close
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Tornado

Os tornados se formam sobre o continente e estão associados a grandes nuvens de tempestades. Os ventos podem superar 400 km/h e possuem elevado potencial destrutivo.

Devastação causada pela passagem de um tornado de intensidade F5 na cidade de Joplin (Missouri), nos Estados Unidos.
Devastação causada pela passagem de um tornado de intensidade F5 na cidade de Joplin (Missouri), nos Estados Unidos.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Tornado é um fenômeno atmosférico associado a uma nuvem de tempestade e condições muito instáveis de tempo. É caracterizado por um funil formado a partir de ventos que giram em alta velocidade em torno de um centro de baixa pressão.

Quando o funil toca o solo, o fenômeno recebe o nome de tornado. Embora tenham curta duração, os ventos dos tornados podem superar a velocidade de 400 km/h, adquirindo grande poder de destruição.

Veja também: Por que os Estados Unidos são tão atingidos por furacões e tornados?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre tornado

  • Tornados são fenômenos naturais caracterizados por um funil de ar girando em alta velocidade em torno de um centro de baixa pressão, conectando uma nuvem de tempestade ao solo.

  • Eles só recebem esse nome a partir do momento em que o funil toca o chão.

  • São formados em condições atmosféricas muito instáveis.

  • Têm duração de poucos minutos, estendendo-se até três horas em casos mais raros.

  • Seu diâmetro varia de 100 metros a 2 km.

  • A escala que mede a intensidade dos tornados é chamada de Fujita.

  • Os danos causados pelos tornados variam conforme a sua intensidade. Em casos extremos, os ventos ocasionam a destruição de casas e edifícios, deslocam carros e veículos mais pesados e causam a morte direta ou indireta de pessoas e animais.

O que é tornado?

Tornado é um fenômeno natural caracterizado por uma coluna de ar que gira em alta velocidade em torno de um centro de baixa pressão atmosférica, formando assim uma espiral (chamada também de funil ou vórtex) com elevado poder de destruição.

Sua formação ocorre por meio de grandes nuvens de tempestades, na base das quais os funis se formam e ganham dimensão até atingir o chão. Aliás, a denominação de tornado se dá somente a partir do momento em que ele entra em contato com o solo.

Interessante: A palavra tornado é derivada de um termo em espanhol, tronada, que significa “trovão” ou ainda “tempestade de raios e trovões”.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Causas do tornado

A ocorrência de um tornado está diretamente associada às grandes nuvens de tempestades, conhecidas também como supercélulas. O principal fator que causa o surgimento desse fenômeno é a diferença de pressão atmosférica derivada da sobreposição de massas de ar com temperaturas contrastantes, isto é, uma quente e uma fria, que se encontram na origem desse tipo específico de nuvem.

Um tornado pode surgir em qualquer horário do dia. Entretanto, é mais comum que se forme no final da tarde, período em que a instabilidade atmosférica é maior devido ao aquecimento da superfície provocado pelo Sol ao longo do dia, o que favorece a ocorrência de tempestades.

Formação do tornado

Um tornado se forma mais comumente a partir das supercélulas. De início, uma massa de ar frio e seco se sobrepõe a uma massa de ar quente e úmido, o que dá origem às grandes nuvens de tempestade (as cumulonimbus ou cumulus).

Uma parte do ar aquecido consegue penetrar na massa de ar frio, inicialmente rotacionando em posição horizontal e posteriormente adquirindo uma posição vertical. Essa mudança de direção dos ventos recebe o nome de cisalhamento. A velocidade com a qual esses ventos se movimentam varia.

Assim, forma-se uma corrente de ventos ascendentes que proporciona o surgimento de uma área central de baixa pressão, chamada de eixo vertical. Essa área atrai uma quantidade cada vez maior de ar ao seu redor, aumentando gradativamente a velocidade de rotação dos ventos.

O ar quente que ascende e atinge as camadas mais elevadas da atmosfera resfria, e a umidade que ele carregava atinge o ponto de condensação e provoca fortes tempestades, muitas vezes contendo granizo.

Com o aporte de umidade, o funil se forma a partir da base da nuvem, em uma área onde não há a ocorrência de chuvas. À medida que mais ar começa a rotacionar ao redor do eixo de baixa pressão, maior a sua velocidade e mais alongado se torna o funil. Quando ele atinge o solo, recebe o nome de tornado. O tornado só é visível graças à umidade que condensa e forma o paredão de nuvens e também à poeira e outros detritos que são carregados pelo movimento dos ventos.

Características do tornado

Os tornados são formados por ventos muito fortes cuja velocidade varia entre 117 km/h e 530 km/h, o que determina o seu potencial destrutivo. A altura do funil está ligada à altitude da base da célula a partir da qual o tornado se formou, compreendendo um intervalo entre centenas de metros até um pouco mais de 1 km. O diâmetro dos tornados pode ser desde 100 metros até quilômetros, chegando aproximadamente ao limite de 2 km.

Formação de um tornado.
Os tornados são formados sobre o continente a partir de células de tempestade e dão origem a ventos de até 533 km/h com alto poder destrutivo.

A duração de um tornado é outra importante característica desse fenômeno. A partir do momento em que entram em contato com o chão e a depender da sua velocidade, os tornados não duram mais do que alguns minutos: de dez a 20 minutos em média. Tornados mais intensos, no entanto, podem ter duração de uma até três horas.

Saiba mais: Qual é o peso de uma nuvem?

Classificação do tornado

A classificação dos tornados é feita através da escala Fujita. Essa escala foi desenvolvida no ano de 1971 e recebeu o nome de seu criador, Tetsuya Theodore Fujita (1920–1998), meteorologista e pesquisador da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos. A escala Fujita classifica os tornados em fraco, forte e violento, a partir do potencial de danos gerados, e varia de F0 a F5.

Veja, na tabela baixo, como é feita a classificação de tornados pela escala Fujita.

Classificação

Intensidade

Velocidade dos ventos

Potencial de destruição

F0

Fraco

Até 116 km/h

Muito baixo

F1

Fraco

117 a 180 km/h

Moderado

F2

Forte

181 a 252 km/h

Considerável

F3

Forte

253 a 331 km/h

Severo

F4

Violento

332 a 418 km/h

Devastador

F5

Violento

419 a 511 km/h

Extremo


Em fevereiro de 2007, no entanto, foi lançada a Escala Fujita Melhorada (EFS, do inglês Enhanced Fujita Scale). Ela não altera o intervalo de classificação (F0 a F5) nem a intensidade atribuída a cada uma das classes. O que muda é a análise da velocidade dos ventos. Na EFS, os intervalos considerados são:

  • F0: 105 a 137 km/h.

  • F1: 138 a 177 km/h.

  • F2: 178 a 217 km/h.

  • F3: 218 a 265 km/h.

  • F4: 266 a 321 km/h.

  • F5: > 321 km/h.

Tornados com velocidade superior a 511 km/h são considerados inconcebíveis. Ainda assim, foi cogitada a inclusão da intensidade F6 na escala Fujita após o tornado de Oklahoma em 1999, que teve velocidade máxima próxima a 533 km/h, algo que acontecia apenas em simulações.

Tipos de tornado

Os tornados são classificados conforme o seu formato e área de ocorrência.

  • Tromba d’água: nome que os tornados recebem quando se formam sobre um corpo d’água. São mais fracos e efêmeros, não estando necessariamente conectados a uma supercélula de tempestade.

  • Tornado corda: apresenta um funil fino e, por isso, aparece com um formato retorcido que se assemelha a uma corda.

  • Tornado de cone: o formato do funil lembra um cone invertido, com sua base situada na nuvem de origem e a ponta mais fina tocando o chão. É o primeiro formato que nos vem à mente quando pensamos em um tornado.

  • Tornado cunha: mais largos do que os tornados em forma de cone. São os tipos mais intensos de tornado, com maior potencial de destruição.

  • Tornados de vórtex múltiplo e tornado satélite: o primeiro tipo ocorre quando duas ou mais colunas se formam e giram em torno de um único centro. Já o segundo tipo acontece quando, além de um tornado maior, um outro se forma próximo a ele e eles giram independentes um do outro, embora sejam frutos da mesma tempestade.

  • Landspout: assemelha-se à tromba d’água em termos de intensidade e duração, mas ocorre sobre a terra, além de não apresentar o formato clássico de funil.

Consequências dos tornados

As consequências produzidas por um tornado dependem da intensidade dos ventos e das características das áreas atingidas, com repercussões mais graves em áreas habitadas. Abaixo, fizemos uma lista com as principais consequências dos tornados.

  • Danos à sinalização de trânsito, árvores com raízes e galhos quebrados, perdas materiais de menor escala (como documentos e móveis) e ferimentos em pessoas e animais, em casos de tornados de menor intensidade.

  • Destelhamento ou remoção completa do telhado de residências e edifícios.

  • Veículos arrastados, tombados ou arremessados, a depender da velocidade dos ventos.

  • Destruição de edifícios, residências e da infraestrutura urbana, como vias, calçadas, postes, fiação elétrica, tubulação de gás, equipamentos de água e esgoto e outros instrumentos.

  • Árvores e outros tipos de vegetação arrancados do solo.

  • Em casos mais graves, morte de pessoas e animais em decorrência dos fortes ventos. Além disso, desabamentos ou arremesso de materiais pelas fortes correntes de ar.

Saiba também: Tsunamis — ondas oceânicas gigantes com elevado potencial destrutivo

Diferenças entre ciclone, tornado e furacão

→ Ciclone

Empregado na meteorologia e na climatologia, ciclone é um termo genérico que caracteriza as tempestades que dão origem a sistemas de ar giratório formados em torno de um centro de baixa pressão e que realizam movimento em alta velocidade. O local de origem e algumas características particulares, como o tempo de duração e as dimensões, fazem com que os ciclones sejam identificados como tornados ou furacões.

→ Tornado

Tornados recebem esse nome a partir do momento em que o funil toca o solo. Ocorrem, portanto, sobre o continente. Os tornados têm curta duração, que é de dez a 15 minutos em média, podendo ser menor ou maior e chegando ao máximo de três horas em casos muito intensos. O diâmetro dos tornados é de até 2 km, menor que o dos furacões.

→ Furacão

Furacões são chamados também de ciclones tropicais. Os furacões se formam sobre as águas dos oceanos Atlântico Norte e Pacífico Norte. Eles são muito maiores do que os tornados, com diâmetro variando entre 200 e 400 km, e se deslocam a velocidades iguais ou superiores a 119 km/h.

De forma distinta dos tornados, os furacões têm duração de alguns dias e, até seu efeito se dissipar, eles percorrem até milhares de quilômetros. É importante ressaltar que o termo tufão faz referência ao mesmo fenômeno, porém eles ocorrem na porção ocidental do oceano Pacífico e parte do oceano Índico.

→ Videoaula sobre a diferença entre tornado, furacão e ciclone

Lista dos piores tornados da história

Conforme vimos até aqui, os tornados são fenômenos naturais que, em um curto período, conseguem deixar um grande rastro de devastação nas áreas em que ocorrem. Os Estados Unidos e países do sul da Ásia, como Bangladesh, concentram alguns dos piores e mais mortais tornados de toda a história.

Elencamos abaixo quais foram os cinco piores tornados da história de acordo com o número de fatalidades que eles causaram.

  1. Daulatpur-Saturia, em Bangladesh, ocorrido em 26 de abril de 1989. Um tornado de intensidade F3 que se deslocou por 80 km e deixou 1.300 mortos, 80 mil pessoas desabrigadas e 12 mil feridos.

  2. Indiana, Illinois e Missouri, Estados Unidos, ocorrido em 18 de março de 1925. Chamado de Tornado dos Três Estados devido à sua área de deslocamento, esse tornado foi o pior da história dos Estados Unidos e um dos mais duradouros do mundo, com três horas e 37 minutos. Os ventos de intensidade F5 vitimaram 695 pessoas e destruíram 15 mil residências.

  3. Manikganj, Singair, e Nawabganj, em Daca, Bangladesh, ocorrido em 17 de abril de 1973. O total de vítimas fatais foi de 681, com 12 mil pessoas afetadas ao todo.

  4. Antigo Paquistão Ocidental, onde hoje está situado Bangladesh, ocorrido em 14 de abril de 1969. Os ventos de 144 km/h vitimaram 660 pessoas, de acordo com registros oficiais.

  5. Grão-Porto, na ilha de Malta, ocorrido em meados do século XVI (1551 ou 1556). O número de vítimas estimado é de 600.

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Tornado"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/tornado.htm. Acesso em 21 de maio de 2022.

De estudante para estudante


Relacione a conferência de Berlim com o mapa do continente africano. 

Por Alice de Amorim da Silva
Responder
Ver respostas

Verdadeiro ou Falso?

Mapas são representações gráficas em escala reduzida da superfície terrestre ou de parte dela sobre um plano podem ainda representar especialmente determinadas informações gráficas, compondo, assim, os mapas temáticos

Por Anna Clara
Responder
Ver respostas

Estude agora


O que é a Faixa de Gaza?

Assista à nossa videoaula e conheça o território conhecido com Faixa de Gaza. Entenda a importância desse...

Guia de Profissões | A vida na Teologia, com Robinson Jacintho

Quer ter mais informações sobre o curso de Teologia e a profissão? Confira uma entrevista com o teólogo Robinson...