Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Plástico biodegradável

Plástico biodegradável é um material que pode ser decomposto por micro-organismos em substâncias mais simples, como água, dióxido de carbono e biomassa.

Mulher segurando um copo feito de plástico biodegradável.
O plástico biodegradável é um material que pode ser decomposto por micro-organismos em substâncias naturais.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Os plásticos biodegradáveis são uma alternativa aos plásticos convencionais, projetados para se decompor mais rapidamente no meio ambiente, por meio de processos biológicos, resultando em resíduos menos persistentes. Nesse sentido, existem diferentes tipos de plásticos biodegradáveis, que podem ser produzidos a partir de fontes renováveis, como amido de milho, cana-de-açúcar, mandioca, ou de fontes não renováveis, como petróleo, mas que possuem aditivos que aceleram a biodegradação.

Diante da crescente preocupação com a poluição causada pelos resíduos plásticos (que são compostos por polímeros sintéticos não biodegradáveis, como o polietileno e o polipropileno), os plásticos biodegradáveis surgem como uma solução mais sustentável, contribuindo para a redução do acúmulo de lixo e para a preservação dos ecossistemas naturais. No entanto, é importante ressaltar a necessidade de um descarte adequado desses materiais para que possam se decompor de maneira eficaz e não causarem impactos indesejáveis ao meio ambiente.

Leia também: O que é plástico verde?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre plástico biodegradável

  • Plástico biodegradável é um material que pode ser decomposto por micro-organismos em substâncias naturais.
  • Os tipos de plástico biodegradável são os plásticos de base biológica, os plásticos compostáveis e os plásticos oxibiodegradáveis.
  • As principais vantagens do plástico biodegradável são a redução da poluição, menor dependência de recursos não renováveis, menor pegada de carbono, potencial para reciclagem, estímulo à inovação e desenvolvimento tecnológico.
  • As principais desvantagens do plástico biodegradável são a falta de infraestrutura de reciclagem, custo mais elevado, eficiência variável da biodegradação, possíveis impactos ambientais negativos, confusão na rotulagem.
  • O plástico biodegradável é produzido a partir dos seguintes processos: seleção da matéria-prima, extração ou síntese da matéria-prima, polimerização, adição de aditivos, moldagem e processamento, testes de biodegradabilidade e qualidade.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é plástico biodegradável?

O plástico biodegradável é um tipo de plástico que pode ser decomposto por micro-organismos em substâncias naturais, como água, dióxido de carbono e biomassa. Nesse sentido, isso ocorre através de um processo natural chamado biodegradação, no qual os micro-organismos secretam enzimas que quebram as ligações químicas no plástico, transformando-o em substâncias mais simples que podem ser absorvidas pelo ambiente.

Além disso, para que um plástico possa ser considerado biodegradável, ele deve atender a alguns critérios, conforme dispõe o quadro abaixo:

Critérios

Descrição

Capacidade de degradação por micro-organismos

O plástico deve ser suscetível à ação de micro-organismos presentes no ambiente, que quebram suas ligações químicas.

Conversão em compostos naturais

Durante a biodegradação, o plástico se transforma em compostos naturais inofensivos, como água, CO2 e biomassa.

Tempo de degradação

O plástico deve se degradar em um período razoável, geralmente de meses a anos, dependendo das condições ambientais.

Ausência de resíduos tóxicos

O processo não deve gerar resíduos tóxicos ou prejudiciais ao meio ambiente.

Condições ambientais adequadas

A biodegradação pode depender de fatores como temperatura, umidade e presença de micro-organismos específicos.

Quais são os tipos de plástico biodegradável?

Os plásticos biodegradáveis são classificados de acordo com suas propriedades de degradação e origens. Sendo assim, eles podem ser divididos em três principais categorias:

  • Plásticos de base biológica: são feitos a partir de fontes renováveis, como amido de milho, cana-de-açúcar, mandioca, etc. Exemplos incluem o ácido polilático (PLA) e o polihidroxialcanoato (PHA).
  • Plásticos compostáveis: embora nem todos os plásticos compostáveis sejam biodegradáveis, muitos são projetados para se decompor rapidamente em condições de compostagem, onde são expostos a calor, umidade e micro-organismos específicos. Como exemplo, podemos citar o poliéster alifático (PLA) e o polihidroxibutirato (PHB).
Copos feitos de poliéster alifático (PLA), um plástico compostável, um dos tipos de plástico biodegradável.
O ácido polilático (PLA) é um polímero biodegradável produzido a partir de fontes naturais, como amido de milho, tapioca ou cana-de-açúcar.
  • Plásticos oxibiodegradáveis: contêm aditivos que aceleram a divisão do plástico em pequenos fragmentos após a exposição à luz solar e ao oxigênio. Esses fragmentos são então biodegradados por micro-organismos. Exemplos incluem plásticos contendo pró-degradantes.

Essas categorias de plásticos biodegradáveis são baseadas em diferentes processos de degradação e origens, proporcionando opções mais sustentáveis em comparação com os plásticos convencionais.

Parte superior do formulário

Acesse também: Plástico PET — um dos plásticos mais consumidos do mundo

Quais são as vantagens e desvantagens do plástico biodegradável?

Os plásticos biodegradáveis apresentam diversas vantagens e desvantagens que devem ser consideradas ao avaliar o seu uso.

→ Vantagens do plástico biodegradável

As principais vantagens dos plásticos biodegradáveis são as seguintes:

  • Redução da poluição por plásticos: uma vez que o plástico biodegradável pode se decompor mais rapidamente do que os plásticos convencionais, reduzindo a acumulação de resíduos plásticos no meio ambiente.
  • Menor dependência de recursos não renováveis: alguns plásticos biodegradáveis são feitos a partir de fontes renováveis, como amido de milho, reduzindo a dependência de recursos não renováveis, como o petróleo.
  • Menor pegada de carbono: em alguns casos, a produção de plásticos biodegradáveis pode resultar em menor emissão de gases de efeito estufa em comparação com os plásticos convencionais.
  • Potencial para reciclagem: alguns são compostáveis e podem ser compostados juntamente com resíduos orgânicos, transformando-se em nutrientes para o solo.

→ Desvantagens do plástico biodegradável

As principais desvantagens dos plásticos biodegradáveis são as seguintes:

  • Falta de infraestrutura de reciclagem: em muitos lugares, a infraestrutura de reciclagem e compostagem para plásticos biodegradáveis ainda é limitada, o que pode dificultar sua disposição adequada e levar à contaminação de resíduos.
  • Custo: geralmente são mais caros de produzir do que os plásticos convencionais, devido aos processos e materiais envolvidos.
  • Eficiência da biodegradação: nem todos os plásticos biodegradáveis se degradam rapidamente ou de forma eficaz em todos os ambientes, o que pode levar a problemas de poluição se não forem descartados corretamente.
  • Possíveis impactos ambientais: alguns plásticos biodegradáveis podem liberar substâncias químicas nocivas durante a degradação, e a produção em larga escala desses plásticos pode ter impactos ambientais negativos, como o uso intensivo de recursos naturais.

Como é a produção do plástico biodegradável?

A produção de plástico biodegradável pode variar dependendo do tipo específico de plástico e da matéria-prima utilizada. Contudo, geralmente envolve as seguintes etapas:

  1. Seleção da matéria-prima: a primeira etapa na produção de plástico biodegradável é a seleção da matéria-prima adequada, a qual pode incluir fontes renováveis, como amido de milho, cana-de-açúcar, mandioca, ou fontes não renováveis, como petróleo.
  2. Extração ou síntese da matéria-prima: se a matéria-prima for de origem vegetal, ela é extraída da planta e processada para obter o composto básico necessário para a produção de plástico. Se for de origem não renovável, como o petróleo, ela passa por processos químicos para sintetizar os polímeros necessários.
  3. Polimerização: o próximo passo é a polimerização, em que os monômeros obtidos na etapa anterior são combinados para formar longas cadeias de polímero. Isso geralmente é feito através de reações químicas, como a polimerização por condensação ou a polimerização por adição.
  4. Adição de aditivos: para alguns tipos de plásticos biodegradáveis, são adicionados aditivos para melhorar suas propriedades de biodegradação que podem incluir catalisadores, plastificantes e agentes de degradação.
  5. Moldagem e processamento: após a formação do polímero, o plástico biodegradável é moldado ou processado de acordo com a aplicação desejada, o que pode envolver processos como extrusão, moldagem por injeção ou termoformagem.
  6. Testes de biodegradabilidade e qualidade: antes de ser comercializado, o plástico biodegradável passa por testes rigorosos como compostagem, degradação em condições ambientais específicas e análises químicas e físicas para garantir que atenda aos padrões de biodegradabilidade e qualidade necessários.

É importante ressaltar que a produção de plástico biodegradável ainda enfrenta desafios em termos de eficiência, custo e disponibilidade de matérias-primas sustentáveis. No entanto, avanços contínuos na pesquisa e tecnologia estão contribuindo para tornar esse material uma alternativa mais viável e sustentável aos plásticos convencionais.

Fontes

CHOE, S. et al. Bridging Three Gaps in Biodegradable Plastics: Misconceptions and Truths About Biodegradation. Frontiers in Chemistry, 2021.

FILICIOTTO, L.; ROTHENBERG, G. Biodegradable Plastics: Standards, Policies, and Impacts. ChemSusChem, 2021.

GHOSH, K.; JONES, B. H. Roadmap to biodegradable plastics-current state and research needs. ACS Sustainable Chemistry and Engineering, 2021.

GIOIA, C. et al. End of Life of Biodegradable Plastics: Composting versus Re/Upcycling. ChemSusChem, 2021.

KUMAR, R. et al. Mechanical, chemical, and bio-recycling of biodegradable plastics: A review. Science of the Total Environment, 2023.

MOSHOOD, T. D. et al. Biodegradable plastic applications towards sustainability: A recent innovations in the green product. Cleaner Engineering and Technology, 2022a.

MOSHOOD, T. D. et al. Sustainability of biodegradable plastics: New problem or solution to solve the global plastic pollution? Current Research in Green and Sustainable Chemistry, 2022b.

MOSHOOD, T. D. et al. A Literature Review on Sustainability of Bio-Based and Biodegradable Plastics: Challenges and Opportunities. Energy Engineering: Journal of the Association of Energy Engineering, 2022c.

MOSHOOD, T. D. et al. The plastic of the future: determinants for switching intention from synthetic to biodegradable plastics among the young consumers. Journal of Social Marketing, v. 13, n. 1, p. 121–148, 2023.

PENG, C. et al. Differences in the Plastispheres of Biodegradable and Non-biodegradable Plastics: A Mini Review. Frontiers in Microbiology, 2022.

QIN, M. et al. A review of biodegradable plastics to biodegradable microplastics: Another ecological threat to soil environments? Journal of Cleaner Production, 2021.

SATTI, S. M.; SHAH, A. A. Polyester-based biodegradable plastics: an approach towards sustainable development. Letters in Applied Microbiology, 2020.

TANEEPANICHSKUL, N.; PURKISS, D.; MIODOWNIK, M. A Review of Sorting and Separating Technologies Suitable for Compostable and Biodegradable Plastic Packaging. Frontiers in Sustainability, 2022.

Escritor do artigo
Escrito por: Jhonilson Pereira Gonçalves Graduado em ciências licenciatura/química (UEMA), mestre em química (UFMA) e pós-graduado em metodologia do ensino de física e química. Possui experiência na área da educação como professor do ensino fundamental ao superior.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GONçALVES, Jhonilson Pereira. "Plástico biodegradável"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/plastico-biodegradavel.htm. Acesso em 17 de abril de 2024.

De estudante para estudante