close
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Leão-marinho

O leão-marinho é um animal pertencente à subordem Pinnipedia e à família Otariidae. Esses animais caracterizam-se por possuírem pescoços longos e orelhas externas evidentes.

O leão-marinho é um mamífero que pode atingir cerca de 300 kg.
O leão-marinho é um mamífero que pode atingir cerca de 300 kg.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

 O leão-marinho é um mamífero marinho pertencente à ordem Carnivora e subordem Pinnipedia. É um animal que se destaca por, diferentemente das focas, apresentar orelhas externas evidentes e ser capaz de mover suas nadadeiras posteriores para frente.

Esse animal apresenta corpo robusto, sendo que os machos possuem uma espécie de juba. Um indivíduo adulto pode pesar cerca de 300 kg, a depender da espécie. O leão-marinho-do-sul é a espécie de leão-marinho que pode ser encontrada no Brasil.

Saiba mais: Baleia-azul — o mamífero aquático que é o maior animal do mundo

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o leão-marinho

  • Leões-marinhos fazem parte da família Otariidae e apresentam como característica marcante a presença de orelhas externas evidentes e a utilização dos membros anteriores durante a locomoção terrestre.

  • Os machos possuem uma juba, daí o nome popular desses animais.

  • Recebem esse nome, também, por emitirem um ruído parecido com no rugido de um leão.

  • Apresentam corpo robusto. Seu focinho é largo e achatado.

  • O leão-marinho-do-sul (Otaria flavescenes) é uma espécie de leão-marinho que pode ser observada no Brasil.

  • Leões-marinhos diferem-se das focas pelo fato de estas não possuírem orelha externa, terem pescoço curto e movimentarem-se arqueando o corpo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Pinípedes e a relação com o leão-marinho

O leão-marinho faz parte da subordem Pinnipedia, a mesma subordem em que estão incluídas as morsas e focas. Esse grupo de animais apresenta como característica marcante a vida em dois ambientes, vivendo alguns períodos em ambiente aquático e outros em substrato sólido, como rochas e gelo. Os pinípedes retornam ao substrato sólido para se reproduzir, trocar de pelo ou descansar. O ambiente aquático é o local onde geralmente se alimentam.

Os pinípedes podem ser encontrados desde os polos até os trópicos. Trata-se de animais carnívoros predadores, os quais se alimentam principalmente de peixes e lulas. Vale salientar, no entanto, que a dieta desses animais varia de acordo com o local em que vivem e com a espécie estudada.

A maioria dos pinípedes é encontrada em ambientes de água fria. Para sobreviver nesses ambientes, contam com uma espessa camada de gordura sob a pele. Os pelos desses animais também ajudam no controle da temperatura.

Os pinípedes estão divididos em três famílias:

  • na família Phocidae estão incluídos os elefantes-marinhos e as focas;

  • na família Odobenidae há as morsas;

  • na família Otariidae estão incluídos lobos-marinhos e leões-marinhos.

Nessa última família, há o que chamamos de pinípedes com orelhas.

Apenas as famílias Otariidae e Phocidae possuem representantes que são observados no Brasil, entretanto, não há colônias reprodutivas de pinípedes em nosso território.

Leia também: Lontra — outro mamífero carnívoro de hábito semiaquático

Aspectos gerais do leão-marinho

O leão-marinho é um mamífero aquático pertencente à família Otariidae. Os otarídeos destacam-se por serem menos tolerantes ao frio, dependendo fortemente da camada de gordura em seu corpo e de sua pelagem para a manutenção do calor. Outras características importantes desses animais são:

  • orelhas externas evidentes;

  • pescoço longo;

  • testículos externos nos machos;

  • corpo robusto;

  • focinho largo e achatado;

  • nadadeiras anteriores alongadas apresentando unhas rudimentares;

  • membros posteriores com unhas de desenvolvimento normal.

Leão-marinho se locomovendo na praia.
O leão-marinho apresenta deslocamento quadrúpede.

No que se refere à locomoção,

  • no ambiente aquático, esses animais se locomovem utilizando as nadadeiras anteriores para impulsionar-se, e as posteriores são usadas para direcionar o nado;

  • no substrato sólido, esses animais apresentam deslocamento quadrúpede, o que garante rápida movimentação.

O deslocamento quadrúpede é possível, pois, diferentemente das focas, os leões marinhos são capazes de mover suas nadadeiras posteriores para frente. Além disso, suas nadadeiras anteriores giram para trás, promovendo sustentação do peso e deixando sua cabeça ereta.

Os leões-marinhos são assim chamados por serem capazes de emitir um som que lembra um rugido de leão. Além disso, os machos possuem uma juba ao redor da face que lembra as apresentadas pelos famosos mamíferos africanos.

Veja também: Golfinho — outro mamífero aquático carnívoro

Leão-marinho-do-sul

O leão-marinho-do-sul (Otaria flavescenes) é uma espécie de leão-marinho que pode ser observada no Brasil. A espécie é encontrada agrupando-se em locais rochosos e está distribuída pela região costeira de ambas as margens da América do Sul.

Os machos da espécie realizam movimentos sazonais, permanecendo durante o inverno em regiões mais quentes, como o Brasil, onde se alimentam e descansam, e no verão migram para áreas mais frias, onde ficam as colônias de reprodução, local em que estão as fêmeas. Ao longo de toda a costa brasileira, existem apenas dois locais onde esses leões-marinhos se refugiam, sendo ambos no Rio Grande do Sul.

O leão-marinho-do-sul é um mamífero de grande porte, com machos pesando até 350 kg e atingindo cerca de 2,8 m. As fêmeas são menores e podem atingir cerca de 140 kg e 2,2 m. Essa espécie possui focinho ligeiramente achatado e os seus pelos são marrom-escuro.

Esses animais alimentam-se de diferentes presas, tais como:

Alguns peixes consumidos por leões-marinhos são capturados por pescadores, o que gera competição entre esses animais e os seres humanos. A interação com a atividade pesqueira pode ser prejudicial para o leão-marinho, uma vez que este pode ser morto por captura acidental ou mesmo propositalmente. Ele pode viver por cerca de 20 anos e apresenta como principais predadores as orcas.

Um fato curioso a respeito desse animal é que ele ingere pedras. Uma das teorias para esse comportamento é que a ingestão serve para o controle da flutuabilidade.

Como o leão-marinho se difere da foca?

As focas e os leões-marinhos são animais que fazem parte do grupo dos pinípedes. Apesar de apresentarem algumas semelhanças, esses animais podem ser facilmente diferenciados pela presença de algumas características marcantes:

  • As focas não possuem orelhas externas, uma característica observada em leões marinhos.

  • Em ambiente sólido, as focas movimentam-se arqueando seu corpo, diferentemente dos leões-marinhos, que são capazes de se deslocarem sobre quatro membros com relativa agilidade.

  • As focas possuem pescoço curto, enquanto leões marinhos possuem pescoço longo.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia 

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Leão-marinho"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/animais/leao-marinho.htm. Acesso em 28 de maio de 2022.

De estudante para estudante


Estude agora


João Cabral de Melo Neto

Nesta videoaula, você conhecerá um pouco mais sobre a vida de João Cabral de Melo Neto, um dos poetas brasileiros...

Liev Tolstói

Nesta videoaula, você conhecerá um pouco mais sobre a vida e a obra de Liev Tolstói, um dos escritores mais...