Topo
pesquisar

Apollo 11

História Geral

Apollo 11 foi a expedição responsável por levar o homem à Lua. Essa jornada foi o resultado final de uma década de pesquisas científicas e de altas quantias investidas.
PUBLICIDADE

A Apollo 11 foi uma missão espacial, realizada pela Nasa em julho de 1969, que resultou na chegada do homem à Lua. A bordo do módulo de comando Columbia, Michael Collins, Buzz Aldrin e Neil Armstrong foram os três astronautas enviados ao satélite natural. Essa missão estava inserida dentro do Programa Apollo e foi um dos maiores momentos da corrida espacial.

Leia tambémPor que o homem ainda não voltou à Lua?

Corrida espacial

Primeiramente, antes de compreender o que foi a missão Apollo 11, é necessário termos uma noção do contexto no qual ela estava inserida e que foi essencial para fornecer as condições políticas necessárias que viabilizaram e financiaram a expedição que enviou o homem à Lua em 1969.

A missão Apollo 11 está inserida dentro do contexto da corrida espacial — a disputa travada entre Estados Unidos (EUA) e União Soviética (URSS) pela hegemonia da exploração espacial. Tal competição foi resultado do conflito travado entre os dois países (em níveis político e ideológico) conhecido como Guerra Fria.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Após o final da Segunda Guerra Mundial, EUA e URSS saíram como as duas grandes potências do mundo, e isso contribuiu para a formulação de um cenário de polarização mundial. As duas nações, procurando demonstrar seu poderio, realizaram maciços investimentos na área de tecnologia, pensando principalmente em desenvolver armamentos mais potentes.

Assim, aproveitando-se de estudos realizados por cientistas alemães, americanos e soviéticos, ambas potências começaram a investir no desenvolvimento de mísseis e foguetes. Esses investimentos logo se estenderam às áreas dedicadas aos estudos relacionados com a exploração industrial e com a produção de satélites artificiais.

O lançamento do satélite Sputnik 1 pelos soviéticos inaugurou a corrida espacial (1957-1975).*
O lançamento do satélite Sputnik 1 pelos soviéticos inaugurou a corrida espacial (1957-1975).*

Na década de 1950, tanto americanos quanto soviéticos possuíam programas para a construção de um satélite que orbitaria a Terra. Essa primeira disputa foi vencida pelos soviéticos, que conseguiram lançar o Sputnik 1, em 4 de outubro de 1957. Esse acontecimento deu início à corrida espacial, que se estendeu até 1975.

Entre 1957 e 1975, americanos e soviéticos dedicaram altíssimas somas de dinheiro para investir nessa competição, sempre com o intuito de mostrarem-se à frente nos grandes feitos relacionados ao espaço. Até o começo da década de 1960, os soviéticos haviam sido os pioneiros nos grandes feitos na exploração espacial — enviar um satélite para orbitar a Terra e enviar um ser vivo para o espaço, em 1957.

Em resposta, os americanos enviaram o satélite Explorer 1 e criaram a Nasa — a National Aeronautics and Space Administration. A Nasa foi criada para coordenar todo o programa americano de exploração espacial.

Outro feito realizado pelos soviéticos foi o envio do primeiro homem ao espaço, em abril de 1961. Os soviéticos enviaram Yuri Gagarin, e, logo em seguida, os americanos enviaram Alan Bartlett Shepard Jr. ao espaço, em maio do mesmo ano. Todavia, o grande feito havia sido realizado primeiramente pelos soviéticos.

Em resposta a isso, o presidente americano John F. Kennedy anunciou, em um discurso perante o Congresso do país, a intenção de levar o homem à Lua. Assim, ganhou força o programa Apollo, que tinha como foco viabilizar o envio de expedições tripuladas para nosso satélite natural. 

Para saber mais sobre a corrida espacial, recomendamos a leitura deste texto: Corrida espacial: contexto, acontecimentos, como teve fim.

Programa Apollo

Durante a missão Apollo 11, o homem pisou na Lua, pela primeira vez, em julho de 1969.**
Durante a missão Apollo 11, o homem pisou na Lua, pela primeira vez, em julho de 1969.**

O programa Apollo foi criado para cumprir o objetivo de enviar expedições para a órbita lunar e foi modificado para viabilizar uma expedição tripulada à Lua. O nome desse programa faz uma referência ao deus grego Apolo, bastante associado com as colonizações realizadas pelos gregos antigos ao redor do Mar Mediterrâneo e também irmão gêmeo de Artemis, a deusa da Lua, de acordo com a mesma mitologia.

Dois outros programas muito importantes para o sucesso do Apollo foram o Mercury e o Gemini. O programa Gemini, sobretudo, foi imprescindível para o Apollo porque, durante o primeiro, foi realizada uma série de estudos e testes importantes que possibilitaram o sucesso do segundo. Por meio do Gemini, foram recrutados astronautas e realizadas expedições não tripuladas e tripuladas entre 1963 e 1966.

Com o programa Gemini, testou-se o funcionamento dos sistemas e equipamentos necessários em expedições espaciais. Além disso, foram testados os efeitos no corpo humano em decorrência da permanência no espaço durante longos períodos. Outros testes importantes foram os relacionados com aproximação e acoplagem das naves.

Os resultados conduzidos durante o programa Gemini conseguiram demonstrar que enviar uma expedição tripulada à Lua era possível. Ao todo, foram realizadas 12 expedições Gemini, e a última delas, a Gemini 12, aconteceu entre 11 e 15 de novembro de 1966. As missões realizadas pelo programa Apollo foram a fase final do projeto de enviar o homem à Lua.

Vamos conhecer um pouco mais sobre as principais missões do programa Apollo:

  • Apollo 1, lançada no dia 27 de janeiro de 1967, essa missão foi um desastre completo, resultando na morte dos três astronautas que a compunham: Gus Grissom, Edward White e Roger Chafee. Esse acidente foi resultado de uma falha elétrica que provocou um incêndio no interior da cápsula em que estavam os três astronautas.

Todos sofreram queimaduras de terceiro grau e acabaram morrendo em decorrência da inalação de monóxido de carbono. Foi realizada uma intensa investigação acerca das causas do acidente, e foram estabelecidas profundas mudanças no programa depois disso. Outra expedição dele só aconteceu em novembro de 1967.

  • Apollo 4, como ficou conhecida, foi lançada em 9 de novembro de 1967 e foi uma missão não tripulada, com todas as suas etapas realizadas com sucesso.

  • Apollo 5 foi lançada em 22 de janeiro de 1968 como um teste para o módulo lunar (um aterrizador) e também foi um sucesso.

  • Apollo 6 foi lançada em 14 de abril de 1968 e tinha como objetivo fazer testes semelhantes aos realizados pela Apollo 4. Essa tentativa apresentou algumas falhas de execução que foram analisadas e solucionadas posteriormente.

  • Apollo 7 foi a primeira expedição tripulada (depois da Apollo 1), e foi lançada em 11 de outubro de 1968 contando com três astronautas: Wally Schirra, Donn Eisele e Walter Cunningham. A missão estendeu-se durante quase 11 dias, nos quais os astronautas ficaram na órbita terrestre. No decorrer dessa expedição, foram transmitidas imagens em tempo real do espaço para a Terra.

  • Apollo 8 foi a primeira expedição tripulada a ser enviada para a órbita da Lua, e foi lançada às 7h 51 min no horário local do dia 21 de dezembro de 1968. A Apollo 8 ficou na órbita lunar durante 20 horas e então retornou para a Terra. Os três astronautas envolvidos nela foram: Frank Borman, James Lovell e William Anders.

  • Apollo 9 e Apollo 10 realizaram os últimos testes relacionados com alunissagem (pouso na lua), manobras e acoplagem, e ambas foram tripuladas. A primeira foi lançada em março de 1969, e a segunda, em maio de 1969.

Uma vez realizados todos os testes necessários na Apollo 10, foi organizada a expedição derradeira, aquela que levaria o homem a pisar na superfície lunar: Apollo 11.

Leia tambémMitos e verdades sobre a chegada do homem na Lua

Apollo 11

Apolo 11 é o nome da primeira nave espacial tripulada a pousar na Lua e também o nome da missão mais famosa já realizada pela NASA. Em 20 de julho de 1969, os astronautas Neil Armstrong e Buzz Aldrin, ambos estadunidenses, pisaram pela primeira vez em solo lunar, seis horas após sua alunissagem.

Os astronautas passaram pouco mais de duas horas no exterior do módulo Eagle, enquanto o piloto Michael Collins pilotava o módulo de controle, na órbita da Lua. Durante esse tempo, Armstrong e Aldrin instalaram sobre a superfície da Lua uma grande quantidade de aparelhos de medida e detectores, tiraram um grande número de fotos e coletaram pouco mais de 20 kg de amostras de rochas e pó do solo lunar.

O principal objetivo da missão Apolo 11 era realizar um pouso lunar tripulado e voltar à Terra. Os objetivos secundários da missão incluíam a exploração da Lua feita a partir do módulo Eagle, bem como a instalação de câmeras para registrar as primeiras imagens do satélite, os sensores para medidas do vento solar, os detectores de atividade sísmica, os retrorrefletores e, por fim, a coleta de amostras de solo e rochas.

Durante os seis anos de preparação que se estenderam entre o discurso de John Kennedy e a chegada do homem à Lua, 20 outras viagens espaciais foram realizadas por astronautas da NASA. No entanto, em nenhuma dessas viagens o ser humano havia pousado em território extraterrestre.

Estima-se que 3500 jornalistas fizeram a cobertura do lançamento do foguete Saturn V, com base no Cabo Canaveral, no estado da Flórida. Os primeiros passos de Neil Armstrong sobre a Lua foram transmitidos ao vivo para cerca de seis milhões de telespectadores.

Confira a seguir uma linha do tempo que detalha os acontecimentos mais importantes da missão:

Lançamento

Em 16 de julho de 1969, o foguete Saturn V lançou a espaçonave Apolo 11, com base no Cabo Canaveral, na Ilha Merrit, Florida. A subida, inicialmente vertical, durou 13,2 segundos, até que o foguete pudesse ter a sua direção ajustada para entrar na órbita terrestre.

Aproximadamente 2 minutos e 40 segundos após o lançamento, o primeiro estágio do foguete foi desprendido, e a espaçonave Apolo 11 entrou na órbita da Terra a uma altura de 185 km, após 12 minutos de voo. Cerca de 30 minutos após o início da órbita terrestre, a trajetória da espaçonave foi reajustada para que se iniciasse a manobra de injeção translunar.

Lançamento do foguete Saturno V, carregado com a espaçonave Apolo 11.
Lançamento do foguete Saturno V, carregado com a espaçonave Apolo 11.

Injeção translunar

A injeção translunar foi a manobra pela qual a espaçonave Apolo 11, constituída dos módulos Columbia e Eagle, foi propelida em direção à órbita da Lua.

Nesse processo, o módulo de comando da espaçonave (Columbia) foi desacoplado do último estágio do foguete, e, então, após uma complexa manobra de rotação, acoplou-se ao módulo lunar Eagle e passou a fornecer à espaçonave a propulsão necessária para o ajuste da rota e a chegada à Lua.

A fim de evitar-se uma possível colisão entre a espaçonave e o estágio final do foguete, esse último foi lançado para o espaço, em direção a uma órbita no entorno do Sol.

Pouso

A espaçonave Apolo 11 entrou na órbita da Lua às 17:21 (UTC), e, após 30 órbitas completas, os astronautas puderam avistar seu local de pouso: o Mar da Tranquilidade, uma região da Lua conhecida por seu relevo relativamente plano e pouco irregular. Nesse ponto, o piloto Michael Collins permaneceu no módulo de comando, enquanto Aldrin e Armstrong adentraram no módulo Eagle.

O módulo Eagle foi desacoplado do Columbia, que continuou em órbita. Durante a descida, os astronautas perceberam que sua trajetória estava levemente alterada, em decorrência de a velocidade do módulo estar um pouco acima daquilo que era esperado.

Sendo assim, alguns avisos de emergência foram emitidos pelo computador da espaçonave, mas descobriu-se que esses avisos eram, pelo menos em parte, resultado de um erro ocorrido em um dos radares do módulo lunar. O erro foi resolvido, e o pouso continuou seu curso.

A cerca de 91 metros de altura, Armstrong percebeu que o local previsto para o pouso tinha uma superfície um pouco mais irregular e acidentada do que o desejado. Por essa razão, Armstrong assumiu o controle semimanual do módulo lunar.

Ao aproximar-se da superfície da Lua, quando se encontravam a cerca 30 metros de altura, a visão a partir do módulo Eagle foi ofuscada por uma grande nuvem de poeira levantada pelos jatos propulsores do módulo.

Armstrong fixou sua atenção às grandes rochas que avistara durante o pouso. Dessa forma, pôde estimar a velocidade com que se aproximava do solo. O módulo Eagle tinha algumas sondas acopladas a cerca de 170 cm de sua parte inferior, usadas para avisar quando houvesse contato entre o módulo e o chão.

No instante em que essas sondas indicassem o contato, Armstrong havia sido instruído a desligar os motores da nave imediatamente, uma vez que, a essa distância, havia a possibilidade de que a grande pressão produzida pelos propulsores pudesse ser parcialmente refletida pela superfície lunar, o que poderia causar uma grande explosão no módulo Eagle.

Apesar do aviso, Armstrong esqueceu-se de desligar os motores de propulsão, mesmo assim, o pouso foi concluído sem problemas maiores. Após a alunissagem, os astronautas estabeleceram contato com Houston: “A águia pousou.”

Veja também: O que são buracos negros?

Operações

Após algumas preparações, os astronautas vestiram seus trajes e saíram do módulo lunar, cerca de seis horas após a alunissagem. Foi nesse momento que Niel Armstrong pisou pela primeira vez sobre a superfície da Lua, proferindo sua famosa frase, transmitida ao vivo para milhões de espectadores:

Este é um pequeno passo para o homem, um salto gigante para a humanidade.”

Neil Armstrong

Logo após seus primeiros passos na Lua, os astronautas hastearam a bandeira estadunidense em solo lunar, à vista das câmeras. Em seguida, instalaram alguns dispositivos de medida, como medidores de atividade sísmica, retrorrefletores e câmeras diversas. Após a instalação dos equipamentos, os astronautas coletaram amostras de solo e rocha.

Buzz Aldrin caminhando sobre a superfície da Lua.
Buzz Aldrin caminhando sobre a superfície da Lua.

Ascensão

O módulo Eagle estava equipado com um foguete para que os astronautas pudessem retornar ao Columbia, mas, para que isso fosse possível, uma grande parte do Eagle, o seu módulo de pouso, deveria ser deixada para trás.

A manobra de ascensão consistia em fazer com que o módulo Columbia pudesse interceptar o estágio final do Eagle a mais de 100 quilômetros da superfície da Lua. Ainda no solo, Armstrong acidentalmente danificou um dos disjuntores envolvidos com o acionamento da propulsão do foguete. Entretanto, o problema foi resolvido por ele mesmo usando uma simples caneta.

Entre o pouso e a ascensão a orbita lunar, os astronautas passaram cerca de 21 horas e 30 minutos na superfície da Lua. Depois de terem sido interceptados pelo módulo Columbia, os astronautas dormiram por sete horas. E antes de prepararem seu voo de volta para a Terra, o módulo Eagle foi descartado e caiu em direção à superfície da Lua.

Veja também: Qual é a velocidade da luz?

Retorno

A reentrada do módulo Columbia na atmosfera terrestre ocorreu 44 horas depois da sua saída da órbita lunar, no dia 24 de julho. A orientação do módulo de comando foi levemente alterada, de modo que adentrasse na atmosfera terrestre com o seu escudo térmico voltado para baixo.

O paraquedas do módulo de comando foi acionado após uma viagem de volta que durou cerca de 195 horas, 18 minutos e 35 segundos — 36 minutos a mais que o esperado. Após esse tempo, Columbia amerissou (pousou na água) no Oceano Pacífico e foi resgatada pelo porta-aviões estadunidense USS Hornet.

Em decorrência das normas internacionais sobre a exposição extraterrestre, os três astronautas ficaram em quarentena após a sua chegada, durante um período de três semanas.

Os astronautas e o módulo Columbia foram resgatados pela marinha estadunidense.
Os astronautas e o módulo Columbia foram resgatados pela marinha estadunidense.

Por que os americanos decidiram enviar o homem à Lua?

O presidente americano John F. Kennedy anunciou a intenção de levar o homem à Lua, em 25 de maio de 1961.***
O presidente americano John F. Kennedy anunciou a intenção de levar o homem à Lua, em 25 de maio de 1961.***

Conforme comentamos, a decisão tomada pelo presidente americano de enviar expedições tripuladas à Lua foi anunciada em 25 de maio de 1961, logo após o voo de Alan Bartlett Shepard Jr. O discurso do presidente foi realizado ao Congresso americano. A decisão de enviar o homem para a Lua, no entanto, não foi tomada pensando essencialmente na sua importância científica e tampouco em retornos financeiros.

Sendo assim, qual foi o fator relevante para a tomada da decisão de enviar o homem à Lua? A decisão de Kennedy foi baseada especificamente em questões políticas. A corrida para o espaço estava no seu auge, e a hegemonia espacial era extramente relevante para a popularidade dos presidentes americanos.

Um reflexo disso foi a reação da opinião pública americana, em 1957, que acusou fortemente o presidente Dwight Eisenhower de negligência por deixar os soviéticos ultrapassarem os Estados Unidos nos avanços tecnológicos. Sendo assim, a missão de levar o homem à Lua teria enormes reflexos políticos positivos para Kennedy.

Dentro do contexto de disputa entre americanos e soviéticos, era fundamental, na opinião pública dos dois países, que seus respectivos governos empenhassem-se em impor seu predomínio em relação ao adversário. O próprio discurso de Kennedy indica a intenção de mostrar os Estados Unidos como a nação hegemônica mundial.

Em seu discurso, Kennedy afirmou que:

Agora é o momento para que esta nação dê passos certos e definitivos no sentido de levá-la ao papel de liderança na conquista espacial, o que, de muitas formas, implica nosso futuro na Terra. […] Eu creio que esta nação deve comprometer-se consigo mesma em atingir o objetivo de, antes do final desta década, levar um homem até a superfície da Lua e trazê-lo de volta são e salvo à Terra. Nenhum outro projeto nestes tempos é mais expressivo para a humanidade ou mais importante do que a exploração espacial continuada, e nenhum outro será mais difícil ou custoso de ser cumprido.|1||2|

Como podemos perceber pelo trecho destacado, Kennedy estabelece esse objetivo como aquele responsável por levar os Estados Unidos “ao papel de liderança na conquista espacial”, ou seja, levar o homem à Lua era uma demonstração do poderio tanto econômico quanto tecnológico dos Estados Unidos, dentro do contexto da corrida espacial.

|1| MACAU, Elbert E. N. Chegamos à Lua. In.: PRADO, Antônio Fernando Bertochini de Almeida e WINTER, Othlon Cabo. A conquista do Espaço: do Sputnik à Missão Centenário. São Paulo: Livraria da Física, 2007, p. 92.
|2| Veja o discurso completo de John F. Kennedy. Para acessar, clique aqui [em inglês].

*Crédito da imagem: Alexey Broslavets e Shutterstock
**Crédito da imagem: chrisdorney e Shutterstock
***Crédito da imagem: Olga Popova e Shutterstock


Por Daniel Neves
Graduado em História e Me. Rafael Helerbrock

Neil Armstrong, Michael Collins e Buzz Aldrin, os três integrantes da Apollo 11, missão tripulada enviada para a Lua em 1969. (Crédito: Nasa)
Neil Armstrong, Michael Collins e Buzz Aldrin, os três integrantes da Apollo 11, missão tripulada enviada para a Lua em 1969. (Crédito: Nasa)

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves; HELERBROCK, Rafael. "Apollo 11"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historiag/apollo-11.htm. Acesso em 07 de dezembro de 2019.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola