Geomorfologia

Geografia

A Geomorfologia é uma área do conhecimento que se preocupa em estudar as dinâmicas referentes ao extrato superficial da crosta terrestre.
PUBLICIDADE

A Geomorfologia é uma área das Ciências da Terra responsável pelo estudo das formas superficiais de relevo, tanto em suas fisionomias atuais quanto em seu processo geológico e histórico de formação e transformação. Esse campo do conhecimento é visto como uma área de intersecção entre duas diferentes ciências: a Geografia e a Geologia.

O conceito de Geomorfologia está diretamente vinculado à etimologia da palavra: Geo = “Terra”; morfo = “forma”; logia = estudo. Assim, trata-se do estudo sobre a forma da Terra, ou seja, as manifestações do relevo e toda a dinâmica estrutural a ele relacionada. É, portanto, uma importante ferramenta de compreensão da realidade, pois permite um maior e melhor conhecimento sobre a composição natural do nosso planeta.

Para as sociedades e as práticas humanas em geral, a utilidade da Geomorfologia está na possibilidade de estudo sobre a superfície terrestre no sentido de permitir uma execução de sistemas e métodos de planejamento do processo de produção e ocupação do espaço geográfico. Assim, com os estudos empreendidos por essa área do conhecimento científico, sabemos quais são as áreas de melhor ocupação e aquelas de maior risco, além de entender as medidas necessárias para evitar problemas relacionados com o relevo na cidade e no campo.

Desse modo, quando observamos ou acompanhamos nos noticiários casos de graves erosões, deslizamentos de Terra, ocupação de áreas degradadas, entre outros fatores ligados à estrutura da superfície, estamos diante de problemas que poderiam ter sido evitados mediante a aplicação de conhecimentos geomorfológicos específicos. Portanto, ao nos perguntarmos para que serve a Geomorfologia, podemos entender que ela é relevante no sentido de auxiliar o ser humano a ocupar e utilizar o meio natural de maneira correta, de modo a minimizar os impactos gerados sobre a natureza.

A Geomorfologia não estuda somente o relevo de maneira estática, mas todo o conjunto de processos que levam à sua transformação nas mais diversas escalas temporais. Assim, levam-se em consideração os estudos sobre os fatores endógenos e os fatores exógenos de transformação do relevo, isto é, os elementos naturais que atuam internamente (tectonismo, terremotos etc.) e os que atuam externamente (erosão, intemperismo etc.). Com isso, entendemos melhor a formação dos tipos de relevo, a constituição dos solos e a melhor maneira de conservá-los.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Os níveis de abordagem da Geomorfologia

Em uma divisão elaborada por Aziz Ab'Saber, citado por Casseti (1994)¹, existem três principais níveis de abordagem da Geomorfologia ou estudos segmentados, que envolvem: a compartimentação morfológica, o levantamento da estrutura superficial e o estudo da fisiologia da paisagem.

a) compartimentação morfológica: análise e observação do relevo e as variações de suas topografias (o conjunto de acidentes geográficos e variações de altitude). É um procedimento útil na definição das áreas de ocupação e da delimitação das áreas de risco que um determinado ambiente possui, sendo importante e necessário para o correto uso do solo.

b) levantamento da estrutura superficial: define as características e, enfaticamente, a fragilidade que um determinado terreno possui. É responsável também pela análise do histórico de formação por meio da atuação dos agentes exógenos e endógenos.

c) estudo da fisiologia da paisagem: estudar a fisiologia de uma paisagem significa analisar o seu conjunto de funções e, no presente caso, a ação e impactos dos processos morfodinâmicos (movimentação das formas de relevo) na atualidade, o que inclui os efeitos da ação humana sobre o meio.

Portanto, ao entendermos esses níveis, podemos ter uma dimensão da complexidade e do alcance que a Geomorfologia possui ao desnudar, em seus estudos, a alçada geológica da qual se formaram as estruturas terrestres – por meio do levantamento de sua genealogia – até os processos naturais e antrópicos que alteram as formas de relevo e a cadeia de elementos naturais relacionados.

¹ CASSETI, V. Elementos de Geomorfologia. Goiânia: Editora da UFG, 1994. 

 

Por Me. Rodolfo Alves Pena

A Geomorfologia é responsável por estudar a dinâmica do relevo terrestre
A Geomorfologia é responsável por estudar a dinâmica do relevo terrestre

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

PENA, Rodolfo F. Alves. "Geomorfologia"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/geomorfologia.htm. Acesso em 02 de dezembro de 2020.

Assista às nossas videoaulas
Lista de Exercícios
Questão 1

“Os estudos geomorfológicos incluem, além da própria identificação e descrição morfológica do relevo, duas formas principais de abordagem: histórica e funcional. Procura-se responder, no primeiro caso, às indagações sobre onde e quando aconteceram certos eventos erosivos e deposicionais que modificaram o relevo e, no segundo, busca-se a explicação mecânica das transformações do relevo, ou seja, como transcorre a evolução sobre um determinado lugar e num certo período de tempo (...)”.

NETTO, A. L. C. A geomorfologia frente aos problemas ambientais. Anu. Inst. Geocienc. vol.15, 1992, p.157 (adaptado).

A geomorfologia, conforme a abordagem acima apresentada, pode ser representativa de um dos estudos de caso abaixo exemplificados. Assinale-o:

a) a composição estrutural e química do núcleo terrestre.

b) o papel exercido pelas formas de relevo sobre a dinâmica climática.

c) a influência do tectonismo na gênese das cadeias montanhosas.

d) a origem do movimento das células convectivas magmáticas.

e) o processo histórico de origem e transformação dos oceanos.

Questão 2

O forte terremoto que atingiu o Nepal reduziu os Himalaias em cerca de 1 metro, disseram cientistas. Eles alertam, no entanto, que a mudança ainda tem que ser confirmada por pesquisas na área, dados aéreos ou dados de GPS.

— O trecho principal que teve sua altura reduzida é um trecho de 80-100 km do Langtang Himal (a noroeste da capital, Katmandu) — disse Richard Briggs, geólogo do Serviço Geológico dos Estados Unidos.

Khadka, N. S. Himalaias "encolhem" após terremoto no Nepal. Zero Hora, maio de 2015. Disponível em: <http://zh.clicrbs.com.br>. Acesso em: 07 ago. 2015.

O fenômeno acima descrito representa um processo de alteração do relevo que pode ser classificado como:

a) endógeno, em razão da movimentação das placas litosféricas da Terra.

b) exógeno, por ter sido ocasionado pelos agentes intempéricos geomorfológicos.

c) misto, por representar uma combinação entre a ação climática e geológica.

d) exógeno, por ter ocorrido como consequência do intenso regime de chuvas da região.

e) endógeno, por ser uma resultante direta dos processos erosivos sobre a crosta.

Mais Questões
Geografia Cânions
Geografia do Brasil Relevo brasileiro
As diferentes feições da superfície formam os diferentes tipos de relevo
Geografia Tipos de Relevo
Geografia Erosão
Fatores que influenciam no intemperismo: clima, chuva e relevo
Geografia Intemperismo