Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Programa Artemis

O programa Artemis será pioneiro ao colocar a primeira mulher e a primeira pessoa negra na superfície lunar pouco mais de meio século após a bem-sucedida missão Apollo 11.

Astronauta sobre superfície lunar
O programa Artemis, da Nasa, tem como objetivo o retorno dos seres humanos à Lua e a preparação para futuras expedições ao planeta Marte.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O programa Artemis é um programa de exploração espacial desenvolvido pela Nasa que levará o ser humano mais uma vez para a superfície da Lua. Composto por três missões com início em 2022, o programa visa a aprofundar as pesquisas a respeito do nosso satélite natural e do Sistema Solar, além de aumentar o tempo de permanência dos astronautas no espaço como parte importante da preparação para uma próxima missão de grande porte que tem como destino o planeta Marte.

Leia também: Mitos e verdades sobre a chegada do homem à Lua

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o programa Artemis

  • O programa Artemis tem como objetivos enviar novamente seres humanos à Lua, bem como aprofundar os estudos e a exploração do satélite natural e do Sistema Solar com a realização de missões de longo prazo que preveem a maior permanência humana no espaço.

  • Representa também um teste para uma futura missão tripulada em Marte, com a instalação de uma base auxiliar na Lua.

  • É considerado irmão gêmeo do programa Apollo, responsável pelo primeiro ser humano a pisar na superfície lunar em 1969. Por essa razão, o atual programa recebeu o nome da deusa Ártemis, irmã gêmea do deus Apolo na mitologia grega.

  • O Artemis é derivado de um projeto que teve início ainda em 2004, mas foi cancelado cinco anos mais tarde devido aos custos elevados. Sua retomada aconteceu em 2017.

  • A primeira etapa do Artemis acontecerá em 2022 e consiste em uma viagem não tripulada para a órbita lunar.

  • A segunda etapa do programa está prevista para 2024 e tem como objetivo a observação do funcionamento dos sistemas em uma viagem tripulada que realizará um sobrevoo na Lua.

  • A terceira e última etapa será a mais longa e possivelmente contínua, com o retorno dos seres humanos à superfície da Lua e ampliação dos estudos a respeito do satélite, com a possibilidade de exploração de recursos para a produção de combustíveis para foguetes.

  • O Brasil é um dos países signatários do Acordo Artemis, que estabelece os princípios para a exploração espacial de forma pacífica e sustentável.

  • Com o programa Artemis será a primeira vez que uma mulher e uma pessoa negra pisarão na superfície lunar.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Objetivos do programa Artemis

O programa Artemis, desenvolvido pela Nasa com a parceria de empresas privadas, como a SpaceX e a Blue Origin, pretende enviar os seres humanos novamente à superfície da Lua, repetindo o feito que aconteceu há mais de meio século, mais precisamente nos anos de 1969 e 1972. Desta vez, a intenção é a de que caminhem pelo satélite natural a primeira mulher e a primeira pessoa negra, os quais compõem uma equipe mais diversa do que as anteriores. No entanto, essa é uma etapa intermediária, que viabilizará o principal objetivo do programa Artemis.

Representação da nave Orion.
Representação da nave Orion, veículo responsável pelo transporte de quatro astronautas até a superfície da Lua durante as missões do programa Artemis.

De acordo com as informações da Nasa, o programa tem dois objetivos gerais. O primeiro deles é o de avançar na exploração e nas descobertas científicas espaciais, visando a compreender melhor a origem e a história do nosso planeta, da Lua e do Sistema Solar. Para isso, a Nasa pretende estabelecer uma base fixa no satélite, com instalações para o trabalho e moradia temporária dos astronautas, onde a presença humana será recorrente.

O segundo objetivo do programa Artemis, e talvez o principal deles, é o de que a experiência adquirida com a utilização de novas tecnologias e as habilidades desenvolvidas na nova missão à Lua representem um teste para a exploração de Marte, tendo em vista a pretensão da Nasa de enviar astronautas para o planeta na década de 2030. Nesse projeto, a Lua desempenhará a função de base auxiliar.

Confira no nosso podcast: O que você precisa para sobreviver em Marte?

Origem e história do programa Artemis

O programa Artemis é descrito como o irmão gêmeo do programa Apollo, que esteve vigente entre os anos de 1961 e 1972 e desempenhou diversas missões na órbita e na superfície lunar. O programa Apollo é mais conhecido por ser responsável pelo primeiro ser humano a pisar na Lua, o que aconteceu em 20 de julho de 1969.

Pelas semelhanças com o programa Apollo, o atual programa de exploração lunar recebeu o nome de Artemis, revelado no ano de 2019. Na mitologia grega, a deusa da caça e da vida selvagem Ártemis era irmã gêmea do deus Apolo, considerado deus do Sol.

No início dos anos 2000, os Estados Unidos apresentaram o programa Visão para a Exploração do Espaço, assinado pelo presidente à época, George W. Bush. Uma das propostas era justamente a de enviar novamente astronautas para a Lua e utilizar as experiências como ponto de partida para a realização de missões tripuladas em Marte.

O programa Constellation, como ficou conhecido, previa a construção dos veículos Ares I e Ares II junto da nave Orion e do módulo lunar, e seu início deveria ter acontecido em 2011. No entanto, os custos eram elevados e não havia condições suficientes para a sua manutenção no orçamento nacional, o que levou ao seu cancelamento em 2009 pelo presidente Barack Obama.|1|

A Nasa retomou a sua tarefa de elaborar novas atividades que promoveriam o retorno dos seres humanos à superfície da Lua a partir de 2017, quando o então presidente estadunidense Donald Trump assinou a Diretiva de Política Espacial 1. O documento autorizava a realização de novas missões tripuladas e de longa duração para a exploração lunar, estabelecendo também outras viagens exploratórias para planetas como Marte.

Dois anos mais tarde, em 2019, o vice-presidente norte-americano, Mike Pence, estabeleceu o ano de 2024 como o limite para a chegada dos seres humanos ao polo sul da Lua, que é a região pela qual a Nasa pretende dar início à sua missão tripulada.

Até o momento, a agência estima que o programa Artemis terá custo de 93 bilhões de dólares. Trabalham em conjunto com a Nasa 11 empresas privadas estadunidense de tecnologia que estão atuando no desenvolvimento de equipamentos como aterrissadores e módulos de pouso, além de outras nove empresas responsáveis por robôs lunares que farão a coleta de dados in loco. Muitas dessas empresas pretendem desenvolver atividades econômicas na Lua, com a potencial exploração de recursos naturais para a produção de combustível para foguetes. Esse combustível seria utilizado nas missões futuras, como para Marte.

Etapas do programa Artemis

Representação do lançamento do SNS, que fará o transporte dos astronautas, das cargas e da nave Orion, no programa Artemis.
Ilustração representando o lançamento do SNS, veículo que será responsável pelo transporte simultâneo dos astronautas, das cargas e da nave Orion.

O programa Artemis é composto por três etapas (ou missões), as quais descrevemos abaixo.

  • Artemis I: a primeira missão do programa Artemis não será tripulada e será colocada em prática em 2022, com previsão de duração de 42 dias. Seu objetivo é promover um teste de equipamento, verificando a capacidade do veículo Space Lauch System (SLS) e da nave Orion chegarem até a órbita lunar e retornarem em segurança para a Terra. Nesse percurso serão enviados dez pequenos satélites para investigações iniciais.

    O SLS é um foguete de 98 metros de comprimento com a capacidade de transportar, em uma única missão, a cápsula Orion, os astronautas e as cargas. A Orion, por sua vez, tem a capacidade para transportar quatro pessoas e será responsável pelo envio dos tripulantes do foguete até a superfície lunar.

  • Artemis II: a segunda missão do programa Artemis está prevista para 2024. Planejada para durar dez dias, o objetivo dessa etapa é o transporte de tripulantes para a realização de um sobrevoo na Lua. Com isso, será possível avaliar a maneira como os veículos e seus respectivos sistemas atuam na viagem e garantir a segurança das missões futuras.

    Trata-se da viagem mais distante já realizada pelos humanos no espaço profundo, já que o trajeto prevê a volta completa ao redor da Lua e a passagem pelo seu chamado lado escuro.

  • Artemis III: a terceira etapa do programa tem previsão para início em 2025 e deverá ser uma missão contínua. Um de seus objetivos é o de colocar o ser humano mais uma vez na superfície da Lua. Além disso, o Artemis III visa à exploração recorrente do satélite e o ganho de experiência para o desenvolvimento de missões mais longas e distantes, como aquela que deverá levar uma tripulação ao planeta Marte.

Leia também: Fatos que comprovam a chegada do homem à Lua

Brasil e o programa Artemis

Liderado pelos Estados Unidos, o programa Artemis conta com a cooperação de um grupo de 20 países, do qual o Brasil faz parte. Em junho de 2021, o país se tornou signatário do documento denominado Acordo Artemis, que estabelece um conjunto de princípios para a exploração racional, sustentável e pacífica do espaço.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e a Agência Espacial Brasileira (AEB) preveem uma colaboração técnica e científica, com o compartilhamento de informações e tecnologias, como equipamentos robóticos, que visam ao aperfeiçoamento das pesquisas espaciais brasileiras.|2||3|

Importância do programa Artemis

O programa Artemis representa o início de uma importante fase da exploração espacial, com a realização de missões tripuladas mais distantes e duradouras. Conforme aponta a Nasa, o programa expandirá o escopo das pesquisas espaciais inicialmente na Lua e depois em outros corpos celestes, incluindo planetas até então alcançados com o auxílio de sondas robóticas, como Marte, abrindo margem para a exploração de recursos naturais e a instalação de longo prazo dos seres humanos.

A importância do programa Artemis se estende para aquela que a Nasa chama de Geração Artemis, que são futuros cientistas inspirados pelo atual trabalho. A agência acredita que a seleção de uma equipe muito mais diversa, em termos de gênero e etnia, para atuar nas missões da Artemis incentivará milhares de crianças e jovens que se interessam pelo tema espacial a se verem representados naqueles profissionais e perseguirem uma carreira como cientistas, gerando grandes contribuições futuras para a exploração do nosso Sistema Solar e além.

Notas

|1| NOGUEIRA, Salvador. Conheça a origem da missão Artemis, para levar humanos novamente à Lua. Folha de S.Paulo, 28 ago. 2022. Disponível aqui.

|2| CORREIA, Flávia. De volta à Lua: saiba como o Brasil pode participar do Programa Artemis. Olhar Digital, 26 ago. 2022. Disponível aqui.

|3| GNIPPER, Patrícia. EXCLUSIVO! O que o Brasil fará no Programa Artemis? Presidente da AEB conta tudo. Canal Tech, 18 jun. 2021. Disponível aqui.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Programa Artemis"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/fisica/programa-artemis.htm. Acesso em 16 de abril de 2024.

De estudante para estudante