Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Rio Grande do Sul

Geografia do Brasil

PUBLICIDADE

O Rio Grande do Sul é um estado brasileiro que integra a região Sul, sendo a unidade mais meridional do território nacional. A sede do governo estadual fica na cidade de Porto Alegre. Com 11,4 milhões de habitantes, a população gaúcha é a sexta maior do Brasil. O clima predominante no estado é o Subtropical, caracterizado por temperaturas amenas e invernos rigorosos, e tem relevo formado por planaltos e depressões.

Leia também: Paraná – estado do Sul do Brasil cuja população é formada por 28 etnias diferentes

Dados gerais do Rio Grande do Sul

  • Região: Sul
  • Capital: Porto Alegre
  • Governo: democracia representativa
  • Área territorial: 281.707,149 km² (IBGE, 2020)
  • População: 11.422.973 habitantes (IBGE, 2020)
  • Densidade demográfica: 37,96 hab./km² (IBGE, 2010)
  • Fuso: Horário Padrão de Brasília (GMT -3 horas)
  • Clima: Subtropical

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Geografia do Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul é um estado brasileiro pertencente à região Sul. Consiste na unidade federativa mais meridional do território, além de abrigar o ponto mais ao sul do Brasil: o arroio Chuí, que fica na fronteira sul-rio-grandense com o Uruguai. Além desse país, localizado a sudoeste do estado, o Rio Grande do Sul faz divisa com a Argentina, a oeste, com Santa Catarina, ao norte, e possui saída para o oceano Atlântico, a leste.

  • Clima do Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul está situado na Zona Temperada Sul do planeta. Em função disso, o clima predominante no estado é o Subtropical Úmido. Uma das suas principais características é a melhor distinção entre as quatro estações e as chuvas abundantes e bem distribuídas durante o ano.

Com relação às temperaturas, as médias anuais ficam entre 14 ºC e 22 ºC. Os verões variam de quentes a amenos a depender da região, e os invernos no estado podem ser rigorosos devido à elevada influência das massas de ar polares, o que pode levar os termômetros a registrarem temperaturas próximas de zero ou mesmo negativas.

Nos meses de outono e inverno, não é incomum a ocorrência de geadas e há possibilidade de precipitação na forma de neve, principalmente na região serrana.

  • Relevo do Rio Grande do Sul

Com parte do seu território inserido no planalto meridional brasileiro, o relevo do Rio Grande do Sul pode ser compartimentado em quatro unidades morfológicas.

A primeira delas é o planalto sul-rio-grandense, que abrange todas as terras setentrionais e uma parte do oeste do estado. É onde estão situadas as suas maiores elevações, o que inclui o ponto culminante do Rio Grande do Sul: o pico Monte Negro, localizado no município de São José dos Ausentes, na região nordeste do estado, e a 1410 metros acima do nível do mar.

A segunda é a depressão central, que se estende também por parte do sudoeste. A próxima unidade consiste no escudo sul-rio-grandense, no sudeste e sul do estado, e, na sequência, abrangendo toda a faixa litorânea, tem-se a planície costeira.

  • Vegetação do Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul é abrangido por dois biomas:

  • Mata Atlântica, no nordeste e parte do norte do estado;
  • Pampas, que, no Brasil, restringe-se ao território gaúcho.

Neste predominam as espécies vegetais de pequeno porte, como gramíneas e herbáceas, além de arbustos e pequenas árvores.

Encontra-se no nordeste do estado uma fração da mata de araucárias, assim como florestas que abrangem uma faixa do oeste do estado e uma parte da zona costeira. O litoral gaúcho é composto por formações características como restingas e dunas, sem a presença de mangues.

Veja também: Pantanal – maior planície alagada do mundo

  • Hidrografia do Rio Grande do Sul

A lagoa dos Patos fica no Rio Grande do Sul e é considerada o maior lago do Brasil.
A lagoa dos Patos fica no Rio Grande do Sul e é considerada o maior lago do Brasil.

Três grandes bacias hidrográficas integram o território sul-rio-grandense, sendo a maior delas a bacia do Uruguai, que abrange 57% da área do estado. A segunda é a bacia do Guaíba, na porção central do Rio Grande do Sul, e a bacia Litorânea.

Além dos cursos d’água, a rede hidrológica do estado é formada por lagos, como a lagoa dos Patos, no litoral, e a lagoa Mirim, que tem início na costa gaúcha e se estende até o Uruguai.

Mapa do Rio Grande do Sul

Fonte: IBGE.
Fonte: IBGE.

Demografia do Rio Grande do Sul

Com 11.422.973 de habitantes (IBGE, 2020), o Rio Grande do Sul é o sexto estado mais populoso do Brasil e o segundo do Sul do país, representando cerca de 37,9% da população dessa região. De acordo com o Censo Demográfico de 2010, a distribuição populacional do estado era de 37,96 hab/km². Esse valor saltou para 40,54 hab/km², levando em conta os dados referentes a 2020.

A maior parcela da população gaúcha vive nos centros urbanos, sendo a taxa de urbanização de 85%. Porto Alegre, capital estadual, é o município que reúne o maior número de habitantes, com 1.488.252, ficando em 12º no ranking das cidades mais populosas do Brasil. Caxias do Sul possui a segunda maior população do estado, com 517.451 habitantes.

As taxas de natalidade do estado estão em baixa, o que indica desaceleração do crescimento vegetativo da população. Em contrapartida, o número de pessoas acima dos 60 anos vem aumentando, sendo a expectativa de vida de 78,5 anos.

Divisão geográfica do Rio Grande do Sul

O território gaúcho está dividido em 497 municípios. Desde 2017, o IBGE agrupa essas unidades em 43 regiões geográficas imediatas, que, por sua vez, formam oito regiões geográficas intermediárias, listadas a seguir:

  • Porto Alegre
  • Pelotas
  • Santa Maria
  • Uruguaiana
  • Ijuí
  • Passo Fundo
  • Caxias do Sul
  • Santa Cruz do Sul–Lajeado

Economia do Rio Grande do Sul

O Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul é de R$ 457,29 bilhões, valor equivalente a 6,5% do PIB do Brasil. A economia gaúcha responde por 38,2% do PIB do Sul do país, ficando em primeiro lugar entre os estados que integram a região. Os serviços correspondem a 54,13% do valor do PIB sul-rio-grandense, seguido pela indústria (22,44%) e a agropecuária (8,98%).

O setor secundário é liderado pela indústria de transformação, orientada pelas atividades desenvolvidas no setor primário, ou seja, a agropecuária e, em menor escala, o extrativismo. Destacam-se o fumo, a produção de alimentos e bebidas, como o vinho, couros e calçados, a indústria madeireira e de papel e celulose, a de biocombustíveis, e as indústrias química e mineral.

A produção agrícola do estado é orientada pelos cultivos de soja, fumo, erva-mate, milho, trigo, arroz, feijão e mandioca. O Rio Grande do Sul é, ainda, um grande criador de ovinos e bovinos, o que reflete diretamente na produção de leite, ovos, couros e carnes.

Veja também: Qual é o PIB do Brasil?

Governo do Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul é uma democracia representativa, caracterizada pela realização de eleições periódicas para que a população escolha os seus governantes. O Poder Executivo estadual tem à frente o governador. O Legislativo é composto por três senadores, 31 deputados federais e 55 deputados estaduais. A sede do governo estadual fica em Porto Alegre.

Porto Alegre abriga a sede do governo estadual.
Porto Alegre abriga a sede do governo estadual.

Infraestrutura do Rio Grande do Sul

A rede de transportes do estado é altamente centrada nas rodovias. Além das estradas estaduais, as vias federais que passam pelo território gaúcho são, entre outras: BR-101, BR-116, BR-153, BR-163, BR-290, BR-386. Algumas delas possuem grande movimentação de cargas derivadas da atividade agropecuária, servindo de rotas de escoamento para outros estados brasileiros e também para países vizinhos.

As ferrovias em operação no estado são administradas pela empresa Rumo Malha Sul, e servem tanto para o transporte de pessoas, sobretudo em rotas turísticas, quanto para o translado de mercadorias.

O principal porto do estado é o Rio Grande, localizado na cidade de mesmo nome. Também no litoral gaúcho estão dispostas as hidrovias estaduais. No transporte aéreo, o Aeroporto Internacional Salgado Filho, na capital, é o principal deles.

Bandeira do Rio Grande do Sul

Cultura do Rio Grande do Sul

O mosaico cultural gaúcho foi formado com base em diversas tradições e costumes agregados pelas populações de origens diversas, como indígenas, portugueses, africanos, povos vindos de países vizinhos, a exemplo da Argentina, e migrantes europeus que chegaram ao Rio Grande do Sul a partir do século XIX. Nesse último caso, têm maior influência os italianos, poloneses e alemães.

Um dos elementos importantes que é mantido em algumas localidades do estado é a língua materna das etnias que formam a população sul-rio-grandense, o que reflete também na linguagem cotidiana dos falantes de português.

Realizada todo mês de setembro, a Semana Farroupilha é considerada a maior celebração popular do Rio Grande do Sul. As festas tradicionais incluem, ainda, a Festa de Nossa Senhora dos Navegantes, a Festa da Uva e a Oktoberfest. Além disso, o estado é palco do Festival de Cinema de Gramado, que acontece anualmente.

A carne vermelha tem ampla presença na gastronomia gaúcha. O churrasco é um dos preparos típicos, com a costela assada e o arroz carreteiro. Uma das bebidas mais consumidas é o chimarrão, que tem como base a erva-mate.

O chimarrão é uma bebida típica do Rio Grande do Sul.
O chimarrão é uma bebida típica do Rio Grande do Sul.

História do Rio Grande do Sul

Durante o primeiro século da colonização do Brasil, o Rio Grande do Sul era habitado por diferentes populações indígenas. Apenas em 1626, os padres espanhóis chegam à região, através da fronteira oeste, e fundam as primeiras missões. Em meados desse mesmo século, os bandeirantes ingressaram em terras gaúchas, travando conflito direto com os indígenas.

Os portugueses ocuparam a área apenas em 1680, dando origem à Colônia de Sacramento, que ficava no atual território uruguaio. Diversos conflitos surgiram entre portugueses e espanhóis na região fronteiriça, motivados pela disputa sobre o domínio das terras meridionais. Esses embates cessaram apenas com o Tratado de Santo Ildefonso, em 1777, documento que garantiu aos portugueses a posse de Rio Grande (fundada em 1737), e, aos espanhóis, o domínio sobre Sacramento.

A Guerra dos Farrapos (ou Revolução Farroupilha) foi um dos conflitos que marcaram a história gaúcha, estendendo-se de 1835 a 1845. Foi desencadeada pelo descontentamento da elite do estado com os altos impostos cobrados pelo governo sobre a produção de charque, e adquiriu posteriormente caráter político.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Listagem de Artigos

Lista de Exercícios
Questão 1

Rio Grande do Sul é uma unidade federativa do Brasil. Sendo assim, ele integra uma das Regiões do território brasileiro. Marque a alternativa que indica, corretamente, o complexo regional que abriga o Rio Grande do Sul.

a) Nordeste

b) Centro-Oeste

c) Sudeste

d) Norte

e) Sul
 

Questão 2

A capital do estado do Rio Grande do Sul é a cidade de:

a) Curitiba

b) Porto Velho

c) Pelotas

d) Porto Alegre

e) Campo Grande
 

Ver resposta