Topo
pesquisar

Machado de Assis

Literatura

Popular em sua época, Machado de Assis ainda hoje é considerado um dos grandes nomes da literatura mundial.
Machado de Assis tornou-se um dos grandes ícones da literatura nacional
Machado de Assis tornou-se um dos grandes ícones da literatura nacional
PUBLICIDADE

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu no dia 21 de junho de 1839, na cidade do Rio de Janeiro. O garoto pobre, filho de um operário mestiço chamado Francisco José de Assis e de Maria Leopoldina Machado de Assis, marcou a história da literatura brasileira. Ao contrário do que se imagina, a trajetória de Machado de Assis não o conduziu naturalmente para o mundo das letras. Ainda na infância, o jovem “Machadinho”, como era carinhosamente chamado, perdeu sua mãe.

Durante sua infância e adolescência, foi criado por Maria Inês, sua madrasta. A falta de recursos financeiros obrigou-o a dividir seu tempo entre os estudos e o trabalho de vendedor de doces. Ainda sobre condições não muito favoráveis, Machado de Assis demonstrava possuir grande facilidade de aprendizado. Segundo alguns relatos – no tempo em que morou em São Cristóvão – aprendeu a falar francês com a dona de uma padaria da região.

Já aos 16 anos, Machado de Assis conseguiu publicar sua primeira obra literária na revista Marmota Fluminense, em que registrou as linhas do poema “Ela”. No ano seguinte, Machado conseguiu um cargo como tipógrafo na Imprensa Nacional e dividiu seu tempo com a criação de novos textos. Durante sua estadia na Imprensa Nacional, o escritor iniciante teve a oportunidade de conhecer Manuel Antônio de Almeida, diretor da instituição e autor do romance Memórias de um sargento de milícias.

O contato com o diretor concedeu-lhe novas oportunidades no campo da literatura e o alcance de outros postos de trabalho. Aos 19 anos de idade, Machado de Assis tornou-se colaborador e revisor do Jornal Marmota Fluminense. Nesse período, ele conheceu outros expressivos escritores de seu tempo, como José de Alencar, Gonçalves Dias e Manoel de Macedo, além do já citado Manoel Antônio de Almeida. Nesse tempo, Machado ainda se dedicava à escrita de obras românticas e ao trabalho jornalístico.

Entre 1859 e 1860, Machado de Assis conseguiu emprego como colaborador e revisor de diferentes meios de comunicação da época. Entre outros jornais e revistas, ele escreveu para o Correio Mercantil, Diário do Rio de Janeiro, O Espelho, A Semana Ilustrada e Jornal das Famílias. A primeira obra impressa de Machado de Assis foi o livro Queda que as mulheres têm para os tolos, no qual ele aparece como tradutor. Na década de 1860, o escritor consolidou sua carreira profissional como revisor e editor.

Na mesma época, Machado conheceu Faustino Xavier de Novais, diretor da revista O futuro e irmão de sua futura esposa. Seu casamento com Carolina foi bem sucedido e marcado pela afinidade que sua companheira também possuía com o mundo da literatura. Em 1867, Machado de Assis publicou seu primeiro livro de poesias, intitulado Crisálidas. O sucesso da carreira literária teve sequência com a publicação do romance Ressurreição, de 1872.

A vida de intelectual foi amparada por uma promissora carreira constituída no funcionalismo público. A conquista do cargo de primeiro oficial da Secretaria de Estado do Ministério da Agricultura, Comércio e Obras Públicas ofereceu a Machado de Assis uma razoável condição de vida. No ano de 1874, ele produziu o romance A mão e a luva, em uma sequência de publicações realizadas dentro do jornal O Globo, na época, mantido por Quintino Bocaiúva.

O prestígio artístico de Machado de Assis tornou-o um autor de grande popularidade. Durante as comemorações do tricentenário de Luís de Camões, ele produziu uma peça de teatro encenada no Imperial Teatro Dom Pedro II. Entre 1881 e 1897, o jornal Gazeta de Notícias abrigou grande parte daquelas que seriam consideradas suas melhores crônicas.
O ano de 1881 foi marcante para a carreira artística e burocrática de Machado de Assis. Naquele mesmo ano, Machado tornou-se oficial de gabinete do ministério em que trabalhava e publicou o romance Memórias Póstumas de Brás Cubas, considerado de suma importância para o realismo na literatura brasileira.

A ampla rede de relações e amizades de Machado de Assis abriu-lhe portas para um outro importante passo na história da literatura brasileira. Em reuniões com seu amigo, e também escritor, José Veríssimo, ele confabulou as primeiras medidas para a criação da Academia Brasileira de Letras. Participando ativamente das reuniões de escritores que apoiavam tal projeto, Machado de Assis tornou-se o primeiro presidente da instituição. Com a sua morte, em 1908, foi sucedido por Rui Barbosa.

A trajetória de Machado de Assis é alvo de interesse dos apreciadores da literatura e de vários pesquisadores. A sua obra conta com um leque temático e estilístico bastante variado, dificultando bastante o enquadramento de seu legado em um único gênero. O impacto da sua obra chegou a figurá-lo entre os principais nomes da literatura internacional.


Por Rainer Sousa
 

Escritores - Literatura - Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUSA, Rainer Gonçalves. "Machado de Assis "; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/literatura/biografia-machado-assis.htm>. Acesso em 21 de outubro de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA