixa umidade do ar e elevadas temperaturas, com máximas de até 31 ºC. As chuvas se concentram na transição do outono para o inverno, com volumes de 300 mm anuais.

Seguindo o padrão de distribuição climática e os solos que são, em sua maioria, arenosos e argilosos, a cobertura vegetal da Faixa de Gaza é relativamente densa na costa e vai se tornando mais rarefeita na medida em que se caminha para as terras orientais e ao sul. Compõe-se de formações características de savanas, como arbustos, maquis, árvores de médio e pequeno porte, e gramíneas, com presença de florestas na zona litorânea.

O relevo, por sua vez, é marcado por feições suavemente onduladas e planas bem como por dunas (ou bancos de areia), que podem ser observadas nas porções ocidental e sul da Faixa de Gaza. A maior elevação do território fica a 105 metros acima do nível do mar e é denominada Abu 'Awdah (Joz Abu 'Awdah).

Demografia da Faixa de Gaza

A Faixa de Gaza tem, nos dias atuais, 2.106.745 habitantes, de acordo com os dados oficiais para o ano de 2021, disponibilizados pelo Escritório Central de Estatísticas da Palestina. Esse contingente equivale a, aproximadamente, 40% da população palestina, levando em consideração também os territórios na área da Cisjordânia. Com uma extensão territorial bastante limitada, a Faixa de Gaza é densamente povoada. O número de habitantes, por km², chega a 5771,9.

Cerca de 77% dos moradores da Faixa de Gaza vivem nas áreas urbanizadas, concentrando-se principalmente nas cidades das províncias ao norte. A cidade de Gaza é a maior delas, e conta com 590 mil habitantes.

A população que vive no território da Faixa de Gaza é muito jovem. As informações oficiais indicam que 41% possuem entre 0 e 14 anos de idade, constituindo, assim, a maior parcela. A faixa que vai dos 15 aos 29 anos concentra 28,2% dos habitantes, ao passo que os idosos, ou seja, aqueles que possuem 60 ou mais, são apenas 4,6% dos moradores. A idade mediana da população da Faixa de Gaza é de 18,3 anos, uma das mais baixas do mundo.

Outra particularidade demográfica da Faixa de Gaza é o acelerado crescimento populacional, que é da ordem de 2,8%, superior ao total da Palestina, que é de 2,2%. Isso se deve, em sua maioria, à elevada taxa de natalidade da região, que é atualmente de 28,1 nascimentos por mil.

Economia da Faixa de Gaza

A Faixa de Gaza é um dos territórios mais pobres do mundo. Seu Produto Interno Bruto (PIB) é de US$ 2,93 bilhões, ao passo que o PIB per capita anual soma US$ 6220.

Conforme um estudo elaborado pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) e divulgado no ano de 2020, o desenvolvimento econômico da área foi duramente afetado pelo bloqueio imposto por Israel a partir de 2007 e que perdura, o que ocorreu após a chegada ao poder do grupo nacionalista Hamas. Sabe-se que as medidas de restrição impostas por Israel figuram desde pelo menos o início da década de 1990, mas se tornaram ainda mais severas com a mudança do poder na segunda metade dos anos 2000.

O bloqueio abrange os espaços aéreo, marítimo e terrestre de Gaza, o que restringe ao mínimo a entrada e também a saída de bens e pessoas e provocou, de acordo com as Nações Unidas, um retrocesso na região, aumentando os índices de pobreza e insegurança alimentar. Estima-se que o custo total foi de cerca de US$ 16,7 bilhões, valor esse que supera em quase seis vezes o PIB do território. A taxa de pobreza, que era de 40% em 2007, elevou-se para 56% uma década mais tarde.

Região portuária da cidade de Gaza. O espaço marítimo do território está incluso no bloqueio imposto por Israel.
Região portuária da cidade de Gaza. O espaço marítimo do território está incluso no bloqueio imposto por Israel.

A produção para o abastecimento do mercado interno foi afetada pela falta de matérias-primas que vinham do exterior e pela decorrente elevação dos custos de produção. Além disso, as exportações encolheram, e isso repercutiu diretamente sobre a produção agropecuária e industrial.

Atualmente, 75% do PIB são oriundos do setor de serviços, enquanto a indústria e a agropecuária contribuem com, respectivamente, 21,1% e 3%. Uma minoria da população empregada se encontra no setor primário, do qual são derivados produtos como tomate, pepino, berinjela, azeitona, aves e leite, notadamente de cabra. A indústria é responsável pela produção de móveis, alimentos e tecidos.

Cultura da Faixa de Gaza

O desenvolvimento cultural da Faixa de Gaza se deu ao longo de milênios de ocupação, conforme mostram registros arqueológicos, tendo ainda hoje grande influência das populações turcas, dado o longo domínio do Império Otomano sobre a região, e sobretudo do árabes.

Hoje a população da Faixa de Gaza é formada pelos palestinos, cuja maioria se considera refugiada. Sua língua principal é o árabe, e, além dele, fala-se o hebreu. O islã é a religião predominante naquele território, como em toda a Palestina, sendo a grande maioria dos seus praticantes sunita. A religião e os preceitos religiosos desempenham ainda hoje um importante papel nos costumes e no cotidiano da população palestina da Faixa de Gaza.

A cidade de Gaza abriga grandes mesquitas, locais de culto dos adeptos do islamismo, bem como centros culturais, teatros e um museu privado de arqueologia. Além disso, três localidades da Faixa de Gaza estão na lista de tentativas para serem inclusas como Patrimônios da Humanidade pela Unesco, dois deles culturais e um como patrimônio natural. São eles, respectivamente:

  • o monastério de Santo Hilarion (Tell Umm Amer);

  • o porto de Anthedon;

  • os terraços costeiros de Wadi Gaza.

Governo da Faixa de Gaza

Mediante os Acordos de Oslo, firmados no ano de 1993, foi criada a Autoridade Nacional Palestina (ANP), órgão responsável pela administração política dos territórios palestinos, o que inclui a Faixa de Gaza. A Autoridade Palestina se divide entre o Executivo e o Legislativo, liderados, respectivamente, pelo presidente e primeiro-ministro e pelo Conselho Legislativo da Palestina.

Desde 2007, entretanto, o órgão é responsável somente pelos territórios da Cisjordânia. As eleições parlamentares realizadas em 2006 na Palestina resultaram na eleição do grupo nacionalista Hamas. Após um conflito que se estabeleceu entre esse grupo e o Fatah, derrotado pela primeira vez no pleito de 2006, o Hamas assumiu o controle sobre a Faixa de Gaza em 2007.

  • Videoaula sobre o que é o Hamas

História da Faixa de Gaza

A ocupação da área que conhecemos hoje como Faixa de Gaza data de milênios antes da era atual, tendo sido uma importante região mercante pela sua localização estratégica, às margens do mar Mediterrâneo e com acesso ao Oriente Médio. A cidade de Gaza, entretanto, foi ocupada pelos filisteus a partir do século XII a.C., atribuindo a essa área então o nome de Filisteia, e exercendo domínio sobre ela por um longo período.

Diversos outros povos passaram por aquela região e deixaram um pouco da sua influência. No entanto, o período mais longo foi aquele sob o domínio do Império Otomano, o qual se desfez ao final da Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Com isso, as terras da Faixa de Gaza foram transferidas para o mandato britânico, que se impôs sobre as áreas que hoje correspondem ao território palestino.

Com a Partilha da Palestina, no ano de 1947, realizada no âmbito das Nações Unidas, o território da Faixa de Gaza foi atribuído aos árabes, assim como ocorreu com áreas da Cisjordânia. Os Acordos de Oslo (1993), que instituíram a Autoridade Palestina, determinaram que essa entidade seria responsável pela governança da Faixa de Gaza.

  • Conflitos na Faixa da Gaza

A Faixa de Gaza é uma região que vive enorme instabilidade política e sob constantes ameaças e conflitos, em sua grande maioria, armados. Tão logo foram estabelecidos os territórios árabes em Gaza e na Cisjordânia, em 1947, e o domínio britânico foi encerrado, um ano mais tarde, eclodiu-se a Primeira Guerra Árabe-Israelense, e Gaza foi dominada por forças egípcias. Como consequência dos conflitos, o território de Gaza foi reduzido e se tornou a atual Faixa de Gaza, cujos limites foram demarcados em 1949.

Outro conflito que marcou a história do território foi a Crise de Suez de 1956, quando a Faixa de Gaza estava ainda sob o domínio do Egito. Ao fim desse conflito, Israel ocupou a área, mas as forças egípcias conseguiram se restabelecer no ano de 1957.

Uma década depois, em 1967, a Guerra dos Seis Dias foi travada entre árabes e israelenses, e um dos resultados desse conflito foi, novamente, o domínio de Israel sobre a Faixa de Gaza. O ano de 1987 é marcado pela Primeira Intifada, uma revolta do povo palestino contra as tropas israelenses. A Segunda Intifada aconteceu no ano 2000, quando, mais uma vez, o povo palestino se rebelou contra os militares israelenses em seu território, e se utilizou de pedras e pedaços de pau como armas, o que ocasionou a morte de milhares de palestinos.

Israel retirou suas tropas da região em 2005, mas novos conflitos surgiram em 2007, quando o Hamas, considerado um grupo terrorista pelos israelenses, foi eleito e passou a governar a Faixa de Gaza somente. O conflito inicial foi travado entre o Hamas e o partido que perdeu as eleições, o Fatah.

Desde então, diversas ofensivas ocorreram entre Israel e o Hamas, primeiro entre 2008 e 2009, e novamente nos anos de 2012, 2014, 2018 e 2019. O conflito mais recente aconteceu em maio de 2021, e teve início em Jerusalém Oriental e duração aproximada de 11 dias, quando foi determinado o cessar-fogo.

Confira no nosso podcast: Os muros que dividem o mundo

Construção de um muro entre a Faixa de Gaza e o Egito.
Processo de construção de um novo muro na fronteira entre a Faixa de Gaza e o Egito.[3]

Infraestrutura da Faixa de Gaza

Sendo um território empobrecido e alvo de conflitos constantes, a Faixa de Gaza enfrenta sérios problemas estruturais, como na saúde, educação, segurança, nos transportes e notadamente aqueles atrelados ao abastecimento da população e suprimento de serviços, como de energia elétrica e água.

A maior parte da população da área possui acesso à rede de energia, mostram os dados oficiais palestinos, a qual é gerada de combustíveis fósseis e fontes renováveis, como a solar principalmente.

Boa parte da energia consumida pelas residências é importada de países como Egito e Turquia, e, somado aos conflitos que ocorrem na região, o bloqueio israelense é também um dos fatores responsáveis pela crise de abastecimento. Acredita-se que novos projetos de fornecimento de gás para a geração de energia possam ser concluídos até 2022, auxiliando, dessa forma, a sanar ou ao menos reduzir os impactos do gargalo no setor.

O fornecimento de água é bastante limitado nos meses de verão, o que se junta à escassez recorrente. A única fonte da Faixa Gaza é o aquífero costeiro, cuja qualidade das águas tem se deteriorado rapidamente pelo excesso de poluição, e, além disso, parte da água é perdida no caminho até as residências pela precariedade da infraestrutura. Em muitos casos, a solução é a compra de água potável.

Importância da Faixa de Gaza

A Faixa de Gaza é uma área de grande importância para o povo palestino, uma vez que representa uma de suas sedes territoriais, ou ao menos uma parcela dela, levando em consideração que o território palestino não é contíguo. No entanto, as nações vizinhas, em especial Israel, também veem a Faixa de Gaza como uma área estratégica, seja por questões históricas, seja pela expansão de suas fronteiras civis e militares.

Veja também: Qual é a diferença entre árabes e muçulmanos?

Curiosidades sobre a Faixa de Gaza

  • A Faixa de Gaza é cercada por muralhas que servem como barreira física entre os territórios de Israel e Egito e o território palestino.

  • Dados da ONU indicam que quase 75% da população da Faixa de Gaza se registraram na condição de refugiados. O território conta atualmente com um total de oito campos de refugiados palestinos.

  • Em função do bloqueio israelense, túneis subterrâneos foram construídos na fronteira com o Egito e utilizados durante um tempo para a entrada de mercadorias, como alimentos, itens de higiene, gasolina e outros.

Crédito da imagem

[1] Indech, Lencer / Commons

[2] Val_Yankin / Shutterstock

[3] Anas-Mohammed / Shutterstock

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Faixa de Gaza"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/faixa-de-gaza.htm. Acesso em 22 de setembro de 2021.

Artigos Relacionados
Acesse e entenda os conflitos entre Israel e Palestina. Veja as causas dessa guerra e compreenda a Questão Palestina.
Com a Guerra dos Seis Dias, Israel conseguiu ampliar seu território e tornar ainda mais tensa a situação no Oriente Médio. Clique aqui e saiba mais!
O Oriente Médio é uma das áreas mais importantes do mundo em termos históricos e geopolíticos. Clique para ler nosso texto e conhecer melhor essa região.
Leia nosso texto sobre a Palestina e conheça um pouco da geografia dessa região. Entenda seus aspectos políticos e aprenda sobre sua economia, cultura e população.
Entenda os principais acontecimentos relativos à questão palestina no Oriente Médio.